Jeová Campos

Deputado Jeová Campos lamenta morte de João Henrique e destaca postura de convicção e coerência do parlamentar

Posted on

A Assembléia Legislativa da Paraíba, lamentavelmente, teve mais uma baixa com a morte do deputado João Henrique, vítima de Covid, falecido nesta terça-feira (12). “Esse vírus é ingrato, covarde e desconhecido. João tinha um jeito próprio de ser, pensávamos diferente politicamente, mas ele tinha uma coisa que todo homem e mulher decente que passou pela ALPB deveria ter que era a palavra. Com ele era Sim ou Não. E em nome dessa convicção, dessa forma sincera e decente de ser, fica aqui o registro de minha admiração por ele”, disse hoje o deputado estadual Jeová Campos, ao lamentar a morte de seu colega de parlamento.

“Me solidarizo com a família de João, reforçando que sempre lembrarei dele pela sua postura e correção. Quando uma pessoa tem uma postura coerente com suas convicções e diz aqui dá certo ou aqui não dá, não tem duas palavras, deixa um legado de coragem, de ser decente, de não abrir mão de suas posições e assim sempre foi João e é assim que lembrarei dele”, reforçou o parlamentar cajazeirense.

Morte de adolescente por doença rara reitera importância da implantação do teste do pezinho ampliado na rede de saúde da PB

Posted on

Conhecida como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, a Fibrose Cística é uma doença genética, que pode ser diagnosticada pelo Teste do Pezinho. Ela atinge 1 a cada 10 mil nascidos vivos no Brasil e poderia ter sido diagnosticada precocemente no adolescente Pedro Lucas Lins Leite, de 14 anos, que faleceu nesta quinta-feira (17), no Hospital Universitário, em João Pessoa, por complicações da doença associada ao Covid-19, caso a Paraíba já tivesse, à época em que ele nasceu, o Teste do Pezinho Ampliado à disposição na rede pública de saúde. Coincidentemente, o adolescente é parente do deputado estadual Jeová Campos, autor da Lei 11.566/19 que disponibiliza o teste ampliado nas unidades da rede de saúde paraibana, em vigor há mais de um ano. O teste está em vias de ser implantado no Estado faltando, para isso, a conclusão da licitação das compras dos kits e insumos para realização dos exames.

“Por ironia do destino, acabo de perder um parente por complicações de uma doença que se tivesse sido diagnosticada precocemente poderia ter sido tratada a tempo de não comprometer a qualidade, nem o tempo de vida de meu primo”, lamentou o parlamentar que destinou este ano, exclusivamente, sua emenda impositiva no valor de R$ 1,2 milhão para ajudar na implantação do teste ampliado na Paraíba. “Fiz essa destinação porque acho importante que esse teste seja disponibilizado o mais rápido possível, dada a importância dele no futuro e na qualidade de vida das próximas gerações de paraibanos. Essa política preventiva para diagnosticar precocemente as doenças raras é fundamental para dar garantia de melhor qualidade de vida”, reitera Jeová, que se solidarizou com o luto da mãe, Maria Lúcia, e do pai do adolescente, Pedro Herculano.

Em entrevista publicada no site do Ministério da Educação (https://www.gov.br/ebserh/pt-br/comunicacao/noticias/fibrose-cistica-atinge-1-a-cada-10-mil-nascidos-vivos-no-brasil), a médica pneumologista pediatra, professora doutora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFG e supervisora do Programa de Residência em Pneumologia Pediátrica do HC-UFG/Ebserh, Lusmaia Damasceno Camargo Costa, explica que a Fibrose Cística é uma doença genética, rara e ainda sem cura. “Também chamada de Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose devido ao fato de que o muco é viscoso, ou seja, as secreções do organismo são mais espessas do que o normal, dificultando a sua eliminação. Trata-se de uma doença de origem genética, transmitida de pais portadores para seus filhos. Não é uma doença contagiosa. Apesar de rara, no Brasil, a Fibrose Cística é uma das doenças raras mais comuns, atingindo 1 a cada 10 mil nascidos vivos no país. Com o desenvolvimento científico e a melhoria da assistência aos pacientes, a sobrevida vem aumentando a cada ano. Dados de registros internacionais apontam uma sobrevida média atual de cerca de 40 anos.

