Author: administrador

Produtores canavieiros se reúnem e chegam ao consenso para indicação do nome de Hermano Neto para a Asplan-RN

Posted on

O nome do fornecedor de cana potiguar, Hermano Neto, foi consenso numa reunião realizada nesta terça-feira (19), em Natal (RN), como a melhor indicação para presidir a Associação dos Plantadores de Cana do Rio Grande do Norte. Essa indicação tem o aval dos produtores rio grandenses, além do presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Alexandre Lima e do presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) e da Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais que também participaram da reunião.

“A Associação do Rio Grande do Norte precisa de um presidente com o perfil de Hermano Neto para retomar o caminho do crescimento e desenvolvimento da cultura canavieira no estado e sobretudo para fortalecer a Asplan-RN, uma entidade que já teve seu apogeu, passou por períodos de dificuldade e que ressurgirá ainda mais forte”, destacou José Inácio, reconhecido na categoria como um grande líder canavieiro, além de produtor de sucesso.

O presidente da Feplana, Alexandre Lima, reforçou os argumentos de José Inácio, lembrando que o setor sucroenergético passa por um momento de grandes mudanças, principalmente, no tocante ao Renovabio e ao reconhecimento mundial da importância da atividade. “Dentro deste contexto de mudanças e reconhecimento da importância do setor, na atual conjuntura é fundamental recolocar a Associação do Rio Grande do Norte num lugar de destaque e isso será facilitado com Hermano Neto na presidência da entidade”, reiterou Alexandre, lembrando que o edital para convocação da Assembléia da Asplan-RN ainda será publicado, mas, a categoria avalia que o nome de Hermano será consenso.

Sobre ranking de produção no NE

Segundo a CONAB, o RN é o quarto maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, ficando atrás de Alagoas – AL, Pernambuco – PE e Paraíba – PB, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro maiores produtores da região.

Imunização com a vacina Coronavac dos profissionais do Complexo Hospitalar de Patos começa nesta quarta-feira

Posted on

Já com as doses da vacina Coronavac na unidade que foram enviadas pela Secretaria de Saúde do Estado, a direção do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) anuncia que a primeira etapa de imunização dos profissionais da unidade começa nesta quarta-feira (20) e só irá terminar quando todos os 812 trabalhadores da instituição forem vacinados. São duas doses da vacina que serão aplicadas num intervalo entre 14 e 28 dias a contar da data de imunização do primeiro esquema conforme explicou o secretário de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros.

“Esse é um momento para ficar na história, pois depois de 100 anos da gripe Espanhola, começamos a imunizar os paraibanos contra o coronavírus com a distribuição de vacinas para todo o território paraibano, para iniciarmos a imunização com a primeira dose, inicialmente, para os grupos prioritários que são os trabalhadores da saúde que atuam no front do Covid, além de pessoas acima de 60 anos e os acima de 18 anos que têm deficiência e que vivem em abrigos”, reiterou o secretário, adiantando que a SES já tem assegurado as doses da segunda imunização deste grupo específico.

Para o diretor geral do Complexo de Patos, Francisco Guedes, a chegada das vacinas na unidade tem um significado e importância ímpar. “Saber que nossos profissionais, que desde março passado, especialmente, aqueles que estão no setor de isolamento ajudando nossos pacientes a superar o Covid receberão a vacina para ficarem imunizados contra o vírus nos dá uma alegria e satisfação imensa, além de uma tranqüilidade muito grande”, disse o diretor.

A vacinação no Complexo que começa nesta quarta-feira (20), à tarde, obedecerá um cronograma por setores para que não haja aglomeração. “Todos os 812 profissionais do Complexo receberão a primeira e segunda dose da vacina Coronavac, portanto, não há motivos para todos irem ao mesmo tempo se imunizar. Começaremos o processo pelos profissionais que atuam na linha de frente do Covid e depois ampliaremos para os demais setores”, disse Francisco.

