Jeová Campos

Sertaneja recebe o troféu “Mulher Cidadã” concebido pelo deputado Jeová Campos

Posted on

A garra, a força e a capacidade de se reinventar foram características bastante exaltadas na tarde desta quinta-feira (14), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), durante a outorga do troféu ‘Mulher Cidadã’ à dona Josefa Alves Campos, tia do deputado Jeová Campos (PSB). Um exemplo de vida e coragem para familiares e amigos, a sertaneja Josefa Alves Campos,  77 anos, é natural do Sitio Bom Jesus, Município de São José de Piranhas, alto sertão paraibano, e sua história é feita de perdas, despedidas e de muita luta para criar oito filhos diante de tanta adversidade e pobreza. A homenagem foi uma propositura de Jeová Campos (PSB).

De acordo com o deputado, essa é a primeira homenagem que ele faz a uma mulher, e a quarta de todo o seu mandato. “A excelência reside em você, tia Josefa, na sai vida, na sua capacidade de ser mãe, guerreira”, iniciou o parlamentar na tribuna. “Minha tia, nos anos 80, fugiu dos problemas do sitio onde nasci, e foi para São Paulo. Conviveu com as dificuldades da cidade grande, retornou a Cajazeiras e, por fim, veio para João Pessoa, onde morou em uma casa de papelão com seus filhos, em Mangabeira, fugindo da seca”, contou Jeová Campos, orgulhoso de sua origem e das conquistas da tia.

Jeová explicou que, para ajudar na manutenção da família, sua tia ainda menina teve que trabalhar na roça e, pouco tempo depois, aprendeu a costurar. Mas, em face de problemas sérios de saúde decorrentes da atividade de costureira e agricultora, teve que deixar o sertão paraibano e foi em busca de tratamento em São Paulo.  Voltou para Cajazeiras, mas, dois anos depois, por causa dos períodos de seca que assolou o sertão paraibano, Josefa migrou para João Pessoa em busca de dias melhores e foi vender alho. “O alho nos fez gente. Fez toda a família rica, de valores”, comentou Jeová.

A luta de sua tia em busca do direito de mulher e da sobrevivência da família, bem como sua determinação e história, motivaram o parlamentar a fazer tal homenagem. Durante o evento, estiveram presentes diversos parentes, filhos, sobrinhos, e vários amigos sertanejos que foram conferir de perto a entrega do troféu “Mulher Cidadã”.

O desembargador Robson Cananeia, foi um dos primeiros a falar. “Identifiquei-me bastante com a senhora. Também conheci algumas auguras e sei bem como é chegar aqui. Parabéns à senhora pela luta”, comentou ele, passando a palavra para o prefeito de São José de Piranhas, Chico Mendes. “És um exemplo de mulher, mãe, guerreira, merece estar aqui e nós nos orgulhamos disso. Esse dia ficará em nossas memórias”, afirmou.

Josefa, que ouviu os discursos calada em seu lugar, não percebia que algo iria lhe emocionar ainda mais. Foi quando o vereador de Cajazeiras, Alisson Lira, foi à tribuna com o seu violão e tocou uma música para a homenageada. Em seguida, os filhos de Jeová, Mateus e Vitor Campos, e a tia do parlamentar, Creusa Campos, fizeram a entrega do troféu “Mulher Cidadã” à dona Josefa.

O ex-deputado Chico Lopes destacou que Jeová foi “muito feliz” na escolha da homenageada. “O parlamentar brasileiro às vezes presta uma homenagem que a gente fica questionando. Mas, aqui, hoje, passando por todos esses momentos, sabendo da história de dona Josefa, vemos que esta é a verdadeira homenagem. É aquela que é dada a quem derruba suor e lágrimas”, disse.

Também homenagearam dona Josefa com palavras na tribuna, uma de suas filhas, Francineide Alves, a sobrinha Graça Campos, e seu sobrinho, o diácono, José Edson Alves, bem como o filho do parlamentar, Vitor Campos.  Hugo Moreira, que compõe a equipe parlamentar do deputado Jeová Campos, também falou na tribuna. “Emocionei-me desde o momento que redigi sua história, o requerimento. Sou seu fã. Receba com muito carinho essa homenagem”, comentou.

