Hospital do bem

Hospital Regional de Patos contabiliza 92 altas de paciente do setor Covid em junho e 22 somente nos últimos cinco dias

Posted on

Em um intervalo de apenas cinco dias, o setor de isolamento Covid do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) contabilizou alta de 22 pacientes, sendo que dez deles voltaram para casa na terça-feira (22) e outros dez pacientes tiveram alta nesta sexta-feira (26). Entre o dia 1º de junho até hoje foram 92 altas. Desde que o hospital se tornou referência para pacientes com coronavírus, em março do ano passado, já são 1351 altas no setor de isolamento Covid.

“Esses resultados nos motivam a continuar essa batalha cotidiana na busca da recuperação de nossos pacientes, nos impulsiona e nos encoraja, pois eles são o estímulo que a gente precisa para continuar acreditando que é possível vencer esse vírus, superar essa doença terrível e crer que essa pandemia vai acabar. Por cada vida salva, por cada profissional que se doa, pela fé que nos move e, sobretudo, pelo compromisso que temos com nossos pacientes, cada alta significa uma vitória que não é somente da pessoa que retorna para casa e para o convívio de seus familiares, é de todos nós que nos empenhamos, ao máximo, para que vidas sejam salvas”, afirma o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes.

A paciente Márcia Lígia de Sousa Costa, da cidade de Catolé do Rocha, foi uma das que teve alta nesta sexta-feira (25). “Estou recebendo alta hoje e só tenho a agradecer a assistência que tive aqui. Primeiramente quero agradecer a Deus por ter enviado essa equipe abençoada, que é competente, atenciosa, trabalha com amor e nos passa segurança. Eu cheguei aqui mal e muito nervosa, mas, encontrei nesse hospital muita força, motivação e um tratamento muito bom. Só tenho a agradecer e peço a Deus que ilumine essa equipe para continuar esse trabalho”, disse Márcia.

A Sra. Maria do Carmo Félix da Silva, da cidade de Mãe D’água, também foi para casa nesta sexta-feira. “Quero agradecer a Deus, que me curou, mas, também reconhecer a competência, dedicação dos profissionais do hospital que fazem tudo o que é possível para nossa recuperação. Estou grata a Deus por ter vencido essa doença e também por colocar tantas pessoas maravilhosas em meu caminho. Peço que Jesus continue iluminando essa equipe para que ela possa continuar cuidando com muito amor, carinho e respeito de todos os pacientes que precisarem vir para cá”, afirmou Maria do Carmo.

Oncologista do Hospital do Bem lembra importância da prevenção no Dia Mundial de Combate ao Câncer

Posted on

Em 2020, cerca de 19 milhões de novos casos de câncer foram registrados no mundo, sendo 1,5 milhão no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No ano passado, 260 mil brasileiros não resistiram doença e na Paraíba, outras 8,4 mil pessoas faleceram em decorrência de complicações pelo câncer. Considerado um dos maiores problemas de saúde, o câncer se destaca entre as principais enfermidades letais em pessoas que vão a óbito antes dos 70 anos de idade. Mas, há um cuidado básico que pode até evitar a doença e salvar muitas vidas: a prevenção. “A prevenção reside em poder evitar o surgimento do câncer e o desenvolvimento de uma doença tão grave quanto essa. Algumas ações, tipo abandonar o tabagismo, limitar o uso de bebidas alcoólicas e realizar exames que auxiliam na detecção precoce de tumores são algumas destas condutas que fazem a diferença na vida de qualquer indivíduo”, destaca a médica oncologista do Hospital do Bem de Patos, Dra. Nayarah Xavier.

O alerta da médica, responsável pelo ambulatório do Hospital do Bem, que integra a rede estadual de saúde e atende casos de câncer no sertão paraibano, é bem oportuno, principalmente, na data em que se comemora Dia Mundial de Combate ao Câncer. “O exame de Papanicolou para prevenção de câncer de colo uterino e a mamografia para evitar diagnósticos tardios de câncer de mama, sobretudo nas mulheres a partir dos 40 anos de idade, e do exame de próstata, nos homens, a partir dos 50 anos, são exemplos de cuidados preventivos que fazem a diferença no tratamento, sobrevida, qualidade de vida e até mesmo na própria sobrevivência dos indivíduos, porque disso também depende o sucesso terapêutico e, por conseqüência, a própria cura definitiva da doença”, reitera a oncologista.

