Clientes Freelancer

Hospital de Queimadas realiza 23 cirurgias no Opera Paraíba neste final de semana

Posted on

A quinta etapa do Opera Paraíba no Hospital Regional de Queimadas contemplou com cirurgias de Vesícula, Hérnias e Cistos de Ovários 23 pacientes, de 13 municípios da região, nos últimos dias 9 e 10. “É com enorme satisfação que demos continuidade ao Opera Paraíba em nossa unidade atendendo pacientes que esperavam por cirurgias eletivas”, afirmou a Diretora do Hospital de Queimadas, Eva Maria. A gestora agradeceu ao governador João Azevedo, pelo Programa, e ao secretário de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros e sua equipe, pela confiança na unidade e a todos os profissionais que se envolveram na ação em Queimadas.

“O Opera Paraíba vem diminuindo o sofrimento de muitos paraibanos que precisavam destas cirurgias e estavam numa fila que diminui, substancialmente, a cada edição do Opera Paraíba”, reitera o diretor geral do Hospital de Queimadas, Dr. Flávio Daniel, lembrando que essa ação ocorre em vários hospitais da rede pública estadual, inclusive, com uma ação arrojada no Hospital das Clínicas de Campina Grande, que tem uma meta audaciosa de realizar 600 a 900 cirurgias/mês. “O Governo tem interesse de reduzir essa fila de paraibanos que precisam destes procedimentos e temos muita satisfação e alegria de estarmos dando nossa contribuição, em Queimadas, para que isso seja atingido”, finalizou o diretor.

Farmácia do Hospital de Queimadas tem abastecimento pleno e estoque para dois meses dos insumos mais utilizados

Posted on

A qualidade do serviço prestado pelo setor de farmácia numa unidade de saúde interfere diretamente na eficácia do tratamento do paciente. E a direção do Hospital de Queimadas, que integra a rede estadual de saúde, sabe muito bem disso e leva muito a sério o abastecimento do setor que é vital para o cotidiano da unidade. Para se ter uma ideia da excelência deste momento, a Farmácia do Hospital de Queimadas tem estoque para dois meses dos insumos mais utilizados, de cinco meses de soro fisiológico e ainda atende o Programa Opera Paraíba com os mutirões de cirurgia de Catarata com seu próprio estoque que é resposto, posteriormente.

“Isso tudo só é possível porque sempre temos um estoque considerável de medicamentos e insumos e quando, eventualmente falta algum item, não é por inoperância da equipe da unidade, mas por questões de logística com os fornecedores e oferta do mercado e assim mesmo são faltas pontuais que não comprometem o atendimento aos nossos pacientes, nem a qualidade dos serviços prestados”, explica o diretor geral do Hospital de Queimadas, Dr. Flávio Daniel.

O Farmacêutico responsável pelos pedidos de compra da unidade, Rafael Loureiro reforça a afirmação do diretor geral, acrescentando que a Farmácia do Hospital de Queimadas já há algum tempo vive em abastecimento pleno. “Inclusive, neste final de ano, programamos um pedido ainda maior de insumos e medicamentos que nos garantirá o abastecimento por um período de quatro meses”, disse Rafael, lembrando que o estoque é composto de mais de 400 insumos padronizados, entre medicamentos, materiais médico-hospitalar, fios e soro.

Além de Rafael, integram a equipe da Farmácia do Hospital de Queimadas, as farmacêuticas, Maria Duarte (Coordenadora), Maria Fernandes e João Paulo, as auxiliares, Riane da Silva e Creudiane Santos e a assistente administrativa, Marina Dutra. “Nossa farmácia nunca teve tão bem abastecida e aqui o paciente pode vir tranquilo que não faltará nada para assisti-lo dentro de nossa padronização de atendimento”, reitera a coordenadora, Maria Duarte, lembrando que o setor funciona 24h, todos os dias da semana.

