Month: janeiro 2022

Hospital Regional de Patos realiza 16 cirurgias e atende 144 pessoas no final de semana

Posted on

O balanço de atendimentos do plantão do final de semana, referente ao período das 18h da última sexta-feira (28) até a meia-noite deste domingo (30), do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro (CHRDJC), de Patos, registra a realização de 16 cirurgias, sendo nove de emergência e sete eletivas, e o atendimento a 144 pacientes, dos quais 21 decorrentes de sinistros de trânsito. Comparando os dados deste final de semana com o passado, a unidade teve uma queda de 20% nos atendimentos de urgência e emergência e de 16% nos sinistros de trânsito.

O plantão de maior movimento foi o do domingo, quando 68 pessoas foram atendidas, seguido do sábado, com mais 58 pacientes. Na sexta-feira, outras 18 pessoas foram atendidas, entre as 18h e a meia-noite. Dos 21 pacientes que deram entrada vítimas de sinistros de trânsito, a maioria deles foi com acidentes envolvendo motos, com 19 casos, além de dois casos de bicicleta. A cidade de Patos teve o maior número de vítimas, com oito casos no total, mas o hospital também atendeu pacientes acidentados vindos das cidades de Belém do Brejo do Cruz, Coremas, Desterro, Emas, Imaculada, Itaporanga, Malta, Santa Teresinha, Teixeira e São José do Bonfim.

Na Urgência e Emergência, além dos casos envolvendo os acidentados com motos, os demais motivos dos atendimentos neste final de semana foram de pacientes com queda da própria altura, dor abdominal, sintomas de síndrome gripal, contusão diversa/pancada, dor no peito, agressão física, náusea e vômito, dor de cabeça e dor no tórax, entre outros motivos. Das 16 cirurgias realizadas, seis foram oncológicas, quatro ortopédicas, outras quatro vascular e ainda duas cirurgias geral.

Colégio AZ João Pessoa inicia aulas das turmas da Educação Infantil, Fundamental Anos Iniciais e Finais e das 1ª e 2ª Séries nesta terça

Posted on

Os alunos da Educação Infantil, Fundamental Anos Iniciais e Finais e os estudantes da 1ª e 2ª Séries do Ensino Médio do Colégio AZ João Pessoa começam o ano letivo nesta terça-feira, 1º de Fevereiro. Os alunos do 3º ano iniciaram as aulas na semana passada, no dia 25. A diretora geral do AZ, Veronica Monteiro, argumenta que o colégio decidiu fazer a acolhida dos terceiranistas antes e a dos demais alunos somente essa semana por uma questão estratégica em tempos de pandemia.

Veronica lembra que na acolhida dos alunos do terceiro ano foi feita uma pergunta sobre qual o segredo para alcançar o sucesso e muitas palavras surgiram. “No painel de respostas destacou-se as palavras dedicação, força, estabilidade emocional, esperança, esforço e muitas outras, mas, o que nos chamou muita atenção foi a alegria e entusiasmo dos alunos estarem de volta à escola”, diz a diretora, destacando que, especialmente, para os terceiranistas esse ano será muito puxado. “O lema é estudar, estudar e estudar”, reitera ela.

Em um vídeo publicado nas redes sociais da escola, a diretora reforça o compromisso da instituição com a proteção de seus alunos e colaboradores e afirma que o colégio está preparado para voltar a vivenciar o retorno das aulas 100% presenciais. “Estamos preparados para esse novo momento de pandemia que a gente sabe que gera insegurança em pais e nos alunos também, mas, preparamos esse retorno presencial com muita segurança”, disse ela, reforçando que os protocolos de biossegurança da escola são chancelados pelo Albert Einstein, com rígidos procedimentos e ações de proteção que não apenas são rigorosamente aplicadas, como são averiguadas e acompanhadas pelo Albert Einstein.

