Author: News Comunicação

Deputado Jeová Campos está em João Pessoa e continua no hospital apenas para observação

Posted on

O estado de saúde do deputado estadual Jeová Campos é estável, sem sinais de nova hemorragia e ele está bem. O parlamentar permanece hospitalizado no Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, apenas por uma questão de precaução e observação de como se comporta seu organismo depois do procedimento de cauterização de uma úlcera, que se rompeu no último domingo (26) e provocou uma hemorragia digestiva. Jeová chegou ontem (27) a capital paraibana, por volta das 19h, vindo de Sousa, sertão paraibano, onde estava internado no hospital Santa Terezinha, onde foi realizado a endoscopia e a cauterização.

Ele não precisou ir para a UTI e está num apartamento do hospital Nossa Senhora das Neves. Não há restrição de visitas, nem de condutas, apenas a necessidade de repouso e observação para ver como se comporta, nestes primeiros dias, o organismo do parlamentar. “Estou bem, venci mais essa batalha, Deus deve ter um propósito para me livrar de tantos riscos e da morte mais de uma vez”, disse Jeová que já superou, nos últimos anos, duas dengues, uma delas hemorrágica e já se curou de um câncer na laringe, entre outras intercorrências menos grave. “O sertanejo é antes de tudo um forte e eu nasci nos rincões do sertão paraibano, deve vir dai minha fortaleza”, brincou o parlamentar que precisou tomas bolsas de sangue no último domino, devido a uma grande perda de sangue por causa da hemorragia que sofreu.

O que aconteceu

O deputado estava na casa de sua mãe, em Cajazeiras, no último domingo, se preparando para retornar a João Pessoa, quando passou mal e começou a vomitar. Familiares o levaram para o hospital regional da cidade onde ele teve os primeiros atendimentos. A transferência para Sousa se deu em função da necessidade da realização da endoscopia, exame que não é realizado no Hospital Regional de Cajazeiras. A volta para João Pessoa, nesta segunda-feira (27), foi uma orientação da equipe médica e também um pedido do parlamentar.

Jeová parabeniza carteiros pelo seu dia e se solidariza à luta da categoria contra a privatização da ECT

Posted on

Neste sábado, dia 25 de janeiro, é comemorado o Dia do Carteiro, uma das profissões mais respeitadas no país, em função da tradição e também da qualidade do serviço prestado e ainda da relevância do serviço. O deputado estadual Jeová Campos (PSB) ao mesmo tempo em que parabeniza a categoria, que é responsável pelas entregas de correspondências e encomendas em todo o Brasil, se solidariza à classe que se vê à mercê de um governo que não a valoriza e deseja privatizar os serviços prestados pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

“Estamos a comemorar o dia dos carteiros. Quando se fala em carteiros se fala em Correios e Telégrafos. Em tempos tão difíceis, quando um governo insensível, que se diz patriota, mas não tem o sentimento real de soberania nacional e está entregando esse grande patrimônio do povo brasileiro, os Correios, que existem desde 1963. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos vai completar 51 anos, ou seja, essa instituição que se confunde com a história da nossa gente, do nosso povo, infelizmente está para ser privatizada. Nesse instante eu abraço os carteiros, mas abraço também a luta contra a privatização, eu abraço o SINTET. A todos vocês do SINTET o meu mais irrestrito apoio e solidariedade. Contra a privatização, contra Paulo Guedes, contra Bolsonaro, contra essa política entreguista de nossas riquezas ao capital especulativo e viva aos carteiros, viva os Correios e Telégrafos enquanto instituição pública do povo brasileiro” disse Jeová.

Em Outubro de 2019, Jeová conduziu, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Comissão de Administração, Serviço Público e Segurança, uma audiência pública para debater a proposta de privatizações de empresas estatais apresentada pelo Governo Federal. Na ocasião, representantes de sindicatos e órgãos públicos ressaltaram a relevância do caráter estatal de empresas que prestam serviços relevantes ao país. De acordo com o deputado Jeová Campos, que foi o autor da propositura, a audiência fez parte de um processo de mobilização de forças para a não privatização de diversos órgãos. “Esse é um momento difícil. Aqui posso citar vários exemplos de órgãos estratégicos, tais como, a Dataprev, responsável pelo processamento de dados de vários órgãos do Governo Federal que estão na mira da privatização. Isso não pode acontecer. Estamos entregando tudo ao capital especulativo”, alertou o parlamentar.

