Jeová Campos

ALPB realiza visita técnica às obras da Transposição na próxima sexta-feira

Posted on

            A Frente Parlamentar da Água da Assembleia Legislativa promoverá, no próximo dia 07, uma visita técnica, às obras da transposição do Rio São Francisco, O roteiro da visita às obras do Eixo Norte, iniciará no escritório do Ministério da Integração Nacional em Salgueiro (PE), às 9h, seguida de visitação à Estação de Bombeamento (EBI-3) e finalizando no túnel Milagres (CE). A iniciativa do deputado estadual Jeová Campos (PSB) tem o objetivo de verificar in loco o andamento das obras.

            O parlamentar lembra que é fato público e notório que as obras da transposição de águas do Rio São Francisco, no Eixo Norte, ficaram paradas quase um ano e foram retomadas recentemente pelo consórcio Ferreira Guedes –Toniolo, Busnello e que é importante encerrar o ano com informações mais precisas do andamento da obra. “Sabemos que as obras do Eixo Leste já estão praticamente concluídas, inclusive as águas já estão chegando ao Açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão (PB). O sertão paraibano e o Estado do Rio Grande do Norte não tiveram a mesma sorte em razão da paralisação das obras do Eixo Norte pela empresa Mendes Júnior, no ano de 2016 e pelo consórcio Emsa-Siton, no ano de 2018, com essa retomada, precisamos saber o que falta para fazer para poder cobrar a conclusão dos serviços”, afirma Jeová.

            O deputado destaca ainda que é imperioso chamar a atenção do Ministério da Integração Nacional para que se adote as providências legais para a execução das obras do canal de, aproximadamente, seis quilômetros que interligará as Barragem de Caiçara / Engenheiro Ávidos, situadas no Município de Cajazeiras (PB). “Sem esse canal as águas da transposição do Rio São Francisco não abastecerão os estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte”, reitera Jeová. Segundo o parlamentar é preciso também que seja elaborado e executado o projeto de inclusão das obras do Eixo Piancó / Coremas / Piranhas, tão necessário ao atendimento da vasta população do Vale do Piancó, além da execução integral do projeto de transposição de águas do Rio são Francisco até a Bacia do Apodi/RN, assim como a execução do projeto do canal Mauriti-CE / Conceição (PB).

Os deputados Gervásio Maia (PSB) e Frei Anastácio (PT), que integrarão a bancada federal da Paraíba a partir do próximo ano, foram convidados e segundo o deputado Jeová Campos devem participar da visita técnica. “Eles serão importantes interlocutores da Paraíba junto ao governo federal e é fundamental que eles vejam como estão as obras para cobrar a conclusão das mesmas”, finaliza Jeová.

Deputado Jeová afirma que a questão da agricultura familiar será uma das principais pautas a serem trabalhadas em seu próximo mandato

Posted on

 

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) reafirmou nesta quarta-feira (28), durante encontro na Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag), que uma de suas principais pautas no próximo mandato será a questão da defesa da agricultura familiar. O parlamentar, que foi quem convocou esse encontro junto com a Fetag para debater e definir políticas públicas voltadas para a agricultura familiar que serão apresentadas para o futuro governador João Azevedo, sugeriu ainda a criação de um Comitê Permanente para produzir políticas públicas que fortaleçam a agricultura familiar com geração de emprego e renda na Paraíba.

O encontro foi aberto pelo presidente da Fetag, Liberalino Lucena, que lamentou a ausência do governador eleito, João Azevedo, que está em viagem institucional ao exterior, e também a ausência da vice-governadora, Ligia Feliciano que o representaria. “Íamos cobrar agora de João a nossa pauta de reivindicações entregue a todos os candidatos durante a eleição, entre as quais, destaca-se a criação e implantação de uma Secretaria de Agricultura Familiar na Paraíba”, disse Liberalino que anunciou outro encontro, entre janeiro e fevereiro, desta vez com a presença do governador para deliberar sobre tais reivindicações.