A decisão de construir e quem contratou a obra foi Dilma, Bolsonaro apenas inaugurou afirma Jeová sobre Canal de Caiçara

Posted on

A abertura das comportas da Barragem de Caiçara, que possibilitou a chegada das águas no Açude de Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, enche de esperança os sertanejos paraibanos e um deles, em especial, se emociona bastante quando lembra que antes da chegada das águas houve muita luta para que tudo isso se concretizasse. É o deputado estadual paraibano Jeová Campos. Sertanejo, filho de agricultores, ele bem sabe o quanto a questão hídrica impacta na vida das pessoas e do quanto muita gente teve que lutar para que as águas do velho Chico chegassem aos rincões dos sertões nordestinos. Ele lembra que o canal só existe por uma decisão da ex-presidente Dilma, que acatou um pedido da Frente Parlamentar da Água da ALPB, então presidida por Jeová para realização da obra. “Bolsonaro apenas inaugurou a obra, quem tomou a decisão de fazer foi Dilma, quando veio inaugurar o túnel Cuncas II e quem identificou a necessidade deste canal foi a Frente da ALPB”, afirma o parlamentar.

“Antes da abertura destas comportas para liberação das águas para o canal, na última sexta-feira, muita luta se travou para que as águas chegassem à Barragem de Boa Vista, localizada em São José de Piranhas. Essa estrutura, a maior do gênero de toda a transposição, com capacidade de armazenamento de 260 milhões de metros cúbicos, tem a marca dos governos do PT e isso ninguém tira”, reitera Jeová, lembrando que a água de Caiçara já está chegando a Engenheiro Ávidos, cujas comportas estão abertas para o Rio Piranhas que, por sua vez, deságua em Assu, no Rio Grande do Norte.

“Com essas águas, os sertanejos poderão ter a tão sonhada segurança hídrica. E com isso se amplia as oportunidades de crescimento e desenvolvimento da região e, consequentemente, de qualidade de vida. É um sonho que se concretiza e o resultado de muita luta para chegar a esse estágio e estou muito feliz de olhar para trás e ver que minha luta e de tantos companheiros não foi em vão”, enfatiza Jeová.

Complexo de Patos remaneja leitos e amplia assistência aos pacientes Covid

Posted on

Um verdadeiro mutirão aconteceu na noite desta quarta-feira (26), no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC). Isto porque, funcionários de vários setores redirecionaram leitos para serem utilizados por pacientes com coronavírus. A ação emergencial foi necessária em função da unidade ter atingido 100% de ocupação nos leitos de UTI e Enfermaria Covid. Com essa readequação de leitos, o Complexo dobra sua capacidade de atendimento na Unidade de Terapia Intensiva, saltando de cinco leitos de UTI Covid para 10 leitos e de 19 leitos de Enfermaria para 31.

“Não estamos medindo esforços para ampliar a assistência aos pacientes com Covid e esse remanejamento de espaços está dentro deste contexto que representa o esforço e empenho da rede estadual de saúde na assistência aos pacientes com coronavírus”, afirma o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes. Ainda segundo Francisco, os leitos Covid tinham sido redirecionados para atender pacientes com outras enfermidades no final do ano passado com a acentuada queda do número de doentes, mas diante do atual cenário de aumento de casos de coronavírus, os leitos voltarão a ser utilizados por esses pacientes.

Ainda de acordo com Francisco, mesmo com a lotação dos leitos de Covid em Patos, os pacientes continuaram sendo assistidos pela rede estadual de saúde. “Nós temos uma atuação em rede que possibilita que quando uma unidade lota, outra receba o paciente, mas, mesmo assim, a rede tem limites também, então, na atual conjuntura a população também precisa fazer sua parte e ajudar no que lhes compete para evitar ampliar a disseminação da doença”, reitera ele, lembrando que as medidas preventivas são simples e fáceis de serem cumpridas. “Lavar as mãos com frequência, usar máscaras e evitar aglomerações são basicamente as ações que as pessoas precisam seguir neste momento de nova onda da doença”, lembra Francisco, enfatizando que aos primeiros sintomas da doença, a pessoa deve procurar assistência médica e manter-se isolado.

Estação Experimental de Camaratuba segue em defesa do meio ambiente com alta de 11% na produção de controladores biológicos

Posted on

O Brasil vem se destacando no avanço do controle biológico de pragas nos campos. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, o país é uma liderança mundial no uso do controle biológico nas lavouras e também exporta tecnologias da área para outros países. São mais de 23 milhões de hectares com aplicação desse tipo de manejo no Brasil. Na Paraíba, a Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), seguindo esse movimento em defesa do meio ambiente, também é uma grande produtora de insumos biológicos para o controle de pragas na cana-de-açúcar. Em 2021, por exemplo, a entidade viu sua produção de vespa Cotesia Flavipes, utilizada para o controle da broca-da-cana, crescer 11,4% em relação ao ano de 2020 e tratar mais de 40 mil hectares. Além da Paraíba, os insumos produzidos pela Estação mantida pela Asplan são usados em propriedades de Pernambuco e do Rio Grande do Norte