Deputado Trócolli Júnior propõe Moção de Pesar para o médico Rafael Holanda que faleceu no dia 28

Posted on

O deputado Estadual Trócolli Júnior (PODEMOS) protocolou pedido de Moção de Pesar pelo falecimento do médico cajazeirense, Dr. Rafael Rodrigues de Holanda, ocorrido na cidade de Campina Grande, no último dia 28 de agosto, por complicações da Covid-19. Na justificativa de sua solicitação, o parlamentar destaca que não há dúvidas de que o Covid-19 é uma doença cruel. “Essa doença nos priva de visitar pessoas idosas e queridas, bem como retira a chance de nos despedirmos de nossos parentes e amigos que falecem. Lamentamos profundamente a morte do médico cirurgião cajazeirense, Dr. Rafael Holanda que, apesar de ser cajazeirense, foi acolhido por Campina Grande onde residiu por muito tempo, onde se tornou uma referência na medicina paraibana”, destaca Trócolli.

O deputado lembra que os pacientes do Dr. Rafael Holanda encontravam no talento, dedicação e competência dele uma medicina eficaz e em seu hospital, Antônio Targino, em Campina Grande, o acolhimento e assistência necessários para o restabelecimento de diversos problemas de saúde. “Infelizmente, o Covid-19 nos roubou esse grande profissional e ser humano que foi um verdadeiro embaixador do sertão em Campina Grande”, destaca a Moção de Pesar.

Dr. Rafael Rodrigues Holanda além de médico, era maçom, aposentado como perito da Previdência Social e do Ministério da Saúde. Natural de Cajazeiras (PB), nasceu em 11 de agosto de 1946. Estudou o curso ginasial no Colégio Diocesano Padre Rolim e o curso científico em João Pessoa, onde também cursou Medicina na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Fez residência médica em São Paulo, sendo especialista em Neurocirurgia. Escritor nas horas vagas, era membro efetivo fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras (ACAL) onde ocupava a cadeira nº 29, cujo patrono é Manuel Ferreira de Andrade Júnior. Também era um importante colaborador da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE da cidade de Campina Grande.

O documento da Moção de Pesar requer que a ALPB, ao aprovar a propositura de Trócolli, comunique aos familiares de Dr. Rafael, na pessoa de sua filha, Dra. Julianne do Nascimento Holanda, residente na cidade de Campina Grande, bem como ao Desembargador Siro Darlan, irmão dele e integrante do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Também à direção do Hospital Antonio Targino, e ainda à direção da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE, em Campina Grande.

Para o deputado estadual licenciado, Jeová Campos, a homenagem que Trócolli faz a Dr. Rafael é mais que justa e merecida. “Trócolli foi muito justo quando propôs essa Moção de Pesar, pois Dr. Rafael, não apenas por tudo o que representou para seus inúmeros pacientes, ao longo de décadas de atuação como neurocirurgião, mas, sobretudo, pelo grande ser humano que foi, dono de gestos de bondade e de gentileza com o próximo. A Medicina paraibana perdeu um grande mestre!”, lamentou Jeová.

Deputado Trocolli Júnior faz apelo para compra de embarcação para combate a incêndios

Posted on

Durante sessão da ALPB, nesta terça-feira (24), o deputado estadual Trocolli Júnior (PODE) alertou sobre a necessidade do Corpo de Bombeiros do Estado da Paraíba possuir veículo aquático apropriado para combate a incêndios dentro de embarcações. O parlamentar lembrou de um episódio de incêndio, no último sábado, no qual uma embarcação pegou fogo em Prainha, na divisa entre João Pessoa e Cabedelo, durante mais de três horas sem que nada pudesse ter sido feito. “As imagens correram pelas redes sociais, um tripulante passou mal e foi encaminhado para o hospital de trauma da Paraíba por inalar fumaça, mas, felizmente, não houve feridos com gravidade entre os que estavam na embarcação, mas, o bem ficou destruído”, disse o parlamentar.

