Hospital Regional de Patos

Hospital do Bem inicia atividades do Outubro Rosa com bate papo sobre mitos e verdades sobre o câncer

Posted on

A própria palavra câncer ainda assusta muita gente e traz alguns mitos que, de boca em boca, parecem verdade. Isso ocorre porque ainda existem muitas ideias erradas sobre a doença e, infelizmente, a maioria das pessoas ainda pensa que ela é sinônimo de morte. Nesta quinta-feira (03), na abertura das atividades alusivas ao Outubro Rosa do Hospital do Bem, de Patos, um bate papo focou o mitos e verdades que cercam a doença. A ação teve a mediação da diretora geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, Liliane Sena e contou com a participação da Dra. Nayarah Castro, médica oncologista do Hospital do Bem e da Enfermeira Oncologista e paliativista, Aretusa Delfino.

“Foi uma tarde bastante informativa e um debate bem produtivo, envolvendo as dúvidas mais recorrentes sobre a oncologia. Foi um momento de muito conhecimento com interação entre diversos colaboradores do CHRDJC”, destacou Liliane Sena, lembrando que as ações programadas para este mês, além de estarem inseridas na contextualização do Outubro Rosa, fazem parte das atividades comemorativas de um ano de funcionamento do Hospital do Bem.

De acordo com a Dra. Nayarah, é muito comum uma má interpretação de fatos relacionados ao câncer ou uma generalização de um caso isolado da doença, assim como especulações, acabarem por fazer com que ideias e até mesmo crenças se apresentem como verdades. Entre as questões mais recorrentes sobre a doença e que são, na realidade mitos, destacam-se o fato de se pensar que o câncer é hereditário. “Em geral, o câncer não é apenas uma doença hereditária. Quando falamos na possibilidade hereditária, estamos nos reportando a apenas 15% dos casos. No entanto, existem alguns fatores genéticos que tornam algumas pessoas mais sensíveis à ação dos agentes cancerígenos”, explicou a médica. Outro mito comum é pensar que o câncer é contagioso, que todo tumor é câncer, que adoçante provoca câncer, que pessoas da raça negra não correm risco de ter câncer de pele e que desodorante antitranspirante pode causar câncer de mama.

Entre o que se conhece como verdade sobre a doença, segundo Aretusa Delfino, é que o câncer tem cura desde que tratado em estágios iniciais e acompanhados corretamente, o que demonstra a importância do diagnóstico precoce, que qualquer pessoa corre o risco de desenvolver câncer, que câncer de pele é mais comum em pessoas acima de 40 anos, que a maior incidência de câncer de pele ocorre na cabeça, no rosto e no pescoço, que pintas e sinais podem virar câncer e que amamentar reduz o risco de ter câncer de mama.

Programação

A programação do Outubro Roda e de um ano de inauguração do Hospital do Bem começou nesta quinta-feira (02) e se estende até o dia 30 deste mês, com rodas de conversas, mini palestras (bate papo), Happy Day, Dia de Doação de Cabelos, Dia da Maquiagem, Musicoterapia, e até sessão de cinema. No dia 07, às 8h, haverá sessões de maquiagem, fotografias e pacientes e acompanhantes ainda vivenciarão uma experiência com musicoterapia. No dia 08, às 9h, haverá nova roda de conversa a partir do tema ‘Valorização da vida após o diagnóstico’, seguida de outra abordagem, com o tema ‘Orientações nutricionais a pacientes em tratamento quimioterápico’. No dia 10, às 15h, haverá um bate papo com o tema “Câncer: prevenção e diagnóstico precoce’. No dia 14, a partir das 8h, na recepção do Hospital do Bem, haverá um Happy Day, com ações surpresas.

No dia 15, às 9h, outra roda de conversa explorará o tema ‘Relação câncer x alimentação’. No dia 17, às 15h, será a vez de abordar a questão da ‘Alimentação, atividade física e saúde’, em outra Roda de Conversa. No dia 21, acontecerá o Dia da Doação de cabelos, onde cabeleireiras voluntárias estarão à disposição de quem quiser doar parte de seu cabelo. O material doado será destinado à confecção de perucas para mulheres que fazem tratamento contra o câncer.