Sobre o Hospital do Bem

A unidade tem 25 leitos e uma sala de quimioterapia com capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. O Hospital, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), atende em média 300 pacientes de oncologia clínica/mês, com casos de câncer de próstata, mama, colo de útero e pele, ofertando serviços ambulatoriais, quimioterapia e cirurgia, além de diversos exames que são feitos no Centro de Diagnóstico, que funciona nas instalações do Complexo Hospitalar de Patos. Em março último, foram realizadas 247 sessões de quimioterapia. Durante a pandemia, o Hospital do Bem manteve suas atividades, adotando critérios mais rígidos de controle em função dos pacientes oncológicos terem sua imunidade mais baixa.

“Restringimos a entrada de pessoas no setor de quimioterapia apenas para pacientes e funcionários do setor, não permitindo provisoriamente a entrada de acompanhantes, e seguimos todos os protocolos adotados pelas autoridades sanitárias e, por isso, não precisamos suspender nossas atividades, até porque sabemos que quem tem câncer, também tem pressa e não pode ter seu tratamento descontinuado”, afirma o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes. A unidade que todos os anos fazia ações comemorativas em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, este ano, em função da pandemia, não realizou as atividades. “O momento pede mais reflexão que ação e nos impede de fazer algo que aglomere pessoas”, finaliza o diretor justificando a ausência de ação comemorativa no dia de hoje.

Hospital do Bem marca Dia Internacional da Mulher com doação de perucas para pacientes

