Month: setembro 2020

Nova direção do Complexo de Patos realiza reuniões internas para ajustar procedimentos a fim de dar ainda mais agilidade aos processos

Posted on

Um hospital público que integra a rede estadual de saúde, que é referência para mais de 80 municípios do sertão em casos de Urgência, Emergência e Clínica Médica e também serviços oncológicos, através do Hospital do Bem, e que atende, em média, 100 pacientes/dia tem uma dinâmica de funcionamento e prestação de serviços que requer de todos os colaboradores o máximo de eficiência. E foi justamente para aprimorar essa eficiência, que o novo diretor geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Francisco Guedes, promoveu nesta segunda-feira (28) uma reunião geral com os coordenadores de todos os setores da unidade.

Pela manhã, aconteceu uma reunião com toda a equipe do setor de Compras, Financeiro, Licitação e Jurídico, e a tarde houve um momento com todas as coordenações de Enfermagem, as diretorias e coordenadores de setores. “Na semana passada conheci todos os setores, mas faltava um contato mais direto com cada um deles, daí porque convoquei essas reuniões que me deram um panorama mais preciso dos fluxos da unidade, da dinâmica de trabalho de cada um deles, identificando detalhes de cada setor, as questões que precisam de um olhar mais imediato para resolutividade das ações. Foram reuniões muito produtivas e que me deram uma visão ainda mais profunda da funcionalidade do Regional de Patos e que nortearão minhas orientações daqui em diante”, disse o diretor.

Além dos profissionais do CHRDJC participaram das reuniões uma equipe de apoio que atua no Hospital Regional de Queimadas, onde até então Francisco e sua equipe desenvolveram um trabalho modelo de eficiência hospitalar. “Essa equipe vai passar essa semana em Patos, numa espécie de ajuda mútua, interagindo com todos os setores, com o objetivo de agilizar as demandas da unidade. É também uma oportunidade deles conhecerem a realidade de uma unidade hospitalar maior e mais complexa, deixando aqui em Patos exemplos de experiências exitosas de Queimadas e levando daqui para lá outros conhecimentos. Na realidade, é uma rica troca de conhecimentos e experiências que tanto melhorará processos em Patos como também em Queimadas”, reiterou Francisco Guedes, que assumiu a direção geral do CHRDJC na semana passada, com a saída da ex-diretora, Liliane Sena, que assumiu nova função na SES.

Paciente de 62 anos vence a Covid-19 após quase 20 dias de internação em Patos

Posted on

A competência da equipe do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) e os serviços ofertados pela unidade de saúde estadual, que é referência para casos de Covid-19 no sertão, conseguiu recuperar a saúde do aposentado e produtor de doces caseiros, José Alves de Oliveira, que venceu o coronavírus. Diabético, com 62 anos, o paciente teve alta neste domingo (27) e voltou para casa onde reside em Brejo do Cruz, após quase 19 dias internado. “Quem me salvou foi Deus, que tocou o coração e guiou os médicos, enfermeiros e profissionais do hospital de Patos, uma equipe que trabalha com profissionalismo e muito amor. Eu me senti sendo tratado como uma mãe trata um filho, tamanho o carinho e atenção que tiveram comigo em Patos. Eu presenciei naquele hospital pessoas trabalhando com amor e isso faz muita diferença. Tenho muita gratidão por todos”, disse ele, emocionado.

Na alta do Sr. José, que chegou ao Complexo no dia 09 de setembro, teve até música, com o fisioterapeuta Hudlesson que tocou sanfona. De sua permanência na Enfermaria e depois na UTI Covid, o paciente guarda na memória um período de extrema reflexão e reforço em sua fé. Evangélico, mesmo nos dias em que respirava com dificuldade, o Sr. José não deixou de louvar e orar a Deus, pedindo a graça de ser curado e voltar para casa. “Em nenhum momento, eu perdi a fé e além de excelentes profissionais, sei que minha cura também foi intercessão de Deus. A oração me salvou. Os profissionais do Complexo foram guiados por Deus e mesmo nos momentos mais difíceis, que eu mal respirava, eu louvei a Deus”, disse ele, que teve comprometimento de 75% dos pulmões por causa do Covid-19.