O carteiro

O carteiro atua tanto dentro como fora da ECT. As atividades de um carteiro, portanto, são separadas em duas fases, a interna e a externa. Na primeira, o carteiro realiza a triagem dos malotes recebidos, separando de acordo com o endereço que ele irá percorrer e montando o seu percurso. A segunda é a entrega em si das correspondências. Em sua maioria, as entregas acontecem a pé, tendo ele que se deslocar em média uns 15 km e com um malote que pode pesar até 10 kg. Já no caso das encomendas as entregas são feitas por caminhões ou vans. “Neste dia 25 os carteiros recebem todo o carinho e respeito do povo brasileiro pelo esforço diário e também por manterem um serviço essencial”, finalizou o parlamentar.

Hospital do Bem: Pacientes comemoram cura após cirurgia e tratamento

Posted on

Dados do Instituto Nacional de Câncer – Inca atestam que o câncer de mama atinge 60 mil mulheres por ano no Brasil. Ele é o tipo de tumor mais temido pelas mulheres e com razão, já que é o mais incidente entre elas depois do câncer de pele não melanoma e também uma doença que mexe com uma parte do corpo da mulher que é muito significativa. Mas, com o avanço da Medicina e das técnicas cirurgicas e de tratamento, o diagnóstico da doença não significa mais uma sentença de morte. Os vários casos de cura atestam que é possível superar a doença e ressignificar a vida após esse episódio. E é isso que farão a partir de hoje as pacientes do Hospital do Bem, Franceilma da Silva, 32 anos, Maria Lúcia da Silva, 57 anos e Francisca Maria dos Santos, 53 anos, que nesta quinta-feira (23) tocaram o sino da cura e deram a volta por cima após realizarem, com sucesso, o tratamento cirúrgico e quimioterápico no Hospital do Bem, de Patos.

O momento do toque do sino, que simboliza que o tratamento realizado no Hospital do Bem surtiu efeito sobre a doença, foi acompanhado pela diretora do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, Liliane Sena, pela oncologista da unidade, Dra. Nayarah Castro, e pelo cirurgião oncológico do Hospital, Dr. Wostenildo Crispim. As pacientes Franceilma da Silva, da cidade de Mato Grosso, que iniciou seu tratamento em maio de 2019, Maria Lúcia da Silva, da cidade de Patos, que começou em agosto do ano passado e Francisca Maria dos Santos, de Brejo dos Santos, que se tratava desde julho de 2019, receberam alta nesta quinta-feira e tocaram o sino, após passarem por cirurgias e quimioterapias. O ateste da cura veio após a realização de tomografias de tórax e abdômen inferior, além das cintilografias que mostraram a inexistência de tumor pós-tratamentos. “Esses exames indicam que as pacientes que fizeram cirurgias no hospital e quimioterapia, durante seis meses, tiveram sucesso e não mais apresentam tumor neste momento”, afirma a Dra. Nayarah, lembrando que todas elas tiveram câncer de mama.

Ainda segundo a médica, é importante que ao menor sinal de nódulo endurecido ou caroço (no seio ou na axila), irritação ou aparecimento de irregularidades em alguma parte da mama, como afundamentos ou franzidos que fazem a pele parecer com uma casca de laranja, inchaço na mama toda ou em parte dela e vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo (bico do seio) e ainda ao se notar a saída de secreção pelo mamilo (que não leite), dor ou inversão do mamilo (quando o bico do seio fica para dentro), a mulher deve procurar um médico e fazer exames para afastar a possibilidade de câncer ou diagnosticar a doença em estágio inicial. “Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, maiores são as chances de cura”, disse Dra. Nayarah. O Hospital do Bem faz parte do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro (CHRDJC) e integra a rede estadual de saúde.