A broca é uma espécie de larva de mariposa que provoca grandes perdas de produtividade na cultura da cana-de-açúcar. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), atualmente, o Brasil hospeda o maior programa de controle biológico do mundo. Registram-se mais de três milhões de hectares de cana-de-açúcar empregando os parasitoides Cotesia flavipes e Trichogramma galloi para o controle da broca-da-cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis) e o inseticida microbiológico com isolados do fungo Metarhizium anisopliae para o controle da cigarrinha-da-raiz (Mahanarva fimbriolata).

A Estação Experimental de Camaratuba, mantida pela Asplan, produz tanto a Cotesia flavipes quanto o fungo Metarhizium anisopliae. Em 2021, a biofábrica de Cotesia flavipes atingiu a marca de 240.000.000. Isso significa um crescimento de 11,4% em relação a 2020, quando foram produzidas 210.000.000 e 13,3% de crescimento em relação à produção em 2019, quando foram produzidas 180.000.000 unidades de Cotesia flavipes. Segundo o supervisor dos laboratórios da Estação Experimental, o biólogo, Roberto Balbino, em 2021 essa produção foi responsável pelo tratamento de 40.061 hectares, distribuído nos estados da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. “Foi uma marca surpreendente”, comentou Roberto.

Das áreas com cana-de-açúcar tradadas na Paraíba com a Cotesia flavipes produzida pela Estação foram 21.669 hectares, entre propriedades de usinas e fornecedores de cana. Em Pernambuco, a Cotesia flavipes produzida na Paraíba tratou 13.392 hectares e no Rio Grande do Norte foram mais 4.950 hectares. “Como uma entidade de produtores defendemos o uso de defensivos no combate às pragas, sejam eles biológicos ou não, mas, logicamente se pudéssemos erradicar todas as pragas com insumos biológicos priorizaríamos, já que o controle natural é ambientalmente mais natural e estamos muito felizes com esse incremento de produção da Estação no ano passado”, destaca o presidente da Asplan, José Inácio de Morais.

O Coordenador da Estação, o agrônomo Luis Augusto, lembra que existe um projeto em andamento para a produção de outros micro-organismos como, por exemplo, o fungo Trichoderma, e as bactérias Bacillus subtillis e Azospirillum brasilienses. “A ideia é produzir esses insumos em meio líquido e por encomenda e não mais no arroz como ainda é o Metarhizium. Com isso, aumentaremos a nossa atuação, pois esses outros micro-organismos ajudarão os nossos canaviais também na questão da promoção do crescimento, perfilhamento e no enfrentamento aos estresses abióticos”, destaca Luis.

Produção de fungos

Para manter as duas biofábricas (de vespas e de fungos), a Estação Experimental de Camaratuba conta com um quadro de 19 colaboradores, dentre eles, profissionais pós-graduados, graduados e técnicos, divididos na produção do parasitoide Cotesia flavipes e do fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae. Em 2021, segundo o coordenador técnico da estação, Roberto Balbino, a Estação produziu 22.825 quilos do fungo. “O Metarhizium foi responsável pelo tratamento de mais de cinco mil hectares na Paraíba”, apontou ele. “O fungo, além de controlar as cigarrinhas das folhas e da raiz, tem resultados satisfatórios em outras aplicações. Há vários estudos que falam das potencialidades do fungo, para controle de diversas pragas e doenças”, afirmou Roberto.

O serviço e a Estação

Além dos controladores biológicos, a Estação Experimental de Camaratuba também oferece apoio técnico para assistência de campo, um serviço realizado através de treinamento e orientação de pessoal para o manejo de aplicação e liberação de vespas e fungos. Roberto explicou que é rotina dos profissionais as visitas nas biofábricas e as visitas em campo para verificar o problema do produtor de cana in loco. “Trabalhamos em parceria e sintonizados com o produtor. Ele nos traz informações e nós, técnicos, levamos orientações”, afirmou Roberto.