Ainda segunda a médica, a doença pode ser identificada a partir da suspeita clínica, pelos sinais de alarme, ou pelo Teste do Pezinho, ou ainda por ter um parente que tem a doença. “A partir da suspeita, é solicitado o Teste do Suor, que realiza o diagnóstico da doença, além do teste genético, que confirma e especifica qual o tipo de defeito genético (mutação) que a pessoa apresenta. Ressalto que o Teste do Pezinho ou Teste de Triagem Neonatal é fundamental e quanto mais cedo se detectar a doença e iniciar o tratamento, melhor será a qualidade de vida do paciente”, atesta a profissional de saúde.

Comissão de Desenvolvimento da ALPB se posiciona contra privatização da gestão das águas da Transposição

Posted on

Durante reunião remota na última segunda-feira (14), a Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da Assembléia Legislativa deliberou que a Casa se colocará contra a privatização da gestão das águas do projeto de Transposição do Rio São Francisco como está propondo o governo Jair Bolsonaro. Aproveitando a decisão da Comissão, o deputado Jeová Campos propôs que a deliberação seja comunicada a bancada federal paraibana e as demais autoridades ligadas à questão de recursos hídricos do país, além da presidência da Câmara, do Senado e ao presidente Jair Bolsonaro.

“As águas da Transposição chegam para resolver um problema secular do setor setentrional do Nordeste e não tem sentido, a esse altura, depois de investimentos vultosos iniciados no governo Lula e depois no governo Dilma, já próximo da conclusão das obras, com o canal Caiçara-Engenheiro Ávidos, que a gente entregue à iniciativa privada a gestão das águas”, reforçou o parlamentar paraibano. Para Jeová, a água não pode ser tratada como uma mercadoria.

“Não podemos entregar a gestão das águas ao setor privado da economia, isso tem que ser gerido por uma política de Estado. A água não pode ser encarada como mercadoria, ela é um bem essencial, e um agricultor familiar não poderá fazer o seu roçado se tiver que pagar um valor alto pelo produto. Essa água terá que ser subsidiada e onde uma empresa privada irá subsidiar?”, questionou Jeová.

 “Vamos nos posicionar formalmente contra essa privatização, pois precisamos ter um olhar voltado para a melhoria da qualidade de vida dos nordestinos. Esse sempre foi o foco da Transposição e não pode ser desvirtuado”, finalizou Jeová.

 Deputado Jeová Campos é contra privatização da gestão das águas do projeto de transposição do São Francisco

ALPB aprova Projeto de Resolução que concede Medalha ao Padre Djacy Pereira Brasileiro

Posted on

Os deputados paraibanos aprovaram, por unanimidade, na sessão remota desta quarta-feira (16), o Projeto de Resolução 211/2020, de autoria de Jeová Campos, que concede a Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim –Padre Rolim – ao Padre Djacy Pereira Brasileiro. A justificativa da proposta é que o Padre tem relevantes serviços prestados ao Estado da Paraíba, especialmente, na defesa dos mais humildes e na luta pela conclusão das obras do projeto de Transposição do Rio São Francisco. Foi dele a iniciativa de construir uma cruz de latas e depois acampar em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, visando chamando a atenção das autoridades constituídas, especialmente, do governo federal, para a extrema necessidade da execução do projeto de transposição para o povo nordestino.

A Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim –Padre Rolim, explica o parlamentar que também foi o autor do Projeto que criou essa honraria, é outorgada às personalidades que se destacarem nas áreas educacional e religiosa no Estado da Paraíba. “Pelos relevantes serviços prestados à Paraíba em face da sua atuação com princípios na área religiosa, abraçando diversas causas sociais, tendo em vista a dignidade da pessoa humana, pela luta que travou em favor do povo paraibano, especialmente os mais humildes, com destaque pela sua luta em prol da transposição de águas do Rio São Francisco, Padre Djacy é merecedor desta honraria”, argumentou Jeová, lembrando que o religioso foi membro efetivo do comitê pró-transposição.