Posted on

O Dia Internacional da Mulher foi comemorado de forma muito especial no Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos. No início da manhã foram doadas perucas para as pacientes em tratamento oncológico na unidade e também recebido doações de cabelos que serão utilizados na confecção de novas perucas. A ação contou com a participação do diretor geral do CHRDJC, Francisco Guedes, da gerente da 6ª Regional de Saúde, Liliane Sena, da oncologista, Dra. Nayarah Xavier e do coordenador administrativo do Hospital do Bem, Thiago Viana. As perucas são uma doação da empresa Perucas Santa Catarina que firmou, recentemente, um convênio com o hospital para fornecer o adereço.
A fotografa Jaqueline de Medeiros fez a doação de cabelos durante a ação e destacou que estava feliz por estar contribuindo com o bem estar de outras mulheres. “Estou me sentindo muito importante, porque quando a gente faz outras pessoas felizes a gente se sente mais feliz e, principalmente, no tempo que estamos vivendo onde há muitas lágrimas e pouca alegria e minha iniciativa tem o objetivo de trazer felicidade a essas mulheres que fazem tratamento oncológico e que perdem seus cabelos e um pouco da auto estima com isso”, disse Jaqueline que, na ocasião recebeu um certificado de Boa Ação’ da unidade, um documento que será entregue a todas as doadoras daqui em diante.
A paciente Gislane Medeiros, 54 anos, que se tratou de um câncer de mama no Hospital do Bem, entre 14 de julho e 03 de novembro do ano passado, com quimioterapia, e que também fez uma cirurgia no dia 02 de dezembro na unidade, foi uma das que foi beneficiada com a doação de perucas. “Essa é minha segunda peruca. No decorrer do ciclo, também recebi uma peruca que com o tempo de uso se desgastou muito e estou muito feliz de poder ser contemplada com uma nova peruca, pois sou vaidosa e com certeza esse adereço me deixará mais bonita e feliz. Estou radiante e muito agradecida”, disse ela, que já saiu exibindo seus novos cabelos.
A oncologista Nayarah Xavier falou da importância da mulher manter sua auto estima durante o tratamento e sobre a importância das mulheres terem empatia com outras mulheres, especialmente, na questão da doação dos cabelos. “A perda de cabelos faz parte de um processo porque, infelizmente, ainda não temos uma medicação que não tenha esse efeito colateral, mas a auto estima também pode ser trabalhada por cada uma, tanto que fico muito feliz quando vejo pacientes que assumem a perda de cabelos momentânea e se acham bonitas também deste jeito, porque quando isso acontece, é porque elas conseguem enxergar a vida muito além da aparência e isso é fantástico”, disse a médica, reiterando que é salutar a empatia das mulheres na questão da doação dos cabelos, porque esse gesto faz a diferença na vida das pacientes em tratamento ou que já concluíram seus ciclos, mas ainda não recuperaram seus cabelos. Ela ainda parabenizou todas as mulheres, especialmente, as que integram a equipe do Complexo.
O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, prestigiou a ação e destacou que o Dia Internacional da Mulher é um marco para homenagear as mulheres de forma especial. “Todos os dias é dia da mulher, mas, esse 08 de Março é importante para reverenciar de forma única todas as mulheres. E quero ressaltar aqui que, neste aspecto, o Complexo é muito contemplado, pois tem em seus quadros muitas mulheres e todas elas muito competentes e responsáveis”, disse Francisco que para homenagear de forma especial suas colegas de trabalho vestiu uma camisa rosa para simbolizar sua admiração pelas mulheres.
A gerente da 6ª Regional de Saúde, Liliane Sena, lembrou das lutas e avanços da mulher ao longo dos tempos, enaltecendo que essa luta continua por direitos e equiparação com os homens na sociedade atual. “Antigamente as mulheres não podiam votar, não podiam dirigir, não podiam trabalhar fora e nem usar calças cumpridas. Todas essas e muitas outras conquistas foram resultado de lutas coletivas de muitas mulheres que nos antecederam, mas há ainda outros avanços, tais como a equiparação salarial no mercado de trabalho, a tripla jornada, o preconceito que ainda há com mulheres que conquistaram seus espaços, enfim, ser mulher não é fácil, mas é extremamente prazeroso e enriquecedor”, reiterou Liliane.
A Assistente Social, Suenia Mota, que ficará responsável pela doação das perucas e arrecadação dos cabelos, explica que os adereços serão distribuídos, exclusivamente, para pacientes tratadas no Hospital do Bem, mediante cadastro. “As perucas serão distribuídas de forma de doação, a partir de um cadastro que deverá ser feito no setor do Serviço Social da unidade, sendo que para receber a doação a paciente precisa ter realizado ou está realizando o tratamento aqui”, explica ela, complementando que as perucas doadas não precisam ser devolvidas ao serviço. O Hospital recebeu 20 unidades para doação na formalização do convênio com a empresa Perucas Santa Catarina. “Salvo desejo da beneficiada após o tratamento de beneficiar outras pacientes”, disse ela. No ATP do cadastro, a paciente também pode expressar o desejo de querer uma peruca com seu próprio cabelo (antes do tratamento) ou mesmo diferenciada com Pink ou outra cor.
Suenia lembra que a parte de doação de cabelo também é importante. “No convênio que firmamos com a empresa temos que doar o cabelo para receber o adereço, essa será nossa contrapartida”, destaca ela. Os cabelos doados também podem ser entregues no Serviço Social, de segunda a sexta. As doadoras recebem um certificado simbólico expressando a gratidão da unidade pelo gesto de carinho. “Teremos inda esse ano, o dia D de doação de cabelo, que é uma forma de incentivar mais pessoas a praticar esse ato de amor. Vamos realizá-lo nos próximos três meses, com data ainda a ser definida”, afirma Suenia.
Para doar é preciso seguir algumas recomendações:
– Os cabelos precisam estar higienizados e secos
– Ter comprimento mínimo de 30cm
– Precisam estar cortados em gomos e amarrados em elásticos
– Podem ser doados cabelos com químicas, desde não estejam danificados
-Todos os cabelos e cores são aproveitados

Complexo Hospitalar de Patos retoma realização de biópsias de mama

Posted on

Os serviços de realização de biópsia de mama, que é um exame de diagnóstico que ajuda o médico a confirmar, ou não, a presença de câncer na mama, voltaram a ser realizados, a partir desta quinta-feira (04), pelo Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, para as pacientes atendidas pelo Hospital do Bem. O médico responsável pelos atendimentos é o mastologista Thiago Pereira Alencar que já atuava na equipe da unidade como clínico e cirurgião e depois de concluir um curso de especialização assume também o serviço de biópsia. No primeiro dia de retomada do serviço já foram atendidas 16 pacientes e realizadas 13 biópsias. Os tipos de biopsias feitos no Hospital do Bem são a Core biopsy (punção por agulha grossa) e a PAAF (punção aspirativa por agulha fina), ambas guiadas por ultrassom.