Trocolli ainda destacou a importância da Grande João Pessoa no mapa do turismo náutico brasileiro. “Na Grande João Pessoa, hoje, tem mais de três mil embarcações entre jet skis e lanchas. São veículos aquáticos que variam de 3 milhões de reais até 20 mil reais, além dos catamarãs que fazem o transporte de turistas para os locais como Picanzinho, Areia Vermelha e Piscinas do Seixas. Isso fomenta muito o turismo náutico na Paraíba e é importante que haja esse aporte para o Corpo de Bombeiros em caso de situações como a que ocorreu no sábado.” disse o deputado.

“Eu faço um apelo ao governador João Azevedo para que, urgentemente, determine ao Corpo de Bombeiros, através do fundo da Corporação, a compra de um veículo anti-incêndio para embarcações. É um equipamento necessário para o turismo náutico da Paraíba,” reforçou Trocolli Júnior.

O parlamentar ressaltou ainda a importância do investimento em equipamentos para o Corpo de Bombeiros, destacando a compra da escada Magirus, um projeto de sua autoria. “Na época do ex-governador Cássio Cunha Lima, eu fui um dos maiores cobradores no que se diz respeito a compra da escada Magirus para a instituição. Depois dessa luta, o ex-governador decidiu canalizar a compra do equipamento, que é fundamental para uma cidade, como João Pessoa, que tem edifícios de muitos pavimentos”, destacou Trocolli.

Deputado Trocolli Júnior propõe que ex-reitor Thompson Mariz seja condecorado pela ALPB com Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim

Posted on

O Professor Doutor, Thompson Fernandes Mariz, ex-reitor da UFCG poderá ser condecorado com a Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim – Padre Rolim -, uma honraria concedida pela Assembleia Legislativa da Paraíba à personalidades que se destacam na área da Educação e Religião. Projeto de Resolução neste sentido será proposto pelo deputado Trocolli Júnior e será apreciado em plenário, nos próximos dias pelos parlamentares paraibanos.

Para o deputado, a indicação do nome de Thompson Mariz faz jus a destinação da honraria. “O currículo deste paraibano, de Antenor Navarro, e a contribuição que ele deu na área educacional em nosso estado o credenciam para ser homenageado com essa Medalha”, disse Trocolli. No Parágrafo Único do PR destaca-se que a comenda será entregue em Sessão Solene, em dia e horário ainda a serem definidos, de acordo com a disponibilidade do homenageado.

O deputado Jeová Campos, autor do PR que criou a homenagem na ALPB, em 2019, e que está licenciado para tratamento médico, disse que ficou feliz em Trocolli propor esse reconhecimento ao professor Thompson Mariz. “O homenageado está à altura de receber tal honraria uma vez que, a exemplo do Padre Rolim, também tem uma contribuição importante à Educação paraibana”, disse Jeová, reforçando que a Medalha é o reconhecimento do Poder Legislativo à personalidades que se destacam nas áreas de Educação e Religião.

Sobre o homenageado

Nascido em Antenor Navarro, Paraíba, ingressou na UFPB em 1982, mediante concurso público de provas e títulos. É Graduado e Mestre em Engenharia Química, pela UFPB, na Área de Processos Físicos de Separação, e Doutor em Engenharia Química pela Universidade Federal de Campina Grande (2013), na Área de Desenvolvimento de Processos Químicos. Foi professor de várias disciplinas de Engenharia Química e Engenharia de Materiais. Coordenou projetos de pesquisa aprovados pelo CNPq, sendo autor e co-autor de vários trabalhos publicados em Congressos e revistas. Exerceu variados cargos administrativos na UFPB, tais como: Coordenador de Curso de Engenharia de Materiais, Chefe de Departamento de Engenharia de Materiais, Vice-Diretor e Diretor do Centro de Ciências e Tecnologia (CCT), Pró-Reitor para Assuntos do Interior (1997/2001) e Vice-Reitor (2001/2002), além de ter sido representante titular dos docentes do CCT no Conselho Superior de Ensino Pesquisa e Extensão – CONSEPE. Em maio de 2002 foi nomeado reitor pro tempore da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e por dois mandatos consecutivos permaneceu como reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), exercendo esse cargo entre os anos de 2002 a 2012.