O deputado Jeová Campos que além de representar a ALPB, através da  Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB, que preside, reiterou o compromisso do governo de João Azevedo com políticas públicas que estimulem o agricultor a produzir mais e ter uma vida melhor. “A chegada das águas do Rio São Francisco, a partir do Rio Paraíba, já é uma realidade. Cerca de um milhão de pessoas hoje, são beneficiadas com as águas do Velho Chico e a estimativa é que, até junho de 2019, as águas do rio cheguem a barragem de Boa Vista, em São José de Piranhas e isso trará muitas possibilidades. Com a perenização do Rio Piranhas,  teremos um novo cenário que precisa ser bem aproveitado e sei que o governo socialista de João  vai apoiar essa causa”, disse Jeová.

O parlamentar lembrou que a população de agricultores hoje tem muito poucos jovens e que é preciso atrair essa parcela da população, que hoje não acredita na agricultura. “A população agrícola hoje é madura, porque os jovens não estão mais neste setor, e só tem como mudar isso se houver políticas públicas que atraiam os mais jovens, com incentivos para uma produção melhor, mais rentável e eficiente”, reiterou Jeová. Ele disse ainda que é preciso renovar e ampliar o quadro de técnicos que prestem assistência aos agricultores e pessoas formadas nessa área que possam agregar novas tecnologias ao setor.

Jeová lembrou também a importância da integração de diversos segmentos, a exemplo do da pesquisa, do crédito, dos trabalhadores, dos assentados que devem trabalhar juntos fortalecendo o setor de agricultura familiar e aproveitou para elogiar a presença de representantes da Embrapa, Emater e BNB no encontro da Fetag. “Para dar força a esse segmento, que mantém homens e mulheres na roça com dignidade, produzindo alimentos sem agrotóxicos, é preciso a união de todos e a Paraíba tem tudo para melhorar esse ambiente de agricultura familiar e posso assegurar a vocês que o governo socialista de João terá um olhar especial para esse setor e eu serei um parlamentar presente em todas essas discussões e encaminhamentos. Podem contar comigo”, afirmou Jeová, que se despediu antes do final do evento, por causa de compromissos com a eleição da OAB, na seccional de Cajazeiras. A Emater foi representada no evento pelo seu presidente, Nivaldo Magalhaes, a Embrapa Algodão, por Geraldo Estefano e o BNB, pelo gerente Abelardo Magalhães.

Deputado Jeová promove reunião para definir políticas públicas sobre agricultura familiar a serem encaminhadas para o próximo governo

Posted on

O deputado estadual Jeová Campos, presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB, promove em parceria com a Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag), nesta quarta-feira (28), um encontro para debater e definir políticas públicas voltadas para a agricultura familiar. O evento, voltado para os representantes dos sindicatos do setor na Paraíba, acontecerá na sede da Fetag, na Rua Rodrigues de Aquino, 722, em Jaguaribe, a partir das 9h.

“Vamos tratar de um tema muito importante que é o fortalecimento da agricultura familiar na Paraíba com o setor sindical. A proposta é construir uma pauta a ser levada ao futuro governo, sobre quais políticas públicas que o setor quer ver implementadas nos próximos quatro anos no estado, o que é necessário fazer para fortalecer esse setor que tem um papel social e econômico importante para a Paraíba”, destacou o paramentar.

Jeová lembrou que com a chegada das águas do Rio São Francisco é preciso aproveitar esse potencial que está se instalando na Paraíba. “A agricultura familiar precisa ter um enfoque a partir desta nova realidade e precisa ser fortalecida e eu estou convencido de que é preciso aprofundar as políticas públicas neste setor aproveitando o governo socialista de João Azevedo”, destacou Jeová. Para ele, também é preciso que haja a promoção de uma integração de diversos segmentos, a exemplo do da pesquisa, do crédito, dos trabalhadores, dos assentados que juntos fortaleçam esse setor.

O deputado lembra que coma perenização do Rio Piranhas  e do Rio Paraíba, o estado da Paraíba terá uma fonte de geração de trabalho e de melhoria da qualidade de vida que o fará avançar muito. “Com a chegada das águas, haverá a geração de oportunidades de trabalho que melhorarão a qualidade de vida das pessoas a partir da produção de alimentos sem agrotóxicos e isso precisa ser aproveitado da melhor forma possível”, finalizou Jeová.