Outro serviço importante realizado pela Asplan é o tira duvidas através do Whatsapp ou na própria biofábrica, onde o produtor tem orientação prática como proceder no manejo das principais pragas da cana. Para mais informações, basta ligar para (83) 3241-6424.Vale lembrar que os dois laboratórios mantidos na Estação Experimental são referência no Nordeste na produção de controladores biológicos de duas pragas que atacam canaviais e pastagens: a broca-comum (Diatraea spp.) e a cigarrinha da Folha (Mahanarva posticata).

A Estação está localizada na BR 101, próximo à entrada do município de Mataraca. A engrenagem foi instalada em 1979, através de um convênio entre o já extinto Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA)/Planalsucar e Asplan. No entanto, desde 1989, a Asplan assumiu a Estação para dar continuidade às pesquisas, à fabricação de controladores biológicos e ao cultivo de cana-semente de variedades promissoras.

Professores do Colégio AZ João Pessoa fortalecem e ressignificam papel de protagonistas no processo educacional durante Semana Pedagógica

Posted on

Ao retornarem às salas de aula para receber os alunos terceiranistas nesta terça-feira (25) e na próxima semana, a partir do dia 1º, os alunos das demais turmas, os educadores do Colégio AZ João Pessoa estarão, ainda mais, focados neste processo de ensino/aprendizagem. Isto porque, eles acabam de sair de uma imersão que trabalhou o fortalecimento e o sentido máximo do papel deles enquanto mediadores do conhecimento, na ampliação de horizontes dos estudantes e no fortalecimento de uma escola que tem um projeto educacional diferenciado e fará a diferença no mercado paraibano.

“A Semana Pedagógica foi extremamente produtiva, trabalhamos em cima de todos os materiais e recursos pedagógicos que a escola utiliza para que nossos estudantes se desenvolvam e se tornem alunos de alta performance” explica a diretora geral do Colégio AZ João Pessoa, Veronica Monteiro, complementando que esse trabalho foi construído de maneira coletiva pelos próprios educadores. “Alguns professores foram convidados a apresentar algo relacionado à sua área de conhecimento para os demais colegas e, assim, compartilhar talentos pedagógicos”, disse ela.

Ainda segundo a diretora, a Semana Pedagógica além de trabalhar todo o material e recursos usados pela escola, a direção também apresentou o Plano Diretor do AZ para o ano de 2022, detalhando focos, eixos e objetivos que serão aprofundados durante o ano letivo para entregar um serviço pedagógico de altíssima excelência ao mercado paraibano. “No final, fizemos uma avaliação bem positiva das atividades e fiquei muito alegre de constatar que os professores estavam muito felizes e se sentindo ainda mais valorizados de poderem ser protagonistas e participarem da montagem do Plano Diretor e de nosso projeto pedagógico para o novo ano letivo”, reitera Veronica.

As atividades da Semana Pedagógica do AZ João Pessoa contaram ainda com a participação da neurocientista, Cláudia Maria Sedrez Gonzaga, que abriu os trabalhos na segunda-feira (17) falando sobre aprendizagem, os mecanismos fisiológicos acionados para tal e como os educadores podem facilitar o processo dentro da sala de aula e também de consultoras da Conexia que atuaram de forma online, além, é claro do protagonismo dos educadores da escola. “Foi uma semana de muito aprendizado e fortalecimento de vínculos com esse novo projeto do AZ João Pessoa”, finaliza Veronica. A Semana Pedagógica do AZ aconteceu de 17 a 21 deste mês.

Direção e equipe de gestão do Colégio AZ João Pessoa dão as boas-vindas aos alunos terceiranistas no primeiro dia de aula

Posted on

Acolher: oferecer proteção ou conforto, amparar, apoiar, estar junto. São muitos os significados da palavra acolher e, nesta terça-feira (25), os alunos do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio AZ puderam sentir um especial acolhimento ao chegarem à escola e serem recebidos já na entrada pela diretora geral, Veronica Monteiro e a equipe de gestão da escola. Antes de irem para as salas de aula, eles passaram pelo auditório e conheceram a equipe pedagógica que estará com eles durante todo o ano letivo. A diretora geral do AZ, Veronica Monteiro conduziu o momento, com a abordagem de questões importantes para toda a comunidade escolar, com foco nos diferenciais para os alunos terceiranistas.

