Maternidade de Patos

Maternidade de Patos recebe kits de sobrevivência obstétrica durante passagem da Rede Cuidar pela cidade

Posted on

Trabalho de Parto Prematuro, Hemorragia, Pré-Eclâmpsia e SEPSE (Infecção). Esses quatro fatores que podem levar ao óbito materno podem ser revertidos quando a paciente tem uma assistência profissional adequada, associada a insumos e medicamentos que controlam a situação e impedem o agravamento do quadro. E é justamente com esse propósito que o Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde e a Rede Cuidar, está disponibilizando para as unidades de saúde que atendem a gestantes kits de sobrevivência obstétrica.

Na tarde desta segunda-feira (15), o coordenador da Rede Cuidar, Cláudio Regis, esteve na Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, durante a passagem da Caravana pela cidade, para entregar ao diretor geral da Maternidade Dr. Peregrino Filho, Dr. Umberto Marinho Júnior, e ao diretor Clínico, Dr. Paulo Athayde, os kits da unidade.

Além dos medicamentos e insumos, os kits são acompanhados por materiais impressos que reproduzem o Procedimento Operacional Padrão (POP) em casos de Trabalho de Parto Prematuro, Hemorragia, Pré-Eclâmpsia e SEPSE, com orientações e checklist desde os procedimentos e exames a serem feitos, como as condutas mais adequadas em cada caso.

Para o diretor geral da Maternidade de Patos, Dr. Umberto Marinho Júnior, embora a unidade já seja dotada de insumos e medicamentos para uma pronta atuação nestes casos, o recebimento dos kits é importante, pois reforça uma iniciativa salutar do Governo em estabelecer procedimentos operacionais padrões para toda a rede de assistência de saúde do Estado. “Os Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) são instruções detalhadas descritas para alcançar a uniformidade na execução de um serviço e isso resulta em melhoria na condução do atendimento, promove uma harmonização dos processos e uniformiza os procedimentos, portanto é uma normativa importante para se conseguir melhores resultados”, destaca Dr. Umberto.

Profissionais do Banco de Leite de Patos participarão de ações da Caravana da Rede Cuidar em três localidades

Posted on

A coordenadora do Banco de Leite Humano Dra. Vilani Kehrle, da Maternidade Dr. Peregrino Filho, Joana Sabino, e a responsável pelo sistema de informação da rede BLHweb, Maria do Socorro Medeiros, participaram, nesta terça-feira (09), das atividades da Caravana da Rede Cuidar, na cidade de Princesa Isabel. As representantes do BLH de Patos foram ministrantes de mini cursos, direcionados aos profissionais de saúde daquele município, sobre a política de aleitamento materno dos bancos de leite da Paraíba. Além do treinamento, houve distribuição de material informativo e a divulgação da campanha de doação de frascos de vidros para acondicionamento do leite doado.

Segundo Joana, o mini curso contou ainda com a participação de neonatologistas, que integram a equipe da Caravana que começou a percorrer o interior do estado desde o último dia 07. Até o dia 20, a Caravana vai passar por 13 municípios, incluindo Patos, onde as atividades serão desenvolvidas no próximo dia 15. Em Princesa a capacitação aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nosso enfoque é voltado aos cuidados e às informações necessárias que todos os profissionais de saúde devem ter para estimular o aumento de doadoras e dos estoques de leite, já que captando novas doadoras é a única forma de aumentarmos nosso estoque, afinal esse produto não pode ser comprado em lugar nenhum”, reitera Joana Sabino. Ela lembra que a dieta dos recém-nascidos é feita a cada três horas, com pequenas variações, o que equivale a cerca de 300 ml/dia por bebê.

Este ano, a Caravana da Rede Cuidar conta com a parceria dos Bancos de Leite. “Nós de Patos, fiamos responsáveis para darmos suporte às atividades nas cidades de Princesa Isabel, o que aconteceu hoje. No dia 13 estaremos na cidade de Catolé do Rocha e no dia 15 atuaremos aqui, em Patos, com toda a nossa equipe”, finaliza a coordenadora do BLH Dra. Vilani Kehrle.

