Jeová Campos

Deputado Jeová se reúne com representantes do Governo para solicitar implantação do Teste do Pezinho Ampliado o mais breve possível

Posted on

As crianças recém-nascidas em unidades da rede estadual de saúde da Paraíba poderão dispor do Teste do Pezinho Ampliado graças a uma conquista capitaneada pelo deputado estadual Jeová Campos, autor do Projeto de Lei de n. 1.721/2018, que virou a Lei 11.566, em dezembro do ano passado. Porém procedimentos diversos, incluindo o processo licitatório para aquisição dos testes e capacitação da rede pública para realização dos exames, atrasaram a efetiva implantação do serviço. Nesta segunda-feira (30), o parlamentar esteve reunido com o secretário estadual de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros, também na Secretaria de Administração e ainda com dirigentes do LACEN/PB para solicitar mais agilidade na efetivação desta política preventiva de saúde pública que fará a diferença no futuro de milhares de crianças Paraíba.

“A Paraíba tem a oportunidade de ser pioneiro no Nordeste na implantação deste teste ampliado, seguindo outras localidades, a exemplo de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Distrito Federal, Porto Alegre e Goiás que já implantaram em suas redes o serviço”, afirma Jeová, lembrando que está dedicando sua Emenda Impositiva, este ano, para implantação e execução da referida Lei.

O deputado lembra que é preciso ter celeridade para que essa política pública de saúde assegure aos filhos e filhas do povo paraibano, nascidos em hospitais e maternidades da rede pública de saúde da Paraíba, o direito ao teste de triagem neonatal, na sua modalidade ampliada. “Com esse teste será possível diagnosticar precocemente várias doenças, proporcionando um tratamento eficiente e imediato. Esses exames hoje só estão acessíveis aos filhos de pais ricos e mais abastados. Eu quero que os filhos dos pobres também tenham acesso a esses exames”, destacou o parlamentar. Atualmente, o teste do pezinho diagnostica apenas nove doenças e com a ampliação ele poderá identificar até 30 patologias.

O teste do pezinho ampliado vai tornar possível o diagnóstico precoce das seguintes patologias: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, Hipertireoidismo congênito, Hiperplasia Adrenal, Galactosemia, Deficiência de Biotinidase, Toxoplasmose Congênita, Deficiência de G6PD, Fibrose Cística, Anemia Falciforme e outras Hemonoglobinopatias e Leucinos. A Lei estabelece que os testes de triagem neonatal deverão ser aplicados na alta hospitalar, independentemente, das condições de saúde do recém-nascido e que os resultados sejam encaminhados aos pais, num prazo de até 15 dias, a contar da data de coleta do material.

Deputado Jeová Campos propõe instituição de uma política estadual de apoio a Agricultura Familiar

Posted on

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 80% de toda a comida do planeta seja oriunda da Agricultura Familiar. No Brasil, a atividade envolve aproximadamente 4,4 milhões de famílias e é responsável por gerar renda para 70% dos brasileiros no campo segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Na Paraíba, boa parte dos produtos oriundos do campo vem da agricultura familiar e a depender da iniciativa do deputado estadual Jeová Campos, autor do Projeto de Lei Ordinária-PLO 2264/2020, a agricultura familiar no estado tomará outra proporção. “Estamos propondo a instituição de uma Política Estadual de Apoio à Agricultura Familiar para dar mais respaldo a essa atividade e melhores condições dela se desenvolver na Paraíba”, afirma o parlamentar.

O deputado lembra que no Brasil, a agricultura familiar conta com uma legislação própria e que é considerado agricultor familiar aquele que promove atividades no meio rural em terras de área inferior a quatro módulos fiscais, emprega mão de obra da própria família e tem sua renda vinculada a produção resultante desse estabelecimento. “Criar uma política estadual para esse segmento e ter uma visão de futuro, é estimular a permanência no campo, é gerar renda e emprego fora das cidades, movimentar a economia de uma forma sustentável e, sobretudo, promover o desenvolvimento socioeconômico e cultural das comunidades locais”, reforça Jeová.

