Month: fevereiro 2021

Ontem seria um dia de festa no Sítio Bom Jesus, mas foi só lamento e tristeza pela dor da partida precoce de José Hugo afirma Jeová

Posted on

Nesta quinta-feira (25), José Hugo Félix Lins, completaria 16 anos. No auge da mocidade ele tinha sonhos, era aluno do 9º ano da escola João Batista Campos, no Bom Jesus, distrito de São José de Piranhas, alimentava a esperança de ganhar o mundo, de ampliar horizontes além da cerca do sítio onde morava, ser alguém na vida quando crescesse. Seus pais, Jeová Lins e Maria Luiza Félix Lins, também viam seu filho crescer bonito, forte, destemido e alegre e também planejavam um futuro feliz para ele. Mas, ao invés de bolo e comemoração, esse 25 de fevereiro ficou marcado pela tristeza e lamento, além de um dor que não há descrição que a simbolize. Infelizmente, o jovem José Hugo, engrossou as estatísticas de vítimas da Covid e faleceu no dia de seu aniversário, em Cajazeiras. “Esse vírus que ignora o amor, que não tem compaixão, nem distinção de idade, raça, condição social deixa órfãos pais e filhos, acaba famílias, interrompe vidas sem a menor cerimônia. O que dizer para atenuar a tristeza de Jeová Lins, meu primo-irmão e de Maria Luiza, a mãe de José Hugo. Nem sei o que falar, a garganta engasga só de pensar em tamanha dor”, disse hoje (26), o deputado Jeová Campos, ao lamentar a morte do adolescente.

A morte por Covid é ainda mais cruel que por outras doenças, reitera Jeová, pois ela nos nega até a despedida do ente querido. “Ao ver a filmagem de Jeová Lins acompanhando solitariamente o carro que levava o corpo do filho, passa um filme na nossa cabeça. O do quanto somos frágeis e pequenos diante dos desígnios de Deus e o quanto essa doença é terrível e cruel”, afirma Jeová, questionando porque ainda há tanta gente que insiste em ignorar essa pandemia. “Não é brincadeira não. Está morrendo gente de todas as idades, com e sem comorbidades, gente pobre, gente rica, pois a manifestação do vírus é uma incógnita e ninguém sabe ao certo como o organismo vai reagir diante da doença, então, só nos resta se proteger e esperar pela imunização através da vacinação”, alerta o parlamentar lembrando ainda que as medidas preventivas de uso da máscara, do álcool em gel, de evitar aglomerações.

Sobre o caso de José Hugo

Ainda muito abalada, a família de José Hugo tenta entender a rapidez com que a doença o levou ao óbito e questiona até uma possível negligência médica. No último domingo, ele foi levado a UPA de Cajazeiras e depois da consulta foi liberado pelo médico para ir para casa. Na terça-feira, como o caso se agravava, ele voltou para a UPA com um exame de sangue que mostrava um PCR de 239, quando o normal é em torno de 6, mas, mesmo assim foi liberado para retornar para casa. A médica da UPA indicou para fazer o exame de Covid, mas, a coleta não foi feita na UPA, apesar dos sintomas que ele apresentava serem um indicativo de coronavírus. Mais uma vez, ele foi liberado, retornando depois para a UPA que, com o agravamento do quadro e após um Raio X, foi transferido na quarta-feira à tarde para o Hospital de Cajazeiras, com indicação de cirurgia no estômago, mas, foi a óbito poucas horas depois. “Diante disso tudo, penso que meu filho não teve a assistência que poderia tê-lo salvo, mas entrego a Deus a minha dor, na esperança que ele possa confortar meu coração que está dilacerado”, afirma Jeová Lins, o pai de José Hugo que comoveu muita gente num vídeo que viralizou na internet, ao acompanhar solitariamente o carro que levava o corpo de seu filho para o sepultamento.