No dia 22, a partir das 8h30, o Bate Papo recairá obre a temática da ‘Importância da equipe multidisciplinar e direitos do paciente oncológico’, enquanto que no dia 28, às 15h, o tema a ser debatido será ‘Auto estima e o enfrentamento do câncer’. O dia 30 terá atividades de musicoterapia, sessão de fotos e ainda de maquiagem para pacientes, colaboradores e acompanhantes, às 8h, e ainda outra roda de conversa sobre como enfrentar a doença e não perder a auto estima, às 10h. O encerramento das atividades acontecerá no dia 30, com uma sessão de cinema, exclusiva, para colaboradores, pacientes e acompanhantes, no Guedes Shopping Center.

Hospital do Bem divulga sua programação dentro da campanha do Outubro Rosa

Posted on

<

No mês de outubro várias instituições se comprometem com a campanha do Outubro Rosa que propõe a realização de ações e atividades que mostrem às mulheres a importância do autoexame e da mamografia no diagnóstico precoce do câncer de mama, ou seja, que promovam o debate e chame atenção para a importância da prevenção. O Hospital do Bem – Unidade de Oncologia do Sertão – que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, também apoiará a campanha e está inserido nesse processo com uma vasta programação, que começa nesta quinta-feira (02) e se estende até o dia 30 deste mês.

Assim, durante todo o mês de Outubro, O Hospital do Bem terá um calendário especial que inclui a realização de rodas de conversas, mini palestras (bate papo), Happy Day, Dia de Doação de Cabelos, Dia da Maquiagem, Musicoterapia, e até sessão de cinema. A programação começa nesta quinta-feira (03), às 15h, com a realização de um bate papo com profissionais da área médica. No dia 07, às 8h, haverá sessões de maquiagem, fotografias e pacientes e acompanhantes ainda vivenciarão uma experiência com musicoterapia.

A programação segue no dia 08, às 9h, com uma roda de conversa a partir do tema ‘Valorização da vida após o diagnóstico’, seguida de outra abordagem, com o tema ‘Orientações nutricionais a pacientes em tratamento quimioterápico’. No dia 10, às 15h, haverá um bate papo com o tema “Câncer: prevenção e diagnóstico precoce’. No dia 14, a partir das 8h, na recepção do Hospital do Bem, haverá um Happy Day, com ações surpresas.

No dia 15, às 9h, oura roda de conversa explorará o tema ‘Relação câncer x alimentação’. No dia 17, às 15h, será a vez de abordar a questão da ‘Alimentação, atividade física e saúde’, em outra Roda de Conversa. No dia 21, acontecerá o Dia da Doação de cabelos, onde cabeleireiras voluntárias estarão à disposição de quem quiser doar parte de seu cabelo. O material doado será destinado à confecção de perucas para mulheres que fazem tratamento contra o câncer.

No dia 22, a partir das 8h30, o Bate Papo recairá obre a temática da ‘Importância da equipe multidisciplinar e direitos do paciente oncológico’, enquanto que no dia 28, às 15h, o tema a ser debatido será ‘Auto estima e o enfrentamento do câncer’. O dia 30 terá atividades de musicoterapia, sessão de fotos e ainda de maquiagem para pacientes, colaboradores e acompanhantes, às 8h, e ainda outra roda de conversa sobre como enfrentar a doença e não perder a auto estima, às 10h.

O encerramento do Outubro Rosa no Hospital do Bem acontecerá no dia 30, com uma sessão de cinema, exclusiva, para colaboradores, pacientes e acompanhantes, no Guedes Shopping Center. A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, explica que a programação está inserida na proposta da Campanha de promover debates sobre a importância da prevenção. “Essa ação do Outubro Rosa é de extrema importância porque é quando a rede de saúde consegue conscientizar diversas mulheres para a prevenção do câncer de mama e como a melhor ação é a informação, procuramos centrar a maior parte de nossas atividades em rodas de conversa e bate papo com temas que são fundamentais e oportunos dentro desse contexto”, destaca Liliane.

Hospital Regional de Patos passa a disponibilizar também refeição noturna para acompanhantes de pacientes da unidade

Posted on

O serviço de nutrição do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) incorporou, desde a última sexta-feira (27), novas atribuições à sua rotina. Isto porque, os acompanhantes de pacientes que já eram contemplados com o café da manhã e o almoço, agora também têm a refeição da janta disponível na unidade. Antes, os acompanhantes tinham que sair do Complexo e jantar na Casa de Apoio. Agora, têm a comodidade de fazerem as refeições noturnas no próprio alojamento onde acompanham seus familiares e conhecidos. Os funcionários também passaram a receber lanches entre os turnos de trabalho.