Diretor do AZ visita Geo Tambaú e conversa com alunos sobre nova metodologia exclusiva na Paraíba de ensino/aprendizagem

Posted on

Imagine uma metodologia de ensino/aprendizagem que engaja e motiva os estudantes desenvolvendo neles o gosto pelos estudos, os estimula a ter uma rotina mais eficaz de revisão de conteúdo e atividades e, consequentemente, atinge uma alta performance acadêmica. Esse método existe e foi utilizado, de maneira pioneira na Paraíba, no ano passado, com alunos das 3ª series do Ensino Médio do colégio Geo Tambaú. E foi para falar desta metodologia, que a partir de 2020 está disponível para todos os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do EM do Geo Tambaú, que o diretor do AZ, Felipe Sundin, visitou nesta quinta-feira (23) as turmas do 6º, 7º, 8º e 9º ano e conversou com alunos sobre essa nova metodologia já utilizada em outras 46 escolas no Brasil e, com exclusividade, em João Pessoa pelo colégio Geo Tambaú.

Durante sua passagem pelas salas de aula, acompanhado da coordenadora do Fundamental II, Maria dos Milagres, Felipe conversou com os alunos e buscou informações sobre as primeiras impressões do novo material que alia o livro físico (quatro volumes/ano, além do livro de Inglês e Filosofia) a uma plataforma digital de conteúdo amplo com todas as disciplinas, que disponibiliza vários recursos, entre eles, 40 mil vídeos aulas e uma infinidade de exercícios e atividades. “A proposta do AZ é tornar o estudo mais dinâmico e interessante e dar mais autonomia ao aluno que pode estabelecer com o método uma rotina mais eficaz de estudos, utilizando também uma plataforma digital com um conteúdo muito amplo de todas as disciplinas”, destaca o diretor que gostou do que ouviu dos estudantes essa manhã.

Entre outras observações positivas, os estudantes declararam que o material AZ é ‘mais fácil de estudar, é mais bonito graficamente, mais moderno, tem um conteúdo mais interessante e que ele é mais prático, completo e organizado’. “Gostei muito desse feedback inicial. É logico que os alunos estão começando a utilizar o material agora e que, portanto, essas primeiras impressões ainda são muito superficiais, mas, elas nos dão um norte positivo da receptividade deles e isso já é um pontapé inicial que nos anima”, afirma Felipe.

O diretor geral do Geo Tambaú, Danilo Abdala, que se reuniu antes do início das visitas com Felipe, lembra que todo o material AZ está em sintonia com o que preconiza a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e que o método é o que há de mais moderno e atual em termos de metodologia pedagógica. “O AZ oferece uma infinidade de possibilidades de aprendizado, tem um conteúdo fantástico, ferramentas que interagem com o aluno e os estimula a gostar de estudar e, sobretudo, é uma metodologia que ressignifica tanto a prática do professor em sala de aula, quanto o aprendizado do aluno que passa a ser protagonista de seu próprio aprendizado”, reitera Danilo. Ele lembra que o conteúdo AZ pode ser acessado com login e senha pelos professores e alunos e também pelos pais ou responsáveis.

O estudante Petly do Egito, do 7º ano, não perdeu tempo e de posse de seu login e senha já acessou o conteúdo do aplicativo e até viu alguns vídeos aulas. “Eu gostei. Tem bastante coisa para ver e os vídeos não são tão longos e são bem interessantes”, disse ele. O aluno Felipe Vieira, do 8º ano, filho da professora de Matemática Viviane, disse que o material tanto ajuda alunos quanto professores. “Eu gostei bastante e minha mãe que é professora daqui também. Então ele ajuda a todos, alunos e também professores”, afirmou o aluno, que gostou de encontrar os exercícios do livro físico também na plataforma digital, com a vantagem de no aplicativo ele ter explicações sobre a metodologia de resolução dos desafios propostos nas atividades. O aluno Samuel Targino, do 6º ano, foi outro que elogiou o AZ. “O livro é muito bom e o aplicativo também é importante”, disse ela ao diretor do AZ, mostrando o livro físico com exercícios já feitos até a página 36, de forma adiantada, além da solicitação do professor.