Na justifica do PR, Jeová destaca que “no ano de 2007, com uma “cruz de latas” (que se tornou símbolo da luta por água), de aproximadamente dez metros de altura, Padre Djacy acampou em frente ao Palácio do Planalto e também percorreu diversas cidades da Paraíba, na sua luta pela água. No sertão, a sua maior preocupação foi com as vítimas da seca, seca esta que tanto castigou os sertanejos nos últimos oito anos”, destaca o texto.

“Por essas e outras contribuições, por justiça e mérito, como fruto de reconhecimento pelo incansável trabalho e, especialmente, pelas ousadas e vitoriosas lutas em favor da transposição de águas do Rio São Francisco, amparado em seu lema religioso: na fé, no amor e na luta, não temos dúvidas de que o homenageado, Padre Djacy Pereira Brasileiro, é possuidor de um vasto currículo e se habilita ao recebimento da Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim –Padre Rolim,outorgada pela Assembléia Legislativa do Estado da Paraíba”, reitera o deputado autor da propositura. O Padre Djacy Pereira Brasileiro, atualmente, mora em João Pessoa, no Bairro dos Bancários, onde atua como vigário numa igreja no mesmo bairro.

 Padre Djacy quando levou sua cruz de latas para Brasília será homenageado pela ALPB

Jeová propõe Moção de Pesar pelo falecimento de Francisco Matias Rolim ocorrido nesta quarta-feira em Cajazeiras

Posted on

“O homem que levou a universidade para Cajazeiras, que fez obras de esgotamento sanitário no município em 1976 e tantas outras ações importantes não será esquecido pelos seus conterrâneos. Chico Rolim será lembrado como um grande líder político do povo cajazeirense”, disse hoje (16), durante sessão remota da Assembléia Legislativa, o deputado Jeová Campos, ao lamentar a morte do ex-prefeito de Cajazeiras Francisco Matias Rolim, mais conhecido como Chico Rolim, que faleceu nesta quarta-feira, aos 98 anos, de causas naturais. O parlamentar propôs uma Moção de Pesar e se solidarizou com a família de Chico Rolim.

 

Outros deputados da região, a exemplo de Dra. Paula e Júnior Araújo, se acostaram a manifestação e iniciativa de Jeová e pediram para subscrever a Moção de Pesar, assim como também enalteceram a importância do ex-prefeito e político para Cajazeiras. Chico Rolim foi prefeito de Cajazeiras por mais de um mandato, no total ocupou o cargo por 11 anos. Ele também foi candidato a deputado federal, ficando na suplência, mas chegou a assumir o cargo por um período.

Jeová prôpos Moção de Pesar pelo falecimento de ex-prefeito de Cajazeiras

Lei do Teste do Pezinho ampliado na PB completa um ano e Jeová destina todo valor de sua Emenda Impositiva para ajudar na sua implantação

Posted on

Cuidar do bem-estar dos paraibanos desde o nascimento e garantir-lhes uma melhor qualidade de vida. Essa é a proposta de Lei 11.566/19, de autoria do deputado Jeová Campos, e que institui o Teste do Pezinho Ampliado em toda rede pública de saúde no Estado. Nesta quarta-feira (10), a Lei completa um ano que está em vigor e, em breve, essa política pública de saúde preventiva estará à disposição dos bebês nascidos na rede pública, na forma de teste de triagem neonatal em sua modalidade ampliada. Para ajudar na implantação da Lei, o deputado destinou, exclusivamente, a sua Emenda Impositiva ao Orçamento do Governo, no valor de quase R$ 1,2 milhão, para a operacionalização do Teste Ampliado. “Essa é uma conquista da sociedade paraibana, do Governo do Estado e da ALPB, porque ela foi construída dentro da Assembléia, e ela é importantíssima, por isso meu empenho para ajudar a tornar realidade esse teste em nosso Estado”, disse Jeová.