Entre os objetivos do PLO está o de apoiar técnica e operacionalmente os agricultores familiares no Estado, promovendo, quando couber, parcerias operacionais para seu desenvolvimento; estimular a inclusão do estudo da agricultura familiar nas Escolas, visando uma mudança de parâmetros de organização da produção e do consumo; promover estudos e pesquisas de forma a contribuir com o desenvolvimento da produção; divulgar as políticas governamentais para o setor; propiciar maior capacitação dos agricultores familiares e estimular a captação e a disponibilização de recursos financeiros destinados a apoiar ações desta Política.

Como atribuições do governo, o PLO estabelece que o Estado deva prestar assistência educativa e técnica aos agricultores familiares; estabelecer incentivos fiscais e financeiros para o desenvolvimento dos agricultores familiares, inclusive mediante a abertura de linhas de crédito específicas e concessão de tratamento fiscal diferenciado, na forma da lei; estimular a inclusão de estudos sobre agricultura familiar nos ensinos fundamental, médio e superior, bem como na educação profissional e tecnológica e proporcionar apoio técnico. “É preciso que o poder público entenda a importância de mais investimentos nesta atividade, até como forma de também fomentar o desenvolvimento e fazer girar a economia além dos centros urbanos”, finaliza Jeová.

A pandemia mudou nossa rotina, mas não nossa missão de trabalhar pelo povo paraibano diz Jeová

Posted on

A suspensão de atividades presenciais em plenário e a realização de sessões remotas, por causa da pandemia, não compromete a produção parlamentar dos deputados paraibanos que continuam legislando e trabalhando pela população. O deputado estadual Jeová Campos, por exemplo, somente essa semana deu entrada em quatro requerimentos com solicitações diversas. “Continuamos atuando, legislando, propondo melhorias e ações que melhorem a vida da população paraibana. A pandemia mudou a nossa rotina, mas não nossa missão de defender os interesses do povo paraibano”, destaca Jeová.

Um dos requerimentos apresentados pelo parlamentar essa semana (11.839/2020) diz respeito a uma solicitação aos deputados federais e senadores paraibanos sobre a viabilização de apresentação de emendas ao orçamento da União Federal de 2021 destinadas para a construção do Hospital Universitário do Sertão, na cidade de Cajazeiras. “Esse hospital é um marco na saúde pública no sertão e sem verbas federais não pode ser viabilizado”, destaca ele.

O deputado fez outro requerimento (11.806/2020) que também soloicita a bancada federal paraibana a inclusão de emenda ao orçamento da União Federal, destinada à aquisição de um trator equipado para a associação comunitária Cacimba Nova – Ascocan, situada no município de Conceição. “Esse equipamento fará muita diferença no dia a dia dos agricultores daquela região”, argumenta Jeová.

Já o requerimento 11.748/2020 solicita que sejam enviados ofícios ao Excelentíssimo Senhor Governador do Estado. João Azevêdo, e ao Superintendente do Departamento de Estadas de Rodagem da Paraíba (DER-PB), Carlos Pereira, no sentido de determinarem a realização de serviços de terraplanagem da Rodovia Estadual que liga a Rodovia PB-400 à BR-116, passando pelas localidades do Sítio Riacho do Meio, no município de Cajazeiras, Distrito de Marimbas, Tambor e Sítio Tabocas, localizados no município de Cachoeira dos Índios, terminando no Distrito de Balanças, também no município de Cachoeira dos Índios, estadualizada nos termos das Leis nºs. 9.825/2012 e 10.127/2013. “Essa via tem um trafego intenso e é muito utilizada pela população destas localidades e precisa desta melhoria”, argumenta Jeová.

Muito atento às questões educacionais, o parlamentar também é autor do requerimento 11.749/2020 que solicita que sejam enviados ofícios ao Excelentíssimos Senhor Governador do Estado, João Azevêdo, e ao Secretário de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, Cláudio Furtado, no sentido de executarem a construção de um centro de formação de educadores na cidade de Cajazeiras, destinado a capacitação dos educadores da Rede Pública Estadual de Ensino da Nona Gerência Regional de Ensino da Paraíba. “Os educadores do Estado merecem um Centro de Formação em Cajazeiras, para que eles possam desenvolver melhor suas habilidades e ampliar conhecimentos”, finaliza Jeová.