Deputado Trocolli Júnior alerta sobre a necessidade das pessoas continuarem com os cuidados para evitar mais casos de Covid-19

Posted on

O deputado estadual Trocolli Júnior (PODE) fez um importante alerta durante sessão remota da ALPB, na manhã desta terça-feira (17), sobre a necessidade da população não relaxar nos cuidados preventivos e contribuir com a redução dos casos de Covid-19. Segundo o parlamentar, o momento não é de relaxamento, mesmo com o número de internações pela doença caindo e a vacinação avançando. “Um assessor de um amigo meu, da cidade de São Paulo, vacinado duas vezes, já tinha tido a Covid e, após cinco dias da volta da doença, mesmo com a imunização completa, foi à óbito. Essa doença é traiçoeira e não devemos relaxar com os cuidados preventivos”, disse o deputado, que assumiu o mandato com a licença para tratamento de saúde do titular, Jeová Campos.

Segundo Trocolli, o alerta se faz necessário e oportuno, principalmente, num momento em que as pessoas voltam a ter vida social, os estudantes retomam as aulas e as empresas já migram do Home Office para atividades presenciais. “Gostaria de fazer esse registro público porque nós estamos constatando a volta às aulas, os bares e restaurantes lotados e para lembra que ninguém, mesmo vacinado, está 100% imune a essa doença que reage de forma diferente de organismo para organismo”, disse ele, que afirmou estar restringindo suas saídas ao estritamente necessário.

O deputado lembrou que é também papel de um parlamentar alertar e dar o bom exemplo para a população. “As pessoas precisam continuar se cuidando e eu estou fazendo isso”, finalizou o parlamentar, se desculpando pela ausência da sessão passada e reiterando sua satisfação de estar de volta aos trabalhos da Assembleia Legislativa.

Fonte: Com informações do gabinete do parlamentar

Deputado Jeová lembra que a Educação mudou sua vida ao parabenizar escola de Cachoeira dos Índios pelos 50 anos de fundação

Posted on

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. Essa frase dita por Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul, considerado como o mais importante líder da África Negra e vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1993, poderia ser acrescida com as palavras: e as pessoas. Sim porque a Educação além de mudar o mundo, transforma também as pessoas e os horizontes delas. Um bom exemplo da influência da Educação na mudança de perspectiva de vida é a do deputado estadual paraibano Jeová Campos. Filho de agricultores e de origem humilde, Jeová conseguiu superar adversidades através dos estudos e graças a eles, além de parlamentar em seu terceiro mandato, o sertanejo Jeová é advogado e professor concursado da Universidade Federal da Paraíba, do Campus de Sousa. “A Educação mudou minha vida, a de minha família e deu outro horizonte para meus filhos”, diz ele que, neste domingo (15), parabenizou as Bodas de Ouro da Escola Estadual Prof. Adalberto de Sousa Oliveira, de Cachoeira dos Índios, onde estudou em 1978.

“Menino pobre, querendo ir além das fronteiras do roçado de meus pais, estudei na Prof. Adalberto de Sousa Oliveira quando morava, de favor, na casa de um tio. Essa escola do Padre Ibiapina fez muita diferença na vida de muita gente. Lembro até hoje da diretora da época, a professora Maria Ciete de Sousa Brasil, que era esposa de meu tio Serafim. Lembro também do professor Egídio. Fui estudar na escola a pedido de meu tio Toinho Batista”, conta Jeová. Ele lembra que o assessor jurídico de seu gabinete, o advogado Hugo Moreira, também é ex-aluno da escola de Cachoeira dos Índios.