O parlamentar autor da proposta lembra que o Teste Ampliado assegura o diagnóstico precoce de várias doenças que, atualmente, não são identificadas com o teste do pezinho usual, o que dificulta o tratamento e, em alguns casos, compromete a qualidade de vida das pessoas para o resto da vida. “A fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, o hipotireoidismo congênito, a hiperplasia adrenal, a galactosemia, a deficiência de biotinidase, a toxoplasmose congênita, a deficiência de G6PD, a fibrose cística, a anemia falciforme e outras hemoglobinopatias e leucinose só são identificadas com esse teste ampliado. Os filhos de quem têm poder aquisitivo fazem o teste, mas, os pobres não conseguem arcar com esse custo. Nossa proposta dá as mesmas oportunidades que tem os filhos de ricos de identificar precocemente alguma doença a tempo de tratá-la”, reitera Jeová.

Segundo o deputado, que na semana passada, esteve reunido com o secretário Estadual de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros e outros representantes do Lacen, o processo licitatório para aquisição dos kits e insumos para realização dos testes ampliados na rede pública está em fase adiantada e, em breve, o exame estará disponível. “Espero que esse processo seja concluído ainda esse ano para iniciarmos 2021 dando mais segurança aos futuros paraibanos”, destaca Jeová, lembrado que Paraíba será pioneira no Nordeste a implantar tal exame, seguindo outros estados que já estão realizando os testes, a exemplo de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul. “A Paraíba será o sexto estado do Brasil a implantar em sua rede pública o teste do pezinho ampliado e eu estou muito feliz por ter sido o autor desta Lei”, finalizou o parlamentar que é um dos deputados mais atuantes da Paraíba na atual legislatura.

Jeová Campos reúne equipe do gabinete para avaliar os dois primeiros anos do atual mandato e programar segundo biênio

Posted on

No terceiro mandato de deputado estadual, Jeová Campos (PSB) se destaca como um dos parlamentares mais atuante da Casa de Epitácio Pessoa e deixa, juntando as três legislaturas, incluindo a que está em andamento, contribuições importantes ao povo paraibano, a exemplo da Lei que institui o teste ampliado do pezinho em recém-nascidos na Paraíba, de sua autoria. Também foi de Jeová a iniciativa de oportunizar aos pacientes internados com Covid em hospitais públicos do Estado as videochamadas para atenuar o sofrimento que a doença causa por conta do isolamento aos pacientes e seus familiares. A Lei foi publicada no Diário Oficial de hoje (04). E também foi o parlamentar quem primeiro identificou que não existia no projeto inicial da Transposição o Canal Caiçara-Engenheiro Ávidos, sem o qual as águas da Transposição não chegariam a Cajazeiras.

“Temos contribuições importantes na área de recursos hídricos, saúde, educação, agricultura familiar e em outras áreas também, além de uma produção muito boa de projetos e propostas, muitas das quais viraram leis importantes e acho importante que as pessoas conheçam essa produção até para usufruírem delas. Penso que dei nos meus dois mandatos anteriores e neste atual, que estamos na metade dele, uma importante contribuição ao parlamento paraibano e ainda faremos muita coisa até 2022”, destacou o deputado.

A lamentar somente o desgaste físico, emocional e também da limitação de sua voz que o impede, atualmente, de fazer grandes e eloqüentes discursos. “Todos sabem que tive um câncer na garganta, que graças a Deus foi curado, mas me deixou seqüelas que limitam meu timbre de voz e minha capacidade de expressão através de discursos, mas, sigo teimando e superando meus limites porque a missão que o povo paraibano me confiou eu vou honrar até o último dia desta legislatura”, reforçou ele.

Participaram da reunião o assessor jurídico do gabinete, Hugo Moreira, a chefe de gabinete, Luciana Mendes, o assessor Carlos Mello, o ativista cultural Buda Lyra, a advogada Tais Campos e a jornalista Eliane Sobral, assessora de imprensa do parlamentar, que ficaram com a missão de produzir um documentário institucional sobre o mandato, um informativo de balanço dos dois primeiros anos de atuação do parlamentar no atual mandato e ainda avaliar a possibilidade de lançar esses materiais em um encontro com a Imprensa paraibana.