O pediatra e diretor geral da Maternidade de Patos, Dr. Umberto Marinho Júnior, destaca a importância da Caravana e da participação dos Bancos de Leite nesta ação. “Como a Caravana da Rede Cuidar tem como focos as gestantes e os bebês, inserir no contexto das atividades a participação dos Bancos de Leite tem grande relevância, haja vista a importância da amamentação nos primeiros meses de vida do bebê e o papel que exercem os bancos neste contexto”, afirma o médico, que tem se mobilizado para dar o apoio necessário a realização do evento em Patos e ainda motivado seus profissionais a participarem dos treinamentos da Caravana.

Maternidade de Patos já se prepara para a Caravana da Rede Cuidar que vai estar na cidade no dia 15 de julho

Posted on

Já foi definido a data que a Caravana da Rede Cuidar 2019 vai passar por Patos. Será no próximo dia 15 de julho. Este ano, a ação acontecerá entre os dias 7 e 20, e passará por 13 municípios, incluindo Patos que tem uma rede de atendimento permanente na Maternidade Dr. Peregrino Filho direcionada a bebês cardiopatas e na área de obstetrícia, com acompanhamento de gestantes cujos bebês apresentam anomalias cardíacas. No dia 15, serão atendidos os 67 bebês que já são acompanhados pela Maternidade.

A Caravana da Rede Cuidar, este ano, será comandada somente pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Banco de Leite Anita Cabral e o Hemocentro da Paraíba. Ela vai disponibilizar consultas e exames, além de capacitações para os profissionais de saúde, com o objetivo de qualificar tanto a assistência hospitalar à gestante de risco, quanto a assistência hospitalar ao neonato de risco.

Serão disponibilizadas consultas cardiológicas; de enfermagem e pediátrica obstétrica; atendimentos em fisioterapia; psicologia; nutrição; fonoaudiologia e saúde bucal, além dos exames de US obstétrica; de laboratório; eletrocardiograma e ecocardiograma. Há ainda a parte lúdica, desenvolvida por uma equipe da arte-educação que recepcionará todas as pessoas que chegarem para receber atendimento na Caravana junto aos seus familiares.

O diretor geral da Maternidade de Patos, Dr. Umberto Marinho Júnior, destaca a importância da ação e afirma que a unidade está se mobilizando para dar o apoio necessário a realização do evento em Patos e ainda motivando seus profissionais a participarem dos treinamentos. “Estamos nos mobilizado com o aporte necessário para que a Caravana tenha toda a logística de alimentação de seus 60 integrantes assegurada, vamos também ficar responsáveis pela triagem das crianças que serão atendidas, estamos disponibilizando voluntários para integrar a equipe das ações da Caravana, além dos profissionais que participarão dos treinamentos”, afirma o diretor, enaltecendo ser essa uma oportunidade ímpar para a população local ter acesso a uma série de consultas e serviços.

Além de Patos, a Caravana da rede Cuidar vai passara pelas cidades de Monteiro, Princesa Isabel, Itaporanga, Cajazeiras, Sousa, Catolé do Rocha, Pombal, Picuí, Esperança, Guarabira, Itabaiana e Mamanguape.

Maternidade Dr. Peregrino Filho de Patos registra mais um parto de Lótus

Posted on

Em um parto tradicional o cordão umbilical é cortado assim que o bebê nasce e todo o procedimento de limpeza e cuidados ocorre no coto umbilical, que cai em cerca de três a dez dias. Mas, com os bebês que os pais optaram por um parto de Lótus a história é diferente, pois o cordão umbilical permanece ligado a placenta intacto, ou seja, ela não é descartada de imediato, o que traz benefícios diversos para o recém-nascido. E foi justamente o que aconteceu nesta quarta-feira (26), com o filho do casal Stefania Santana de Araújo Lopes e Agrisio Fernandes Lopes. Antônio da Silva Lopes Neto teve o privilégio de ter nascido na Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, com um parto de Lótus. Ano passado, a unidade fez outros partos de Lótus, acompanhados pela enfermeira obstetra, Catarina Sulpino.