Hospital do Bem realizou quase 6 mil consultas e mais de duas mil sessões de quimioterapia em 2020

Posted on

Mesmo em um ano atípico de pandemia, o Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), não apenas manteve a prestação de serviços aos seus pacientes sem interrupção de tratamentos, como aumentou o número de atendimentos em relação a 2019, registrando um incremento de 93% no número de sessões de quimioterapia e 23% nas consultas no ambulatório de oncologia. “Redobramos os cuidados por causa da pandemia, já que os pacientes de câncer têm sua imunidade baixa e fechamos 2020 com um saldo muito positivo, inclusive de ampliação de atendimentos”, destaca o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes. Em 2020, o Hospital do Bem atendeu pacientes de 103 municípios, sendo a maior demanda de Patos, com um índice de 23%, o equivalente a 1.823 pacientes.

O balaço anual de prestação de serviços do Hospital do Bem, que é referência no tratamento oncológico para quatro tipos de câncer – Mama, Próstata, Pele e Útero – atesta que a unidade realizou 5.944 consultas e 2.463 sessões de quimioterapia, além de 507 cirurgias no ano passado. “Estabelecemos condutas e rotinas que protegessem ainda mais nossos pacientes, inclusive, não permitindo mais acompanhantes durante as sessões de quimioterapia para protegê-los da pandemia no ambiente do hospital e mantivemos nossos serviços assegurando a continuidade dos tratamentos aos nossos pacientes”, reitera o diretor geral.

Alem de Patos, os 15 municípios que mais referenciaram pacientes para o Hospital do Bem foram Sousa, com 355, Pombal, com 325, Santa Luzia, com 244, Coremas, com 167, Água Branca, com 153, Mãe D´água, com 111, Itaporanga, com 106, Teixeira, com 106, Paulista, com 101, Desterro, com 97, Condado, com 94, São Mamede, com 93, Brejo dos Santos, com 89 e Juru, com 87 pacientes.

A oncologista Nayarah Castro, que integra a equipe médica do Hospital do Bem, reforça a importância da unidade ter mantido seus serviços mesmo em meio à pandemia. “O tratamento do câncer é uma prioridade e não deve ser interrompido, pois o risco do câncer progredir ou a pessoa vir a falecer de um câncer, é bem maior do que o paciente falecer pelo novo coronavírus. O paciente que tem câncer deve se preocupar com o tratamento dele e isso foi uma prioridade para nós mesmo neste ano tão atípico como foi 2020”, reforça a médica, lembrando que a orientação de não interrupção de tratamento é da própria Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

Hospital de Patos atendeu mais de 43 mil pessoas e realizou 3140 cirurgias em 2020

Posted on

O balaço anual de prestação de serviços do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) mostra que a unidade, que integra a rede estadual de saúde, atendeu entre janeiro e dezembro do ano passado 43.257 pessoas e realizou 3.140 procedimentos cirúrgicos. A taxa de ocupação da unidade ficou em 76%. A maior demanda do hospital, que é referência para 60 municípios do sertão paraibano, foi na Urgência e Emergência onde se concentraram 32.356 atendimentos, seguido do setor de Ambulatório, onde foram atendidas 10.901 pacientes. Ao longo do ano 5.953 pessoas precisaram ficar internadas após darem entrada na unidade, contabilizando 1.933 diárias nas UTIs convencionais.

O relatório de gestão anual do hospital demonstra ainda que das 3.140 cirurgias realizadas, a maior parte delas, ou seja, 1.441 procedimentos foram na área de Ortopedia, seguida de Cirurgia Geral, com 681 casos, depois procedimentos oncológicos, com 507 cirurgias e em seguida procedimentos de cirurgia vascular, com 325 casos e mais 153 procedimentos Buco-Maxilo. Houve ainda 18 cirurgias de Urologia, oito de Otorrino e sete Cirurgias Plástica.

O setor de Exames Diagnósticos da unidade, que disponibiliza diversos exames de imagens, inclusive de Tomografia Computadorizada, realizou 19.146 exames de Raio X, 16.884 Tomografias Computadorizadas, 4.176 Eletrocardiograma, 3.211 Ultrassonografia e Ecocardiograma, 174 Endoscopia, 103 Colposcopia, 35 Ressonância Magnética, 23 Colonoscopia e 18 Cintilografia Óssea. O laboratório de análises clínicas da unidade, que funciona nas dependências do hospital, realizou 83.233 exames, registrando um acréscimo de demanda de 73% em relação ao ano de 2019.