O médico explica que é muito importante esse serviço, pois em se tratando de câncer, na maioria deles, principalmente, de mama o início da condução do tratamento é sempre por uma biopsia. “Quanto mais cedo essa biopsia é realizada, mais cedo se tem o diagnóstico e conseguimos tratar da paciente com mais eficiência, com maiores taxas de cura, menos tratamento mutiladores, porque se o diagnóstico é feito precocemente, a paciente muitas vezes não precisa fazer mastectomia e às vezes é até dispensado a quimioterapia e radioterapia”, afirma o médico.

Dr. Thiago lembra que com a retomada dos serviços de biopsia, os atendimentos no Hospital do Bem ficam ainda mais integrados. “Neste caso, o setor de biopsia fica integrado ao setor de cirurgia, no caso da mastologia, e a gente já tem integração com outros setores, como a oncologia clínica e outras especialidades, e esse serviço de biopsia só vem a somar e propiciar um melhor acompanhamento dos pacientes com câncer do Hospital do Bem”, afirma o médico, lembrando que para atuar na realização de biopsias, ele fez um curso de especialização em Recife, na escola Cetrus, que incluiu também uma capacitação em imagem de ultrassom, a fim de possibilitá-lo guiar as biopsias realizadas em Patos com o aparelho de imagens.

Para ter acesso ao serviço, a paciente precisa ser regulada via Secretaria Municipal de Saúde de sua cidade de origem que faz o agendamento do procedimento no Complexo de Patos. Serão ofertados, inicialmente, 30 biópsias/mês e os atendimentos acontecerão duas vezes por mês, a cada 15 dias. “Estamos muito felizes de retomar a realização de biópsias, que estava temporariamente suspensa, e com um profissional que já faz parte de nossa equipe, possibilitando além de ofertar mais esse serviço as nossas pacientes, integrar ainda mais as etapas de tratamento em nossa unidade”, destaca o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, lembrando que os serviços tinham sido suspensos em função de não haver profissional especializado disponível para atuar na unidade. “O profissional que atuava antes, era de fora e entregou a escala”, disse Francisco, enaltecendo sua satisfação de Dr. Thiago assumir essa função a partir de agora.

Hospital do Bem firma parceria com empresa que produz perucas e beneficia pacientes

Posted on

Uma parceria firmada nesta quarta-feira (24), entre a direção do Complexo Hospitalar Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, que administra o Hospital do Bem que integra a unidade, com a empresa Perucas Santa Catarina vai possibilitar que pacientes oncológicos recebam perucas de cabelos naturais. Caberá ao Hospital recolher os cabelos e enviar para a empresa que fará a confecção das perucas. O contrato firmado já está em vigor e como forma de consolidar a parceria, a empresa já doou 20 perucas que serão entregues durante uma ação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, no próximo 08 de Março.
“Sabemos que os cabelos é um item importante para manter a auto estima em alta e o tratamento oncológico, via de regra, afeta diretamente os cabelos. Daí, ser tão importante essa parceria que vai ajudar nossos pacientes a recuperarem a auto estima e enfrentarem o tratamento ainda mais motivadas”, explica o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, que junto ao diretor da Perucas Santa Catarina, Tiago Lamego, assinou o contrato, que não trará nenhum ônus para o Hospital, na noite desta quarta-feira.
Ainda segundo Francisco, no próximo dia 08 de Março as primeiras 20 perucas doadas serão distribuídas com as pacientes da unidade. “Vamos realizar uma ação em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e nada mais oportuno que distribuir as perucas, nesta data tão emblemática, para as nossas pacientes”, afirma Francisco, lembrando que por causa do período de pandemia, a comemoração será restrita e obedecerá todos os protocolos de proteção, principalmente, em função dos pacientes oncológicos terem sua imunidade baixa por causa do tratamento.