É uma lógica absurda deste governo entreguista querer privatizar a Transposição e tornar a água mais cara para os mais carentes diz Jeová

Posted on

Defensor do projeto de Transposição, por entender que a interligação das águas do Velho Chico aos rios dos quatro estados do Nordeste beneficiados com a transposição é a redenção da região, o deputado estadual paraibano Jeová Campos, ficou perplexo e indignado quando leu publicações que apontam que o Governo Federal planeja fazer o leilão de concessão da Transposição à iniciativa privada. “Essa é uma lógica absurda, inaceitável, que entrega a iniciativa privada e ao capital especulativo algo tão importante como a água da Transposição. Isso vai tornar a água que seria a redenção dos mais pobres, a garantia de uma agricultura sustentável, um bem extremamente caro e para poucos. Vai entregar de bandeja uma obra grandiosa, realizada com recursos nacionais, de mãos beijadas, tudo em nome do lucro para alguns em detrimento do povo nordestino”, afirmou Jeová.

O parlamentar se refere a notícias veiculadas na Imprensa nacional que dão conta que o governo pretende fazer um leilão de concessão em julho do próximo ano. Para tanto, o governo já faz sondagens com investidores para operarem o sistema que é considerado de alta complexidade. A proposta é que a empresa vencedora do leilão cuide das operações dos reservatórios, estações de bombeamento e dos 477 km de canais que atravessam os estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. “O governo justifica a privatização pelo alto custo de manutenção do sistema, mas ignora que foram investidos mais de R$ 10 bilhões na obra que hoje está 97% concluída e que entregar essa gestão para a iniciativa privada é dar de presente ao capital especulativo algo muito precioso e fundamental que é a gestão das águas”, argumenta Jeová.

O deputado lembra que no caso específico das obras da Transposição, a privatização da gestão das águas ainda vai, inevitavelmente, resultar no aumento das tarifas aos consumidores. “Sendo administrado pelo Estado, as recargas de água em açudes de vários Estados não incorreram em cobranças adicionais, mas, com a iniciativa privada esse custo será repassado aos consumidores, além do que o preço final do produto também subirá consideravelmente”, afirma Jeová. Ele lembra ainda que o custo operacional anual do sistema gira em torno R$ 280 milhões que hoje são custeados pelo Tesouro Nacional. “E quando forem custeados pela iniciativa privada, quanto vão cobrar dos consumidores?”, questiona o parlamentar paraibano.

Segundo divulgações na Imprensa, o estudo de modelagem do leilão está sendo elaborado pelo BNDES, cujos contratos de concessão devem durar de 25 a 30 anos e prevê ainda uma cobrança para cada estado beneficiado com as águas da Transposição equivalente ao volume que entrar no sistema de cada um deles. “Ora, além de elevar as tarifas, já que a empresa privada visa lucro, a empresa gestora da transposição ainda cobrará de cada Estado pela água utilizada. É um negócio e tanto. É dar de mão beijada a iniciativa privada e ao capital especulativo algo que é do povo. Isso é um absurdo e devemos lutar contra isso, não bastou a privatização dos serviços de saneamento e da Eletrobras (Chesf), dos Correios e Telégrafos, entre outros e agora o (des)governo Bolsonaro vem com mais essa. Temos que nos mobilizar urgentemente contra isso”, disse Jeová, que vai convocar a bancada federal paraibana e seus colegas parlamentares dos estados nordestinos beneficiados para formarem uma grande frente contra essa iniciativa.

O poder econômico comprou a consciência do povo e infelizmente Cajazeiras não deu um passo à frente, mas, seguimos na luta diz Jeová

Posted on

“Nossa missão foi cumprida, cumprida com convicção, com certeza, com coragem, com bravura, com sentimento humanista, porque acreditamos que a humanidade não pode mais viver essa barbárie que poucos podem tanto e ao povo só cabe sofrer. Lutamos contra isso e é por isso que estamos na política. Quero parabenizar a todos os companheiros e companheiras, todos os irmãos que se juntaram a nossa luta e que acreditaram na crença do socialismo, num amanhã mais justo. Não desanimem. A semente foi plantada em solo fértil. Perdemos para o poder econômico que corrompe consciências, saímos desta maiores, infelizmente, não será desta vez que Cajazeiras dará um passo à frente. Perdemos nas urnas, mas seguimos na luta”, disse hoje (16), o deputado estadual Jeová Campos, ao avaliar o resultado nas urnas em Cajazeiras, onde seu irmão Marquinhos Campos foi candidato a prefeito pelo PSB.