“Esse era um pleito antigo dos acompanhantes que tinham que deixar os seus parentes ou amigos sozinhos enquanto iam até a Casa de Apoio para jantar. Com a mudança da empresa que fornece a alimentação, conseguimos incluir no novo contrato mais essa rotina e acreditamos que com essa iniciativa todos sairão ganhando”, destaca a diretora geral do Complexo, Liliane Sena, reforçando que nesta nova rotina também foi incluída a entrega dos lanches dos funcionários

A diretora do Complexo destaca ainda o importante trabalho feito pela Casa de Apoio, conduzida pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, que há tantos anos vinha disponibilizando a refeição noturna dos acompanhantes da unidade. “Eu quero agradecer publicamente o importante trabalho da Casa de Apoio, por tantos anos, e que continuará prestando, tendo em vista que como o Complexo é regional e atende pessoas de vários municípios e as vezes o pacientes vêm com mais de um acompanhante e como não têm onde ficar, contam com a acolhida da Casa de Apoio que presta um serviço não só pra o Complexo, mas para todas as unidades de saúde pública local”, destacou Liliane.

Rotina da nutrição

A distribuição das refeições no Complexo começa às 7 da manhã, com a entrega do café da manhã (desjejum) para paciente e acompanhantes. Das 8h às 9h, acontece o café da manhã para os funcionários e as 9h é servido uma colação aos pacientes (lanche da manhã). O almoço dos pacientes é servido as 11h30, dos funcionários, no refeitório das 11h30 às 13h e dos acompanhantes ao meio dia. Às 15h, começa a ser servido o lanche dos pacientes e funcionários. O jantar dos pacientes e acompanhantes começa a ser distribuído às 18h, enquanto o dos funcionários acontece das 19h30 até às 20h30. A ceia dos pacientes é servida às 20h, enquanto a dos funcionários acontece entre 21h e 21h30, quando o serviço de nutrição do dia é finalizado com a entrega desta última refeição. De acordo com serviço de nutrição, todo o cardápio é mudado a cada 30 dias, sempre com o objetivo de ofertar produtos de qualidade e refeições balanceadas, nutritivas e saborosas. A empresa responsável pelo serviço de nutrição do Complexo é a Supera.

Em um ano de funcionamento Hospital do Bem já realizou mais de 3 mil atendimentos e realizou 759 sessões de quimioterapia

Posted on

Após um ano de sua inauguração, o Hospital do Bem – unidade de oncologia do Sertão, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, comprova que está cumprindo sua missão de acolher e tratar os pacientes de câncer no interior do Estado. Absorvendo boa parte do contingente de pessoas que antes da unidade só tinham a opção de tratamento do câncer em Campina Grande ou em João Pessoa, o Hospital contabilizou, nesse período, a realização de 759 sessões de quimioterapia, 3331 consultas ambulatoriais, 726 internamentos e ainda 422 cirurgias, em pacientes de 80 municípios do interior. A unidade foi inaugurada no dia 03 de setembro de 2018.

O Hospital tem atendimento ambulatorial, tratamento quimioterápico e cirúrgico, para quatro tipos de câncer: pele, próstata, mama e colo de útero. A sala de quimioterapia da unidade tem capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. Dos 726 internamentos realizados pela unidade, entre o dia 03 de setembro do ano passado e 03 de setembro deste ano, 270 casos foram de clínica médica, 422 ocasionados por procedimentos cirúrgicos e 34 para a realização de cuidados paliativos.

Dos 80 municípios que encaminharam pacientes para o Hospital, a cidade de Patos lidera o ranking com um quantitativo de 1013 atendimentos, seguido de Santa Luzia, com 116, Princesa Isabel, com 115, São Mamede, com 110, Água Branca, com 87, Teixeira, com 86, Coremas, com 82 e Itaporanga, com 81. O paciente mais jovem atendido pela unidade foi uma criança de Itaporanga, de apenas quatro anos, e o mais idoso, foi um paciente de 104 anos, da cidade de Mãe D’água.