O deputado lembra que na época não havia água encanada na cidade e que a água consumida pela população era tirada de um chafariz. “Eram tempos sem nenhuma facilidade, mas que recordo com grata satisfação porque ao olhar por onde passei, valorizo ainda mais onde estou e a Educação foi a minha mola mestra. Foi a partir de meus estudos que descortinei o mundo, mudei minha realidade, pude ajudar minha família e dar aos meus filhos muitas das coisas que eu jamais sonhei que teria algum dia, embora eu sempre tenha acreditado que mudaria minha realidade através de minha formação”, destaca Jeová que noutra época de sua vida, para poder estudar em Cajazeiras, vendia alho na feira livre, dai porque, carinhosamente é chamado do ‘Rei do alho’.

Sobre a escola

Fundada no dia 15 de Agosto de 1971, pelo Vigário da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Cachoeira, o Padre Mauro Carli, que era italiano. E tendo como colaboradores o Dr. Bosco Cândido e Egídio Ricarte de Alencar, na época Vereador do Município. Os três foram procurar as autoridades do município com o Prefeito Dr. Vicente Leite Rolim, a Câmara de Vereadores, o Delegado, em Cajazeiras o Juiz, o Promotor da Comarca. Todos concordaram e assinaram para que fosse criado o Ensino Fundamental 2 ou seja da 5ª a 8ª Série, hoje do 6º ao 9º ano. Foi criada então a Escola pertencente à Fundação Padre Ibiapina de João Pessoa, com o nome de Ginásio Comercial de Cachoeira dos Índios – Colégio Cachoeira dos Índios.

No final dos anos 70 e início dos ano 80 essa escola foi estadualizada e passou para o Estado da Paraíba com o nome Escola Estadual de Ensino Fundamental de Cachoeira dos Índios. No dia 13 de Dezembro de 2001 passou a se chamar E.E.E.F.F Prof. Adalberto de Sousa Oliveira, até hoje, quando completou 50 anos.

ALPB aprova requerimento que pede ao STF julgamento urgente da Inconstitucionalidade da Lei Federal do marco legal do saneamento

Posted on

Os deputados paraibanos aprovaram hoje (10), durante sessão da ALPB, o Requerimento 16.311/2021, de autoria do Presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da Casa, deputado Jeová Campos, que solicita que seja encaminhado ao Supremo Tribunal Federal – STF, manifestação da ALPB requerendo o julgamento, em caráter de Urgência, das Ações Diretas de Inconstitucionalidade de nºs. 6492, 6536, 6583, nas quais se discutem a Declaração da Inconstitucionalidade da Lei Federal nº 14.026/2021 que “Atualiza o marco legal do saneamento básico e altera, a Lei nº 9.984, de 17 de julho de 2000, para atribuir à Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) competência para editar normas de referência sobre o serviço de saneamento. O relator, neste caso, é o Ministro Luiz Fux.

 

O requerimento também faz referência à votação da Lei nº 10.768, de 19 de novembro de 2003, que altera o nome e as atribuições do cargo de Especialista em Recursos Hídricos, a Lei nº 11.107, de 6 de abril de 2005, que veda a prestação por contrato de programa dos serviços públicos de que trata o art. 175 da Constituição Federal, a Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007, que aprimora as condições estruturais do saneamento básico no País, a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que trata dos prazos para a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, a Lei nº 13.089, de 12 de janeiro de 2015 (Estatuto da Metrópole), que estende seu âmbito de aplicação às microrregiões, e ainda a Lei nº 13.529, de 4 de dezembro de 2017, que autoriza a União a participar de fundo com a finalidade exclusiva de financiar serviços técnicos especializados.

 

“Em 2020, em plena pandemia do novo Coronavirus, foi aprovada pelo Congresso Nacional a Lei nº 14.026/2020, que “Atualiza o marco legal do saneamento básico e altera a Lei nº 9.984, de 17 de julho de 2000 e isso provocará impactos muito grandes, já que esse novo marco extingui contratos e programas e não considera mais a água como direito universal e fundamental. Essa Lei do Paulo Guedes entrega um setor que presta um serviço essencial à iniciativa privada”, argumenta Jeová.