ALPB derruba veto do governador e visita hospitalar virtual a pacientes com Covid na PB será realidade

Posted on

Com 25 votos favoráveis e apenas uma abstenção do deputado Ricardo Barbosa, a Assembléia Legislativa da Paraíba aprovou, durante sessão remota nesta manhã de quarta-feira (02), a derrubada do Veto do governador João Azevêdo ao Projeto de Lei 1.853/2020, que institui a visitação hospitalar virtual, através de videochamadas de familiares, para pacientes internados em hospitais públicos do Estado vítimas do novo coronavírus. O deputado estadual Jeová Campos, autor da propositura, comemorou a decisão dos colegas e reiterou que sua iniciativa teve como foco humanizar, ainda mais, o tratamento dos pacientes de Covid na Paraíba. “Essa iniciativa humaniza o tratamento de saúde do paciente porque reduz a tristeza e isolamento dele e também dos familiares que ficam afastados de um ente querido, de um amigo, sem ter como ficar perto, na medida em que permite ver e falar com a pessoa e interagir com ela, mesmo que virtualmente”, disse o deputado.

Em seus argumentos, Jeová lembrou ainda que não havia sentido para o veto, já que a proposta não gera nenhum ônus para o Governo e promove a isonomia de atendimento entre os pacientes. “Quem está internado em UTI comum tem direito a duas visitas por dia e por que não permitir que, uma vez ao dia, como propomos, o paciente de Covid possa ter uma interação com os seus familiares, mesmo que virtualmente?”, indagou Jeová. O deputado lembrou de casos tristes, recentemente, acontecidos que envolveu pacientes de Covid. “A senhora Maria Feitosa ficou 30 dias internada sem ter contato nenhum com a família. Foi a óbito por causa do Covid e a família não pôde se despedir dela. Esse é apenas um dos casos, mas tivemos outros, como de meu primo Raimundo Campos e do Sr. José Braga. Se nosso PL estivesse em vigor, a família dessas e de tantas outras pessoas teriam tido a oportunidade de acompanhá-los em seus últimos dias”, reiterou o parlamentar.

Para o deputado Jeová Campos, com a manutenção da proposta, a Paraíba vai assegurar esse direito aos pacientes, que devido à contaminação pelo novo coronavírus têm que se manter isolados, sem nenhum contanto com seus familiares, o que aumenta a angustia de quem está internado e de quem está em casa, sem poder acompanhar o ente querido. “Isso já está acontecendo em outros estados do país e fico muito feliz de inserir a Paraíba nesta nova realidade que é, antes de tudo, uma questão de humanidade, de sensibilidade e empatia, ainda mais num momento em que a gente percebe que os casos da doença estão aumentando”, destacou o parlamentar.

Outros deputados, antes da votação da matéria, se pronunciaram a favor da derrubada do veto, a exemplo da Dra. Paula que parabenizou Jeová pela iniciativa. “Essa videoconferência proporciona conforto espiritual e melhora considerável no quadro do paciente, inclusive, aumentando as defesas do organismo. Quero parabenizar o deputado Jeová pela iniciativa que tem todo o meu apoio”, disse a parlamentar que também é médica. A deputada Estela Bezerra também reiterou apoio ao projeto. “Essa iniciativa é muito importante e contribui para humanizar a assistência aos pacientes do Covid”, disse ela.

De acordo com a proposta, não há custo para o serviço, já que a chamada tem que ser feita do próprio celular do paciente ou de familiares. Segundo o PL, os horários para a visita hospitalar virtual devem ser definidos por cada unidade hospitalar, obedecendo aos protocolos de proteção aos profissionais de saúde, acontecer três vezes por semana e durar, no máximo, dez minutos. Para efeito das ligações, deverão ser utilizados aparelhos dos pacientes ou de seus familiares, objetivando garantir a comunicação entre os mesmos. “Cada unidade estabelecerá seu rito e fará a avaliação de quais pacientes estarão em condições de participar das videochamadas”, diz o parlamentar.