Em casa, se recuperando e ainda com suporte de oxigênio, Seu José agradece as orações de todos que se uniram numa corrente de fé e não hesita em exaltar o trabalho feito no Complexo. “Lá, os profissionais trabalham com amor. A gente sente isso no olhar, no cuidar, no falar. Esse hospital de Patos me deixou saudade, mesmo com todo o sofrimento. Serei eternamente grato por todo o cuidado”, disse o Sr. José. Pai de duas filhas e seis netos, e casado há 40 anos com a Sra. Maria de Fátima, o aposentado ainda se sente um pouco cansado, mas nada comparado aos dias de dificuldade de respirar. “Só quem passa pelo que passei sabe o quanto esse vírus é cruel, mas, nenhum vírus é mais forte que Deus”, reitera ele, que começou a ser tratado no hospital de sua cidade, mas quando os sintomas se agravaram foi transferido para o Complexo de Patos. “No início era um incomodo na garganta, depois minha glicose foi se alterando, depois veio o cansaço e dificuldade de respirar”, disse seu José. Além dele, na sua família uma neta, a esposa e uma funcionária pegaram Covid, mas, todos com sintomas leves. Apenas o Sr. José evoluiu para necessidade de cuidados hospitalares.

“Durante sua permanência aqui, o Sr. José precisou de muita atenção e cuidados intensivos, pois o estado de saúde dele variou bastante nos 19 dias em que permaneceu internado no setor de isolamento COVID, mas, felizmente, ele agora se recupera junto de sua família como já fizeram tantos outros pacientes nossos que conseguiram superar essa doença. Costumamos dizer aqui que cada paciente que tem alta é uma vitória coletiva, pois, principalmente nesta questão do COVID, muito profissionais se revezam na atenção e cuidados com o paciente”, destaca o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes.

Entre março, quando o Complexo iniciou os atendimentos com pacientes de COVID-19, até essa segunda-feira, 28 de setembro, data do último relatório do Setor COVID, o Complexo de Patos já realizou 2.132 atendimentos a pacientes com coronavírus. Infelizmente, 150 pacientes não resistiram às complicações da doença e foram a óbito. O Sr. José, felizmente, faz parte da estatística positiva e da maioria dos casos de pacientes que conseguiu superar a doença. Em todo o país, mais de 141 mil brasileiros já perderam a vida por causa do COVID-19. “Não podemos ainda negligenciar com os cuidados preventivos, pois ainda não há vacina disponível no mercado e o vírus se manifesta com muitas mutações. Usar máscaras em locais públicos, higienizar frequentemente as mães e evitar aglomerações são medidas essenciais para se proteger”, reforça o diretor geral do Complexo de Patos, Francisco Guedes.

Após transição novo diretor do Complexo de Patos se reúne com equipe da SES para debater ações de melhoria para a unidade

Posted on

Com apenas quatro dias, efetivamente, à frente da direção geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), o novo gestor da unidade, o administrador, Francisco Guedes, já imprimi um ritmo de trabalho bem dinâmico. Essa semana, de segunda a quarta-feira, ele passou pelo processo de transição, conhecendo detalhes técnicos e operacionais do Complexo, recebendo da ex-diretora, Liliane Sena, todas as informações sobre o funcionamento e dinâmica do hospital. E ontem (24), ele se reuniu com técnicos da Secretaria Estadual de Saúde para debater ações de melhoria para o Complexo.

“Como o Complexo é uma unidade referência para mais de 80 municípios do sertão, a dinâmica do hospital não é simples, envolve mais de 700 funcionários, mais de 100 atendimentos/dia em média, diversas cirurgias e procedimentos, então é um hospital que requer uma administração ágil e com um olhar voltado para processos de melhoria contínua e é, justamente, isso que eu quero continuar fazendo. Meu ritmo de trabalho em Patos não será diferente do que foi em Queimadas, onde imprimimos uma administração que fez a diferença na melhoria de processos e, consequentemente, na própria dinâmica de atendimento aos pacientes e aperfeiçoamento de serviços”, destaca Francisco Guedes.

Como sugestões de aperfeiçoamento, o novo diretor já vislumbra algumas ações como melhorar o fluxo na Área Amarela da unidade, a ampliação dos leitos de UTI para atender as cirurgias aproveitando alguns leitos da UTI Covid que, em breve, deverão ser desativadas no isolamento para serem utilizados com pacientes de outras demandas. “Atualmente, o Complexo dispões de seis leitos de UTI geral e 20 leitos de UTI para pacientes Covid. A proposta é direcionar alguns destes leitos de UTI Covid para ampliar nossa capacidade de atendimento aos demais pacientes”, afirma Francisco, lembrando que isso, inclusive, já havia sido previsto pelo secretário de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros.