O Hospital do Bem, que integra o Complexo no atendimento aos pacientes oncológicos realizou ao longo de 2020, 2.463 sessões de quimioterapia, num incremento de 93% deste procedimento em relação a 2019, quando foram realizadas 1.277 sessões no total. O ambulatório de oncologia da unidade realizou 5.944 atendimentos, 22% a mais que o ano anterior, quando foram realizadas 4.857 consultas.

O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, destaca como muito positiva a atuação da unidade ao longo de 2020, num ano atípico e sendo referência para casos de coronavírus. “No ano passado, nós tivemos que incorporar ao nosso serviço os atendimentos do setor Covid, e também conviver com essa pandemia mantendo a prestação de serviços aos nossos pacientes sem prejudicá-los e conseguimos não apenas isso, mas também aumentar a oferta de sessões de quimioterapia quase que dobrando a quantidade de atendimentos de um ano para outro. Nosso laboratório também registrou um acréscimo de serviços, principalmente, em relação ao setor Covid, de 73% e conseguimos suprir essa demanda”, reitera o diretor.

Francisco lembra que a atuação dos profissionais, em todos os setores e funções, foi fundamental para que a unidade conseguisse fechar o ano com todos esses dados. “Tivemos o aporte da Secretaria de Saúde, que aumentou leitos e aprovou melhorias e também de nossa equipe que arregaçou as mangas, se doou e fez acontecer. Quero aproveitar a oportunidade e agradecer nosso staff pelo compromisso, empenho, dedicação e profissionalismo com que trataram nossos pacientes e despenharam suas funções”, finaliza o diretor que assumiu a direção geral do Complexo em setembro do ano passado, com a licença gestação da ex-diretora Liliane Sena.

Deputado Jeová Campos lamenta morte de João Henrique e destaca postura de convicção e coerência do parlamentar

Posted on

A Assembléia Legislativa da Paraíba, lamentavelmente, teve mais uma baixa com a morte do deputado João Henrique, vítima de Covid, falecido nesta terça-feira (12). “Esse vírus é ingrato, covarde e desconhecido. João tinha um jeito próprio de ser, pensávamos diferente politicamente, mas ele tinha uma coisa que todo homem e mulher decente que passou pela ALPB deveria ter que era a palavra. Com ele era Sim ou Não. E em nome dessa convicção, dessa forma sincera e decente de ser, fica aqui o registro de minha admiração por ele”, disse hoje o deputado estadual Jeová Campos, ao lamentar a morte de seu colega de parlamento.

“Me solidarizo com a família de João, reforçando que sempre lembrarei dele pela sua postura e correção. Quando uma pessoa tem uma postura coerente com suas convicções e diz aqui dá certo ou aqui não dá, não tem duas palavras, deixa um legado de coragem, de ser decente, de não abrir mão de suas posições e assim sempre foi João e é assim que lembrarei dele”, reforçou o parlamentar cajazeirense.

Hospital de Patos atendeu 170 pessoas na Emergência e Urgência no final de semana

Posted on

O primeiro dia do ano movimentou o plantão da Emergência e Urgência do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) com o maior volume de atendimentos no final de semana do réveillon, onde deram entrada 103 pacientes. O segundo dia de maior movimento na unidade, de acordo com o relatório de prestação de serviços, foi no dia 02, quando deram entrada 91 pessoas. No dia 03, mais 63 pessoas foram atendidas no hospital. O plantão de menor movimento foi o do dia 31 quando 19 pessoas foram atendidas. Neste período, que compreendeu às 18h do dia 31 de dezembro e a meia noite do dia 03 de janeiro, um total de 276 pessoas foram atendidas e foram realizadas 18 cirurgias, sendo 16 de urgência e outras duas eletivas.
O relatório de gestão do hospital, que integra a rede estadual de saúde, apontou ainda que 32 pessoas deram entrada na unidade por causa de acidentes de trânsito, sendo 26 deles decorrentes de acidentes com motos, dois com bicicletas, dois com automóvel e ainda duas pessoas vítimas de atropelamento. Dos 32 acidentados, a maior parte deles foi da cidade de Patos, com 15 pessoas no total.
Na emergência, além dos casos envolvendo os acidentados com motos, os demais principais motivos dos atendimentos da unidade neste final de semana foram de pacientes com dor abdominal, queda da própria altura, dificuldade de respirar, dor no peito, dor no ombro, hipertensão, acidentes com animal peçonhento, entorse ou torção, dor no tórax, agressão física, dor no braço entre outros motivos.