Hospital do Bem realizou quase 6 mil consultas e mais de duas mil sessões de quimioterapia em 2020

Posted on

Mesmo em um ano atípico de pandemia, o Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), não apenas manteve a prestação de serviços aos seus pacientes sem interrupção de tratamentos, como aumentou o número de atendimentos em relação a 2019, registrando um incremento de 93% no número de sessões de quimioterapia e 23% nas consultas no ambulatório de oncologia. “Redobramos os cuidados por causa da pandemia, já que os pacientes de câncer têm sua imunidade baixa e fechamos 2020 com um saldo muito positivo, inclusive de ampliação de atendimentos”, destaca o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes. Em 2020, o Hospital do Bem atendeu pacientes de 103 municípios, sendo a maior demanda de Patos, com um índice de 23%, o equivalente a 1.823 pacientes.

O balaço anual de prestação de serviços do Hospital do Bem, que é referência no tratamento oncológico para quatro tipos de câncer – Mama, Próstata, Pele e Útero – atesta que a unidade realizou 5.944 consultas e 2.463 sessões de quimioterapia, além de 507 cirurgias no ano passado. “Estabelecemos condutas e rotinas que protegessem ainda mais nossos pacientes, inclusive, não permitindo mais acompanhantes durante as sessões de quimioterapia para protegê-los da pandemia no ambiente do hospital e mantivemos nossos serviços assegurando a continuidade dos tratamentos aos nossos pacientes”, reitera o diretor geral.

Alem de Patos, os 15 municípios que mais referenciaram pacientes para o Hospital do Bem foram Sousa, com 355, Pombal, com 325, Santa Luzia, com 244, Coremas, com 167, Água Branca, com 153, Mãe D´água, com 111, Itaporanga, com 106, Teixeira, com 106, Paulista, com 101, Desterro, com 97, Condado, com 94, São Mamede, com 93, Brejo dos Santos, com 89 e Juru, com 87 pacientes.

A oncologista Nayarah Castro, que integra a equipe médica do Hospital do Bem, reforça a importância da unidade ter mantido seus serviços mesmo em meio à pandemia. “O tratamento do câncer é uma prioridade e não deve ser interrompido, pois o risco do câncer progredir ou a pessoa vir a falecer de um câncer, é bem maior do que o paciente falecer pelo novo coronavírus. O paciente que tem câncer deve se preocupar com o tratamento dele e isso foi uma prioridade para nós mesmo neste ano tão atípico como foi 2020”, reforça a médica, lembrando que a orientação de não interrupção de tratamento é da própria Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

Hospital Regional recebe doação de equipamentos da Diocese de Patos

Posted on

 

         Os equipamentos e itens doados pela Diocese de Patos ao Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro foram entregues nesta quarta-feira (11) à direção da unidade hospitalar. Os 35 itens vão melhorar, ainda mais, o serviço prestado aos cidadãos de mais de 80 municípios do sertão, para os quais a unidade pública de saúde estadual é referência. O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, acompanhado de outros profissionais do Hospital, recebeu a doação e agradeceu a iniciativa da Diocese. “Esses itens serão importantes no dia a dia de nossa unidade, especialmente, os dois bisturis eletrônicos que são extremamente necessários no nosso cotidiano”, destacou Guedes.

A compra dois itens foi efetuada com recursos próprios da Diocese e todos eles serão incorporados ao patrimônio do Hospital na modalidade de doação. O termo de recebimento dos equipamentos foi assinado na ocasião da doação. O diretor geral do Complexo lembrou que essa não é a primeira ação de doação da Diocese ao Hospital de Patos. “Já recebemos da Diocese EPI’s para proteger nossos colaboradores na pandemia e agora mais esse itens. Só temos a agradecer a iniciativa, reiterando que essa ação reforça a missão cristã de ajudar ao próximo, na medida em que contribui para a melhoria de nossa prestação de serviço à população. Em nome do Governo do Estado e de todos que integram a unidade agradecemos por essa iniciativa”, disse Francisco Guedes.