ALPB busca intermediar uma solução para reabrir fábricas de água na Paraíba que foram interditadas pela Operação Poseidon

Posted on

A Operação Poseidon que interditou várias fábricas de água adicionada de sais minerais em várias cidades da Paraíba, no começo de novembro, foi tema de uma reunião nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa. Convocada pelo deputado estadual Jeová Campos e presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, com apoio da deputada Estela Bezerra, a reunião teve a participação de representantes de oito, das 17 fábricas interditadas. “A nossa iniciativa busca uma solução para um fato que tem impacto sócio e econômico direto em mais de 100 famílias, de várias cidades paraibanas e é um assunto de interesse do consumidor”, explicou o parlamentar.

Durante a reunião, vários empresários expuseram detalhes da Operação, considerada por eles como truculenta, os representantes da Agevisa – Ailton Cesar, Herberto Palmeira e Tatiane Lucena – abordaram as normas e legislação pertinentes ao setor e os deputados Jeová Campos e Estela Bezerra sugeriram ações e encaminhamentos que buscam solucionar a questão o mais breve possível. A articulação com a Anvisa, através de uma reunião em Brasília marcada para o dia 03 de dezembro, mas que poderá ser antecipada, além de uma reunião com o promotor do MPE, Glauberto Bezerra são alguns dos encaminhamentos.

 Também ficou decidido que a Agevisa vai fazer uma integração com a Anvisa no sentido de buscar as soluções para os variados casos identificados, culminando na reabertura dos empreendimentos que estejam em dia com a legislação e normas do setor. Outra proposta será firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para ampliar o prazo de adequação dos estabelecimentos à RDC 182 que entrou em vigor em abril deste ano e cujo prazo de adequação se extinguiu em outubro.

“Quando se fecha uma empresa, você prejudica a população de um modo geral e, neste caso específico, ficou evidenciado que houve uma certa truculência e abuso de autoridade na condução de todos os procedimentos que culminaram com o fechamento destas empresas e até prisão de empresários”, disse Jeová. Ele lembrou que, neste caso, também ficou evidenciado que a produção do produto estava sendo feita de forma legal e que os ajustes necessários, inclusive, para a adequação das novas normas que regem o setor, já estavam sendo observados e cumpridos.

“Não estamos aqui defendendo quem não tem condições técnicas de operar, mas buscando fazer uma mediação e solução para retomada dos trabalhos destas fábricas que geram empregos, que distribui água para os cantos mais longínquos da Paraíba, que tem um papel importante nas localidades onde estão sediadas e, sobretudo, vendem um bom e saudável produto, a um preço bem mais acessível”, reiterou o parlamentar. Ainda segundo Jeová, os órgãos de defesa do consumidor precisam estar atentos a repercussão geral de uma operação como essa que prejudicou toda uma população. “Os moradores da cidade de Prata, por exemplo, hoje não têm água mineral para consumir”, disse Jeová.

A Operação Poseidon foi coordenada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria da Receita Estadual (SER-PB) e Secretaria de Segurança e Defesa Social. A Agevisa não participou da ação, sequer foi comunicada previamente, e já se manifestou publicamente sobre essa questão, solicitando informações da Anvisa, inclusive, no tocante aos dados sobre o que de fato foi apurado. “Nenhum documento nos foi encaminhado sobre as supostas irregularidades. E isso é importante porque se tivermos uma empresa irregular no Estado, as medidas sanitárias precisam ser adotadas e quem vai acompanhar isso de perto é a Agevisa”, destacou Herberto Palmeira, gerente de Integração e Articulação do órgão estadual.

O deputado Jeová Campos, que também é advogado, chamou atenção para um fato curioso sobre a Ordem de Missão Nº 06/2018 que desencadeou a Operação Poseidon. Segundo o parlamentar, em todo o documento não tem um único fato objetivo que justifique tal operação. “Essa foi uma ação institucional delicada, pois entendemos que alguns comportamentos não são condizentes com a atual visão de fiscalização que traz em seus princípios primeiro a orientação e educação e somente depois desta etapa é que se faz a punição. Na nova visão sanitária você primeiro orienta e capacita e depois cobra. E isso não foi respeitado nesta ação, assim como outros pormenores, mas, o importante agora é buscar uma solução que permita a reabertura das fábricas, a manutenção dos empregos e o abastecimento destas localidades”, finalizou o parlamentar.