Complexo de Patos atendeu quase 3 mil pessoas com Covid ou suspeita da doença entre março e dezembro do ano passado

Posted on

O relatório de prestação de serviços do setor Covid do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) atesta que entre março de 2020, quando começaram os atendimentos de pacientes com sintomas de síndrome respiratória sugestiva para o coronavírus, e dezembro último, a unidade realizou 2.828 atendimentos de pacientes no setor de isolamento. Destes, 752 pacientes precisaram ficar internados para concluir o tratamento. Nestes 10 meses de atendimento foram registrados 290 óbitos.

Um dos hospitais referência da rede estadual de saúde para casos de coronavírus no sertão paraibano, o Complexo tem, atualmente, 26 leitos de UTI Covid e 23 de Enfermarias Clínicas destinadas, exclusivamente, para pacientes com Covid-19. O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, lembra que o empenho, competência e dedicação da equipe multidisciplinar que atua no setor Covid da unidade tem contribuído muito para que a maioria dos casos atendidos na unidade tenham uma evolução positiva.

“Das 2.828 pessoas atendidas no setor Covid, entre março e dezembro do ano passado, 290 evoluíram para óbito. Todos os demais restabeleceram sua saúde e conseguiram superar a doença. Lamentamos a perda destas vidas, mas estamos muito gratos por poder ter salvo muito mais pessoas e, neste sentido, a atuação de nossa equipe, junto com o suporte que ofertamos, foram cruciais para esses resultados”, reitera o diretor.

Hospital Regional de Patos realizou 35 cirurgias e atendeu 161 pacientes na Urgência e Emergência no último final de semana

Posted on

O plantão do último final de semana no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) foi bastante movimentando, especialmente, no que diz respeito a realização de procedimentos cirúrgicos e atendimentos na Urgência e Emergência da unidade. Entre as 18h do dia 18 e até a meia noite do domingo (20), o hospital realizou 35 cirurgias, sendo 11 de emergência e outras 24 eletivas e atendeu 161 pessoas. O maior número de atendimentos se deu no plantão do dia 19, quando 77 pessoas deram entrada na unidade. No dia 18 foram atendidas 25 pessoas e no domingo outras 59.

Os acidentes de trânsito foram responsáveis pelo atendimento de 23 pessoas, sendo 19 delas envolvidas em acidentes com motocicletas, outras três que sofreram ferimentos por causa de acidentes com bicicletas e ainda uma vítima de atropelamento. Dos 23 acidentados, dez precisaram ficar internados para observação e procedimentos na unidade por complicações diversas. A maior demanda de acidentados foi da cidade de Patos, com oito registros, seguida das cidades de Desterro e Malta, com três vítimas em cada município.

Das 35 cirurgias realizadas, 16 procedimentos foram de Ortopedia, seguida de cirurgias oncológicas, num total de 14, e mais cinco cirurgias geral. Na Urgência Emergência, além dos casos envolvendo os acidentados com motos, os demais principais motivos dos atendimentos da unidade no último final de semana foram de pacientes com queda da própria altura, dor abdominal, dificuldade de respirar,contusões diversas, acidentes com animal peçonhento ou raivoso, entre outros motivos.

O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, afirma que o plantão do final de semana, mesmo com esse número de cirurgias, esteve abaixo dos padrões médios de atendimento da unidade. “Até tivemos menos atendimento que nos finais de semana anteriores e penso que isso já é reflexo da conscientização das pessoas que estão percebendo o aumento do número de casos de Covid e estão restringindo saídas e até viagens”, diz o diretor, lembrando que o Complexo de Patos é referência para cerca de 60 municípios do sertão paraibano, inclusive, para casos de coronavírus.