A doação incluiu a entrega de: dois bisturis eletrônicos, seis Otoscópio MD 2.5 Mark IICOM 5 Espéculos e Está Macio, três Oftalmoscópios, 04 termômetros Infravermelho, nove cabos para Laringoscópio, quatro lâminas de Aço Inox Conv. Curvo N4, seis unidades de válvulas Reguladora de Cilindro – P/Oxigênio e ainda uma unidade Seladora de Pedal Hospitalar. Na ocasião, Dom Eraldo falou da importância da missão cristã e reiterou o compromisso da Diocese com ações que contribuam para melhorar a vida das pessoas e ajudar instituições e entidades a melhorarem seus serviços.

Dom Eraldo com representantes da Diocese e do Complexo de Patos (9) Dom Eraldo falou da missão da igreja e do objetivo da ação Francisco Guedes, diretor do Complexo, lembrou que a Diocese já ajudou o hospital outra vez O diretor do Complexo, Francisco Guedes agradeceu a doação da Diocese O documento de doação foi assinado durante a solenidade Representantes da igreja, do Complexo e de outras entidades participaram do ato de doação

Pacientes de Ortopedia e de cirurgias de bucomaxilo passam a ocupar enfermarias do Hospital do Bem para desafogar leitos do Complexo

Posted on

Pacientes de Ortopedia, do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), com fraturas em membros superiores de até um osso e também de cirurgias de bucomaxilo, passaram a ocupar as enfermarias disponíveis no primeiro andar do Hospital do Bem, desde a última sexta-feira (23). A iniciativa tem o objetivo de desafogar os leitos do Complexo, reduzindo assim a lotação das Enfermarias da unidade, aproveitar um espaço que estava sendo subutilizado, ofertando conforto e mais leitos para os pacientes de uma forma geral.

A mudança também incluiu a destinação de uma enfermaria infantil, para crianças que sofreram traumas ortopédicos. O objetivo dessa transferência, segundo o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, é ocupar leitos do Hospital do Bem, que estava sendo subutilizado, desafogando, assim, os leitos do Complexo. “Com essa iniciativa a gente passa a ocupar espaços que estavam sem utilização, liberando mais leitos para a população de Patos e região, sem prejudicar o atendimento aos pacientes oncológicos que continuam utilizando os serviços da unidade sem nenhum comprometimento, nem mudança de atendimento”, explica Francisco.

O remanejamento de pacientes do Complexo para as instalações do Hospital do Bem foi uma ação autorizada pela Secretaria de Saúde Estadual como medida para desafogar as enfermarias do Hospital que, nos últimos dias estava apresentando superlotação. “Com essa transferência, as quatro enfermarias do Hospital do Bem, que estavam prontas e sendo subutilizadas, passam a ser ocupadas, disponibilizando, assim, mais leitos para a população no Complexo e sem comprometer os serviços ofertados aos pacientes oncológicos que continuam a ser atendidos em todas as suas demandas de ambulatório, quimioterapia, cirurgias e internação”, reitera o diretor do Complexo.

Elevador

O elevador que irá substituir a plataforma elevatória, hoje utilizada no Hospital do Bem, já havia sido comprado pela OS Santa Casa de Birigui, que administrava a unidade, encontra-se em São Paulo, onde nos próximos dias será transportado para Patos. Segundo o diretor do Complexo, no qual o Hospital está vinculado, o processo de contratação da empresa transportadora do equipamento deve ser concluído essa semana e a expectativa é de que até o final do ano o elevador já esteja disponível para utilização pelos pacientes. “A OS comprou o equipamento, mas não finalizou o processo de transferência e de adequação do equipamento às instalações da unidade o que estamos fazendo agora”, finalizou Francisco Guedes.

