Month: abril 2022

‘Ninguém é eleito seis vezes sem ter um bom motivo’ afirma presidente da Asplan sobre recondução de Alexandre Lima na AFCP Foto:AFCP

Posted on

“Ser reeleito uma ou duas vezes já é sinal de que a gestão da pessoa é aprovada pela maioria, mas, ser reconduzido e por aclamação pela sexta vez é sinal de que as coisas vão muito bem”, disse o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais. Ele se refere à reeleição de Alexandre Andrade Lima para seu sexto mandato no comando da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP). O dirigente canavieiro foi reconduzido ao cargo, que ocupa desde 2007, durante assembleia da entidade, que aconteceu na última segunda-feira (25).

“Alexandre tem feito um grande trabalho e tem se dedicado integralmente aos interesses do setor canavieiro, não apenas como dirigente da associação pernambucana, mas, até bem pouco tempo também como presidente da Feplana, e também como gestor da Coaf, tudo isso com muita competência, propriedade e altivez, de forma que não apenas Pernambuco, mas todo o segmento canavieiro ganha com essa recondução”, reiterou José Inácio.

A nova diretoria eleita ainda conta com Paulo Giovanni (1° vice-presidente), Felipe Neri (1° secretário) e Damião Pereira (1° tesoureiro), que também foi escolhida por aclamação pelos associados. O mandato seguirá até abril de 2025. A direção e composta ainda pelos produtores José Humberto (2° vice-presidente), Marcelo Antônio (2° secretário) e por Celso Romero (vice-tesoureiro). Os titulares do Conselho Fiscal são Ivaldo Alvin, Bartolomeu Guedes e Emílio Guedes. Na suplência, Virgílio Pacífico, Marcos Galdino e Carlos Antônio César de Albuquerque Filho.

Alexandre Lima e a nova diretoria da AFCP
Alexandre Lima e a nova diretoria da AFCP

ALPB aprova por unanimidade outorga de Medalha Pe. Rolim ao professor doutor José Cezario de Almeida

Posted on

Detentor de um expressivo currículo, o Professor Doutor José Cezario de Almeida, vai acrescentar uma comenda muito especial ao seu histórico. Trata-se da  Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim – Padre Rolim. A aprovação do Projeto de Resolução 410/22, de autoria do deputado Jeová Campos, foi por unanimidade e aconteceu durante a sessão legislativa desta quarta-feira (27).

Essa homenagem é marcante e me toca profundamente, explicou o deputado Jeová. “Além dos relevantes serviços prestados ao Estado da Paraíba na área
educacional, o professor Cezario foi meu colega na universidade em 1984, e sem dúvida nenhuma vai carregar no seu peito a memória, a integridade, a religiosidade que lhe é própria, mas, sobretudo, seu compromisso com a Educação que é o que mais marca a sua vida. Ele tem serviços prestados a Cajazeiras e as universidades do Nordeste brasileiro”, afirmou o deputado.

Breve currículo

José Cezario de Almeida, além de Biólogo, também é Bacharel em Direito, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras – FAFIC e advogado e especialista em Direito Penal. Na vida acadêmica, tem o título de Pós-Doutorado pela USP, em sistema de garantias em saúde e direitos da criança e do adolescente, com tese inédita apresentada à USP em 2013. É professor e orientador do Programa de Mestrado em Gestão e Sistemas Agroindustriais no Campus da UFCG de Pombal, com várias orientações, e ministrante da Disciplina Direito Ambiental. Ele tem largo currículo Lattes, que reúne mais de 100 publicações científicas e literárias, organização de livros, participação  em eventos nacionais e internacionais, inclusive como palestrante.

Professor Doutor José Cezario de Almeida receberá medalha Pe. Rolim da ALPB
Professor Doutor José Cezario de Almeida receberá medalha Pe. Rolim da ALPB

Presidente da Asplan será agraciado com a Medalha de Epitácio Pessoa da ALPB

Posted on

O plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, nesta quarta-feira (27), por unanimidade, o Projeto de Resolução 391/22 que concede a mais alta honraria da Casa – a medalha de Epitácio Pessoa – ao presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais. Dirigente canavieiro, produtor rural, engenheiro agrônomo e empresário, José Inácio tem fortes e antigos vínculos com a Paraíba, gera emprego em diversas propriedades e é um líder muito respeitado no segmento canavieiro. A data da solenidade de entrega da Medalha não foi definida.