Na reunião desta quinta-feira, na Secretaria de Estado da Saúde (SES), Francisco estava acompanhado da chefe do Núcleo Financeiro de Queimadas, Daniele Farias, da Coordenadora de Compras do Hospital de Queimadas, Sandra Martins e da coordenadora do Setor de Compras do Hospital Regional de Queimadas, Suênia Monteiro, que darão um suporte técnico ao novo gestor durante esse período de transição. Francisco era o diretor geral do Hospital de Queimadas, antes de assumir a direção geral do Complexo de Patos, e ficou conhecido naquela unidade como um gestor firme, extremamente rigoroso com os processos, mas, uma pessoa aberta e receptivo a sugestões de melhorias e que estimula o trabalho em equipe por entender que a parceria e união de forças são essenciais para o sucesso de qualquer negócio.

Complexo de Patos foi um dos hospitais da rede estadual a receber doação de equipamentos da SES

Posted on

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) enviou, essa semana, equipamentos para alguns serviços de saúde da Paraíba e o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) foi uma das unidades da rede estadual contempladas com a doação. Os equipamentos doados faziam parte da estrutura do Hospital Solidário, construído no estacionamento do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, que serviu de suporte durante os meses de pico da pandemia do novo coronavírus na Paraíba.

Todos os itens doados ao Complexo chegaram em Patos na noite desta quarta-feira, já estão na unidade e se encontram no almoxarifado para inclusão no acervo do hospital pelo setor de patrimônio e a partir da próxima semana já estarão sendo utilizados no atendimento aos pacientes. O Hospital recebeu dez suportes para soro, seis carros para curativos, um oftalmoscópio, que é um equipamento utilizado em exames de olhos, trinta escadas de dois degraus para facilitar o acesso dos pacientes aos leitos, além de um bisturi elétrico, este último um item de muita necessidade numa unidade com a demanda de cirurgias e procedimentos como o Regional.

Para o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, todos os itens disponibilizados pela SES serão de grande utilidade na unidade. “Os itens que recebemos são amplamente utilizados no dia a dia da unidade e ampliarão nosso acervo, possibilitando assim uma melhor assistência aos nossos pacientes, principalmente, o bisturi elétrico, que era uma necessidade da unidade haja vista nossa demanda e o oftalmoscópio, que era um equipamento que a gente ainda não dispunha, de forma que recebemos essa doação com muita alegria”, disse Francisco que assumiu essa semana a direção geral do Complexo, em substituição a Liliane Sena, que passou a ocupar outra função na SES, antes de sua licença maternidade, que ocorrerá em novembro.

Jeová Campos teve todas as suas proposituras aprovadas na sessão da ALPB desta quarta-feira

Posted on

           Um dos deputados mais atuantes da atual legislatura, Jeová Campos, que exerce seu terceiro mandato no parlamento estadual, teve todas as suas proposituras incluídas na Ordem do Dia, da sessão remota desta quarta-feira (23), aprovadas. “Nosso mandato popular está em sintonia com os anseios e necessidades do povo paraibano e o que propomos, seja em que área for, sempre tem como foco a melhoria da qualidade de vida de nossa gente”, disse Jeová após o término da sessão legislativa de hoje.

            Além do PL 859/2019, que homenageia o ex-governador Wilson Leite Braga, denominando o açude público, situado no Distrito de Montevidéu, no Município de Conceição, com o nome dele, o parlamentar teve ainda três requerimentos aprovados pelos deputados. Um deles (11.317/2020), solicita ao governador do Estado da Paraíba e ao Comandante do Corpo de Bombeiros Militar, a disponibilização de um caminhão tanque para o 5º Batalhão de Bombeiros Militar da cidade de Cajazeiras. “Esse equipamento fará uma grande diferença no atendimento aos serviços prestados pela instituição no município”, argumenta o deputado.

            Outro requerimento (11.488/2020), pede que a ALPB promova estudos técnicos no sentido de instalar na cidade de Cajazeiras o sinal aberto da TV Assembleia. “Não tem sentido uma cidade importante como Cajazeiras, que hoje tem três representantes na Assembleia, e uma população considerável, não receber o sinal aberto da TV ALPB”, justificou o parlamentar.