Biólogo paraibano tem artigo de mestrado sobre a Cotesia Flavips publicado em revista de renome nacional e internacional

Posted on

O biólogo e mestre em Ciência Agrárias, Roberto Balbino, concluiu recentemente seu mestrado na Universidade Federal da Paraíba – UFPB, Campus III, e logo após teve seu artigo publicado na rsdjournal.org. O trabalho de pós-graduação do biólogo da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) foi sobre o tema “Aspectos comportamentais do parasitóide Cotesia Flavips”. O artigo, que aborda questões relevantes sobre a Cotesia, tem importância vital para o setor canavieiro porque dá condições de se conhecer mais profundamente o parasitóide que combate a Broca-Comum, uma das que mais causam prejuízos na lavoura canavieira.

“Fiquei muito feliz com o resultado do estudo para meu mestrado, fruto de muitas pesquisas e avaliações in loco, principalmente, no trato com esse parasitóide já que nós produzimos essa vespa utilizada no combate à Broca-Comum”, disse Roberto, lembrando que a Asplan mantém um laboratório de produção de insumos biológicos, em Camaratuba, que além de produzir a vespa, também produz o Metahizium anisopliae (Fungo), que combate outra praga da cana, a Cigarrinha da Folha.

Ele aproveita para agradecer o apoio recebido pela Asplan na complementação de seus estudos para o mestrado, lembrando que o trabalho desenvolvido na Estação é muito importante para a produção de insumos de combate biológico de duas das principais pragas da cana no campo. “Esse trabalho é fundamental tanto para a pesquisa científica, como também para apoiar a cadeia produtiva que tem na estação a garantia de produção de produtos de primeira linha”, reitera o biólogo, destacando que todo o estudo foi desenvolvido na Estação de Camaratuba, com total apoio da Associação.

O diretor técnico da Asplan, Neto Siqueira, destaca o empenho do biólogo Roberto no desenvolvimento de sua pesquisa de mestrado, enaltecendo que a Asplan tem muito orgulho de tê-lo em seus quadros. “Nós que integramos a Asplan temos muita satisfação de contar com o talento do Roberto e ficamos muito felizes de poder colocar nosso laboratório e o trabalho que desenvolvemos na estação à disposição de um estudo científico, colaborando desta forma também com a Academia e, sobretudo, com um estudo que vai beneficiar quem produz cana-de-açúcar”, reitera Neto.

Sobre o estudo

Dentre os múltiplos aspectos que perpassam pelo controle biológico e sustentável na cultura da cana-de-açúcar (Saccharumofficinarum), o estudo conduzido pelo biólogo Roberto privilegiou os aspectos comportamentais de Cotesia flavipes produzidas no laboratório da estação de Camaratuba, localizado no litoral norte paraibano, no município de Mamanguape. O objetivo foi avaliar o comportamento da produção em laboratório para melhor desempenho em campo. Os experimentos foram desenvolvidos no Laboratório de Produção Massal de Controle Biológico (LPMCB) da ASPLAN e realizados em delineamento inteiramente casualizado, em salas climatizadas com temperaturas de 21, 25 e 29 ºC, umidade relativa do ar variando de 70±10% e fotofase de 12 horas.

Foram utilizadas 34 lagartas (repetição) para cada temperatura, avaliando-se as seguintes variáveis biológicas: durações de ovo-larva; duração de pupa; adultos; quantidade de casulos por lagarta, viabilidade de pupas; razão sexual nas três temperaturas e a eficiência entre manipuladores masculino e feminino. Os resultados obtidos no estudo enaltecem que os aspectos comportamentais de parasitóides produzidos em laboratório apresentam diferenças em suas populações quando submetidas a diferentes temperaturas, tendo o melhor desempenho obtido na temperatura de 25 ºC, com eficiência de eclosão em 92,12%.