Atualmente

Josefa reside com os filhos e netos no Bairro de Mangabeira, mas ainda não conseguiu realizar o grande sonho de sua vida que é ter uma casa própria. Reside num imóvel oriundo de posse, mas não perdeu as esperanças. Ela se considera uma pessoa realizada, pois diante de muitos problemas e dificuldades que enfrentou ao longo de sua vida, conseguiu educar os filhos com muita determinação.

Professores, historiadores, políticos, intelectuais apoiam implantação da Trilha histórica-turística-cultural-ambiental da Coluna Preste na PB

Posted on

Os integrantes da Coluna Prestes percorreram cerca de 25 mil quilômetros pelo interior do território brasileiro, dos quais 330 km em solo paraibano, onde estiveram entre os dias 5 e 12 de fevereiro de 1926, quando a Coluna passou pelo sertão do Estado. Na tarde desta terça-feira (12), a importância histórica deste movimento, que lutava contra o governo federal, mostrando as injustiças sociais da época e defendendo reformas políticas e sociais e, especialmente, sua passagem pela Paraíba foi debatida durante uma audiência pública, proposta pelo deputado estadual Jeová Campos (PSB). A proposta de criar uma Trilha histórica-turística-cultural-ambiental deste movimento político-militar brasileiro, que existiu entre os anos de 1925 e 1927, ganhou a simpatia e apoio de professores, historiadores, políticos e intelectuais que se revezaram na tribuna da ALPB enaltecendo esse importante feito histórico.

O deputado Jeová Campos, que abriu e presidiu os trabalhos, fez uma breve retrospectiva do movimento, enaltecendo sua importância histórica e disse que na condição de presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, via com muita satisfação e entusiasmo a possibilidade da criação desta trilha. “Eu acho esse tema fascinante, admiro o movimento, a visão humanista de Prestes,  a região por onde a coluna passou é belíssima, é uma região pouco aproveitada turisticamente, ecologicamente, economicamente e a criação desta trilha é um filão que pode ser um indutor para alavancar  essa região sertaneja como um polo de atração cultural, porque o fato histórico existiu, foi importante para o país e tem marcos aqui na Paraíba”, destacou o parlamentar.

O secretário de Cultura, Lau Siqueira, também se entusiasmou com a proposta. “Esses roteiros históricos são a história viva que pode ser resgatada e explorada para ampliar conhecimentos, reviver momentos, em Piancó, por exemplo, ainda há casas que têm balas alojadas em suas paredes, cujos resquícios remontam ao confronto de 1926. Imagina um roteiro deste na Paraíba com viés de turismo. Esse é o caminho”, destacou o secretário, se colocando à disposição para apoiar a criação da trilha. O jornalista e escritor Wills Leal se entusiasmou com a ideia e disse que ela precisa ser bem elaborada. “A elaboração deste projeto, que acho fantástico, é um caminho, um indutor para alavancar e tornar aquela bela região sertaneja num polo de atração econômica, cultural e turística”, destacou Leal.

O historiador José Otávio, que fez uma retrospectiva do movimento, inclusive relembrando fatos dramáticos da Coluna Prestes, a exemplo da tragédia da morte do Padre Aristides, ocorrido em Piancó, também acha importante esse resgate histórico através da criação da trilha. O professor João Trindade fez duras críticas ao movimento por causa do que aconteceu na Paraíba, mas, reiterou que acha importante essa trilha até para resgatar esse feito histórico que, na opinião dele, marcou negativamente a Coluna Prestes. “A Coluna foi um movimento de grande valor para o Brasil, uma marcha legítima que, infelizmente, teve esse episódio lamentável aqui na Paraíba, mas que mesmo assim foi um marco na luta por mais justiça social”, destacou o professor que é autor e um cordel sobre o movimento.

O escritor Francisco de Assis, autor de um livro inédito que ainda não foi publicado sobre a Coluna Prestes enalteceu o ideal de justiça social defendido pelo comandante da Coluna, para justificar a essência do movimento. “Prestes era um humanista acima de tudo. Para ele, a dignidade humana era o mais importante. Ele pregava um mundo sem injustiças de qualquer natureza. O movimento tinha esse propósito que era lutar por uma sociedade mais justa e igualitária”, destacou ele.