            Outro requerimento aprovado (11.310/2020), diz respeito a uma solicitação ao Governador do Estado da Paraíba, João Azevêdo, e ao Secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, o cumprimento da Lei nº 11.566/2019, que instituiu no estado da Paraíba, o direito às crianças nascidas nos hospitais, maternidades e demais estabelecimentos de saúde, o teste de triagem neonatal, na sua modalidade ampliadas. “Estou insistindo nessa questão porque ela é de suma importância para o futuro de nossas crianças, na medida em que poderemos identificar doenças precocemente e trata-las em tempo hábil”, diz o deputado.

Deputado Jeová Campos teve todas as suas proposituras aprovadas na sessão remota desta quarta-feira

ALPB aprova por unanimidade iniciativa do deputado Jeová Campos que homenageia ex-governador Wilson Braga

Posted on

           O açude público, situado no Distrito de Montevidéu, no Município de Conceição, poderá, em breve, ser denominado Governador Wilson Leite Braga. Em sessão plenária remota, na manhã desta quarta-feira (23), os deputados paraibanos aprovaram, por unanimidade, o PL 859/2019, de autoria de Jeová Campos. A inciativa, fruto de um pleito da comunidade local, homenageia o ex-governador que ficou conhecido como um dos mais atuantes, inclusive, na realização de obras hídricas. “Essa singela homenagem faz justiça ao um governante que teve um olhar diferenciado também para as questões hídricas e com grandes feitos neste aspecto”, argumenta o autor da propositura.

            Jeová lembra ainda que foi durante o governo de Wilson Braga que foi implantado na Paraíba o ousado Projeto Canaã, o maior programa de açudagem em todas as regiões do Estado. “O objetivo principal do projeto era propiciar aos trabalhadores rurais sem terra a oportunidade de explorar, mediante a sua força de trabalho e a da sua família, a cultura da terra, cuja posse e respectiva titulação lhes fossem asseguradas”, destaca o paramentar, lembrando que o manancial localizado no Distrito de Montevidéu, em Conceição, tem uma capacidade de armazenamento de água de, aproximadamente, 7 milhões de m3 e foi construído durante a gestão do ex-governador Wilson Leite Braga, através do Projeto Canaã.

            “Essa pequena homenagem que eu propus, faz jus a obra de um dos governadores da Paraíba que mais trabalhou na construção de reservatórios de água, melhorando a qualidade de vida do povo paraibano”, disse Jeová. O presidente da ALPB, Adriano Galdino, elogiou a iniciativa do colega, destacado ser merecida e justa a homenagem. “Wilson Braga realizou uma infinidade de obras hídricas, num único mandato, e merece todo o nosso reconhecimento e respeito. É mesmo enorme a quantidade de barragens e açudes feitos por ele”, disse Adriano, lembrando também de sua convivência com ele em plenário quando exerceram mandatos na mesma legislatura.

            O deputado João Gonçalves também elogiou a iniciativa de Jeová. “Tenho uma admiração profunda por Wilson Braga. Ele é um marco na história política da Paraíba. Foi um político da paz, de coração bom e muito amigo de todos”, disse o parlamentar. Outro deputado que elogiou a iniciativa de Jeová foi Cabo Gilberto, que destacou a gratidão de sua família por ter adquirido um primeiro imóvel próprio graças a uma oportunidade dada pelo governo Wilson Braga. “Temos muita gratidão e respeito à memória de Wilson Braga, pois além de ter sido um governador exemplar, foi no governo dele, que meus pais saíram de um quartinho alugado para uma casa própria, em Mangabeira”, destacou Cabo Gilberto.

 Homenagem a Wilson Braga foi uma propositura do deputado Jeová Campos

Cooperados da CooafSul decidem iniciar moagem mesmo com negativa de crédito fiscal do Governo

Posted on

          Terceira usina pernambucana a ser revitalizada e retomar as operações graças a iniciativa conjunta de produtores de cana-de-açúcar cooperados, a CooafSul, antiga Estreliana, localizada em Ribeirão, Zona da Mata Sul do Estado, decidiu, mesmo após negativa de crédito fiscal da Sefaz, iniciar a moagem da safra. O apoio de deputados estaduais ao pleito da cooperativa, garantido em sessão plenária realizada nessa terça-feira (22), e a recente autorização da ANP para que a indústria possa produzir e negociar etanol, foram decisivos para que a operação fosse iniciada mesmo sem ter assegurado o crédito presumido definido em lei, que permite uma concessão fiscal de 18,5% para CooafSul. “Não entendemos essa negativa, já que outras usinas cooperativistas que funcionam nos mesmos moldes da CooafSul  – a Coaf e a Agrocan – têm esses benefícios”, argumenta o presidente da AFCP, Alexandre Lima, confiante que o governo reavaliará essa decisão.