 

Ainda segundo o parlamentar, que está de licença médica para tratamento de saúde, mas teve várias propostas suas em votação na sessão desta terça-feira, o exemplo de privatização da Saelpa, que era a concessionária de energia elétrica da Paraíba, ilustra bem o que pode vir ai também com a privatização dos serviços de água e saneamento no país. “A Energisa hoje estabelece as taxas de energia que quer, não temos mais uma política de governo que dê subsídios, e isso também vai acontecer com a privatização da Cagepa. O impacto na vida das pessoas será igualmente danoso se seguir o que determina esse novo marco regulatório”, reforça o parlamentar.

 

Jeová lembra que os professores universitários Maria Luiza Pereira Feitosa, José Irivaldo Alves de Oliveira e Aendria de Souza do Carmo fizeram um estudo acadêmico que mostra as armadilhas inconstitucionais sobre o novo marco regulatório e as implicações e impactos deste modelo proposto pelo Governo Federal em serviços tão essenciais como água e esgotamento sanitário. “Eles estudaram os meandros desta questão e produziram um documento de 40 páginas que é convincente do ponto de vista científico. Nele, eles mostram os problemas que essa questão traz e algumas maneiras de como enfrentá-los”, disse o deputado que incluiu trechos deste estudo no documento que será encaminhado pela ALPB para o STF.

 

Num debate, promovido pela ALPB no último dia 15 de junho, a professora explicou que o problema é que essa Lei, publicada em julho de 2020, no contexto da pandemia, não revogou a Lei 11.445/2007, no entanto, revogou parte dela estabelecendo um novo marco legal para a gestão de saneamento básico no Brasil, que abrange quatro vertentes: abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, drenagem urbana e gestão de resíduos sólidos. “Não estamos falando somente de água e esgoto. A grande mudança, de acordo com o estudo, é que o novo marco abre caminho para a privatização do negócio do saneamento igualando-o, em termos de rentabilidade, ao setor de telefonia, energia e outros”, explicou ela, lembrando que a Lei altera profundamente as competências da Agência Nacional de Água, que agora passa a ser Agência Nacional de Água e Saneamento universalizando os serviços e impondo aos estados um formato de regionalização, seja por iniciativa própria ou por imposição da União. 

 

O novo marco legal precisa ser melhor definido

Jornalista Eliane Sobral lança seu primeiro livro de Romance que concorre ao prêmio Kindle 2021

Posted on

Com 30 anos de carreira no Jornalismo, a jornalista Eliane Sobral estreia com muita propriedade no mundo literário com o Romance “O Sol e a Lua e o desejo de um encontro entre eles”, que já está disponível, desde essa segunda-feira (09), na Amazon.com.br. Nas 898 páginas do livro disponibilizadas na forma digital, o leitor vai mergulhar num romance inusitado entre uma jornalista de esquerda e um coronel do Exército Brasileiro. Autobiográfica, a obra não se limita a contar a paixão da jornalista pelo coronel, ela vai além ao discorrer por questões interessantes, a exemplo do jogo de sedução entre duas pessoas, da liberdade da mulher conquistada à duras penas e ainda vista com olhos atravessados em pleno século 21, aborda o amor em tempos de redes sociais e aplicativos de relacionamento, questiona o modelo machista que impede o homem de rejeitar uma cantada com medo de ser mal interpretado e julgado, enfim, é uma obra atual e que nos leva a refletir sobre as relações, em vários aspectos.

“Muito mais que dar visibilidade a minha ligação platônica e afetiva com Pablo*, desejo que essa obra estimule mais debates sobre sedução, afeto e sentimento, encorajando mulheres e homens a não represarem suas emoções, a encararem como natural a inversão de papéis e a acreditarem que entregas afetivas podem partir de qualquer lado. No final das contas, o importante é ser feliz. De onde partiu a primeira cantada é por demais irrelevante diante deste vasto mundo dos afetos”,destaca a autora na introdução do livro, que ganhará uma versão impressa, em 2022.