A Medalha Epitácio Pessoa tem como objetivo homenagear personalidades por sua importante contribuição à Paraíba. No caso de José Inácio, o autor da propositura, deputado João Gonçalves, justifica a indicação pelo fato do dirigente canavieiro ter prestado relevantes serviços ao Estado, ser um grande empregador no campo e, inclusive, destacando-se como gestor público, como secretário executivo de Agricultura da Paraíba, no governo de Cássio Cunha Lima. “Fico lisonjeado com tal homenagem e recebo essa honraria com muito orgulho, alegria e satisfação”, disse José Inácio, agradecendo o deputado João Gonçalves pela iniciativa.

            José Inácio é pernambucano da cidade de Macaparana, mas, desde muito jovem mora na Paraíba tendo, inclusive, estudado Agronomia, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. Está no terceiro mandado como presidente da Asplan (2000 a 2005, de 2017 a 2020 e o atual, de 2020 a 2023). José Inácio é também presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana-de-Açúcar (Unida).

O produtor canavieiro e presidente da Asplan, José Inácio de Morais, receberá da ALPB Medalha de Epitácio Pessoa
O produtor canavieiro e presidente da Asplan, José Inácio de Morais, receberá da ALPB Medalha de Epitácio Pessoa

Alta no preço dos fertilizantes preocupa produtores canavieiros paraibanos

Posted on

Os constantes aumentos dos fertilizantes ou adubos vem preocupando os produtores canavieiros paraibanos que estão enfrentando aumentos exorbitantes nos custos destes produtos, especialmente, nos últimos três anos, chegando a triplicar de valor em alguns casos. O custo do adubo para fundação (plantio) da cana-de-açúcar em 2019, por exemplo, era de R$ 1.450,00 por hectare. Esse mesmo produto, atualmente, custa R$ 3.625,00, impactando em 34% no custo do plantio por hectare.

Mas, não é somente o adubo para plantio que sofreu reajustes consideráveis entre 2019 e 2022. O produto usado no custeio (manutenção), que há três anos custava R$ 1.000,00 por hectare, hoje equivale a R$ 2.200,00. A variação dos herbicidas também foi expressiva. Em 2019, o produtor investia R$ 200,00 por hectare no plantio, hoje esse valor subiu para R$ 700,00. Na socaria, o valor que era R$ 277,00, atualmente, é de R$ 382,00. Um litro de glicosato, que é indicado no controle de ervas daninhas anuais e perenes, que custava R$ 15,00, hoje é comercializado a R$ 100,00.

O agrônomo Luis Augusto, do Departamento Técnico da Asplan (Detec), explica que essa variação de preço leva em conta diversos fatores sendo o aumento do dólar, já que os produtos são importados, o mais expressivo deles. “Além disso, os custos de logísticas com o transporte marítimo aumentaram muito e a escassez de moléculas, vindas a maior parte da China e também dos Estados Unidos, impulsionaram os preços. E também as indústrias instaladas em outros países que atendiam o mercado brasileiro reduziram a produção e a oferta desses produtos e tudo isso impacta no custo final dos produtos”, explica Luis, lembrando que o racionamento de energia na China e problemas nos EUA comprometeram a produção, reduzindo a oferta e aumentando também os preços.

            O agrônomo lembra ainda da importância da adubação correta para a boa produtividade. “Quando os tratos culturais não são feitos de forma adequada, isso pode comprometer a produtividade da lavoura. Os estudos mostram que há uma relação direta entre a quantidade de adubo aplicado e produtividade, por isso os preços dos adubos preocupam tanto, pois eles são extremamente necessários para a agricultura, mas com valores tão altos há um impacto muito negativo no lucro do produtor”, reforça Luis Augusto.

Durante a pandemia de Covid-19, o preço dos defensivos agrícolas e fertilizantes aumentou em todos os continentes e até triplicou em alguns casos, como o cloreto de potássio (KCl). A tonelada do insumo saltou de US$ 265 em janeiro de 2021, para US$ 795 no final de outubro. “Além dessa avalanche de aumentos, ainda há o agravante das implicações mundiais por causa da guerra entre a Russia e a Ucrânia”, explica o produtor e diretor técnico do Detec da Asplan, Neto Siqueira. Ele lembra que a dependência do Brasil dos insumos fornecidos pela China, Rússia, Marrocos e outros países é grande. “O Brasil importa cerca de 80 a 85% dos fertilizantes que necessita e a China produz moléculas essenciais para os agroquímicos, como o glifosato, e qualquer mudança nestes mercados de lá impacta diretamente aqui”, destaca Neto.