E ele nasceu saudável, as 9h30 da manhã, pesando 3,655g, com 50 cm, e Apgar 9/10. O parto normal foi acompanhado pela enfermeira obstetra, Elisama Naara, pela pediatra Fátima Queiroga, pelas técnicas Maria Cicera e Jozelita Gomes e ainda pelo acadêmico de Medicina, José Tarcísio Diógenes. Os cerca de cinco minutos que o bebê ficou ligado a placenta farão muita diferença no desenvolvimento dele. Mãe e filho, que moram em Patos, devem receber alta já nesta quinta-feira (27).

Dentre os benefícios comprovados de manter a conexão da placenta, sem cortar o cordão até que aconteça a transfusão total do sangue para o bebê, destaca-se a diminuição dos riscos de anemia na primeira infância, o fato do bebê receber toda vitamina K presente na placenta, o que em tese, diminui a necessidade da aplicação da vitamina K no bebê após o nascimento (a vitamina K é importante para evitar hemorragia no recém-nascido), o bebê recebe muito mais células tronco (presentes na placenta e no cordão umbilical) e mais células de defesa presente na placenta, aumentando sua imunidade e nos casos em que os pais esperam o tempo do cordão cair naturalmente, que varia entre três a dez dias, não há risco de infecção.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, no entanto, orienta os pais que antes de tomar qualquer decisão se informe com o seu obstetra sobre o risco e cuidados desse modelo de parto. “Ainda não existe um estudo científico que comprove os benefícios tanto a saúde da mãe como da criança. O único estudo comprovado cientificamente é que o que acontece é semelhante ao clampeamento tardio do cordão que consiste em cortá-lo depois de alguns minutos e nesse intervalo o cordão ainda continua a pulsar, dando mais nutrição ao recém-nascido”, destaca o diretor, que é Pediatra. Dr. Umberto lembra que esse tipo de prática não é corriqueira na unidade, mas que em tendo condições clínicas de fazê-lo e se for solicitado pelos pais, a equipe é orientada a fazer o parto de Lótus. “De fato, é necessário que haja consenso entre a família e a equipe para o parto de Lótus ser realizado”, finaliza o diretor da maternidade.

Aniversariantes do mês da Maternidade de Patos comemoram nova idade em clima junino

Posted on

comemoram nova idade em clima junino

O início do dia de trabalho nesta quarta-feira (26), para os funcionários da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, foi mais animado do que o de costume. Isto porque, eles participaram de um café junino que ao mesmo tempo em que serviu para parabenizar os aniversariantes do mês, também marcou as comemorações juninas dos colaboradores da unidade, Na ocasião, também foi realizada a celebração eucarística mensal. A homilia foi feita pelo Pe. Alexandre, da paroquia de Santo Antônio.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Junior, participou da comemoração e enalteceu a importância daquele momento, destacando que essa era também uma forma de preservar a cultura nordestina. “Os festejos juninos são a marca maior de nossas raízes culturais e na medida do possível é importante preservá-lo, dai porque pensamos em fazer esse café junino na celebração mensal”, disse ele, parabenizando os aniversariantes do mês mais festivo do ano para os nordestinos.

Após a homilia do Pe. Alexandre, todos puderam degustar deliciosas iguarias da época, a exemplo de pamonha, canjica, pé de moleque, pipoca, bolo de milho, tapioca e munguzá. A recepção do setor administrativo, onde aconteceu o café junino, teve grande rotatividade de funcionários na parte da manhã, uma vez que os colaboradores se revezavam na participação da comemoração, para que nenhum serviço ficasse comprometido por causa da realização do evento, que teve ainda a participação do músico Emanuel, que encantou a todos tocando violão.

Maternidade de Patos registra 1511 partos nos primeiros cinco meses deste ano e mais de 100 mil consultas e procedimentos

Posted on

Maior referência em saúde pública direcionada às mulheres de mais de 90 municípios no sertão paraibano, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos realizou entre janeiro e maio deste ano 1.511 partos, numa média de 302 nascimentos/mês. Neste mesmo período, a unidade, que integra a rede estadual de saúde, registou 2.432 internações em seus dois pavilhões, na Mãe Canguru, na UTI Neonatal, Na UTI Materna e na UCIN, além de realizar 384 cirurgias, das quais 59 no último mês de maio. Somente de consultas e procedimentos de Enfermagem o relatório de gestão da unidade contabilizou mais de 100 mil atendimentos, precisamente, 112.129 mil, dos quais, 19.263 apenas em maio.