Hospital do Bem firma parceria com empresa que produz perucas e beneficia pacientes

Posted on

Uma parceria firmada nesta quarta-feira (24), entre a direção do Complexo Hospitalar Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, que administra o Hospital do Bem que integra a unidade, com a empresa Perucas Santa Catarina vai possibilitar que pacientes oncológicos recebam perucas de cabelos naturais. Caberá ao Hospital recolher os cabelos e enviar para a empresa que fará a confecção das perucas. O contrato firmado já está em vigor e como forma de consolidar a parceria, a empresa já doou 20 perucas que serão entregues durante uma ação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, no próximo 08 de Março.
“Sabemos que os cabelos é um item importante para manter a auto estima em alta e o tratamento oncológico, via de regra, afeta diretamente os cabelos. Daí, ser tão importante essa parceria que vai ajudar nossos pacientes a recuperarem a auto estima e enfrentarem o tratamento ainda mais motivadas”, explica o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, que junto ao diretor da Perucas Santa Catarina, Tiago Lamego, assinou o contrato, que não trará nenhum ônus para o Hospital, na noite desta quarta-feira.
Ainda segundo Francisco, no próximo dia 08 de Março as primeiras 20 perucas doadas serão distribuídas com as pacientes da unidade. “Vamos realizar uma ação em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e nada mais oportuno que distribuir as perucas, nesta data tão emblemática, para as nossas pacientes”, afirma Francisco, lembrando que por causa do período de pandemia, a comemoração será restrita e obedecerá todos os protocolos de proteção, principalmente, em função dos pacientes oncológicos terem sua imunidade baixa por causa do tratamento.

Asplan convida associados para participar de ação que fará a logística reversa de embalagens de agrotóxicos em Itapororoca

Posted on

No próximo dia 12 de março, durante todo o dia, os produtores rurais de cidades próximas a Itapororoca, terão à disposição um posto de coleta para entregar embalagens vazias de agrotóxicos. A ação, denominada Recolhimento Itinerante, é uma iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Prefeitura de Itapororoca, em parceria com a Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), a Associação dos Revendedores de Produtos Agropecuários do Nordeste (ARPAN), a Associação dos Engenheiros Agrônomos (AEA-PB), Federação Nacional das Associações de Centrais e Afins (FENACE), o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (CREA) e a Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP).

O objetivo da ação, explica o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, é facilitar o recolhimento dos recipientes, em atendimento ao que determina à Lei federal nº 9.974 de junho de 2000, que dispõe sobre a logística reversa de embalagens de agrotóxicos. O posto de Itapororoca funcionará no campo de futebol, localizado na saída da cidade sentido Araçagi, na PB 057. Os produtores que quiserem aproveitar a oportunidade de realizar o descarte correto das embalagens no local terão das 8 às 16h.

O coordenador do Departamento Técnico da Asplan, o engenheiro agrônomo Luís Augusto, lembra da importância da parceria para a destinação correta das embalagens. “O descarte correto das embalagens é obrigatório e a disposição de um posto de coleta facilita esse descarte”, diz Luis, lembrando que tudo o que for arrecadado será destinado a uma unidade de recolhimento da ARPAN.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, destaca que a Associação bem como os fornecedores estão comprometidos não só em cumprir a Lei, mas em preservar o meio ambiente. “Todos sabem que é preciso fazer a tríplice lavagem do recipiente e entregá-lo no posto montado durante a ação. Não podemos queimar, enterrar, jogar em lixo comum. Isso é contra a lei e contamina o meio ambiente e prejudica a saúde das pessoas”, disse José Inácio.

Ao entregar as embalagens de agrotóxicos com segurança a uma unidade de recebimento, que se encarregará de dar a destinação adequada do recipiente, como essa que será disponibilizada em Itapororoca, o produtor receberá um recibo que deve ser guardado e apresentado em uma possível fiscalização. “A lei só permite que o produtor guarde recipientes vazios de agrotóxicos até um ano. Depois disso, é preciso que ele faça a logística reversa”, reforça Luis, convidando os produtores, especialmente, os canavieiros a prestigiar a ação.