Das consultas por especialidade, a Oncologia Clínica lidera a demanda da unidade com um total de 1286 atendimentos, seguido de doenças da pele, com 566 consultas, Colo Uterino e Cirurgia totalizam 543 atendimentos, enquanto Mastologia, totalizou 523 consultas e urologia, outras 312. Nesse período foram feitas um total de 848 biopsias.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, reitera a importância do Hospital do Bem no atendimento de pacientes próximos de suas cidades. “Antes da disponibilidade de nossos serviços, os pacientes oncológicos do interior viviam uma dura rotina de ter que se deslocar cerca de 350 km até a Capital ou Campina Grande, para realizarem seus tratamentos. Com a disponibilidade dos serviços oncológicos de média e alta complexidade em Patos, esse tratamento pôde ser feito mais próximo de suas residências, o que impactou positivamente na melhoria da qualidade de vida dessas pessoas, que não mais precisam enfrentar o desgaste do deslocamento destas viagens muito longas, tendo toda a assistência necessária no Hospital do Bem”, destaca Liliane.

A diretora lembra que o Hospital do Bem só atende pacientes regulados, ou seja, com consultas e procedimentos já agendados previamente, via Secretarias de Saúde dos municípios, através da Central de Regulação do Estado. No primeiro ano de funcionamento, os dois tipos de maior incidência de câncer atendidos na unidade são os de colo uterino e de pele.

Sobre o Hospital do Bem

A unidade tem 25 leitos e uma sala de quimioterapia com capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. A unidade atende casos de câncer de próstata, mama, colo de útero e pele, ofertando serviços ambulatoriais, quimioterapia e cirurgia, além de diversos exames de ultrassonografia com Doppler; tomografia; colposcopia, colonoscopia, endoscopia; eletrocardiograma; exames laboratoriais e Raio X. Prioritariamente, os serviços do Hospital do Bem são direcionados para a população dos municípios que compõem a 3ª macrorregião de saúde do Estado. Os exames são feitos no Centro de Diagnóstico, também inaugurado no ano passado, e que funciona dentro das instalações do Complexo Hospitalar de Patos.

Complexo Hospitalar Regional de Patos é também referência em procedimentos cirúrgicos no que diz respeito ao câncer de mama

Posted on

A cirurgia é um tratamento comum para o câncer de mama e seu objetivo principal é retirar o máximo possível do tumor com uma margem de segurança. Desde setembro do ano passado, quando o Hospital do Bem começou a funcionar, que o Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) vem realizando esse tipo de procedimento tornando-se referência, também, neste tipo de serviço. Das 410 cirurgias oncológicas realizadas entre setembro do ano passado, quando começou a funcionar o Hospital do Bem, até 31 de agosto deste ano, 55 procedimentos foram relacionados ao câncer de mama. A unidade de oncologia integra o Complexo Hospitalar desde setembro do ano passado quando foi inaugurada.

De acordo com o mastologista e um dos profissionais que integra a equipe de cirurgia do Complexo. Dr. Thiago Pereira Alencar, a unidade está apta e realiza todos os procedimentos referentes ao câncer de mama, com exceção da estereotaxia. “Não realizamos apenas esse procedimento de retirada de nódulos não palpáveis ou microcalcificações, em função de não dispormos de um mamógrafo com essa função, mas todos os demais procedimentos, a exemplo, de mastectomia, esvaziamento ganglionar, cirurgias conservadoras, quadrantectomia, inclusive com a biopsia do linfonodo sentinela, entre outros, são todos feitos aqui”, afirma o médico.

Ainda de acordo com Dr. Thiago, a maior parte das mulheres com câncer de mama fará algum tipo de cirurgia como parte de seu tratamento, que dependendo da situação terá diferentes razões. “A cirurgia pode ser realizada para remover o máximo possível do tumor, diagnosticar se a doença se disseminou para os linfonodos, reconstruir a forma da mama após a cirurgia de remoção do câncer ou mesmo aliviar os sintomas do câncer de mama avançado”, destaca o mastologista, lembrando que o Complexo ainda não realiza as cirurgias de reconstrução.

Além de dispor de equipe multiprofissional, que trabalha de forma integrada, e estrutura para a realização dos procedimentos, e ainda do suporte de um ambulatório oncológico e tratamento quimioterápico completo, além de um Centro de Imagem que realiza diversos exames, a paciente que faz seu tratamento no Complexo ainda tem a vantagem de ter o tempo como seu aliado. Isto porque, explica Dr. Thiago, o intervalo entre o diagnóstico confirmado e a realização do procedimento cirúrgico, não excede mais que três semanas.