O diretor do Detec da Asplan elogia a diligência do governo brasileiro no sentido de intervir para que não haja falta de produtos no mercado, mas ressalta que o Brasil precisa rever urgentemente a dependência dos fornecedores internacionais, especialmente, de chineses e russos. “O Governo deveria pensar num programa de estímulo a investimentos na produção nacional de fertilizantes e defensivos para acabar com a dependência do país, isso é vital para reduzir essa extrema e perigosa vulnerabilidade da agricultura brasileira e também para diminuir custos de produção e logística”, reitera Neto Siqueira, destacando que a chegada recente de navios com insumos vindo da Rússia tranquiliza os produtores para o semestre que está em curso, mas, não garante o abastecimento do mercado na segunda metade do ano, nem muito menos é referencial para os preços que serão praticados no próximo semestre. “Dormimos e acordamos com novos preços e isso gera uma instabilidade muito grande em nossos negócios”, lamenta Neto.

O agrônomo da Asplan, Luis Augusto
O agrônomo da Asplan, Luis Augusto
O produtor está muito preocupado com a alta no preços dos fertilizantes
O produtor está muito preocupado com a alta no preços dos fertilizantes
Os tratos culturais são importantes para a produtividade
Os tratos culturais são importantes para a produtividade
A alta exorbitante dos fertilizantes impacta diretamente no lucro do produtor
A alta exorbitante dos fertilizantes impacta diretamente no lucro do produtor
A amplicação de defensivos tem impactado os custos de produção de forma muito expressiva
A amplicação de defensivos tem impactado os custos de produção de forma muito expressiva
A alta dos fertilizantes impacta no usto de produção de forma muito forte
A alta dos fertilizantes impacta no usto de produção de forma muito forte
Diretor técnico do Detec da Asplan, Neto Siqueira destaca preocupação com a alta dos preços dos produtos
Diretor técnico do Detec da Asplan, Neto Siqueira destaca preocupação com a alta dos preços dos produtos

Requerimento pedindo que ALPB se posicione em relação a ‘Graça’ concedida por Bolsonaro a Daniel Silveira não foi votado hoje

Posted on

Como havia divulgado ontem (26), o Deputado Estadual Jeová Campos apresentou Requerimento solicitado que a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) se posicione em relação ao fato da concessão da ‘Graça’ dada pelo presidente Jair Bolsonaro ao deputado federal, Daniel Silveira. Além de solicitar a posição da ALPB, o Requerimento 21.785/22, determina que a Casa de Epitácio Pessoa solicite ao Supremo Tribunal Federal (STF) a nulidade do decreto de autoria do Presidente da
República, datado de 21 de abril de 2022, restabelecendo integralmente os termos da decisão condenatória do citado parlamentar proferida na Ação Penal 1.044. O Requerimento estava na Ordem do Dia para ser votado, mas, a pedido do presidente da Casa, Adriano Galdino será apreciado na sessão da próxima terça-feira (03). Além disso, o deputado Cabo Gilberto pediu Destaque na matéria.

Depois que o Cabo Gilberto pediu Destaque e manifestou-se contrário a aprovação do Requerimento, o deputado Jeová refutou os argumentos do parlamentar, alegando que esse debate a ALPB precisa fazer. “O Brasil está fazendo isso. Porque não se trata de concessão do instituto da ‘Graça’, mas de um favorecimento pessoal, a um criminoso que atentou contra o Estado Brasileiro, que praticou crimes contra as instituições brasileiras e aqui repito as palavras do ex-ministro Ayres Brito que diz não ser possível a concessão de indulto da ‘Graça’ a quem atenta contra o Estado Democrático de Direito e isso está previsto no Código de Processo Penal e está previsto em todas as decisões anteriormente já compreendidas nessa temática. O STF não aceita o indulto para perdão para quem quer desmontar a República Brasileira, agredindo ministros do Supremo, agredindo o Poder Judiciário”, disse Jeová, lembrando que o direito de dizer o que quer não é compatível com o instituto do direito parlamentar.