A obra tem 15 capítulos, que são intercalados com cartas feitas pela jornalista para o coronel durante os três anos e poucos meses que eles se corresponderam pela Internet. Cada capítulo aborda uma temática diferente, mas sempre voltada à paixão que ela sente por ele e a amizade que uniu esses dois personagens tão antagônicos no modo de ser, agir e pensar. Mas, quem esperar ver textos lugar comum e cartinhas com declarações de amor corriqueiras e melancólicas vai se surpreender. Só lendo o livro, disponível por um valor bem acessível (R$ 24,99), para mergulhar neste vasto e inexplicável mundo das paixões, sejam elas platônicas ou reais.

A jornalista Eliane Sobral, que se formou em 1991, pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), já atuou na grande imprensa, como repórter do Jornal do Comércio e do Diário de Pernambuco, em Recife, e ainda no Jornal Tribuna de Alagoas, em Maceió. Foi assessora de Jarbas Vasconcelos, na Prefeitura do Recife e, desde 1997, se mudou para João Pessoa, onde fundou a News Comunicação. “Nunca pensei em me tornar escritora. A minha ideia inicial era publicar as cartas que escrevi para Pablo*, porque sempre que eu mostrava a alguém o que eu escrevia, recebia muitos elogios pela profundidade com que eu explorava essa paixão através dos textos, mas, somente as cartas não caracterizava um romance e conversando com meu amigo Linaldo Guedes, ele sugeriu que eu contasse essa história de amor em capítulos, daí o livro foi se formando aos poucos e quando percebi já tinha finalizado a obra”, afirma a autora que está concorrendo à edição deste ano do Prêmio Kindle de Literatura.

*O nome Pablo é um pseudônimo.

Nadador paraibano Daniel Azevedo ganhou nos 100 Costas e pontuou bem nas demais provas do Campeonato Brasileiro de Inverno Juvenil

Posted on

Estreando no Campeonato Brasileiro de Inverno Juvenil de Natação Arthur Sampaio Carepa como campeão nos 100m Costas e ainda com o feito de baixar seu tempo de 59.98 para 59,90, o nadador paraibano Daniel Azevedo Macena Gomes tinha potencial para trazer mais medalhas, mas, pontuou no 4º lugar nos 200 Medley e na 5ª posição nas provas dos 200 Costas e 100 Peito. O torneio foi disputado em Recife, entre os dias 28 e 31 de julho, no Parque Aquático Santos Dumont. O atleta paraibano disputou essas quatro provas, representando o Clube Acqua R1, de João Pessoa, e mesmo não trazendo outras medalhas se destacou entre os melhores atletas da competição nacional.

Acostumado a subir ao pódio em todas as competições que participa, Daniel sentiu um gostinho de quero mais, mas, humildemente, reconheceu que não foi tão bem quanto ele gostaria. “Cansei muito nas provas, senti o reflexo da falta de competições, muito embora eu tenha intensificado os treinos, enfim, foi uma boa experiência, pude reencontrar os amigos, consegui melhorar dois tempos, conquistar uma medalha de ouro e agora é voltar e me dedicar bastante aos treinos e me preparar para as próximas competições”, disse o atleta, que treina no Clube Cabo Branco, com o treinador Stephano Vieira.

Embora não tenha tido os resultados que esperava nas provas dos 200 Medley, 200 Costas e 100 Peito, a participação de Daniel no Campeonato Brasileiro foi um diferencial para o Acqua R1, já que além do Ouro, ele pontuou em todas as provas que participou, uma vez que os resultados do 1º ao 8º lugar são levados em consideração para efeito de avaliação e pontuação dos Clubes. O desempenho de Daniel ajudou o seu Clube a ficar na 18ª posição, em uma competição com 53 Clubes de várias cidades do país. Modesto, o atleta que valoriza muito a atuação de sua equipe, disse não atribuir o resultado apenas a sua performance. “O trabalho foi de uma equipe toda e isso favoreceu a conquista desta colocação”, falou Daniel, fazendo jus a grandes personalidades do esporte que sabem reconhecer que o mérito das vitórias não é apenas do atleta, mas, do conjunto de pessoas que o acompanha rumo ao pódio.