Deputado Jeová propõe inclusão de conteúdos referente à literatura paraibana na grade curricular do Ensino Médio de escolas no Estado

Posted on

A literatura paraibana é rica, diversificada e imensa e deixou seu legado para além das fronteiras do estado. Nomes como Augusto dos Anjos, Pedro Américo, Ariano Suassuna e José Lins do Rego, são referenciais de belas obras, conhecidos em todas as partes do Brasil, mas, infelizmente, muitos estudantes não os conhecem ou pouco sabem de suas obras. Para dar maior visibilidade à literatura paraibana aos alunos dos estabelecimentos de ensino do Estado, proporcionando maior conhecimento da rica trajetória literária local, o deputado estadual Jeová Campos está propondo a inclusão de conteúdos referentes à literatura paraibana na grade curricular do Ensino Médio das escolas públicas e privadas da Paraíba. O Projeto de Lei Ordinária – PLO 2246/2020 ainda será apreciado em plenário.

“Essa foi uma forma que entendo ser salutar para enaltecer os valores literários paraibanos, sem prejuízo dos conteúdos relacionados aos grandes nomes da literatura nacional. Além dos já citados autores temos nomes como Bráulio Tavares, Elizabeth Marinheiro, Ivan Bichara, Marília Arnaud, entre tantos outros ilustres escritores que muitas vezes são reconhecidos lá fora, mas não têm o devido reconhecimento em sua própria terra natal, muitas vezes até por falta de incentivo e oportunidade”, afirma o parlamentar, que acredita ser essa forma um bom estímulo para se mudar essa realidade.

CCJ derruba veto do governador a PL de Jeová que propõe visita hospitalar virtual a pacientes com Covid na Paraíba

Posted on

A Assembléia Legislativa da Paraíba aprovou, durante sessão remota no último dia 09 de setembro, o Projeto de Lei 1.853/2020, que institui a visitação hospitalar virtual, através de videochamadas de familiares, para pacientes internados em hospitais públicos do Estado vítimas do novo coronavírus. A propositura do deputado Jeová Campos, no entanto, foi vetada pelo governador João Azevêdo sob alegação de que a nova legislação previa “obrigações que não fazem parte da natureza do serviço público de saúde”. Nesta terça-feira (01), durante reunião extraordinária, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação da ALPB (CCJ) derrubou o veto do executivo e agora a matéria volta a ser apreciada em plenário, provavelmente, na sessão remota, desta quarta-feira (02).

Para o deputado Jeová Campos, autor do Projeto de Lei, é preciso assegurar esse direito aos pacientes, que devido à contaminação pelo novo coronavírus têm que se manter isolados, sem nenhum contanto com seus familiares, o que aumenta a angustia de quem está internado e de quem está em casa, sem poder acompanhar o ente querido. “Não há custo para o serviço, já que a chamada tem que ser feita do próprio celular do paciente ou de familiares, portanto, não entendo o veto. É uma iniciativa até de amor ao próximo, que cria um canal de comunicação que tanto tranqüiliza o paciente, que fica isolado, como seus familiares, que não podem acompanhar fisicamente seus parentes já que essa doença não permite que ninguém fique próximo por causa do contágio”, argumenta o parlamentar.

Segundo o PL, os horários para a visita hospitalar virtual devem ser definidos por cada unidade hospitalar, obedecendo aos protocolos de proteção aos profissionais de saúde, acontecer três vezes por semana e durar, no máximo, dez minutos. Para efeito das ligações, deverão ser utilizados aparelhos dos pacientes ou de seus familiares, objetivando garantir a comunicação entre os mesmos. “Cada unidade estabeleceria seu rito e faria a avaliação de quais pacientes estariam em condições de participar das videochamadas”, reitera o parlamentar, lembrando que esse procedimento não é inédito já foi adotado, com sucesso, em unidades de saúde de outras localidades do país e traz um alívio para todos que estão envolvidos com o doente.