Jeová reforçou que Daniel Silveira foi punido pelos crimes de tentativa de impedir o livre exercício dos poderes e coação em processo judicial e, por isso, foi condenado a pena de oito anos e nove meses de reclusão, inicialmente, em regime fechado, bem como a perda do mandato de deputado federal, suspensão dos seus direitos políticos e multa. “No dia seguinte a pena instituída pelo STF, com um placar de 10x1, Bolsonaro editou um decreto concedendo a “graça constitucional” ao deputado Daniel Silveira. Entendemos que a concessão deste perdão por parte do Presidente da República afronta os preceitos basilares da Carta Magna, pois ele não pode tomar medidas inconstitucionais a seu bel prazer”, afirmou Jeová.

Para o deputado paraibano que é advogado e professor concursado da UFCG, o decreto presidencial deve ser declarado nulo. “Ele ainda concedeu graça constitucional a uma pessoa que não foi condenado por decisão judicial transitada em julgado e que sequer tenha havido a publicação do resultado do julgamento, ocorrido em 20 de abril de 2022. Além do mais, a graça compromete o princípio da moralidade, impessoalidade, tripartição dos poderes e a democracia”, finaliza Jeová.

ALPB aprova Requerimento de Jeová que pede realização urgente de Operação Tapa Buraco na PB 420

Posted on

 A rodovia estadual PB 420, que liga a BR 230 à BR 116, passando pela cidade de Cachoeira dos Índios está em péssimo estado de conservação, com muitos buracos que além de prejudicar a suspensão dos veículos, pode ocasionar acidentes. Diante desta situação, o professor Edegildo Alencar pediu ao deputado Jeová Campos que solicitasse ao DER alguma providência para melhoria da via. O parlamentar então apresentou o Requerimento 27.716/22, aprovado durante a sessão desta quarta-feira (27), que solicita a realização urgente de uma Operação Tapa Buracos naquela estrada.

            “Nosso gabinete recebeu nos últimos dias apelo da população de Cachoeira
dos Índios e, de modo destacado do ilustre professor Edegildo Alencar, solicitando nosso apoio parlamentar no sentido de postular junto ao governo estadual a operação tapa buracos da rodovia PB 420”, disse Jeová, lembrando que em razão do período invernoso de 2022 e do elevado número de veículos que transita diariamente pela rodovia estadual, os buracos aumentaram consideravelmente, prejudicando os motoristas e a população em geral que diariamente utilizam aquela rodovia.

Ainda segundo o parlamentar, a única forma de evitar possíveis acidentes de trânsito, bem como evitar mais danos aos veículos, é viabilizar o conserto da malha asfáltica daquela via.

Requerimento do deputado Jeová aprovado pela ALPB pede Operação Tapa Buraco para a PB 420
Requerimento do deputado Jeová aprovado pela ALPB pede Operação Tapa Buraco para a PB 420

 

Insegurança e falta de patrulhamento na zona rural aumenta assaltos e roubos diz produtor que em menos de 30 dias sofreu dois crimes

Posted on

Num intervalo de 25 dias, o produtor canavieiro Pedro Neto, que é vice-presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), teve um veículo roubado e na manhã desta segunda-feira (25), um funcionário seu sofreu outra tentativa de assalto e foi ferido por arma de fogo. Felizmente, o Sr. José da Silva que foi abordado pelos marginais às 5 horas da manhã, passou por cirurgia no Hospital de Trauma de João Pessoa e passa bem. “Há menos de um mês, outro veículo meu, um Fiat Strada, foi roubado nas mesmas circunstâncias e no mesmo local. Até hoje não conseguimos recuperar o veículo, nem identificar os bandidos que o levaram. A insegurança no campo e a falta de policiamento tem assustado todo mundo que mora ou trabalha no campo e estimulado os bandidos a agirem livremente”, lamenta o produtor.
Pedro Neto explica que seu funcionário tentou se livrar do assalto e acabou perdendo a direção do veículo, que desceu um declive da estrada, após ser baleado no braço. A ação dos bandidos aconteceu a 500 metros da PB 030, na altura do quilômetro 15, em Pedras de Fogo, no mesmo local do assalto anterior. Mas, Pedro Neto explica que essas ocorrências estão cada vez mais frequentes não apenas no município, mas em outras localidades de área rural do Estado. “É preciso que as forças de segurança pública olhem com mais atenção essa questão do aumento da violência no campo”, reitera o produtor, lembrando que o posto policial mais próximo da ocorrência fica a cerca de 15 km.
O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, lembra que além de Pedras de Fogo, as ocorrências de assaltos, roubos, furtos e até sequestros tem aumentado também em Alhandra e em áreas próximas e adjacentes da Bacia do Rio Gramame, além de Santa Rita e Mamanguape. “Não há policiamento regular e o aparato da segurança pública nestas regiões quase inexiste”, diz o dirigente canavieiro, lembrando que no final de agosto do ano passado a Asplan se reuniu com representantes das forças de segurança, a fim de formar uma força tarefa para combater esses crimes, mas, muito pouco se avançou neste sentido desde então. “É preciso reforçar policiamento no campo, abrir novos postos policiais e retomar a patrulha rural. A bandidagem está solta e nós, produtores e trabalhadores, reféns desta insegurança. Da forma como estamos hoje, a bandidagem está fazendo o que bem entende”, afirmou José Inácio.