“O diagnóstico precoce e a agilidade no tratamento são determinantes para aumentar as chances de cura e aqui, no Complexo, temos uma média de apenas três semanas de intervalo entre a confirmação do diagnóstico e a realização do procedimento cirúrgico nos casos de mama”, reitera o médico, que integra a equipe de profissionais que conta ainda com os cirurgiões, Wostenildo Crispim, Antônio Segundo Neto e Manoel Dionísio.

A funcionária pública da Prefeitura de Desterro, a Sra. Lindaci Guedes, descobriu um câncer na mama direita no início de outubro do ano passado, aos 49 anos. No dia 29 do mesmo mês, fez a cirurgia de retirada total da mama com Dr. Thiago. Além da cirurgia, ela também fez quimioterapia no Hospital do Bem. Foram dez sessões no total, sendo cinco sessões da série branca e outras cinco da vermelha. O tratamento quimioterápico já foi concluído, com excelentes respostas e pouquíssimos efeitos colaterais. A indicação agora será a realização de Radioterapia, que ela fará em Campina Grande como complementar ao tratamento.

Para ela, dispor do serviço do Hospital do Bem fez toda a diferença. “Esse hospital é uma luz, um local abençoado, tudo aqui é bom, os médicos, as enfermeiras, toda equipe nos recebe com sorrisos, da recepção ao bloco cirúrgico, eles nos dão carinho e amor e toda a atenção e atendimentos para que a gente se sinta bem. Entramos aqui doentes e saímos bons”, disse Lindaci que nunca perdeu a esperança de cura, sempre manteve o alto astral, na certeza de que otimismo seria a melhor das atitudes diante do diagnóstico. “Primeiro tenho fé, muita fé, alegria de viver e ainda encontrei aqui, neste hospital, o suporte mais que necessário para superar essa doença. Gratidão é o que eu posso ter por todos vocês daqui”, disse ela nesta quinta-feira (26), após passar por uma consulta no ambulatório do Hospital do Bem, com a oncologista, Dra. Nayhara Castro. A consulta foi de avaliação e orientação sobre a radioterapia que será feita em Campina Grande.
Sobre cirurgias

Existem dois tipos principais tipos de cirurgia para o câncer de mama: a Cirurgia Conservadora da Mama, também chamada de tumorectomia, quadrantectomia, mastectomia parcial ou mastectomia segmentar, que consiste na retirada do segmento ou setor da mama que contém o tumor. O objetivo é retirar o tumor, com algum tecido normal adjacente. O quanto da mama é removida depende do tamanho e localização do tumor e de outros fatores. Já na Mastectomia, toda a mama é retirada, incluindo o tecido mamário e às vezes outros tecidos próximos.

Hospital Regional de Patos registra mais de duas mil cirurgias entre janeiro e agosto sendo a maior parte delas ortopédicas

Posted on

O balanço de atividades do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) relativo ao período de 01 de janeiro a 31 de agosto, somente no que diz respeito à realização de cirurgias, contabiliza que a unidade realizou um total de 2.383 procedimentos. Destes, a maior parte foram de cirurgias ortopédicas, com um total de 1.105 ocorrências, seguidas de cirurgia geral, com 542 casos. As cirurgias oncológicas ficam na terceira posição, com um total de 346 procedimentos, enquanto as cirurgias vascular contabilizaram 238 casos.

O Complexo, que é referência para a 3ª Macro Região de Saúde, em casos de cirurgias bucomaxilo, uma vez que somente em João Pessoa e Campina Grande têm hospitais públicos que fazem esse procedimento registrou, neste período, 122 cirurgias nesta especialidade.

As cirurgias gerais, a exemplo de casos de apendicite, hérnias, abdômen agudo e de tiros e facadas, entre outros, totalizaram 542 procedimentos, e foram responsáveis pela segunda maior demanda de cirurgias do Complexo neste período. As cirurgias de otorrino totalizaram 15 procedimentos, de urologia foram mais oito casos, enquanto que houve sete casos de cirurgias plásticas.

Grande polo receptor de pacientes de mais de 80 municípios da região do sertão paraibano e referência para urgências e emergências em casos de pequena e média complexidade o hospital, que integra a rede estadual de saúde, registrou como principais motivos de atendimento nos plantões de urgência e emergência, neste período, quedas, seguido de casos acidentes de trânsito (a maior parte envolvendo motos), dores abdominais, de cabeça e no peito, além de casos de insuficiência respiratória e contusões diversas.