O vereador de Piancó, José Luiz, enalteceu a ideia de criação da trilha e disse que além do resgate histórico da passagem da Coluna pela Paraíba, essa iniciativa poderá alavancar o desenvolvimento da região. “Seria maravilhoso reviver a história e atrair turistas para a região. Esse projeto tem nosso apoio e da Câmara Municipal de Piancó”, destacou ele, que sugeriu a realização de uma audiência na região para aprofundar esse assunto.

“O registro histórico da Coluna Prestes quando da sua passagem pela Paraíba, dada a riqueza natural e cultural dos municípios por onde passou a Coluna, pode ser explorado turisticamente a partir da criação, no alto sertão paraibano, de uma a Trilha histórico-cultural-turística-ambiental. Após essa audiência, penso que isso será perfeitamente possível de realizar, pois trata-se de um projeto pensado na história e projetado para o futuro, que servirá como instrumento de formação ética e intelectual das novas gerações”, reitera Jeová. Outras pessoas também falaram durante a audiência, entre as quais, o deputado Jandhuy Carneiro, o historiador Salviano Leite, o professor Gil Sabino, o músico, João Leite, e um representante dos Correios que, inclusive, mostrou a proposta de um selo personalizado da Coluna Prestes.

 Sobre a Coluna

Na Paraíba, a Coluna Prestes passou pelos municípios de Uiraúna, Poço Dantas, São João do Rio do Peixe, Vieirópolis, Lastro, Santa Cruz, São Francisco, Pombal, Coremas, Piancó, Santa dos Garrotes, Nova Olinda, Tavares, Princesa Isabel, Santa Terezinha, Catingueira, Patos, Emas e Olho D’Água.  O núcleo fixo do movimento tinha cerca de 200 homens, porém em vários momentos da caminhada o movimento chegou a contar com cerca de 1400 pessoas (militares e simpatizantes do movimento). Os integrantes da Coluna Prestes passam e paravam nas cidades. Conversavam com as pessoas e faziam a propaganda contra o governo federal, mostrando as injustiças sociais da época e defendendo reformas políticas e sociais.

O movimento teve início na cidade de Alegrete (sul do Rio Grande do Sul) e após dois anos e meio e percorrer 11 estados, terminou dividido. Um grupo foi para a Bolívia, enquanto outro para o Paraguai. Embora não tenha conseguido derrubar o governo, a Coluna Prestes foi um movimento que enfraqueceu politicamente a República Velha, abrindo caminho para a Revolução de 1930 que levou Getúlio Vargas ao poder. Com o movimento, Luís Carlos Prestes ganhou o apelido de “Cavaleiro da Esperança”.

Energisa vai dar explicações na ALPB sobre os cálculos que resultaram nesse último grande reajuste de energia na Paraíba

Posted on

 O deputado estadual Jeová Campos (PSB) tanto solicitou a Mesa Diretora da ALPB que conseguiu marcar a audiência pública onde a Energisa dará explicações sobre o cálculo de reajuste aplicado nas contas de energia dos paraibanos que, em alguns casos, chegou a um aumento de 100%. O debate acontecerá na próxima quinta-feira (14), a parir das 9h, no plenário Deputado José Mariz.

 “Queremos uma explicação sobre esse reajuste exagerado nas contas de energia. Vamos debater essa metodologia de cálculo que está penalizando o consumidor paraibano”, argumenta o parlamentar. Segundo o parlamentar, por onde ele tem andado ultimamente, tem encontrado pessoas reclamando do reajuste. “A grita é geral, do pequeno consumidor ao grande. Todos estão reclamando do reajuste e essa audiência tem o objetivo de esclarecer essa questão, queremos entender os cálculos para ver se eles têm razão de ser aplicados da forma como foram”, destaca Jeová.

Jeová volta a cobrar realização da audiência com a Energisa para debater aumento nas contas de energia dos paraibanos

Posted on

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (06), para cobrar a realização de uma audiência pública com a direção da Energisa para que os representantes da empresa possam explicar como chegaram aos cálculos de reajuste nas contas de energia dos paraibanos que, em alguns casos, como na região do sertão, contabilizara um aumento de 100%.

“Nós precisamos fazer essa audiência que já foi aprovada em plenário, porque não é possível ficar inerte diante do clamor dos paraibanos, que não entendeu esse aumento exagerado nas contas de energia. A ALPB já aprovou requerimento de minha autoria para realização deste debate, mas há uma inércia inexplicável sobre a marcação da data desta audiência que não se justifica, pois o assunto requer urgência”, destacou o parlamentar.