O descarte de embalagens de agrotóxicos precisa obedecer as regras vigentes
O descarte de embalagens de agrotóxicos precisa obedecer as regras vigentes

Deputado Jeová compara dados de mortes no Brasil e Cuba e afirma que país deveria investir mais na produção da vacina contra a Covid

Posted on

Com 46.197 registros de pessoas contaminadas pela Covid-19, das quais 40.979 se recuperaram e com um número de óbitos pequeno (304), Cuba prepara-se para ofertar aos seus 11,34 milhões de habitantes a vacina ‘Soberana 2’, produzida pelo Instituto Finlay de Vacinas de Havana. Para o deputado estadual paraibano Jeová Campos, o Brasil poderia se inspirar no exemplo de Cuba, investir em pesquisas e estimular a fabricação de vacinas contra a doença. “Cuba, mais uma vez, dá exemplo para o mundo, enfrentando essa pandemia estimulando seus cientistas a produzirem vacinas e já fala em imunizar em massa a população. Isso é o que deveria estar sendo feito aqui em nosso país”, afirma o parlamentar.

O deputado lembra que fazendo uma comparação com os dados do Brasil, proporcionalmente, em relação ao número de pessoas, há claramente uma discrepância no número de mortes. “Enquanto Cuba só registrou 304 óbitos, nós já estamos na casa dos 250 mil mortos e o número de óbitos não para de crescer. Essa segunda onda do Covid, ainda mais forte que a primeira, é não apenas uma constatação que a população não colaborou como deveria com as medidas restritivas, mas, sobretudo, que o governo Bolsonaro negligenciou e muito nesta pandemia”, afirma Jeová.

Os estudos clínicos da vacina ‘Soberana 2’ entram na fase 3 de testes clínicos agora em março e, segundo divulgação na Imprensa, o imunizante deve ser usado em caráter emergencial logo em seguida. “Enquanto assistimos perplexos o Governo Bolsonaro sequer ter um plano nacional de vacinação e ainda se recusar a comprar a vacina russa Sputnik V, Cuba nos dá uma lição de cidadania e respeito não só aos seus habitantes, inclusive, estendendo esse benefício aos turistas que visitarem a ilha este ano e ofertando as vacinas até para outros países, a exemplo de Vietnã, Irá, Venezuela e Índia”, destaca Jeová.

Jeová parabeniza o Hospital Napoleão Laureano pelos seus 59 anos de atuação

Posted on

“As pessoas que são assistidas pelo SUS, as pessoas mais humildes e as que não têm nenhum recurso são atendidas pelo Hospital Napoleão Laureano, uma casa de saúde que presta relevantes serviços aos paraibanos e hoje, quando ela completa 59 anos de atuação, faço um Voto de Aplauso para registrar e reforçar a importância do Laureano no atendimento aos doentes de câncer. Eu próprio sou testemunha da eficiência e competência do tratamento que oferta o Laureano, pois quando precisei me tratar encontrei lá tudo o que eu precisava, sendo muito bem acolhido como são todas as pessoas que precisam de tratamento oncológico na Paraíba!”, disse hoje (23), o deputado estadual Jeová Campos

O Voto de Aplauso proposto por Jeová não constava na Ordem do Dia da sessão remota desta terça-feira, mas foi incluído a pedido pelo parlamentar e acatado pelo presidente da ALPB, Adriano Galdino. “Eu conheço de dentro o Laureano, não falo apenas de teoria. Fui paciente daquela Casa e criei vínculos com ela para o resto de minha vida, aliás, a causa do câncer ela me movimenta e o fará por toda a minha vida”, refrçou Jeová, adiantando que está tentando marcar uma audiência com o presidente da Fundação Napoleão Laureano, Dr. Carneiro Arnaud, com o governador João Azevedo.