Profissionais do Hospital de Queimadas se reúnem numa Roda de Conversa para debater questões importantes da saúde do trabalhador

Posted on

O mês de abril é direcionado às campanhas educativas que abordem a prevenção de acidentes do trabalho. E nesta segunda-feira (25), no Hospital Geral de Queimadas, uma Roda de Conversa, promovida pelas comissões de Saúde do Trabalhador e de Educação Permanente, e que reuniu profissionais de vários setores, debateu questões importantes da campanha Abril Verde na unidade. “A conscientização sobre o comportamento prevencionista no que tange à Segurança e Saúde do trabalhador é muito importante”, destaca a diretora administrativa do hospital, Eva Cordeiro, que também participou da atividade realizada no espaço externo de eventos do hospital.
A psicóloga Renata Barros foi uma das interlocutoras da Roda de Conversa que teve ainda dinâmicas coordenadas pela fisioterapeuta, Gerlene Andrade. Para a diretora administrativa do hospital, o momento foi muito oportuno, inclusive, para reforçar a importância da prevenção e do uso de EPI’s. “Esse é o segundo encontro que realizamos em nossa unidade e percebemos que a cada debate cresce o engajamento de todos em trabalhar preventivamente, reduzindo riscos de acidentes e incidentes”, afirma Eva, lembrando que um ambiente seguro é construído por todos e não apenas por indivíduos isolados. Na ocasião, foi abordado ainda a importância do uso correto dos EPI’s e foram homenageados os aniversariantes do mês.
Vale lembrar que …
Apesar das Normas regulamentadoras, criadas a partir da Lei n.º 6.514 de 1977, regulamentada pela portaria n.° 3.214 de 08 de junho de 1978 (atualmente através de 37 Normas), o Brasil, anualmente, ainda enfrenta elevados números de acidentes de trabalho considerados como típicos, de trajeto e doenças do trabalho. O último Anuário Estatístico de Acidente do Trabalho – AEAT – 2017, emitido pelo Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, registrou um total 549.405 acidentes de trabalho no
Brasil.
Resgate histórico
O mês Abril foi escolhido baseando-se no Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho. Nessa data, em 1969, houve uma explosão de uma mina da cidade de Farmington, na Virgínia (EUA), que culminou na morte de 78 trabalhadores, caracterizando o episódio como um dos maiores e mais conhecidos acidentes trabalhistas da humanidade. Abril também é marcado pelo mês da criação da Organização Mundial de Saúde (OMS) que surgiu com a proposta de cuidar de questões relacionadas com a saúde global, no ano de 1948. Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o 28 de abril como o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. No Brasil, foi instituído o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, que é celebrado no dia 28 de abril.

Deputado Jeová anuncia que fará Requerimento para ALPB se posicionar sobre indulto dado por Bolsonaro ao deputado Daniel