Nesta quinta-feira à tarde, o diretor do AZ se reuniu com os coordenadores do colégio para alinhar questões técnicas e aprofundar a nova metodologia de ensino e na manhã desta sexta-feira (24) ele vai conversar com os alunos do Ensino Médio sobre quais são as impressões deles neste início de ano. “Esse material do AZ que está sendo utilizado pelo Geo Tambaú é pioneiro e a escola é a única na Paraíba que dispõe de nosso método, de forma que os alunos do Geo Tambaú estão tendo um diferencial exclusivo e uma plataforma única que alia conteúdo e tecnologia em favor do aprendizado”, finalizou Felipe Sundin, lembrando que a estudante paraibana Damirys de Fátima Maciel, aluna Geo Tambaú, que foi nota 1000 no Enem, utilizou o método AZ ano passado.

Jeová Campos acha legítima greve dos servidores da Dataprev e diz que defender o órgão é uma questão de soberania nacional

Posted on

Os servidores da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) na Paraíba decidiram parar suas atividades, a partir desta quinta-feira (23), em função do desmonte da instituição previsto com o programa de desligamento voluntário que ‘maquia’ a demissão em massa proposta pelo Governo Federal. O deputado estadual Jeová Campos (PSB) acostou-se ao movimento dos servidores, que segue orientação nacional, e é contra a privatização da instituição. “O Governo não pode entregar de “mão beijada” uma tecnologia usada nos programas estratégicos e sociais do governo ao capital estrangeiro. Isso fere a nossa soberania até”. Disse o parlamentar.

“Já existe um programa de desligamento voluntário imposto aos servidores em todo o país. Isso tudo para sucatear e privatizar a Dataprev, que processa o pagamento mensal de cerca de 35 milhões de benefícios previdenciários. A instituição possui bens indisponíveis e indispensáveis ao país que é o cadastro de todo o seu povo. Entregar esses dados nas mãos de empresas privadas, para fazer o que bem entenderem, é um crime contra o Brasil”, disse o parlamentar. Jeová, inclusive, no início de janeiro ingressou com duas representações, uma delas endereçada ao Procurador Chefe da República na Paraíba e outra, ao Procurador Chefe do Trabalho, para que os órgãos intervenham judicialmente para impedir o processo de privatização da Dataprev.

Na Paraíba, existem 200 servidores públicos federais na Dataprev e eles seguem uma orientação nacional pela greve, bem como denunciam o fechamento de 20 unidades do órgão em todo o país. A Dataprev fornece soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação e responde pela gestão de dados da Previdência, do INSS e outros programas que são desenvolvidos para a execução de políticas sociais do Estado Brasileiro. “A greve é legítima e oportuna. Não vamos entregar tudo isso facilmente. É uma questão de soberania nacional”, concluiu Jeová, se acostando ao movimento paredista dos profissionais da Dataprev.

IFPB, prefeituras e Asplan se unem em projeto para revitalização de APPs da Bacia do Rio Gramame

Posted on

A Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) está empenhada na revitalização das Áreas de Preservação Permanente (APPs), Matas Ciliares e nascentes da Bacia do Rio Gramame. Nesta terça-feira (21) um grupo de trabalho formado pela direção do campus de Pedras de Fogo do Instituto Federal da Paraíba – IFPB, pelas prefeituras de Pedras de Fogo e de Juripiranga, Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Seman-JP) e Asplan, reuniu-se no IFPB de Pedras de Fogo para tratar de parcerias que visem à preservação do Meio Ambiente e à Educação Ambiental de todo o Litoral Sul da Paraíba, região de grande influência da cultura da cana-de-açúcar. A Asplan agora é parceira do IFPB em um projeto piloto de recuperação das APPs na Bacia do Rio Gramame e fomentará ações para condução da produção de compostagem e plantio de mudas nativas nas propriedades de fornecedores de cana ligados à Associação. O único desafio agora é recuperar as áreas invadidas, que são o ponto de tensão e também de partida de todo o projeto.