De acordo com os dados de produção da unidade, que cataloga e detalha todos os serviços prestados à população e, mensalmente, fecha relatórios enviados à Secretaria de Saúde do Estado, nos primeiros cinco meses deste ano foram realizados 692 partos normais e 819 cesáreos. Embora a unidade seja Hospital Amigo da Criança, siga as diretrizes da Organização Mundial da Saúde e priorize o parto humanizado, infelizmente, a quantidade de cirurgias ainda supera o número de partos normais.

O diretor geral da unidade e pediatra, Dr. Umberto Marinho Júnior, explica as razões desta disparidade. “Nossa unidade é referência para partos de alto risco, então, muitas vezes a gestante já chega com um quadro que requer uma intervenção cirúrgica, daí essa a quantidade de partos cesáreos superar os normais, mas, aqui nós sempre priorizamos o atendimento humanizado, estimulamos o parto normal e só adotamos o procedimento cirúrgico quando a avaliação médica faz esse indicativo”, reforça Dr. Umberto.

Entre janeiro e maio, a unidade realizou 384 cirurgias, sendo 190 delas de procedimentos ginecológicos, entre laqueadura tubária, laparotomia, histerectomia, drenagem de mama, entre outras, 66 de urgência, 16 eletivas, 107 curetagens uterinas e mais cinco outras intervenções não especificadas no relatório.

Os indicadores ambulatoriais destes primeiros cinco meses do ano mostram ainda que a Maternidade de Patos realizou 961 consultas de pré-natal de alto risco, mais 529 consultas de bebês egresso de Pediatria, 155 atendimentos no ambulatório de Fisioterapia e mais 195 no de Fonoaudiologia. Neste mesmo período, a unidade realizou 11.996 exames laboratoriais, 1.706 exames de mamografia, 982 ultrassonografias e 461 exames de radiodiagnóstico.

E os avanços da unidade, destaca o diretor geral, Dr. Umberto, não são só nos números. “Nossa unidade presta um serviço de referência com a disposição de mastectomia (retirada da mama) pelo Sistema Único de Saúde (SUS), temos um convênio com o Circor do Hospital Português, de Recife, para identificar cardiopatias congênitas, através de exames à distância, possibilitando um melhor acompanhamento e posterior tratamento aos bebês cardiopatas”, destaca o diretor

Ainda segundo o gestor, desde 2015 a maternidade dispõe de sala de parto humanizado, onde a gestante tem um espaço especial, equipado com TV, bolas suíças e barras de apoio para exercícios que melhoram a mobilidade pélvica durante o trabalho de parto, desde 2017 existe o ambulatório de Microcefalia, que dispõe de uma equipe multidisciplinar, que acompanha crianças que nascem com a doença. A unidade também ampliou o funcionamento do ambulatório de pré-natal de alto risco, para todos os dias da semana, e além disso, implantou o ambulatório de egresso de Pediatria. “Aqui as gestantes têm todo o acolhimento e tratamento que precisam para elas e seus bebês, antes, durante e após o nascimento”, reitera Dr. Umberto.

“É muito gratificante olhar para os números e as estatísticas da unidade que comprovam a nossa qualidade em prestação de serviços às mulheres no sertão paraibano”, reitera o secretário de Saúde do Estado, Dr. Geraldo Medeiros, reforçando que os indicadores de melhoria refletem a realidade do dia a dia da unidade. “Temos o foco de melhorar, cada vez mais, os serviços, cumprindo o nosso principal objetivo que é o de humanizar, ainda mais, o atendimento salvaguardando, dentro das possibilidades o que a Medicina e os recursos técnicos disponibilizam, para preservar a saúde das pacientes e de seus bebês”, finaliza o secretário.

Balanço Banco de Leite

O Banco de Leite Dra. Vilani Kehrle, da Maternidade de Patos, é outro destaque da unidade. Reconhecido pelo Programa Ibero-Americano de credenciamento de Bancos de Leite Humano com padrão de excelência em várias ocasiões, o Banco realizou 430 coletas entre janeiro e maio deste ano, mais 432 visitas domiciliares, 1.219 atividades de incentivo ao aleitamento, 193 atividades educativas. Neste período o Banco conseguiu coletar 241.069 ml de leite, somando as doações colhidas em domicílio, com as pacientes internas, além das que vieram dos postos de coleta de Santa Luzia e Pombal. O Banco fechou o mês de maio com um estoque de 67.125ml de leite.