“Além de apresentar a equipe pedagógica que vai trabalhar com eles neste ano tão importante, eu falei das mudanças que aconteceram no colégio, nas ações necessárias no enfrentamento do Covid, reforçando a importância da prevenção e da adoção de posturas de biossegurança em tempos de pandemia, e disse a todos eles que esse ano é muito especial e que vamos pegar pesado com todos eles, no sentido de cobrar o cumprimento de muitas atividades, pois o terceiro ano é estudar, estudar e estudar”, disse a diretora, lembrando que além das atividades corriqueiras, os terceiranistas terão atividades extras e avaliações, praticamente todos os sábados.

Os alunos também ganharam um kit com alguns itens, entre os quais, chocolate e marcador de livro. “Os alunos chegaram eufóricos e animados e esse astral nos animou ainda mais”, disse Veronica, lembrado que na próxima segunda-feira (1º) acontece à acolhida para todos os demais alunos do AZ.

LOA também traz emendas impositivas de Jeová Campos para auxiliar projetos sociais em João Pessoa

Posted on

A Lei Orçamentária Anual de 2022 publicada na última terça-feira (18) traz três emendas impositivas do deputado estadual Jeová Campos destinando R$ 251.253,00 para projetos sociais mantidos por entidades sem fins lucrativos. Como um parlamentar que sempre atuou no fortalecimento e desenvolvimento da economia paraibana e na geração de emprego e renda, Jeová apresentou matéria para auxiliar, através de convênios ou congêneres, o custeio de projeto no Centro Integrado de Ações Comunitárias Pela Vida, da Associação de Teatro Artes e Yôga e Casa Pequeno Davi.

Para o Centro Integrado de Ações Comunitárias Pela Vida, que fica no bairro do Valentina, em João Pessoa, Jeová destinou R$ 101.253,00, mediante convênio ou similar, para custeio e manutenção das atividades desenvolvidos pela entidade a exemplo das capacitações de Informática, Cabeleireiro, Barbeiro, Unha em gel, Maquiagem, Atendente de Farmácia, Operador de caixa, Porteiro, Assistente Administrativo, e escolinhas de Ballet, Ginástica Rítmica, Judô e Jiu-jitsu.

Jeová também apresentou emenda impositiva destinando R$ 75.000,00 para o custeio do Projeto social “Gastronomia na comunidade: empreendendo sabores e saúde” que visa capacitar e gerar renda para mulheres beneficiárias do Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Estadual. O Projeto social “Gastronomia na comunidade: empreendendo sabores e saúde” é uma proposta desenvolvida pela entidade sem fins lucrativos Associação de Teatro Artes e Yôga.

E, por fim, Jeová também apresentou matéria para auxiliar o projeto social “Fábrica de Adereços”, desenvolvido pela entidade Casa Pequeno Davi, entidade civil sem fins lucrativos no Bairro do Róger, João Pessoa, que visa à formação de jovens de baixa renda com idade entre 16 a 21 anos. Para a entidade, o deputado destinou R$ 75.000,00 mediante convênio ou instrumento congênere. O projeto formativo visa gerar oportunidades para o desenvolvimento de habilidades nas áreas de marcenaria, serralharia, eletricidade, iluminação cênica, empreendedorismo, elaboração e execução de projetos na área de ambientação de espaços que abrigam festas e eventos do calendário junino, natalino e carnavalesco, dentre outros eventos públicos ou privados.

“Com esses projetos são atendidas comunidades que terão a capacidade de elaborar um plano de trabalho individual ou coletivo para atuação profissional e ajudarão outras pessoas, formando uma cadeia de benfeitorias. Entendemos que essa iniciativa está em sintonia com o que eu sempre defendi que é dar a oportunidade das pessoas se desenvolverem também através de projetos educacionais e culturais”, disse o deputado.

Hospital de Queimadas realiza ação com funcionários, pacientes e visitantes para destacar importância do ‘Janeiro Branco’

Posted on

Ao final de um ano e começo de outro, naturalmente, somos impelidos a refletir sobre nossa vida e como estamos lidando com os conflitos cotidianos. Também costumamos pensar sobre a qualidade de nossos relacionamentos, revisitamos nossas emoções, nossos últimos desafios e os que virão, nossos pensamentos e comportamentos. E foi considerando tudo isso que o mês de janeiro foi escolhido para representar a saúde mental no Brasil, denominando-se o “Janeiro Branco”. E foi justamente para lembrar a importância da saúde mental, que influencia diretamente em nossa qualidade de vida, que o setor de Psicologia e os integrantes da Comissão Permanente do Hospital Geral de Queimadas promoveu, nesta segunda-feira (24), uma ação para marcar o ‘Janeiro Branco’ na unidade. A atividade ocorreu em todos os setores e foi direcionada para funcionários, pacientes e visitantes.