Segundo o Diretor Técnico da Asplan, Neto Siqueira, o projeto uniu o útil ao agradável porque os fornecedores de cana precisavam fazer essa revitalização, mas também queriam orientação e aval técnico de um órgão federal, a exemplo do IFPB. “Em 2020 esse será um dos pilares da Asplan, que é a educação ambiental e a revitalização dessas áreas. Vislumbramos, na reunião, essa restauração através dessa parceria que também inclui prefeituras que precisam dar um destino ao seu lixo orgânico e estão focadas na coleta seletiva e na produção de compostagem de grande qualidade para ser utilizada no plantio das mudas nas APPs”, comentou Neto.

As localidades da Bacia do Rio Gramame que serão revitalizadas foram apontadas em um estudo da Universidade Federal da Paraíba – UFPB no final do ano de 2018. A pesquisa foi encomendada pela Cagepa e Asplan e outras entidades que foram alertadas pelo Ministério Público Federal – MPF. “Fomos movidos por uma ação do MPF. Na época ficamos surpresos e propomos um estudo que foi feito pela UFPB. O MPF apontava os produtores de cana e as indústrias da região como os principais poluidores do Rio. No entanto, o diagnóstico da UFPB mostrou que não há resíduos de agrotóxicos nas águas e nem nas margens ou nascentes. O que retirou o peso da responsabilidade da poluição dos produtores de cana e colocou nas indústrias, visto que havia metais pesados presentes do Rio”, explicou o diretor técnico da Asplan.

Ainda assim, os produtores fornecedores de cana ligados à Asplan vão fazer a recomposição de suas APP’s, áreas destruídas, na realidade, por invasores de terras que se fixaram nas localidades e hoje produzem macaxeira, batata, e outras culturas de subsistência. “Temos um problema sério que são as invasões. E temos muitas. Só em uma fazenda tem 18 invasões. Eles, os invasores, entendem que área de APP não é de proprietário, é de governo, e invadem e destroem”, explicou o diretor técnico da Asplan, Neto Siqueira, salientando que no projeto que o IFPB está formulando, o primeiro ponto a ser revitalizado serão as áreas que ainda não foram invadidas.

“Vamos reflorestar, repovoando com a ajuda dos órgãos, que vão nos mostrar qual é a vegetação certa, do clima certo e, depois, quando a Justiça se pronunciar a respeito das áreas invadidas, também faremos a revitalização dessas áreas após elas sejam desocupadas.

O projeto: compostagem, mudas, plantio, recomposição

O projeto de revitalização das APPs da Bacia do Rio Gramame consiste no plantio de mudas nativas conforme o atual Código Florestal. Para isso, o IFPB aglutinou interesses e reuniu prefeituras também da região no projeto. Elas entrarão fornecendo o lixo orgânico para a produção de compostagem a ser usada nas APPs e o IFPB com o projeto e os estudantes que fabricarão esse adubo orgânico. “Vamos pegar o resíduo orgânico da poda, do resto de feira, etc, para fazer a compostagem que será usada para resgate de APP, mata ciliar. E já temos o projeto ‘Seu resíduo me alimenta’, que trabalha com a produção de adubo orgânico e a educação ambiental”, explicou o Diretor Geral do campus do IFPB de Pedras de Fogo, Frederico Campos.

Além das prefeituras, também foi convidada a participar a Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Seman-JP), que fornecerá as primeiras mudas para o projeto. Essas mudas, por essa vez, serão cultivadas no Parque Ecológico Silvio Milanez, localizado na cidade de Pedras de Fogo. “Lá os estudantes bolsistas conduzirão a compostagem e o cultivo das mudas que serão plantadas nas APPs”, salientou o diretor do IFPB de Pedras de Fogo, Frederico Campos.

O secretário da Seman, Anderson Fontes, destacou durante a reunião que o Parque será um instrumento importante para a conscientização da importância do lixo entre as pessoas da cidade. “O parque se torna aproveitável porque a realidade é que não se tem onde comprar adubo orgânico, bem como o próprio lixo orgânico para a produção da compostagem. Mas, quando se acha o caminho a própria população produz para você, bem como as associações”, disse Anderson.