Quem captura carbono é o produtor por isso o crédito do CBIOs não pode deixar de fora quem planta reitera webinar da Feplana

Posted on

A Política Nacional de Biocombustíveis, o Renovabio, excluiu do acesso ao crédito de descarbonização (CBios ) os produtores da matéria-prima. Mas, essa exclusão é uma injustiça e uma aberração que deixa de fora, justamente, os maiores responsáveis pela captura de Carbono que são os que plantam no campo. Essa premissa foi reforçada e evidenciada nesta quarta-feira (09), durante a primeira webinar promovida pela Federação dos Plantadores de Cana do Brasil- Feplana. A palestra virtual contou com a participação do mentor do Renovabio e representante da Embrapa, Miguel Lacerda, com o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, com a representante do MAPA, Priscilla Maciel e ainda do deputado federal paraibano, Efraim Filho, autor do Projeto de Lei 3149, que altera a Lei do RenovaBio e garante o acesso aos créditos de descarbonização aos canavieiros do Brasil. O presidente da Feplana, Alexandre Lima mediou o evento.

Segundo a representante do MAPA, Priscilla Maciel, que fez a apresentação do Selo PROAR, que cria uma nova cultura de gestão da propriedade rural, a certificação da cana, através da rastreabilidade de toda a produção, é um passo fundamental para inserção dos produtores nesse mercado de CBIOs e a inclusão do setor produtivo numa agenda de sustentabilidade. “Essa injustiça cometida contra os produtores de cana, tirando-os da participação neste mercado de Crédito de Carbono, precisa ser revista e o primeiro passo é essa certificação”, reforçou ela, lembrando que, posteriormente, vai se criar um mercado de crédito de carbono voluntário, que agregará ainda mais valor a cana rastreada. Priscilla também fez a demonstração de como utilizar a plataforma do selo PROAR e reforçou que a proposta de inclusão dos produtores no acesso ao CBios não “entra em rota de colisão com os usineiros, mas, em rota de coalizão”.

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, lembrou que é preciso rever essa injustiça com os produtores o quanto antes e disse que se a inserção dos produtores no mercado de CBios não acontecer, ele pretende judicializar essa questão. “O Renovabio é um programa audacioso, mas, por enquanto só beneficia as indústrias, deixando de fora a gente que planta. Isso não é correto e precisa ser revisto o quanto antes. Já perdemos essa safra sem receber nada e não pretendemos perder a próxima”, disse José Inácio, adiantando que tem esperanças que o PL do deputado Efraim consiga reverter essa situação porque, segundo ele, caso contrário, ele vai judicializar. José Inácio disse ainda que é importante ver como dar celeridade a apreciação do PL no Congresso. “A pandemia atrapalhou também, mas é preciso que a gente faça pressão em Brasília para que as coisas andem de forma mais rápida”, disse ele.

Na opinião de Miguel Lacerda, o setor produtivo merece ser inserido nesse processo e ter direito a participar do mercado de CBios, mas ele acha que muito mais eficaz que votar o PL do deputado Efraim, seria mudar a regulação da ANP. “Penso que uma regulação e uma revisão no RenovaCalc iria ajustar a inserção dos produtores no mercado de CBios, sem necessariamente precisar de um PL para regulamentar essa questão”, disse ele.

Já o deputado Efraim Filho, que participou do finalzinho do Webinar em função de estar em uma reunião no mesmo horário, reforçou que o papel dele neste processo foi o de capitanear essa ação de transformação e mudança que beneficia também o produtor através da proposição de um PL que corrigisse essa distorção, mas que são os produtores que vivem o dia a dia no campo, que têm o conhecimento do que é importante para o setor que irão consolidar essa ação e dar embasamentos para que o mercado se readeque para reverter essa injustiça com a classe produtiva. “O PL ainda passará por comissões da Casa antes de ser apreciado em plenário e nesse processo a participação e acompanhamento dos líderes do setor serão fundamentais para que a gente consiga corrigir esse vazio que foi deixar de fora do CBios quem planta”, destacou o parlamentar.