Hospital do Bem abre Outubro Rosa e alerta sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama

Posted on

Uma das questões fundamentais e que são determinantes no tratamento e cura de um câncer de mama e de boa parte dos tumores malignos é a identificação precoce do problema. Nesta quinta-feira (01), durante a abertura das atividades alusivas ao Outubro Rosa do Hospital do Bem, de Patos, essa questão da identificação precoce da doença foi um dos assuntos abordados. A ação que aconteceu na recepção do hospital e que contou com poucas pessoas, seguindo protocolo de cuidados da pandemia do Covid, contou com a participação do diretor geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, Francisco Guedes, da Dra. Nayarah Castro, médica oncologista do Hospital do Bem, além de funcionários, pacientes e acompanhantes.

“Foi um momento de relembrar a importância da prevenção, da identificação precoce da doença e de reforçar a diferença que faz contar com um tratamento como o do Hospital do Bem no sertão”, destacou Francisco Guedes. O diretor do Complexo, no qual o Hospital do Bem faz parte, deixou uma mensagem de esperança para pacientes e acompanhantes. “Nossa unidade tem uma missão muito importante de acolher os pacientes oncológicos do sertão e fazemos isso com uma equipe que trata o paciente não enxergando a doença, mas, sobretudo sua cura. Aqui, além do tratamento, nós renovamos a esperança”, reforça Francisco.

A Dra. Nayarah reforçou que entre o que se conhece como verdade sobre a doença é que o câncer tem cura desde que tratado em estágios iniciais e acompanhados corretamente “Isso demonstra a importância do diagnóstico precoce. Qualquer pessoa corre o risco de desenvolver câncer, não há ninguém que possa dizer que é imune a doença”, disse a médica, reforçando o atendimento do Hospital do Bem, onde se destaca a questão da humanização e dos protocolos adotados. “Dispomos aqui do mesmo tratamento de outros locais do país”, disse Dra. Nayarah, que fez ainda uma abordagem sobre a importância da conscientização da prevenção do câncer de mama e colo uterino.

Ao longo deste mês, outras atividades alusivas ao Outubro Rosa serão realizadas pelo Hospital do Bem, mas, respeitando todos os protocolos de segurança no tocante a evitar aglomerações de pessoas na unidade, inclusive, porque pacientes oncológicos precisam de mais proteção por causa da imunidade.

Hospital do Bem realizou mais de 2,5 mil atendimentos ambulatoriais no primeiro semestre

Posted on

O Hospital do Bem – unidade de oncologia do Sertão – contabilizou a realização de 1108 sessões de quimioterapia e 2549 atendimentos ambulatoriais, em pacientes de várias cidades do interior do estado. A unidade, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, não parou seus atendimentos na pandemia, inclusive as cirurgias, apenas redobrou os cuidados para atender esse público considerado de risco, adotando outras medidas de prevenção. Entre janeiro e junho, de acordo com o relatório de gestão, a unidade realizou ainda 229 cirurgias oncológicas e vários outros procedimentos.

Além dos atendimentos no ambulatório, das sessões de quimioterapia e das cirurgias, o Hospital do Bem realizou, no primeiro semestre deste ano, 29 biopsias prostáticas, 25 punções de mama por agulha grossa, 20 biópsias de colo uterino, 19 exereses de nódulo de mama (uma cirurgia que faz a retirada de nódulos mamários benignos, geralmente os fibroadenomas) e três exéreses de colo uterino.

O Hospital do Bem, que completará dois anos de funcionamento em setembro próximo, tem atendimento ambulatorial, tratamento quimioterápico e cirúrgico para quatro tipos de câncer: pele, próstata, mama e colo de útero. A sala de quimioterapia tem capacidade para atender dez pacientes simultaneamente, inclusive, com os acompanhantes que, em função da pandemia, não estão mais permanecendo nas sessões da sala de quimioterapia como forma preventiva. A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, explica que essa medida foi tomada para proteger os pacientes cuja imunidade durante o tratamento fica mais suscetível e frágil.

O Hospital do Bem só atende pacientes regulados, ou seja, com consultas e procedimentos já agendados previamente, via Secretarias de Saúde dos municípios, através da Central de Regulação do Estado. Nestes primeiros seis meses do ano, os dois tipos de maior incidência de câncer atendidos na unidade foram os de mama e de próstata.