O prefeito de Juripiranga, Paulo Dália, ressaltou que a situação das pequenas cidades e de seus lixos é premente e que o projeto é uma solução que deve ser duradoura. “O MPF pressiona e o que precisa ser feito é criar uma área piloto em que se faça tudo o que deve ser feito. Temos uma série de mudas e podemos produzir sua própria compostagem. A ideia é incentivar o comercio de resíduos e depois vamos montar uma unidade de triagem para talvez instalar uma fábrica de adubo orgânico”, contou o prefeito. Ele adiantou que para uma boa condução do projeto, porém, é preciso capacitar pessoal. “A educação é fundamental para saber o que se fazer com esse resíduo, capacitando para trabalhar”, frisou Paulo.

A preocupação com a educação ambiental e a capacitação também é preocupação do prefeito de Pedras de Fogo, Dedé Romão. “A gente está com essa preocupação da importância da separação do lixo. Estamos fazendo um trabalho pesado de conscientização. É um desafio, mas a prefeitura tem feito tudo que está ao seu alcance. Distribuímos baldes na feira, damos EPI. Queremos um projeto que dure. Não adianta a gente pensar num projeto que ele dure apenas alguns meses”, disse ele, agradecendo a parceria da Asplan. “Fico feliz com a presença dos produtores de cana para buscar saídas para ter soluções que aprimorem essa problemática do lixo e, além disso, ajudar a recuperar o meio ambiente”, disse Dedé, que foi à reunião acompanhado da coordenadora de Educação Ambiental de Pedras de Fogo, Josineide Macedo.

Agora, o próximo passo é em direção a selecionar o pessoal capacitado para atuar na compostagem no Parque Ecológico de Pedras de Fogo. O projeto ‘Seu resíduo me alimenta’, de estudantes do IFPB é o carro-chefe da captação dos resíduos para a compostagem. A Semam de João Pessoa fornecerá as primeiras mudas e os produtores de cana, através da Asplan, mostraram interesse em adquirir o restante da compostagem que não for utilizada na adubação das mudas que irão para as APPs.

GEO Tambaú recebeu novatos e veteranos no retorno às aulas com atividades diferenciadas

Posted on

às aulas com atividades diferenciadas

Integrar os alunos novatos, acolher os veteranos e ter a certeza de que todos tenham um primeiro dia de aula agradável e cheio de expectativas positivas. Esse é o grande desafio de toda escola no início de um novo ano letivo e o GEO Tambaú deu uma atenção especial a esse momento. Nesta terça-feira (21) foi o dia em que todos os alunos, da Educação Infantil à 2ª Série do Ensino Médio, iniciaram sua jornada 2020 e o clima foi de total acolhimento. Em cada turma, uma atividade diferente, uma dinâmica, apresentação de equipe pedagógica e de professores, aquela palavra amiga de coordenação e direção da escola sobre os novos desafios e objetivos a serem alcançados ao longo do ano letivo.

Na turminha do 5º Ano do Fundamental, por exemplo, os alunos experimentaram uma dinâmica integradora em que, divididos em grupos de meninos contra meninas, eles tiveram o desafio de juntos – cada um conduzindo um cordão, colocar uma caneta dentro de uma garrafa. Alunos novatos e veteranos unidos por um objetivo comum. A alegria e o aprendizado sobre a importância do trabalho coletivo e em grupo marcaram o dia dos pequenos.

Os 6º anos, que acabam de passar pela transição de Fundamental – Anos iniciais para Fundamental – Anos finais, foram recepcionados pela coordenadora Milagres Saldanha, que conversou com os alunos sobre essa nova etapa da vida e apresentou a equipe de apoio do Fundamental II. Na oportunidade, os estudantes também receberam um brinde de boas-vindas (um marca livro e um chocolate) com os dizeres: “Bem-vindo (a)! Sem o esforço da busca é impossível a alegria do encontro!”.