A diretora geral da unidade, Liliane Sena, ressalta que o relatório de gestão chama atenção para o alto número de cirurgias provenientes de acidentes, principalmente, de motos. “A grande demanda de cirurgias ortopédicas, que responde por quase 50% do total de cirurgias realizadas na nossa unidade, acende uma luz amarela sobre a questão dos perigos no trânsito e a importância de se evitar acidentes que, na maior parte dos casos, deixa sequelas nas vítimas para o resto da vida”, reforça Liliane.

Complexo Hospitalar de Patos registra mais de mil e duzentos atendimentos em apenas uma semana

Posted on

O balanço dos serviços do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), referente ao período de 16 a 22 de setembro, registra que a unidade realizou 1.219 atendimentos. Os casos de Urgência e Emergência, que totalizaram 846 atendimentos, nesta última semana, respondem por 69,4% dos atendimentos da unidade que registrou ainda 146 internações e 373 atendimentos ambulatoriais de pacientes oriundos de 75 municípios da região sertaneja. O relatório de serviços prestados aponta ainda que foram realizados 1133 exames radiológicos e 826 exames laboratoriais.

Dos pacientes atendidos vítimas de acidentes de trânsito, os que lideram o ranking são os que pilotavam motocicletas, com 84% das ocorrências, o equivalente a 67 atendimentos, seguidos de acidentes com bicicletas sete casos e de automóvel, com três pessoas atendidas. O hospital registrou 14 ocorrências de casos de pacientes atendidos vítimas de violência, com nove casos oriundos de agressão física, um com ferimento de arma de fogo e outros quatro casos de violência por arma branca.

Das 146 internações registradas no período, 20 delas foram decorrentes de acidentes de moto, outras 17 por problemas de dores abdominais, 14 por causa de procedimentos cirúrgicos, a mesma quantidade por problemas respiratórios e 81 casos que não foram especificados no relatório de atendimento da unidade.

Dos 77 procedimentos cirúrgicos realizados na última semana, a maior parte deles foi de ortopedia, com 31 casos, seguido de cirurgias oncológicas, já que a unidade absorve os pacientes do Hospital do Bem, com um total de 16 casos. Foram feitas ainda 15 cirurgias geral, sete de buco maxilo, seis vascular e uma urológica e outra de otorrino.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, chama atenção para o elevado número de acidentes de trânsito, especialmente, os que envolvem motocicletas que deixam, na maior parte dos casos, sequelas para a vida toda. “No período em que a gente está comemorando a Semana Nacional do Trânsito vale lembrar que mais de 80% dos acidentados atendidos pelo Complexo, na última semana, foram em decorrência de acidentes de motos e que é preciso fazer uma reflexão sobre prevenção de acidentes e direção segura, a fim de que possamos reduzir o número de intercorrências desta natureza que normalmente são graves e deixam sequelas para o resto da vida”, destaca Liliane.

Paciente finaliza com sucesso tratamento quimioterápico no Hospital do Bem e recebe homenagem de funcionários

Posted on

O dia 28 de agosto vai ficar marcado na memória da Sra. Maria Eliane Leite Sampaio, 63 anos, como um novo recomeço. Isto porque, nesta data, ela concluiu com sucesso, a última sessão de quimioterapia e finalizou, no Hospital do Bem, em Patos, o tratamento contra um câncer de mama descoberto no ano passado. Paciente da unidade desde outubro de 2018, Dona Maria Eliane foi homenageada, nesta quarta-feira (28), por funcionários do Hospital do Bem pela assiduidade nas sessões, compromisso com sua saúde e vida e, sobretudo, pela força de vontade em vencer uma doença que carrega tanto estigma e, em muitos casos, não tem um final feliz.

Após terminar a última sessão de quimioterapia, de um tratamento que combinou quatro ciclos de terapia vermelhas e doze aplicações de quimioterapia branca, que começou no dia 11 de março deste ano, além de uma cirurgia, Dona Maria foi carinhosamente homenageada pelos funcionários do Hospital do Bem e pôde tocar um sino, estrategicamente colocado na recepção da unidade, que simboliza com seu som a vitória e a superação da vida sobre a morte. A médica oncologista, Nayarah Castro, que acompanhou a paciente, e a diretora geral do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Liliane Sena, do qual o Hospital do Bem faz parte, leram mensagens e a oração do Santo Peregrino de Folí, patrono dos doentes de câncer.