Maternidade de Patos vai homenagear mães e profissionais de plantão no próximo domingo

Posted on

 

            Referência no atendimento à mulher, especialmente, em partos de alto risco, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, programou algumas ações que serão realizadas, no próximo domingo (12), para comemorar o Dia das Mães. Pacientes, e profissionais que estarão de plantão nesta data terão um café da manhã e uma ceia especial e ainda receberão cartão comemorativo alusivo à data.

“Nós não poderíamos deixar passar sem comemoração uma data tão importante como essa, principalmente, pela maternidade ser um local onde as mulheres começam a vivenciar a magia de serem mães, já que a mulher, efetivamente, torna-se mãe no momento do nascimento do bebê”, destaca o diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior.

Instituto Gerir diz que tem comprovação dos serviços contratados e realizados na Maternidade de Patos e vai recorrer do acordão do TCE

Posted on

A organização social Instituto de Gestão em Saúde – GERIR, que administra a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, desde junho de 2013, vai contestar na Justiça o acordão do Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE)  que julgou irregular a gestão da OS, no que diz respeito a administração da Maternidade, através de contrato de pactuação com a Secretaria de Estado da Saúde. A decisão do TCE foi divulgada nesta quarta-feira (24) e é referente ao exercício 2013.

“A direção do Gerir refuta a acusação de excesso de gastos e irregularidades na gestão da unidade e afirma que vai ingressar com uma ação anulatória do acordão no Tribunal de Justiça da Paraíba, com pedido de liminar, para que a OS mantenha-se com a certidão negativa até o julgamento desta ação anulatória a ser proposta”, destaca a nota distribuída pela Assessoria de Imprensa do Instituto, logo após a decisão do TCE se tornar pública pela Imprensa.

A nota esclarece ainda que o objeto da ação de devolução de valores, em momento algum, menciona que houve desvios de recursos públicos, e sim, não batimento de metas. “Por não dispor de instrumentos técnicos para tal, o TCE não soube avaliar tecnicamente o que seriam essas metas”, afirma o ex-presidente do Gerir, Eduardo Reche, que é citado no acordão referente a 2013. Ainda segundo ele, todos os procedimentos, investimentos e pagamentos feitos pelo Gerir eram auditados, regularmente, por técnicos da Secretaria de Saúde, e a OS enviava balancetes mensais para a SES contabilizando todos os gastos da unidade, incluindo folha de pessoal, compra de insumos, medicamentos e equipamentos, assim como pagamentos de serviços terceirizados.

O ex-presidente do Instituto reitera que, em nenhum momento, a atuação da OS deu prejuízos ao Estado, ao contrário, otimizou e ampliou serviços, melhorou a estrutura física da unidade e assegurou uma melhoria significativa dos atendimentos naquela unidade. “O Gerir sempre pautou sua conduta pela correta empregabilidade dos recursos públicos e temos todos os documentos que atestam a lisura destes pagamentos, desde quando iniciamos a pactuação com a SES até os dias atuais”, afirma Eduardo, destacando que respeita a autonomia do TCE, mas, que por não concordar com um julgamento que entende como irregular ações técnicas e administrativas necessárias a uma unidade como a Maternidade de Patos, o Gerir irá recorrer através de uma ação anulatória do acordão.

Mãe e filha têm bebês na mesma semana na Maternidade de Patos

Posted on

Com uma média de 320 partos por mês, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, registrou, na primeira semana de abril, um feito inusitado. Mãe e filha foram internadas na unidade para ambas terem seus bebês. O parto de Adriana Lira da Silva, 40 anos, aconteceu no dia 02 de abril e o de Kamille Lira da Silva, 16 anos, dois dias depois. Mãe, filha e os dois recém nascidos do sexo masculino passam bem e já tiveram alta da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos.