Já os alunos dos 7º anos ficaram entretidos no auditório do GEO criando um aplicativo no celular durante uma aula especial com os professores de Matemática. As turmas do Infantil também tiveram dinâmicas e outras saíram para conhecer o ambiente escolar nos seus mais variados detalhes.

Ao final da manhã, as 1ª e 2ª Séries do Ensino Médio (que iniciaram suas aulas nesta terça-feira, diferente das 3ª Séries que já estão tendo aula desde a semana passada), foram recebidas no auditório pelo coordenador André Luiz. Na ocasião, ele deu as boas-vindas aos novatos e veteranos e falou sobre alguns projetos do GEO que podem dar apoio para os alunos em seus estudos. André também falou dos resultados e o último ENEM, em especial sobre a aluna GEO nota 1.000 na redação. “Ela conseguiu 200 pontos, ou seja, nota máxima, nos 5 quesitos exigidos pela banca e vamos trabalhar tudo isso com vocês”, garantiu o coordenador.

Para encerrar o diretor do GEO Tambaú, Danilo Abdala, também deixou suas palavras de acolhimento do novo Ensino Médio. Além de apresentar os conteúdos e projetos pedagógicos que serão trabalhados durante o ano letivo, o diretor também lembrou que as turmas terão á disposição o melhor material didático do país. “O material AZ é excelente e vocês estão muito bem assistidos com essa equipe de professores que o GEO tem e, não à toa, temos uma aluna nota máxima na redação. Isso nada mais do que o arcabouço que ela formou e, lógico, a técnica que ele desenvolveu, para vencer esse desafio. Então, vamos juntos”, afirmou o diretor, confiante no planejamento feito e na retomada do calendário escolar e no potencial da escola de fazer diferente em relação ao crescimento dos seus alunos.

Damirys de Fatima Machado Maciel, aluna do GEO Tambaú teve nota 1000 na Redação do Enem

Posted on

Segundo dados oficiais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas – INEP, a estudante paraibana Damirys de Fatima Machado Maciel, 16 anos, aluna do GEO Tambaú, obteve nota máxima na redação da edição 2019, do Exame Nacional do ensino Médio (ENEM). “A avaliação com nota 1000 da nossa aluna respalda o nosso papel enquanto escola e nos deixa muito felizes”, destaca o diretor geral do GEO Tambaú, Danilo Abdala.

Damirys ficou surpresa com a colocação. Mas, as notas que a aluna sempre obteve no GEO, onde estuda desde a 1ª série do Ensino Médio, já eram um prenúncio de que ela se sairia muito bem em qualquer avaliação. Ela foi 1º lugar no 1º, 2º, 3º e 4º bimestres do prêmio Chaplin quando cursou a 1ª Série do EM, em 2017, e repetiu as avaliações no ano seguinte, quando cursou a 2ª Série. O Chaplin é um programa de avaliação e reconhecimento do Colégio GEO que premia alunos com alta performance de notas com bolsas de estudo.

Com um tema muito específico – “Democratização do acesso ao cinema no Brasil” – Damirys conseguiu obter a nota máxima na redação defendendo o acesso a sétima arte como essencial para o crescimento das pessoas e uma ação muito importante para a sociedade contemporânea. “Eu gosto de estudar e acho importante ter foco nos estudos e desta forma os resultados chegam naturalmente. O método AZ de estudos do GEO e outros recursos disponibilizados pelo colégio também fez muita diferença nessa conquista”, afirma Damirys que pretende cursar Jornalismo.

Para o diretor do GEO Tambaú, Danilo Abdala, ter uma aluna nota 1000 e tantos outros alunos com performances tão boas no Enem e em outros concursos só atesta a excelência e diferenciais do GEO neste processo de aprendizado. “Lógico que o esforço individual conta muito numa situação desta como o Enem, mas, se o estudante tem um aporte como o que damos aqui no GEO as conquistas ficam, com certeza, até mais fáceis”, afirma o diretor parabenizando a aluna Damyres e os demais estudantes da escola pelos excelentes resultados.