Após tocar o sino, Maria Eliane agradeceu, emocionada, a homenagem e todo o acolhimento que recebeu no Hospital do Bem. “Agradeço a toda a equipe deste hospital, desde a recepção, os enfermeiros, técnicos, médicos, vocês foram maravilhosos comigo, me atenderam muito bem, cuidaram de mim e eu só tenho gratidão por tudo, a Deus e a todos vocês”, disse ela.

Dra. Nayarah, leu uma mensagem que destacava a força e determinação da paciente, que realizou o último ciclo de quimioterapia nesta quarta-feira com a aplicação da série branca. Segundo a médica, a terapia da série vermelha era realizada a cada 21 dias e as brancas eram semanais. Antes de iniciar a quimioterapia, a paciente fez uma cirurgia, também no Hospital do Bem, no dia 14 de dezembro do ano passado, com o mastologista Tiago Pereira. Graças ao quadro inicial da doença, o procedimento não foi de retirada da mama, mas de quadrantes dela.

A médica que a acompanhou explica que ao verificar o exame anato patológico, foi identificado que havia indicação de começar quimioterapia adjuvante e ai foi prescrito o tratamento encerrado nesta quarta-feira (28). Ainda segundo a Dra. Nayarah, os atuais exames de estadiamento da paciente demonstram que a doença não se espalhou para nenhum lugar. “O indicativo agora é iniciar um tratamento radioterápico que não é realizado no Hospital do Bem, mas em João Pessoa ou Campina Grande apenas como complemento”, disse a médica.

Dra. Nayarah explica que Maria Eliane agora é definida como uma paciente curada, em função da doença está localizada nas mamas e os atuais exames mostrarem que não houve metástase. “Vale salientar que a cura definitiva dada para qualquer paciente oncológico de neoplasia de mama, só se dá dependendo do diagnostico que ele tem, de cinco a dez anos após o término do tratamento. Mas, podemos adiantar que o resultado de Dona Eliane é o melhor possível”, reitera a oncologista do Hospital do Bem, lembrando que o diagnóstico precoce, o tratamento adequado e rápido e, sobretudo, a assiduidade no tratamento e a resposta do paciente, são fundamentais para o sucesso do tratamento.

“A Sra. Eliane sempre realizou as sessões marcadas, nunca faltou, não houve falta de medicação durante o tratamento, não houve atrasos de nenhuma ordem, o organismo dela reagiu muito bem e teve uma resposta excelente. Hoje, ela realizou a última sessão e já nos trouxe o resultado da última tomografia e eu já consegui definir que essa paciente não tem sinais de doença ativa dentro do organismo dela e isso nos deixa muito felizes porque atesta a correição e o sucesso de nossa conduta aqui no Hospital do Bem”, destaca a médica.

Para a diretora do Complexo, Liliane Sena, na atual conjuntura, onde a principal referência em tratamento de câncer do Estado, o Hospital Napoleão Laureano, passa por sérias dificuldades para atender os pacientes, constatar que o Hospital do Bem vem cumprindo a sua missão, é um alivio para as pessoas acometidas pela doença. “Em quase um ano de atividades, já atendemos pacientes de mais de 50 municípios, absorvendo uma demanda de serviços oncológicos de média e alta complexidade, que antes era exclusiva de João Pessoa e Campina Grande, realizando procedimentos que estão em sintonia com o que há de mais atual na área oncológica, sem nenhuma interrupção de tratamentos e isso muito nos alegra, pois sabemos da importância de um tratamento oncológico rápido e eficaz”, afirma Liliane.

O Hospital do Bem foi inaugurado em setembro do ano passado, tem 25 leitos e uma sala de quimioterapia com capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. A unidade atende casos de câncer de próstata, mama, colo de útero e pele, ofertando serviços ambulatoriais, quimioterapia e cirurgia, além de diversos exames de ultrassonografia com Doppler; tomografia; colposcopia, colonoscopia, endoscopia; eletrocardiograma; exames laboratoriais e Raio X. Prioritariamente, os serviços do Hospital do Bem são direcionados para a população dos 68 municípios que compõem a 3ª macrorregião de saúde do estado.