Para o deputado, que sempre defendeu o financiamento público de campanha, o resultado das urnas só confirma a diferença de posturas diante do eleitor e reforça que é preciso mudar essa sistemática eleitoral que só privilegia quem detém o poder econômico. “Enquanto nosso grupo foi às ruas difundindo propostas de mudança e um projeto político para mudar a realidade social e econômica de Cajazeiras, nossos adversários só foram à casa do povo para comprar votos, para aliciar o eleitor, ferindo de morte a democracia”, lamentou Jeová.

Mesmo com resultado adverso nas urnas, Jeová agradeceu a militância, os apoiadores, os eleitores que acreditaram que Cajazeiras viveria um novo tempo com Marquinhos. “Todos nós estamos de parabéns porque defendemos um projeto coletivo, para todos, por um governo sem desmandos e desvios, sem apadrinhados, sem superfaturamento, enfim, podemos deitar a cabeça no travesseiro e dormir o sono dos justos, nossa consciência está tranqüila”, finalizou Jeová.

Jeová orienta correligionários para se manterem vigilantes e registrarem tentativas de compra de votos em Cajazeiras para posterior envio à Justiça

Posted on

O deputado estadual Jeová Campos soltou um áudio neste sábado (14), em redes de amigos e apoiadores da campanha de seu irmão, Marquinhos Campos, que disputa a Prefeitura de Cajazeiras pelo PSB, alertando para que correligionários, candidatos a vereador e apoiadores da candidatura fiquem atentos, monitorem e registrem, com fotos e filmagens, qualquer tentativa de golpe contra a democracia, a exemplo da compra de votos. O parlamentar havia solicitado o envio de tropas federais para o município a fim de coibir essa prática delituosa que, segundo ele, torna muito desigual a disputa eleitoral em Cajazeiras e em outros municípios Brasil afora. “Infelizmente não foi enviado tropas federais para cá, apenas alguns agentes, e a compra de votos está acontecendo descaradamente, mas estamos com a consciência tranquila, pois fizemos uma campanha limpa, do começo ao fim, mostrando propostas, com um projeto que vai moralizar a administração pública local e que pode mudar Cajazeiras para muito melhor. Cabe ao eleitor decidir agora se quer ter uma administração pública diferente”, disse o parlamentar.

No áudio, o deputado questiona a ação da Justiça que, segundo ele, usou dois pesos e duas medidas na campanha eleitoral de Cajazeiras. “Que Justiça é essa que manda arrancar adesivos do 40, mas não coloca fiscais para seguir essa gente que está aliciando eleitores e comprando votos descarada e vergonhosamente? Que Justiça é esse que só tem atitude para arrancar adesivos, como arrancaram na casa de nossa mãe, mas não inibe essa compra imoral de votos?”, questionou o deputado que, independente, dos resultados das urnas disse que pretende encaminhar esse material à Justiça Eleitoral a fim de solicitar a aplicação das medidas cabíveis.

Jeová lembra também no áudio que este domingo é um dia muito especial e agradece a todas as pessoas que se engajaram, de variadas formas, para caminhar junto com Marquinhos, acreditando neste projeto político. “Em nome de todos os partidos que compõem essa aliança, de todos os apoiadores, quero agradecer essa linda caminhada. A todas as pessoas que acreditam que é possível fazer uma mudança em Cajazeiras. As dificuldades foram imensas, porque a gente levou uma mensagem, uma proposta diferente de governo, enquanto que nossos adversários foram na casa do povo comprar votos, aliciar eleitores, para comprometer a Democracia. A todos vocês, que se mantiveram de pé, consciente de nossa tarefa, estão de parabéns, Estou muito orgulhoso e Marquinhos também pelo trabalho de todos vocês’, disse Jeová.

No final de sua mensagem, o deputado afirma que o dia da eleição será um dia muito especial. “O domingo será o dia do voto, da grade vitória, da celebração, da nossa comemoração e o dia de nosso encontro com uma Cajazeiras que vai acabar com a farra dos carros locados, que vai humanizar a saúde, a cidade que vai resgatar sua cultura, que vai governar também para o agricultor, que vai resgatar a tradição e vocação para a Educação, do empreendedorismo, da geração de emprego e renda, a Cajazeiras que será voltada para o jovem, para o idoso, para o trabalhador, pelos mais humildes. A vitória de Marquinhos Campos será a vitória do povo de Cajazeiras e o fim de um ciclo de desmandos e desvios”, finalizou Jeová.