Jeová acredita que a implantação do Juiz de Garantia pode impulsionar a reformulação do Direito Processual Penal

Posted on

No final de 2019 o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei 13.964/19, originária do PL do pacote anticrime, que torna a legislação penal e processual penal mais rigorosos, obrigando os tribunais a implantar juízes de garantia. Mesmo suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado estadual Jeová Campos (PSB) coloca-se a favor do debate sobre a necessidade de juízes de garantia. Para ele, o Direito Processual Penal precisa ser reformulado, mas sem vieses politico, econômico ou partidário.

“O Brasil hoje faz um bom debate sobre os juízes de garantia e precisa formar seu sistema penal, processual penal e, mais ainda, precisamos encontrar o Direto como próprio direito. Não é possível que o Direito seja instrumentalizado a serviço da economia, da política ou dos partidos políticos, o que é mais grave ainda. É preciso que o Direito seja a ciência que rege o comportamento e a estrutura do Estado, que estabeleça o ser e o não ser, o dever ser e aquilo que é libertário. O Direito não pode estar aprisionado”, comentou o deputado.

Mais adiante, Jeová explica que no Brasil se implantou um Direto instrumentalizado à serviço de uma ideia. “Hoje, o Direito está servindo à política, ao combate à corrupção e isso está quebrando empresas. Está aí a Odebrecht, 240 mil empregados e 180 mil já foram demitidos. Não se preserva a empresa. Ao invés de punir quem faz o delito, infelizmente está quebrando quem gera emprego”, ressaltou o parlamentar.

Jeová concluiu dizendo que tem esperanças de que o Juiz de Garantia traga a efetivação da Justiça. “Espero que o Juiz da Garantia possa fazer uma reformulação do nosso Direito Processual Penal. Tenho muita esperança de que o sistema processual penal se reformule. Estamos ainda na herança ainda da Era Vargas. É preciso que institutos novos sejam construídos a partir da constituição democrática de direito”, afirmou o deputado.

Vale lembrar que o Juiz de Garantia é uma distinção entre os magistrados que atuam na fase inicial dos processos e os que decidem no final. Ele atuará na etapa pré-processual, por exemplo, de uma fase de investigação da Polícia Federal. Ele avaliará o cabimento ou não de medidas cautelares – uma busca e apreensão, bloqueio de bens, quebra de sigilo telefônico, etc.

Jeová parabeniza FAFIC pelos seus 50 anos de existência

Posted on

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) se pronunciou neste último sábado (18) parabenizando os 50 anos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras- FAFIC. Em suas redes sociais, o parlamentar lembrou da participação de diversas personalidades que trabalharam para a implantação da faculdade e da própria Universidade Federal em Cajazeiras e fizeram da cidade uma referência em Educação.

“Uma historia que merece ser escrita em livros, mas tem que ser escrita na memória da população de cajazeiras, do povo do sertão e da Paraíba. Dom Zacarias Moura, e sem dúvida o grande reitor, o grande reitor de todo esse projeto, o nosso Monsenhor Luís Gualberto de Andrade”, disse Jeová.

Para ele o nome do Padre Gualberto está intimamente ligado à educação em Cajazeiras. “Não é possível falar de universidade federal em Cajazeiras se não fosse a intervenção de nosso monsenhor Luís Gualberto de Andrade. É em nome dele que eu quero saudar a todos, em especial à direção da diocese, hoje representada pelo nosso Dom Francisco Sales, mas tantos outros que tiveram capacidade como Dom Zacarias, Dom Matias, Padre Raimundo, Padre Antônio, mas quantos padres não se dedicaram para que a FAFIC fosse o núcleo do pensamento educacional, da construção de uma Cajazeiras, de uma região movida pelo saber?”, explicou o parlamentar.

Jeová finalizou seu vídeo citando o fundador da cidade, o padre Inácio de Souza Rolim e sua paixão pela educação, que o motivou a construir o primeiro colégio nos sertões paraibanos. “Padre Inácio Rolim vive. Vive e se faz presente com essa grande obra que é a FAFIC. Inspirada em toda sua capacidade de pensar a ciência, a filosofia e as letras”, concluiu.