Médica do Hospital do Bem participa de curso de atualização em Oncologia Clínica no Albert Einstein

Posted on

Participar do Board Review in Medical Oncology, o maior curso de revisão em Oncologia Clínica no Brasil para médicos oncologistas e, também, de outras especialidades médicas e multidisciplinares, é uma experiência única que agrega valor ao profissional que amplia e atualiza conhecimentos, mas, sobretudo para os pacientes que passam a ter um profissional ainda mais capacitado e atualizado numa especialidade da ciência médica que está em constante evolução. A Dra. Nayarah Castro, oncologista do Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, está em São Paulo, participando da X edição do curso que começou dia 14 e termina no próximo sábado (17), no Hospital Israelita Albert Einstein.

“Participar deste curso, que é referência na área de Oncologia, é ter a oportunidade de aprimorar conhecimentos com o que há de mais atual sobre tratamento, de saber o que mudou de um ano para o outro, sobre incorporação de novas drogas, novos alvos terapêuticos, outras tecnologias, enfim, é agregar informações importantes que me ajudarão a atender, ainda melhor, meus pacientes em Patos”, destaca a médica.

Na edição 2019, em especial, segundo consta na programação do curso, cada palestrante irá reservar alguns minutos no término de cada aula para um momento de discussão com a plateia, que estará aberta para perguntas. “Isso também é importante porque teremos a possibilidade de debater o assunto, com o viés de nosso interesse, com os especialistas logo após a apresentação deles”, destaca a Dra. Nayarah, lembrando que nesta quinta-feira foi muito relevante as abordagens sobre os tumores de mama, de próstata e em relação a importância do acompanhamento multiprofissional do paciente oncológico.

Dra. Nayarah reitera que os tratamentos realizados no Hospital do Bem estão em conformidade com o que é feito nos grandes centros que tratam pacientes oncológicos. “Anteriormente a gente tinha os pacientes tratando tumores tipo negativo sem essa preocupação tão grande da adição de carboplatina e dentro da realidade do Hospital do Bem a gente já vinha fazendo isso. Então, estar aqui e poder conversar com outros profissionais e trocar experiências e fazer descobertas juntos é muito importante e principalmente constatar que lá, no sertão paraibano, o que fazemos está sendo feito também nos grandes centros”, afirma médica.

Para a diretora geral do Complexo, Liliane Sena, a participação da Dra. Nayarah no curso é de suma importância para o Hospital do Bem. “É preciso acompanhar os avanços técnico-científicos da área de oncologia que têm possibilitado o aumento das chances de cura da doença, em muitos casos, antes considerados fatais. Hoje, se sabe que o recebimento de um diagnóstico de câncer não significa um atestado de morte, ao contrário, o avanço da Medicina nesta área é grande e os tratamentos também, portanto, saber que nossa médica está adquirindo e atualizando conhecimentos muito nos alegra e vai agregar, ainda mais, para os nossos pacientes”, finaliza Liliane.

Direção do Hospital de Patos apela ao bom senso das pessoas para que utilizem o estacionamento sem prejudicar o fluxo de ambulâncias

Posted on

Uma situação que está virando rotina no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) mais precisamente, no estacionamento, está causando transtornos e dificultando o acesso até a emergência das ambulâncias que trazem pacientes para a unidade. Isto porque, pessoas que usam o estacionamento estão parando na entrada, obstruindo a passagem dos veículos e dificultando o acesso das ambulâncias. Como não há funcionário no local para disciplinar a parada os veículos, acaba prevalecendo o bom senso, o que muitas vezes falta aos motoristas.

Essa situação absurda tem se repetido inúmeras vezes, lamenta a diretora geral do Complexo, Liliane Sena. Ela lembra que os próprios guardadores de carro que atuam no local, orientam os motoristas a não pararem na entrada do estacionamento, mas, alguns ignoram os apelos e param assim mesmo. “É tudo uma questão de bom senso, de educação para o trânsito e até de amor ao próximo, porque na medida em que as pessoas bloqueiam a entrada, a ambulância fica com acesso a emergência dificultado e isso pode prejudicar quem está sendo socorrido, já que numa situação de gravidade minutos podem significar a perda de uma vida”, destaca Liliane.

Nesta quarta-feira, outro flagrante de mau uso do estacionamento, que prejudicou o acesso de uma ambulância ao setor de emergência foi divulgado em um site de Patos. “Fazemos um apelo público as pessoas para que não estacionem na entrada. Se o local estiver lotado, melhor deixar o carro nas ruas laterais ou mesmo aguardar a saída de outro veículo para estacionar”, reitera Liliane.