Posted on

“O Brasil não quer mais tortura, não quer mais intervenção militar, não quer mais tolher a liberdade de imprensa, não quer viver o tempo de desaparecimento de presos políticos, não precisa rever os anos obscuros da ditadura e a página negra dos anos de chumbo. Neste grave momento de afronta aos poderes constituídos não podemos ficar calados. As instituições não podem e não devem se acovardar diante dessa situação. Vou elaborar um Requerimento para a ALPB se posicionar, no sentido de encaminhar a posição desta Casa para o STF, solicitando que os ministros não acatem esse indulto, que é uma violência profunda ao Estado Democrático de Direito, uma insegurança para o povo brasileiro e um comprometimento para a Democracia”, disse hoje (26), o deputado estadual Jeová Campos, referindo-se ao indulto individual dado pelo Presidente Bolsonaro ao deputado federal Daniel Silveira, extinguindo a pena de prisão e multa à qual foi condenado na última quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal.
Para Jeová, a ALPB e outras instituições democráticas precisam enfrentar esse debate. “Aonde o atual presidente quer chegar? Eu nunca vi falar que uma pessoa governasse numa democracia o tempo todo criando crises institucionais. Como pode um presidente poder dialogar com o mundo defendendo a tortura, o AI-5 e afrontando os poderes constituídos?”, questionou o parlamentar.
Na opinião do deputado paraibano, a concessão deste indulto individual, provoca um caos e um descontrole institucional no país. “Neste caso, o Sr. Daniel Silveira foi julgado pelo STF por ser deputado federal e ter foro privilegiado, tinha que ser neste fórum. Na Democracia não cabe um poder deslegitimar as instituições. Esse indulto de ‘Graça’ é uma afronta ao Estado Democrático, ao Poder Judiciário que em qualquer país do mundo tem um papel a cumprir que é o de administrar os conflitos e esse conflito criado por Daniel Silveira é um conflito que não pode ficar impune e sem reparação”, afirmou Jeová, lembrando que dos onze ministros, dez votaram a favor da punição, com exceção de um ministro que foi nomeado recentemente por Bolsonaro.
“A administração pública precisa ser regida pelo princípio da moralidade e impessoalidade. Um poder não pode querer transformar outro num poder servil. Não é possível isso. Anistiar um criminoso, que praticou um crime contra as instituições da República, que a todo tempo defende intervenção militar, violência, é inaceitável”, reiterou Jeová.
Retrospectiva
O deputado federal Daniel Silveira foi condenado, por 10 votos a 1, ou seja, por quase unanimidade do STF, a oito anos e nove meses de prisão, multa, perda do mandato e suspensão dos seus direitos políticos pelos crimes de coação em processo judicial e tentativa de impedir o livre exercício dos poderes da União. O indulto dado pelo presidente o livra da prisão e da multa, mas não da perda do mandato. “O que Bolsonaro fez, na realidade, foi tentar proteger um aliado, provocar tumulto e afrontar o Supremo em mais uma tentativa de enfraquecer a democracia e desmoralizar os poderes constituídos e a ALPB e outros poderes não podem ficar omissos diante deste absurdo”, finalizou Jeová.

Deputado Jeová Campos fará requerimento cobrando posição da ALPB diante da situação
Deputado Jeová Campos fará requerimento cobrando posição da ALPB diante da situação

Hospital de Patos realiza 179 atendimentos e 12 cirurgias no final de semana

Posted on

AEmergência e Urgência do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro (CHRDJC), em Patos, registrou o atendimento a 179 pessoas e realização de 12 cirurgias neste final de semana, sendo 11 delas de emergência e uma eletiva. Dos 179 pacientes atendidos, 16 foram de pessoas que se envolveram em sinistros de trânsito, dos quais a maior parte – 13 deles – oriunda de acidentes com motos. Houve ainda um atropelamento e dois casos de pessoas que se acidentaram com bicicletas. Das 12 cirurgias realizadas, seis foram de cirurgia geral, cinco ortopédicas e uma vascular.

O plantão de maior movimento foi o do sábado, quando 79 pessoas deram entrada na unidade, seguido do plantão de domingo com mais 75 atendimentos. Das 18h até a meia-noite da sexta-feira, outras 25 pessoas passaram pela Urgência e Emergência do Complexo. Na Emergência, além dos casos envolvendo os acidentados com motos, bicicleta e automóvel, os demais motivos dos atendimentos da unidade foram de pacientes com queda da própria altura, dor abdominal, acidentes com animal peçonhento ou raivosos, queda de nível, dor na coluna, dor no peito, dificuldade de respirar, acidente com objeto perfuro/cortante e hipertensão, entre outros motivos.

O boletim de atendimento de pacientes vítimas de sinistros de trânsito mostra que, além de acidentados da cidade de Patos, com sete ocorrências, a unidade ainda recebeu pacientes de Conceição, Imaculada, Mãe D’água, Nova Olinda, Santa Teresinha, Teixeira e Vista Serrana. Três pacientes que se acidentaram com motos tiveram que permanecer internados para cuidados posteriores.