Complexo de Patos atende 185 pessoas e realiza 16 cirurgias no final de semana

Posted on

O plantão da Emergência e Urgência do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), neste final de semana, (19 a 21) registrou 185 atendimentos e ainda a realização de 16 cirurgias, sendo nove de emergência e sete eletivas. O plantão de maior movimento foi o do domingo, quando 86 pessoas deram entrada na unidade, seguido do plantão do sábado, quando foram atendidos outros 74 pacientes. Das 18h do dia 19 até a meia noite do domingo foram atendidas mais 25 pessoas.
O boletim de prestação de serviços do hospital aponta ainda que 26 pessoas foram atendidas no final de semana em função de acidentes de trânsito, sendo a maior parte deles (21) com acidentes envolvendo motocicletas. Houve também três pessoas acidentadas com bicicletas, outra com automóvel e outra com veículo de tração animal. A maioria dos acidentados, num total de oito pessoas, foi da cidade de Patos, mas houve registro de acidentados vindos das cidades de Água Branca, Catingueira, Desterro, Diamante, Mãe D’água, Malta, Matureia, Paulista, Quixaba, São Bentinho, São Bento, São José do Bonfim, Teixeira, Vista Serrana e até de uma cidade do interior pernambucano – Brejinho. Dos 26 acidentados, apenas dois precisaram permanecer internados.
Entre os dias 19 e 21, a unidade também realizou um total de 16 cirurgias, sendo seis cirurgias geral, outros seis procedimentos na área de oncologia, duas cirurgias ortopédicas e ainda uma vascular e outra de otorrino. Na emergência, além dos casos envolvendo os acidentados com motos, os demais motivos dos atendimentos da unidade neste final de semana foram de pacientes com dor abdominal, sintomas de síndrome gripal, queda da própria altura, dificuldade de respirar, acidentes com animal peçonhento, hipertensão, desmaios, convulsões, queda de nível, dor no peito, agressão física, contusão diversas, entre outros motivos.

Complexo de Patos atinge 85% de sua capacidade de UTI Covid e constata crescimento de internações

Posted on

Dos 26 leitos de UTI Covid do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), 21 deles estão ocupados, nesta segunda-feira (22), com pacientes que necessitam de cuidados intensivos para superar as intercorrências da doença. Com isso, a unidade atinge a marca de 85% da capacidade da UTI para esses casos. O relatório de gestão do setor Covid do Complexo aponta ainda que dos 20 leitos de Enfermarias Clínica Covid, 12 deles estão ocupados nesta data com pacientes com coronavírus.

“A taxa de ocupação da UTI vem se mantendo elevada, entre 60% e 80% nos últimos dias e estamos constatando, pelo aumento de internações, a expansão do contágio, por isso estamos em estado de alerta permanente, já que os quadros que requerem UTI são os das formas mais graves da doença”, afirma o diretor geral do Completo, Francisco Guedes.

Na expectativa do pronunciamento do governador João Azevedo, que nesta segunda anuncia medidas restritivas de circulação e atividades para conter a onda de transmissão da doença em todo o Estado, o diretor do Complexo reforça que o momento ainda é de muita cautela. “A cobertura vacinal ainda é muito baixa e não há outra forma de conter o avanço da contaminação que não tendo os devidos cuidados, tais como, a higienização das mãos, o uso permanente de máscaras e se evitar aglomerações”, reforça Francisco.

O setor de isolamento Covid do Complexo tem 26 -leitos de UTI Covid e 20 Enfermarias Clínicas destinadas, exclusivamente, para casos de coronavírus. A unidade é uma das referências para regulação de pacientes com suspeita ou comprovação da doença no sertão paraibano. “As unidades de saúde tanto públicas, quanto privadas, têm seu limite de atendimento. Nós não podemos colapsar o sistema de atendimento, porque se isso ocorrer as pessoas podem necessitar de um leito e não ter disponível como já ocorre em alguns estados do país. Então, a única forma de evitar isso é conter o avanço da doença e, neste aspecto, a população tem um papel fundamental para contribuir evitando aglomerações, usando a máscara e mantendo as medidas de higiene. São ações simples, mas extremamente eficazes que só requer boa vontade e bom senso”, reforça o diretor do Complexo.

Dados COVID no Brasil e na Paraíba

O boletim oficial de evolução da Covid no país, disponibilizado no link https://www.google.com/search?client=firefox-b-d&q=dados+covid+Para%C3%ADba com dados até 21/02/21, demonstra que o Brasil já atingiu a marca de 10.168.174 pessoas infectadas pelo Covid-19, das quais 9.095.692 se recuperaram da doença, no entanto, 246.504 brasileiros não tiveram a mesma sorte e morreram devido a complicações do coronavírus. Na Paraíba 212.286 pessoas foram infectadas, das quais 156.373 conseguiram se recuperar. Contudo, 4.356 paraibanos foram a óbito por complicações do Covid. “São dados que não podemos desprezar, porque além das mortes há muito sofrimento por causa da doença, sem falar no esgotamento das equipes de saúde, principalmente, os profissionais que estão na linha de frente desta árdua batalha contra um vírus que, recentemente, já se constatou estar em mutação”, finaliza Francisco Guedes.