Deputado Jeová Campos questiona ato de interdição de pequenas empresas na Paraíba que engarrafavam água mineral

Posted on

 

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) questionou, durante a sessão desta terça-feira (20), a interdição de 17 pequenas empresas que atuavam no engarrafamento de água mineral na Paraíba. Segundo o parlamentar, mesmo tendo alvará de funcionamento e atuando de forma correta, com todas as licenças que a atividade exige, as empresas foram fechadas, deixando pais de família desempregados e cidades do interior desabastecidas.

“O impacto do fechamento destas pequenas empresas já é sentido pelas pessoas que ficaram sem seus empregos, repercutido negativamente na economia dos municípios afetados com essa ação e isso precisa ser levado em consideração”, disse o deputado. Na opinião de Jeová, essa ação partiu do oligopólio do segmento de água mineral que quer retirar do mercado àqueles que praticam preços mais acessíveis, de natureza popular.

Ainda segundo Jeová, é inadmissível essa interdição, pois todas as empresas atuavam legalmente, com licenciamentos em dia e com o aval dos órgãos competentes. “Ninguém pode fazer uma interdição linear como fizeram contra essas empresas, sem que elas tivessem cometendo um crime ou ação dolosa contra a saúde da população. Eu só posso pensar que é uma ação orquestrada para impedir qualquer concorrência no segmento do setor mineral”, reiterou o parlamentar, questionando qual será a grande empresa que vai querer operar em Carrapateira, em Santa Helena, em Triunfo ou Serra Grande.

Reunião na ALPB

Para debater o tema, o parlamentar, através da Comissão de Turismo, Desenvolvimento e Meio Ambiente da ALPB, vai promover uma reunião, na próxima quinta-feira (22), às 9h, na sala das comissões da ALPB, para debater essa questão com os empresários envolvidos nesta questão. “Vamos definir neste encontro uma linha de atuação conjunta na defesa das empresas, mas, mais que isso, vamos nos contrapor a esse fechamento linear, sem dar oportunidade de defesa às empresas. Se houver irregularidades pontuais, que elas sejam corrigidas, pois não defendo o funcionamento de empresas que não atende as exigências técnicas, mas fechar por fechar, isso não se justifica”, finalizou Jeová, Segundo ele, a reunião contará com a presença dos representantes das empresas interditadas.

Deputado Jeová Campos levanta questão da não liberação de empréstimos já aprovados para a Paraíba durante debate da LOA

Posted on

 

Os deputados estaduais, representantes do governo e convidados de várias instituições participaram nesta terça-feira (13), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), de uma audiência pública que debateu o Projeto de Lei Orçamentária Anual 2019 (LOA 2019), a partir do qual estima-se a receita e fixa as despesas do Governo do Estado para o próximo ano. Em meio a vários pronunciamentos, o do deputado estadual Jeová Campos (PSB) chamou atenção por levantar uma questão muito importante para o próximo governo e que diz respeito diretamente ao equilíbrio financeiro: a questão dos empréstimos já aprovados e até então não liberados.

 O parlamentar lembrou que a Paraíba tem três empréstimos aprovados, inclusive, um deles diz respeito a recursos para investimentos em obras e ações na área de recursos hídricos, que até agora não foram liberados. “Diante de um quadro de instabilidade, de um governo federal que ninguém sabe ao certo como atuará, qual a perspectiva de liberação dos empréstimos já aprovados?”, indagou Jeová ao secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Waldson Souza, que representou o governo na audiência.

Segundo Waldson, todos os documentos e informações que dizem respeito a liberação dos três empréstimos foram apresentados pelo Governo às instituições detentoras dos recursos, mas, até agora não se tem um aceno de liberação dos mesmos. Waldson, inclusive, levantou uma questão preocupante que é a mudança de avaliação e critérios para que entes governamentais possam ser habilitados para receber investimentos. Segundo ele, nas novas diretrizes, a capacidade de credenciamento da Paraíba, a partir de 2019, pode ser reduzida em 50%.