É uma briga desigual, mas o povo saberá honrar o poder de decidir e votar em Marquinhos para o bem de Cajazeiras diz Jeová

Posted on

O poder soberano do voto, no próximo dia 15, elegerá prefeitos e vereadores que irão decidir os destinos de cidadãos, nas cidades brasileiras, nos próximos quatro anos. Em Cajazeiras, a disputa está acirrada e o irmão do deputado estadual, Jeová Campos, Marquinhos Campos, do PSB, entrou no páreo como a única via política da localidade que pode mudar o futuro de Cajazeiras para muito melhor e fazer diferente de seus oponentes. Os principais adversários de Marquinhos já ocuparam a cadeira de chefe do executivo municipal, recaem sobre eles suspeitas e até comprovação de desvios de recursos públicos, superfaturamento de obras, má gestão administrativa entre outras improbidades. “É uma luta desigual, de Davi contra Golias, contra gente poderosa, com fartos recursos, mas, a julgar pelas inúmeras manifestações populares e apoios que estamos recebendo, acredito que o povo saberá honrar seu poder de decisão e acabar com essa alternância de poder em Cajazeiras, que não agrega valor ao município e só beneficia uns poucos atrelados ao poder”, afirma Jeová.

Para o parlamentar paraibano, que arregaçou as mangas e está nas ruas de Cajazeiras pedindo votos para Marquinhos, batendo de porta em porta, andando bairro a bairro, a expectativa é de que o povo valorize o poder que tem e eleja alguém que, de fato, terá compromisso com mudanças profundas e radicais na forma de administrar Cajazeiras. “Marquinhos é o único nome na disputa que tem condições e compromisso de realizar transformações profundas na administração municipal. É o único candidato que tem um olhar voltado para o povo, sem discurso demagógico. É o único que poderá mexer na estrutura de poder que se apossou de Cajazeiras para beneficiar uns poucos, em detrimento da maioria da população, especialmente, os mais necessitados. Não estou nesta luta porque Marquinhos é meu irmão, mas, em função de acreditar num projeto para Cajazeiras que apenas ele terá condições de realizar”, reforçou Jeová.

O deputado tinha solicitado a presença de tropas federais para Cajazeiras para inibir ações de compra de votos antes e no dia da eleição, mas, até agora apenas alguns agentes da PF monitoram a cidade, nesses últimos dias, com o auxílio de drones. “Era necessário um reforço maior porque o poder econômico destes grupos que estão disputando a Prefeitura é muito grande e a gente recebe diariamente notícias de compra de votos. Era necessário um olhar mais atento das autoridades competentes aqui para inibir e coibir essa prática delituosa que torna a disputa eleitoral abissalmente desigual e desleal”, finalizou Jeová.

Pode ser legal, mas fere de morte a autonomia universitária disse deputado Jeová Campos sobre nomeação de novo reitor da UFPB

Posted on

A nomeação de Valdiney Veloso Gouveia, que foi o candidato com menos de um décimo dos votos da comunidade acadêmica, não teve nenhum voto do Conselho Universitário – Consuni e que só entrou na lista tríplice à custa de uma liminar, como novo reitor da Universidade Federal da Paraíba, gerou protestos de professores, funcionários e estudantes da UFPB, além de vários setores da sociedade. O deputado estadual Jeová Campos, que é professor licenciado da UFCG, foi um dos que se manifestou contrariado com a nomeação do presidente Jair Bolsonaro. “Essa nomeação fere de morte a autonomia universitária, uma vez que não leva em consideração a avaliação da própria comunidade acadêmica para escolha de seu maior representante, e também a Democracia, porque a chapa mais votada e eleita não foi a escolhida!”, destacou o parlamentar que torcia pela nomeação da Chapa de Terezinha/Mônica, que obteve 47 votos no Consuni e venceu as eleições com 964.518 votos.