O deputado lembrou que ficou ainda mais preocupado com essa situação ao tomar conhecimento que um representante da Energisa fez uma entrevista na Rádio Tabajara e disse que era preciso recuperar os investimentos feitos na Paraíba. “Ora, como se recupera investimento em cima do cidadão, num momento de recessão econômica, principalmente na cobrança de um bem de consumo essencial”, reiterou Jeová. Ele lembrou que tem respeito pela direção da Energisa, mas não dá para aceitar esse aumento. “A Energisa é hoje a empresa mais importante da Paraíba e eu tenho respeito aos seus dirigentes, mas não dá, neste instante, para eu deixar de me solidarizar com os paraibanos mais humildes que receberam contas exorbitantes nos últimos dias”, afirmou Jeová.

“É necessário para que a ALPB feche o exercício de 2017 sem nenhuma pendência, que a gente chame a Energisa a essa Casa para debater esse tema do aumento nas contas de energia dos paraibanos. Já falei com o presidente desta Casa e expus a necessidade deste debate, inclusive, com a equipe técnica da ALPB, para que arrume tempo, seja em que plenário for, para a gente debater esse aumento”, finalizou o parlamentar.

 

Os juízes interpretam a Lei, os parlamentares a elaboram e cada um tem que respeitar a competência do outro afirma relator da LOA

Posted on

“Os juízes têm o papel de interpretar a Lei, cabe aos vereadores, deputados e senadores, elaborar a Lei, esse juízo de elaborar a Lei é um juízo meramente político, que tem tudo a ver com a realidade econômica e social, juiz não pode fazer a Lei e o Tribunal não pode obrigar a Assembleia Legislativa da Paraíba a fazer a Lei que ele quer. Nós temos prerrogativas e competências próprias, para elaborar a Lei e o que o TJPB está propondo é inaceitável, ou seja, R$ 18 milhões, num estado pobre como a Paraíba, para criar um ‘auxílio saúde’, é inaceitável”, afirmou hoje (04), o deputado estadual Jeová Campos (PSB). Relator da Lei Orçamentária Anual (LOA), que foi aprovada na última quarta-feira pela ALPB, Jeová acha uma intromissão de poder a posição do TJPB de buscar judicializar uma decisão que é de competência do legislativo e que obedeceu todos os trâmites legais.

De acordo com o deputado, ao invés de tentar impor a aprovação de um duodécimo que contém itens aviltantes, como esse do ‘auxílio saúde’, o TJPB deveria rever sua posição em relação a uma questão crucial e realmente importante para a vida dos paraibanos que é a continuidade do funcionamento das comarcas. “As comarcas precisam continuar funcionando e isso é agora é perfeitamente possível, graças a uma iniciativa minha que, na condição de relator da Lei Orçamentária Anual (LOA), inclui um adicional de R$ 2 milhões da Receita Ordinária Líquida à proposta original do orçamento para o Tribunal de Justiça da Paraíba para ser usado, exclusivamente, na manutenção das comarcas. “Essa dotação é, exclusiva para manter o funcionamento das 15 comarcas que o Tribunal estuda fechar. Essa sim, é uma questão crucial e não a aprovação de um ‘auxílio saúde’”, finalizou o parlamentar.

Deputado Jeová Campos inclui no relatório da LOA o repasse de R$ 2 milhões para o TJPB como adicional para não fechar comarcas na PB

Posted on

O deputado Jeová Campos (PSB), relator da Lei Orçamentária Anual (LOA), que substituiu o deputado João Gonçalves na relatoria da matéria, inseriu no relatório lido e aprovado na manhã desta quarta-feira (29), um adicional de R$ 2 milhões da Receita Ordinária Líquida à proposta original do orçamento para o Tribunal de Justiça da Paraíba. Esse repasse é para evitar o fechamento de comarcas no estado. “Essa dotação é, exclusiva para manter o funcionamento das 15 comarcas que o Tribunal estuda fechar”, reiterou o parlamentar.

Segundo Jeová, ele fará uma vigilância permanente junto ao governo do estado  para que se cumpra essa resolução do plenário que, na verdade não é lei, mas é uma recomendação ao chefe do poder executivo para que não deixe nenhuma comarca ser fechada. “Nós que somos do sertão, por exemplo, não podemos ver a comarca de Coremas e a de Bonito de Santa Fé fechadas e assim são 15 em todo o estado”, destacou Jeová. As comarcas objeto da recomendação são: Araçagi, Arara, Bonito de Sant Fé, Cabaceiras, Cacimba de Dentro, Caiçara, Coremas, Cruz do Espírito Santo, Lucena, Malta, Paulista, Pilões e Prata.