O secretário Waldson Souza também fez, na ocasião, uma apresentação da LOA, destacando que o orçamento para o ano de 2019 prevê receita de R$ 11,8 bilhões, valor que representa um acréscimo de 7,64% em relação ao ano de 2018. O prazo para apresentação de emendas à LOA é até o dia 16 de novembro. A apreciação do Parecer Final deve acontecer entre os dias 19 de novembro e 10 de dezembro. Após a publicação do Parecer prevista para o dia 11 de dezembro, estará aberto prazo de inclusão da Lei Orçamentária Anual – 2019 na Ordem do Dia da ALPB, concluindo o processo com a votação pelos deputados.

São José de Piranhas faz justa homenagem ao empresário José Cavalcanti afirma Jeová

Posted on

Na próxima sexta-feira (16), o empresário José Cavalcanti da Silva, receberá o título de Cidadão de São José de Piranhas. A homenagem, segundo o deputado estadual Jeová Campos (PSB), é além de oportuna, muito justa. “Esse paraibano ilustre tem uma trajetória que orgulha a Paraíba e com empreendedorismo, muito trabalho e perseverança construiu um patrimônio que não é só medido pelo valor material, mas, sobretudo pelo seu legado imaterial”, afirma o parlamentar.

Ainda segundo Jeová, como filho de São José de Piranhas, ele ficou muito feliz com a homenagem ao empresário. “Quero externar a minha felicidade por essa iniciativa que reconhece a importância deste empresário, principalmente, na área de comunicação, como proprietário de um forte grupo empresarial e ainda das Rádios Difusora de Cajazeiras e Patamuté FM, inclusive destacando que são emissoras que cumprem um papel social destacado, com uma linha editorial democrática e que sempre abre espaço para todos. Eu mesmo sou muito grato a Zé Cavalcanti pela construção de minha cidadania política”, destacou Jeová que já confirmou presença na solenidade que acontece no Jatobá Clube.

Jeová Campos propõe realização de visita técnica às obras da transposição para encerrar legislatura com dados mais atualizados

Posted on

“No próximo dia 23, meu gabinete está pedindo uma visita técnica as obras da Transposição do Rio São Francisco, pois estamos chegando ao final desta legislatura e é importante a gente ter uma ideia geral e real de como estão as obras, principalmente, no que diz respeito à conclusão do Eixo Norte”, propôs hoje (07), o deputado estadual Jeová Campos (PSB). O parlamentar já protocolou o requerimento para realização da visita que começará em Salgueiro (PE) e será finalizada no túnel Milagres (CE).

De acordo com Jeová, esse é um tema fundamental para todos os deputados, pois, segundo ele, nos últimos quatro anos, os parlamentares paraibanos, capitaneados pela atuação da Frente Parlamentar da Água, dispensaram toda uma energia para essa temática. “Esta Casa, que, de forma impessoal e direta, com a participação de boa parte dos parlamentares, teve uma atuação destacada em relação ao tema das águas, por isso, acho fundamental essa iniciativa”, afirmou Jeová.

Ainda segundo Jeová, a iniciativa é estratégica para a ALPB. “É importante realizar essa visita técnica às obras da Transposição em Pernambuco e na Paraíba, para saber em que reais condições se encontram esses pontos finais da obra que são fundamentais para a chegada das águas do Rio São Francisco nestes dois estados, inclusive desaguando em São José de Piranhas”, destacou o parlamentar, lembrando que a temática da água foi um tema que mais marcou os debates nesta Casa durante os quatro anos de legislatura.

Para Jeová seria, inclusive, muito importante a presença do presidente da ALPB, Gervásio Maia e do deputado Frei Anastácio nesta visita técnica, pois, eles estarão em Brasília, a partir do próximo ano. “É importante que vocês levem para Brasília as demandas deste tema para que possam pautar suas atuações também na defesa desta questão”, finalizou Jeová.