O deputado lembra que embora legal, essa nomeação é completamente arbitrária. “O processo estabelece que é prerrogativa do presidente da República definir os nomeados para o cargo de reitor das Universidades Federais, a partir da lista tríplice encaminhada pelas instituições, mas, o mínimo que se espera de quem nomeia alguém para um cargo deste é respeitar a decisão da comunidade acadêmica, o que não aconteceu na UFPB, quando foi escolhido o último colocado na disputa eleitoral. Essa manobra nada mais é que uma forma de intervenção nas universidades públicas do país, para colocar nos cargos apoiadores ligados ao projeto político e de poder do presidente. Infelizmente, essa é a realidade de descaso com a Educação e com as universidades públicas em todo o país neste (des)governo federal”, disse Jeová.

Em entrevista a uma rádio de João Pessoa, nesta quarta-feira (05), a candidata mais votada, Terezinha Domiciano, disse ainda estar estarrecida com a nomeação e falou que não teve tempo ainda de ver se cabe alguma medida jurídica para tentar reverter à nomeação. “Ainda estou sob o choque desta notícia que deixou toda a comunidade acadêmica perplexa. Não sei se cabe alguma medida jurídica que reverta essa decisão, só penso que um reitor que teve uma votação tão inexpressiva dos docentes, técnicos administrativos e estudantes e que não conseguiu nenhum voto no Consuni não tem respaldo para comandar a UFPB”, disse Terezinha. O novo reitor foi nomeado para definir os destinos da UFPB para o período 2020 – 2024.

Jeová lembra ainda que com essa nomeação, Bolsonaro quebra um costume adotado desde o governo Lula, que era nomear o primeiro colocado da lista tríplice, que no caso da UFPB, seriam Terezinha e Mônica, da Chapa 2 – “Inovação com Inclusão”, que venceram as eleições com 964.518 votos (soma total ponderada e normalizada). O segundo lugar Isac/Regina Célia obteve 920.013 votos (soma total ponderada e normalizada). A chapa do reitor nomeado Valdiney/Liana obteve apenas 106.496. “Esse é mais um desmonte da universidade pública, é o caminho da privatização do ensino público no Brasil, é a tentativa de ampliar o caráter ideológico no campo da direita, da narrativa conservadora, que nega a ciência. É o processo de desmonte da Educação, infelizmente e para que isso não continue precisamos lutar pela defesa da democracia, da universidade pública e da autonomia universitária”, destaca Jeová.

Em pronunciamento, o presidente do Sindicato dos Professores da UFPB (Adufpb), Fernando Cunha, reforçou que esse é mais um ataque do governo Bolsonaro à Democracia: “Este é mais um ataque à universidade, à democracia e à autonomia universitária, demonstrando, claramente, que esse governo não tem nenhuma responsabilidade com a coisa pública, com a legitimidade dos processos democráticos. Ele demonstra claramente que é inimigo da Educação”, disse Fernando.

Campanha de Marquinhos Campos cresce e promete acabar com o revezamento de grupos políticos na Prefeitura de Cajazeiras

Posted on

Há muitos mandatos que a Prefeitura de Cajazeiras não sai do comando de grupos políticos já bem conhecidos da população local, que se revezam no poder sem nada fazer para que o município cresça, se desenvolva e assegure que seus cidadãos tenham serviços públicos dignos. Isso sem falar nas inúmeras denúncias de corrupção, desvio de verbas públicas, contratações irregulares, superfaturamento e outras ilicitudes que foram alvo de investigação de órgãos e autoridades que zelam pelo patrimônio e recursos públicos. Mas, essa realidade pode estar com seus dias contados, já que a candidatura do socialista Marquinhos Campos ganha cada dia mais adesões, empolga a militância e correligionários e cresce atraindo mais eleitores que não aguentam mais a situação do município.

Homem simples, com origens na zona rural do município, mas, extremamente preparado, Marquinhos Campos, está fazendo uma campanha limpa, mostrando seu programa de governo, discutindo com a população suas prioridades, prometendo acabar com as regalias e má destinação dos recursos públicos do município, batendo de porta em porta para conquistar o eleitor pelo conjunto de sua plataforma política e proposta de governo. “Sou o único dos candidatos que pode andar em Cajazeiras de cabeça erguida, que não tem vínculos com os desvios e desmandos das administrações municipais de agora e as anteriores de Cajazeiras”, destaca Marquinhos, lembrando que apenas sua chapa representa algo novo para o município.