Jeová Campos é novamente presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB

Posted on

O deputado estadual Jeová Campos assume, mais uma vez, a presidência da ‘Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente’ da Assembleia Legislativa da Paraíba. A definição dos titulares e suplentes das comissões temáticas da Casa aconteceu nesta quinta-feira (18). Além da presidência desta Comissão, Jeová também será membro titular na Comissão de Legislação Cidadã e suplente nas comissões de ‘Orçamento’ e ainda na de ‘Direitos Humanos e Minorias’, além de integrar o Conselho de Ética da ALPB. “Estou muito feliz de poder retomar a presidência desta Comissão pela abrangência com que posso trabalhar temas tão importantes para a sociedade como Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente”, destacou Jeová.

Essa é a segunda vez que o parlamentar assume a presidência da ‘Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente’. Na primeira vez que assumiu essa função, Jeová estava no segundo mandato de deputado e desenvolveu um belo trabalho de conscientização sobre a importância das obras da Transposição do Rio São Francisco com a realização de audiências públicas em todo o Estado. “Levantamos essa questão que é crucial para a resolutividade do problema da falta de água no Nordeste e cobramos das autoridades competentes a conclusão das obras, além de apontarmos as falhas no projeto inicial e os caminhos para solucioná-las”, lembra Jeová, destacando que vai trazer de volta esse debate uma vez que passados mais de cinco anos, as obras pouco avançaram e ainda não foram concluídas. “Vamos retomar essa pauta cobrando essa finalização”, diz ele.

Segunda dose da vacina Coronavac já está sendo aplicada nos profissionais do Complexo Hospitalar de Patos

Posted on

Assim que recebeu da Secretaria de Saúde do Estado o lote com a segunda dose da vacina Coronavac, a direção do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) iniciou a segunda etapa de imunização dos profissionais da unidade. Desde a última terça-feira (16), portanto, que começou a imunização dos colaboradores da unidade, que é referência para casos de coronavírus no sertão paraibano. A vacinação deve ser encerrada nesta sexta-feira (19), quando todos os 812 trabalhadores da instituição estiverem imunizados. A primeira dose da vacina foi aplicada em janeiro e a segunda dose está sendo dada agora, após um intervalo de 28 dias a contar da data de imunização do primeiro esquema com a Coronavac.

“A vacina nos dá mais tranqüilidade no dia a dia, principalmente, para os nossos profissionais que atuam na linha de frente do Covid. Completar o esquema vacinal é para nós uma alegria imensa, um alívio muito grande, pois a vacina é a única forma de imunização contra essa doença que tem matado tanta gente e deixado tantas famílias enlutadas em todo o mundo”, afirma o diretor geral do Complexo de Patos, Francisco Guedes. Ele aproveita para reiterar a importância da população manter os cuidados preventivos, principalmente, agora quando se percebe um aumento do número de casos de contaminação. “A cobertura vacinal da população ainda é pequena, portanto, precisamos manter os cuidados e medidas de higienização e proteção para ajudar a não disseminar o vírus”, afirma ele.

Francisco lembra ainda que o esquema de vacinação desta segunda dose no Complexo obedece o mesmo cronograma da primeira etapa, ou seja, por setores para que não haja aglomeração. “Todos os profissionais do Complexo receberão a primeira e segunda dose da vacina Coronavac, portanto, não há motivos para todos irem ao mesmo tempo se imunizar. Começamos o processo pelos profissionais que atuam na linha de frente do Covid e depois ampliamos para os demais setores com um posto de vacinação fixo e outro volante na área de isolamento”, disse Francisco, lembrando que nesta quinta-feira (18), o setor de isolamento Covid tem 70% de ocupação na UTI e 80% nas Enfermarias Clínicas.