Deputados Jeová Campos, Estela e Hervázio entram com recurso para anular aprovação de PEC que não respeitou o Regimento Interno da ALPB

Posted on

 

Os deputados Jeová Campos, Estela Bezerra e Hervázio Bezerra, todos do PSB,  subscrevem um requerimento que pede a anulação da votação da PEC 13/2015, ocorrida no último dia 30. A Proposta de Emenda Constitucional em questão altera a Constituição Estadual vedando a antecipação da eleição dos membros da Mesa Diretora da Casa. A PEC é de autoria do deputado estadual Ricardo Barbosa e, segundo os parlamentares que assinam o requerimento, da forma como ela foi votada violou vários pontos do Regimento Interno da ALPB.

“Nós, deputados estaduais, temos o poder e o dever de assegurar que o processo legislativo seja além de um processo legítimo, seja tecnicamente e juridicamente perfeito.  O que aconteceu no último dia 30, na votação desta PEC, foi uma violação em vários itens do Regimento Interno da Casa e isso nós não podemos aceitar”, argumenta Jeová, que também é advogado.

De acordo com o parlamentar, a PEC tem um rito especial e é disciplinada em capítulo próprio, portanto, jamais poderia ser aprovada da forma como foi. “A PEC requer quórum de 3/5, requer que seja votada em dois turnos, com período mínimo, entre um turno e outro, de cinco dias úteis, e ela foi votada em uma única sessão, requer que seja entregue cópia da PEC a todos os deputados, o que também não aconteceu, além disso, é necessário que a votação seja nominal, ou seja, cada parlamentar precisa ser chamado pelo nome e declarar se aprova ou não a matéria, e isso também não aconteceu. Tudo isso caracteriza o desrespeito ao RI”, reitera Jeová.

Ainda segundo o parlamentar, ele não se opõe ao conteúdo da PEC, mas a forma como ela foi conduzida e aprovada. “Não tenho problema de votar no conteúdo da matéria, mas, eu tenho o dever de lutar pela lisura, pela correção, pela aplicação correta do Regimento Interno da ALPB. Uma matéria tão substancial, inclusive a única PEC que foi a plenário na atual legislatura, jamais poderia ser votada desta forma, apressada, sem a maturidade do debate político necessário. Definitivamente, não é possível concordar com isso, por isso entramos com esse recurso e esperamos que a presidência da Casa acolha o nosso pleito para reestabelecer a devida forma legal de aprovação de uma PEC exigida pelo Regimento Interno desta Casa”, finaliza Jeová.

Deputado Jeová Campos chama atenção para matéria aprovada pela ALPB que extingue indiretamente Comarcas na Paraíba

Posted on

 

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) chamou atenção hoje (30), durante pronunciamento na ALPB, para uma questão que pode fragilizar o acesso de parte dos paraibanos à Justiça. Trata-se da votação de uma matéria, realizada no dia 27 de agosto, que extingue várias promotorias de primeira instância na Justiça da Paraíba. “A ALPB aprovou uma matéria sem fazer o necessário debate. Trata-se de um Projeto de Lei, do Ministério Público, que extingue várias promotorias de primeira instância e isso, na prática, significa a precarização da Justiça na Paraíba”, disse o parlamentar.

A matéria a que se referiu o deputado foi votada, em pleno período eleitoral, e extingue as promotorias das Comarcas das cidades de Coremas, Bonito de Santa Fé, Uiraúna, Barra de Santa Rosa, Belém, Brejo do Cruz, Cabaceiras, Malta, Pilões, Pirpirituba, Prata, Remígio, Serra Branca e Serraria. “Como uma comarca vai funcionar sem promotoria?”, questionou Jeová, lembrado que, na prática, o que vai acontecer é a extinção de comarcas.

 “Nós votamos aqui, essa matéria sem debater o tema, e ninguém atentou para isso. Eu estou preocupado E aqui eu faço a minha mea culpa, porque nem eu, nem minha assessoria técnica atentou para a gravidade desta votação”, disse o parlamentar, que sugeriu a Mesa Diretora da ALPB que abra um diálogo com o Ministério Público para fazer uma audiência pública para debater esse tema. “Esse não é um assunto qualquer e precisa ser debatido, porque do contrário, esta Casa, está por via indireta e obliqua, extinguindo as comarcas desses municípios e prejudicando muitos paraibanos”, reiterou Jeová.