Na opinião do deputado, a decisão da ALPB em votar a LOA na sessão de hoje foi muito importante. “Isso cria segurança na gestão, na relação entre os poderes que é fundamental. Esse clima de instabilidade que existia não podia continuar, inclusive com a Casa sem poder legislar, mesmo com todos os prazos regimentais cumpridos, com a comissão de orçamento que cumpriu o seu papel, depois o plenário, com um debate feito pela oposição. O certo é que nós agora temos uma proposta de LOA aprovada, que vai agora para a sanção do governado Ricardo Coutinho”, destacou Jeová.

O texto foi aprovado primeiro na Comissão de Orçamento, com apenas um voto contrário, o do deputado Janduhy Carneiro (Podemos). O relatório aprovado manteve os mesmos parâmetros do projeto do Executivo tanto que os valores foram mantidos nos patamares anteriores.

 

Deputado afirma que projeto de desinstalação de comarcas é ‘conversa para boi dormir’

Posted on

“O Tribunal de Justiça da Paraíba está querendo R$ 18 milhões a mais em seu orçamento para 2018. Ai eu pergunto: para que esses valores a mais, para quais despesas? O tribunal quer aumento em seu orçamento, mas vai fechar várias comarcas, ao todo 15 comarcas. Se não é para contratar mais juízes, se não é para fortalecer a prestação do serviço jurisdicional, senão é para isso. Para o que é? Na realidade, essa afirmação de desinstalação de comarcas é conversa para ‘boi dormir’ porque, na realidade, o Tribunal vai é fechar essas comarcas”, afirmou hoje (28), pela manhã, o deputado estadual Jeová Campos (PSB), em discurso na Tribuna da Assembleia Legislativa.

O parlamentar também questionou o andamento de um estudo que está sendo feito pelo TJPB, e que não foi divulgado para a sociedade, de extinção de comarcas. “Os paraibanos querem saber se é verdade que o desembargador Luiz Silvio Ramalho está com um estudo secreto de extinção destas comarcas. É bom que isso seja esclarecido porque não se trata de uma questão interna do Tribunal, porque extinguir comarcas significa prejudicar o acesso da população à Justiça e tornar a prestação de serviço jurisdicional para os mais pobres ainda mais lenta e inacessível. Se a Justiça já é lenta, imagina com 15 comarcas a menos na Paraíba”, destacou Jeová.

Para o deputado, o povo não pode pagar essa conta tão alta, que não se justifica. “Eu entendo que nenhuma crise econômica justifica a extinção de comarcas. O povo não pode pagar essa conta e aqui fica o meu protesto”, disse Jeová, que pediu a sua assessoria jurídica que providenciasse um ofício ao TJPB para que o Tribunal dê as explicações devidas sobre esse estudo, seus objetivos e finalidade.

Deputado Jeová Campos ganha apoios importantes para seu projeto de reeleição em 2018

Posted on

Uma atuação política coerente, com defesas de cunho social importantes, com viés desenvolvimentista, um discurso que se atrela à prática nas ações, enfim, um mandato propositivo, positivo e atuante. Desta forma e com esse perfil, o deputado estadual Jeová Campos (PSB) tem conseguido ampliar a sua base eleitoral e angariar apoios importantes e que farão a diferença na disputa eleitoral de 2018, quando ele pretende ser candidato a reeleição. Ontem (27), na Câmara Municipal de Bonito de Santa Fé o parlamentar recebeu apoios fundamentais rumo a essa caminhada eleitoral. O

atual prefeito da cidade, Chico Pereira (PSB) e a ex-prefeita Aldery Caju, além de outras lideranças políticas do município se reuniram para declarar, publicamente, apoio político à Jeová.

Na ocasião, a ex-prefeita Alderi Caju agradeceu a defesa solidária de Jeová Campos nas discussões sobre a aprovação de suas contas e reiterou que todo grupo político que a acompanha votará unido com Jeová em 2018. O presidente da Câmara de Vereadores de Bonito de Santa Fé, José Devânio Oliveira da Silva (Van do Viana – PTB) afirmou que é um político que acompanha as decisões do seu grupo e que não medirá esforços para que Jeová Campos tenha êxito as eleições do ano que vem.