Estima-se que em cada 100 pessoas, ao menos 30 sofrem ou sofrerão, em algum momento da vida, de problemas de saúde mental e isso não pode ser negligenciado. “O Janeiro Branco é uma campanha brasileira, iniciada em 2014, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental na vida das pessoas. O Janeiro Branco é uma campanha ao estilo da Campanha Outubro Rosa e da Campanha Novembro Azul. O seu objetivo é despertar para as questões e necessidades relacionadas à Saúde Mental e Emocional”, destaca o diretor geral do Hospital de Queimadas, Dr. Flávio Daniel, reiterando que uma humanidade mais saudável pressupõe uma cultura de Saúde Mental também.

Ainda segundo o médico, o mês de janeiro foi escolhido porque é nele que as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas para o ano que se inicia. “Em termos simbólicos e culturais, as pessoas estão mais propensas a pensarem e repensarem suas vidas, suas relações sociais, suas condições de existência, nessa época do ano”, lembra Dr. Flávio. A ação no Hospital de Queimadas foi desenvolvida em todos os setores e consistiu em distribuir material educativo e bandeirolas com frases alusivas ao Janeiro Branco, a exemplo de: “#O mundo pede saúde mental”, “Não deixe o cuidado com a saúde mental passar em branco” e “Faz bem para a gente cuidar da mente”.

Mesmo com a pandemia Asplan contabilizou mais de quatro mil atendimentos no setor de Assistência Social durante o ano de 2021

Posted on

A saúde de seus associados e familiares é mais uma preocupação da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) que, além de suas ações de assistência técnica e jurídica, mantém serviços de assistência social, que incluem atendimentos médicos e odontológicos. Ao longo de 2021, por exemplo, mesmo com a pandemia, a Asplan contabilizou 4.334 atendimentos gratuitos. Destes, 3.133 foram atendimentos no setor médico, incluindo exames laboratoriais e de enfermagem, e 1.201 foram consultas e procedimentos odontológicos.

O balanço geral do Departamento de Assistência Social da entidade contabilizou que somente no setor médico foram realizados 2.335 atendimentos clínicos/Ocupacional, tendo sido o mês de agosto o mais procurado, principalmente, no campo, com 565 atendimentos. Mas, teve ainda a realização de 673 exames laboratoriais e 125 atividades de enfermagem sob a coordenação do médico do trabalho, Dr. Tarcisio Campos.

Na área de Odontologia, a dentista Wilma Dantas, contabilizou 1201 procedimentos ao longo de 2021, em um total de 412 pacientes, entre associados, cônjuges e filhos destes, além de funcionários da entidade. Restauração de Resina Foto aparece no topo da lista dos procedimentos odontológicos mais realizados, com um total de 377 atendimentos, seguido de Tartarectomia, com 139 serviços realizados, e Aplicação de Flúor, com 93 atendimentos.

Vale destacar que mesmo com a pandemia, os atendimentos referentes à medicina do trabalho continuaram a ser realizados na sede da propriedade rural do associado, mediante agendamento prévio ou na sede da entidade, em João Pessoa. Os serviços médicos, incluindo exames admissional, demissional, periódicos, assim como procedimentos de enfermagem (curativos, medição de pressão, entre outros) são oferecidos pela Asplan no período da manhã, de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h. Já o setor Odontológico funciona de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

O presidente da Asplan José Inácio de Morais, destaca que a realização de quase cinco mil atendimentos de assistência social, mesmo em meio a um ano atípico de pandemia e de muitas medidas restritivas, mostram o compromisso da entidade com seus associados. “Queremos continuar disponibilizando esse serviço de excelente qualidade aos associados. Esse é um compromisso que vai além de nossas assistências técnicas e que visa contribuir com a saúde e bem estar de todos que integram a Asplan”, disse José Inácio, agradecendo a dentista, Wilma Dantas, e ao médico, Tarcísio Campos, pela parceria, dedicação e compromisso.