O presidente da Feplana, Alexandre Lima, disse que embora boa parte dos industriais não queiram pagar o CBios aos fornecedores de cana, essa é uma luta legítima e que será encampada com muita energia e disposição. “Não é justo que na hora de somar nós sejamos parceiros, mas na hora de dividir essa parceria não exista. Nós sabemos que é um direito nosso participar deste mercado e vamos conseguir porque fazemos parte desta cadeia produtiva, inclusive, sendo os responsáveis pela maior parte de captura de carbono, já que é no processo produtivo que isso acontece em maior escala. Portanto, não vamos desistir de ter o que é nosso por direito”, disse ele, agradecendo a participação dos palestrantes e das pessoas que acompanharam a primeira webinar da Feplana.

Atleta paraibano Daniel Azevedo participa de campeonato nacional em Recife e ganha todas as quatro provas que disputou

Posted on

O nadador paraibano Daniel Azevedo já se acostumou a subir ao pódio nas provas que disputa, seja em campeonatos locais, regionais, nacionais e até internacionais. E não foi diferente nos últimos dias 04 e 05 quando ele nadou quatro provas do Campeonato Brasileiro, etapa Pernambuco, e foi o campeão em todas elas. Daniel venceu os 200 metros Peito com o tempo de 2.30.51, os 100 metros Costa concluindo a prova em 1.00.23, os 200 metros Costa com 2.17.66 e ainda foi campeão nos 200 metros Medley, com o tempo de 2.17.57.

Por conta da pandemia e para não ter aglomeração, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) encarregou cada Estado de fazer o seu campeonato e os que não tinham condições de realizar, como no caso da Paraíba, encaminharam seus atletas para outros Estados. Os tempos destas disputas serão registrados no histórico de cada atleta, valerão para ranking nacional e o atleta poderá participar da seleção brasileira. Daniel fez excelentes tempos nas provas, na categoria que disputou (Juvenil 1), ganhou todas as disputas, baixou seu tempo nos 100 Costas e fez o melhor tempo nos 200 Peito.

“As provas do Campeonato Brasileiro este ano, em função da pandemia, aconteceram em vários Estados simultaneamente. Daniel foi disputar as provas em Recife, na etapa Pernambuco, porque a Vila Olímpica está em reforma e não podia sediar as disputas pela Paraíba”, explica a mãe de Daniel, Daniele Azevedo, que é quem costumeiramente acompanha o atleta em todas as disputas dele no Brasil e no exterior.

Para o Atleta, que teve um ano atípico, com treinos reduzidos e até suspensão de treinamentos por um tempo, passou por situações adversas, 2020 não foi um ano completamente perdido, mas ficou longe de chegar onde ele planejou. “Não perdi o foco, voltei a treinar assim que os treinos foram liberados, mantive, mesmo que com restrições minha rotina de exercícios físicos e o mais importante é que não perdi o foco nas competições, nem a vontade de treinar. E embora eu não tenha reduzido muito meus tempos, consegui bons índices nas provas em Recife e acho que ficarei bem posicionado entre os atletas nas categorias que disputei”, disse Daniel.

Os resultados das disputas realizadas em vários estados do país ainda estão sendo computados pela CBDA. Mas, mesmo sagrando-se campeão das disputas, nenhum atleta que participou das provas receberá o título de campeão brasileiro em 2020, em função das provas terem sido disputadas em condições diferentes em cada localidade. Para Daniel, que pontuou muito bem, os resultados servirão para medição de performance junto a Confederação o que poderá propiciar convocações para competições futuras. O atleta paraibano tentou o índice (59.03) para participar do Troféu Brasil, mas só conseguiu atingir a marca de 59.98 ficando fora da disputa que poderia garantir sua convocação para integrar a formação da seleção brasileira que irá ao Campeonato Sul-Americano de Buenos Aires, adiado para 2021. A seleção será formada por atletas com menos de 20 anos, com o objetivo de dar experiência internacional para os jovens nadadores do Brasil.

Mas, independente da disputa no Troféu Brasil, Daniel tem chances, pelos índices alcançados, de estar entre os convocados não apenas para o Campeonato Sul-Americano, mas, também para as Olimpíadas. “Vamos aguardar o resultado. Estou com bons tempos e ainda treino para melhorar ainda mais”, diz ele, que com apenas 15 anos já é um atleta de nível internacional e desponta no cenário brasileiro de Natação como um dos grandes nomes da atualidade.