O prefeito Chico Pereira lembrou que a sua relação de amizade com Jeová Campos existe há muito tempo, desde o início da atuação do Partido dos Trabalhadores (PT) na Paraíba e destacou que seu apoio a Jeová é irrestrito e de todo grupo de situação. “Estou com Jeová pela história dele, por suas posições, pela sua conduta, por sua atuação parlamentar, enfim, pelo conjunto de suas ações enquanto agente público e representante do povo”, destacou o prefeito.

O deputado estadual Jeová Campos agradeceu os apoios da cidade de Bonito de Santa Fé e garantiu continuar trabalhando pela cidade e também pela Paraíba. “Cada apoio recebido significa para mim o reconhecimento de minha atuação, a certeza de que estou caminhando junto com o povo, defendendo a Paraíba e os paraibanos em questões que lhes são importantes, a exemplo da geração de renda e emprego, melhoria da educação, a questão dos recursos hídricos, dos direitos sociais, etc”, destacou Jeová.

Jeová Campos volta a cobrar explicações da Energisa sobre aumento nas contas de luz dos paraibanos

Posted on

“Esse reajuste da Energisa nas contas dos paraibanos precisa ser melhor explicado. Diante deste aumento tão violento, tão exagerado, esta Casa não pode virar as costas para esse debate. Esse reajuste é merecedor de explicações neste plenário”, reiterou o deputado estadual Jeová Campos, na sessão de hoje (21), na ALPB. O parlamentar fez um apelo aos seus colegas para votarem o requerimento de sua autoria que convoca os dirigentes da Energisa e Aneel para darem explicações sobre o reajuste. Por falta de quórum, o requerimento não foi votado na sessão desta terça-feira.

O deputado lembrou que, principalmente, nos tempos atuais, de uma economia recessiva, de desemprego, não cabe no orçamento dos paraibanos um reajuste desta envergadura. “Em algumas regiões do sertão, tenho recebido muitas reclamações de que as contas tiveram um acréscimo de 100%. Isso precisa ser melhor explicado, pois um reajuste deste foge a razoabilidade”, destacou Jeová.

Audiência pública sobre a Reforma da Previdência lota Câmara de Vereadores de Campina Grande nesta segunda-feira

Posted on

A galeria e o plenário da Câmara Municipal de Campina Grande ficaram lotados na manhã desta segunda-feira (20), durante a realização de uma audiência pública que debateu as propostas e repercussões da Reforma da Previdência.  O deputado estadual Jeová Campos (PSB), autor da propositura de realização do evento, e presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, foi um dos principais debatedores da audiência.

Em sua fala, o parlamentar criticou a proposta que tramita no Congresso e disse que somente a mobilização popular tem forças para barrar a aprovação da matéria. “Infelizmente, não podemos confiar neste Congresso que, com raras exceções, tem interesse de defender o povo. O fato é que essa proposta de reforma da previdência extingue direitos, penaliza o trabalhador, mais ainda os trabalhadores rurais, favorece o grande capital e precisa ser barrada pois representa um retrocesso”, disse o deputado.

Jeová também desmentiu o que a mídia e o governo insistem em dizer que existe um rombo, explicando que isso é um discurso falacioso. “Quando se fala em rombo é desconsiderando que existem contribuições sociais que servem justamente para o financiamento da previdência, e contam apenas com as receitas provenientes do pagamento por parte do trabalhador e do empregador. No entanto, quando uma receita se torna vinculada, ela necessariamente deve ser gasta na área. Por exemplo, o dinheiro que se arrecada com a CSLL deve ir necessariamente para gastos da Seguridade, e não para financiar pagamento com juros da dívida pública como quer quem defende essa reforma”, explicou o parlamentar.

Segundo Jeová, o objetivo desta mistificação é ludibriar a população para acreditar que a Previdência deve ser “reformada” e substituída pelos fundos privados. “Isso, inclusive, vai de encontro à Constituição que prevê a existência de uma contabilidade exclusiva para a Seguridade Social, que mostraria não haver déficit algum”, reiterou Jeová. O deputado foi bastante aplaudido pela plateia que era formada por representantes do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab) e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).