“Quero aproveitar a oportunidade e dizer ao povo de Cajazeiras que essa campanha não é apenas minha, de meus amigos, familiares e correligionários, ela representa a sociedade cajazeirense que não aguenta mais ver sua cidade ser massacrada com tantos desmandos, que quer alguém na Prefeitura que tenha compromisso com o bem estar social, com o trabalho honesto, com projetos que devolvam a cidade a Educação e Saúde que ela merece, que execute obras importantes, que governe para o povo e não apenas para meia dúzia de privilegiados e apadrinhados”, reiterou Marquinhos Campos. Proibido de usar carro de som e fazer ações de mobilização com muita gente por conta da pandemia, o candidato está percorrendo os bairros do município, de porta em porta, dividido em pequenos grupos, para mostrar suas propostas e escutar o povo em suas demandas. “Meu governo será um governo inclusivo, com um olhar diferenciado sobre essa cidade e sua gente”, finaliza o candidato.

O deputado estadual Jeová Campos está partilhando esse momento em Cajazeiras junto com o candidato socialista e fala da satisfação de percorrer as ruas da cidade e conversar com a população junto com seu irmão. “Cajazeiras tem com Marquinhos a oportunidade de avançar, de retomar o caminho do desenvolvimento e progresso, da justiça social, do equilíbrio das contas públicas, da destinação correta dos recursos da Prefeitura, enfim, essa candidatura é um marco, é um divisor de águas para Cajazeiras. Somente com a eleição de Marquinhos romperemos com esse ciclo vicioso de troca de prefeitos que não têm compromisso com o município e sua gente. Andar pelas ruas da cidade e ver que o povo está acordando para a necessidade de mudança me deixa muito feliz e realizado”, finaliza o parlamentar.

‘Eu não tenho preço, tenho caráter e compromisso com Cajazeiras’ afirma Marquinhos Campos candidato a Prefeitura de Cajazeiras

Posted on

“Nunca vão conseguir me comprar, porque tenho caráter e nada compra a minha honra, a minha dignidade e o meu compromisso com Cajazeiras. Eu tenho a coragem e a determinação do povo e essa força quem está me dando é Deus e os cidadãos e cidadãs de Cajazeiras. Sou uma pessoa simples, um homem da roça que honra o que diz e cumpre o que promete”, disse hoje (03) o candidato a prefeitura de Cajazeiras, Marquinhos Campos (PSB). O candidato, que tem amplas chances de ser eleito, é a única via diferenciada no pleito deste ano e a melhor opção de voto da população para fugir do lugar comum que se tornou o revezamento de poder no município sertanejo que entrava ano e saia ano e ficava nas mãos de grupos políticos conhecidos por saquear os cofres públicos, desviar recursos da Prefeitura, contratar sem licitações, superfaturar obras e manter o gabides de empregos.
“Quem espalhar por ai que Marquinhos Campos tem preço, que fiz qualquer tipo de negociata, falta com a verdade, mostra desespero, não tem argumentos para debater no campo das idéias e projetos pela cidade e sai espalhando boatos. Meu compromisso é com Cajazeiras, com trabalho em prol desta cidade, do povo mais humilde, dos feirantes, comerciantes, das pessoas que querem ver essa cidade próspera, sem falcatruas, usando o dinheiro público para o bem da população”, reiterou Marquinhos Campos em discurso para correligionários e simpatizantes de sua candidatura nesta terça-feira (03).
Segundo o candidato, o que lhe move é o apoio popular, ser o porta voz do povo, ser um instrumento de mudança para o município. “A determinação de todos vocês é que me dá coragem e força para prosseguir nessa luta por uma Cajazeiras melhor, mais igualitária, mais desenvolvida, com uma escola de qualidade, um atendimento de saúde eficiente. Esse coração pulsa por todos vocês, Cajazeirenses, essa luta não é minha, não é de minha família, não é de meus amigos somente, é de todas as pessoas que querem ver outra Cajazeiras e da população que não agüenta mais tantos desgovernos. Nossos adversários não vão conseguir nos deter. Nossa campanha é feita por um time de guerreiros e guerreiras que acreditam na mudança e na transformação de Cajazeiras”, reiterou o candidato.