A agricultora Adriana, moradora da cidade de Maturéia, já conhecia os serviços da Maternidade de Patos, onde teve seus outros três filhos, o mais novo, atualmente, com 13 anos. Ela disse que notou muitas diferenças na unidade desde a última vez que esteve lá. “A Maternidade está mais bonita, mais organizada, o pessoal mais simpático, gostei muito mais desta vez, fui muito bem atendida e não faltou nada para mim e também para minha filha”, disse ela com José Vinicius no braço.

 A surpresa com a quarta gravidez, fruto de uma gestação não planejada, segundo Adriana só não foi maior que a notícia da filha, com apenas 16 anos, ficar gravida na mesma época. “Tomei dois sustos, o primeiro em saber que estava grávida e depois saber que minha filha tão nova também estava, mas, graças a Deus tudo ocorreu bem e já estamos indo para casa”, falou Adriana, que só teve alta na manhã desta quinta-feira (11), em função da prematuridade de José Vinicius, que nasceu com 34 semanas, com 2.455g e 47cm e teve que ficar na UCIN alguns dias sob observação.

David Miguel, filho da estudante Kamille, nasceu a termo, com 3.305g e 49 cm. Mãe e filha tiveram partos cesáreos por razões similares. Adriana por causa da falta de dilatação para expulsão do feto por vias naturais e Kamille pelo mesmo motivo da mãe, além do fato da pouca idade e de ter um corpo ainda em formação

Maternidade de Patos registrou mais de 4 mil partos em 2018

Posted on

 

Referência de atendimento a gravidez de alto risco e nos serviços prestados às mulheres de mais de 90 municípios do sertão paraibano, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos registrou, de janeiro a dezembro do ano passado, a realização de 4.077 partos, sendo 2.162 cesáreos e 1.915 normais. Administrada pela OS Instituto Gerir, desde junho de 2013, a unidade que integra a rede estadual de saúde, também é Hospital Amigo da Criança, tem um banco de leite de padrão Ouro e fechou o ano de 2018 sem registrar nenhum caso de óbito materno. Em média, a unidade faz 310 partos/mês. Em nenhum mês do ano foi registrado menos de 300 partos. O mês de maior registro de nascimentos foi maio, com 374 e o menor foi junho e dezembro que registraram 304 partos cada um.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, explica que o atendimento humanizado da unidade prioriza os partos normais, mas, que muitas das gestantes já chegam à Maternidade com intercorrências que impossibilitam que o parto não possa ser normal. “Priorizamos o parto humanizado e sempre que é possível deixamos a natureza agir sem intervenções externas, mas, por sermos uma unidade de gravidez de alto risco, recebemos muitas gestantes que não são acompanhadas no pré-natal, que chegam com riscos iminentes tanto da própria vida, quando dos bebês, com quadros que impossibilitam a condução de um parto normal, daí esse registro de mais partos cesáreos que normal no ano passado”, justifica o médico.

A Maternidade, além de atender gravidez de alto risco, também disponibiliza mastectomia (retirada da mama) pelo Sistema Único de Saúde (SUS), facilitando a vida das pacientes que  não precisam viajar para Campina Grande ou João Pessoa para ter acesso a esse procedimento. A unidade integra a rede de cardiologia pediátrica que identifica cardiopatias congênitas, através de exames à distância, possibilitando um melhor acompanhamento dos bebês após o nascimento, também tem ambulatórios de microcefalia, que dispõe de uma equipe multidisciplinar, que acompanha crianças que nascem com a doença, outro de alto risco para gestantes, que são acompanhadas com maior atenção durante a gestação, reduzido assim o risco de intercorrências durante o parto e ainda o ambulatório de egressos para recém nascidos prematuros que são acompanhados por pediatras durante o primeiro ano de vida.

Desde 2015, a Maternidade mantém uma sala de parto humanizado onde a gestante dispõe de um espaço especial, equipado com TV, bolas suíças e barras de apoio para exercícios que melhoram a mobilidade pélvica durante o trabalho de parto. Neste espaço, a paciente conta com acompanhamento de uma equipe de enfermeiros e técnicos de enfermagem. A inclusão da unidade, desde 2014, no programa Rede Cegonha, do governo federal, sendo a única unidade da região habilitada com esse atendimento também é outro diferencial da maternidade.