            O presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), José Inácio de Morais, elogiou a decisão da CooafSul começar a moer e reitera a força do sistema cooperativado. “Nós já temos dois exemplos de sucesso em Pernambuco com indústrias que estavam fechadas e voltaram a produzir e que estão fazendo a diferença no mercado surcroenergético não apenas de Pernambuco, mas do Nordeste, porque os reflexos positivos destes empreendimentos de sucesso repercutem além fronteiras. Eu não tenho dúvidas de que a CooafSul vai ser também um sucesso e tenho esperança que o governo pernambucano reveja essa decisão absurda e descabida de negar os benefícios de isenção fiscal que a cooperativa tem direito”, disse José Inácio, desejando que a CooafSul tenha êxito em sua trajetória.

            A usina cooperada foi concebida graças a união de 629 fornecedores de cana da Mata Sul e tem capacidade para gerar e manter 2,7 mil empregos e destinar em forma de imposto, via ICMS, R$ 9,5 milhões com a produção de etanol. Durante a sessão da Alepe, o deputado Antônio Moraes lembrou que o crédito fiscal para a cooperativa tem sido benéfico, inclusive, para estimular a produção de cana dos produtores de assentamentos rurais pernambucanos, como do Miguel Arraes, na área onde ficava as terras da usina Catende. “Hoje, os assentados produzem 200 mil toneladas de cana para a Agrocan. Antes da reativação da usina, eles só produziam 20 mil toneladas”, destacou o parlamentar.

            O deputado Clovis Paiva, presidente da Comissão do Setor Sucroalcooleiro da Alepe, disse que acredita que o governador Paulo Câmara achará a solução para a Estreliana. “Somos da base de apoio do governo, mas estamos solidários ao setor e esperamos que o governador garanta este crédito para CooafSul poder tocar a usina cooperativista pelos próximos 10 anos”, reiterou ele. Já o deputado Henrique Queiroz Filho lembrou que a cana em Pernambuco é social, dado o grande volume de emprego e renda que gera às famílias da Zona da Mata, mas, também é lucrativa para os cofres do estado, dado os recursos gerados com ICMS. Ele citou o exemplo da Coaf e Agrocan. “Elas empregam cerca de 8 mil pessoas e já geraram R$ 61 milhões em ICMS para o Estado através da produção de etanol, que é mais rentável em tributos para Pernambuco”, disse o deputado.

            O presidente da CooafSul, José Carlos César, está otimista em relação a uma mudança de postura do governo Paulo Câmara. “Vamos dar esse voto de confiança ao Poder Legislativo e ao governo, afinal, o governador Paulo Câmara foi o criador dessas leis em defesa do cooperativismo de usinas através dos produtores de cana, como fez com a Coaf e com a Agrocan. Vamos iniciar a moagem da Estreliana, na esperança de que o governo revisará a questão em favor de todos os envolvidos nesta grande cadeira produtiva e benéfica para Pernambuco”, informou José Carlos.

Os caminhões de cana já estão chegando a sede da CooafSul em Ribeirão Caminhões de cana que serão esmagadas pela CooafSul (5) CooafSul já começou a receber matéria-prima para produzir Etanol A CooafSul vai começar a operar mesmo sem isenção fiscal do governo A força dos cooperados que já estão enviando cana para moer na CooafSul

Discurso de Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral da ONU é elogiado por representantes do agronegócio

Posted on

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira (22), foi recebido com muito entusiasmo por representantes de entidades ligadas ao agronegócio. Na avaliação do presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, além do pronunciamento mostrar que o Brasil está em pleno desenvolvimento, com um governo que busca o crescimento econômico da nação, finalmente, o setor do agronegócio tem o devido reconhecimento. “O presidente foi muito feliz quando bem lembrou que apesar da crise mundial provocada pela pandemia, o homem do campo não parou e trabalhou como nunca para fazer chegar os alimentos nas mesas dos brasileiros”, destacou José Inácio.

“A produção rural no Brasil não parou nestes tempos de pandemia. O homem do campo trabalhou como nunca, produziu, como sempre, alimentos e contribui para que o mundo continuasse a ser bem alimentado”, disse o presidente, enaltecendo que “o agronegócio brasileiro continua pujante e acima de tudo possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta”. O presidente lamentou ainda que o país seja, injustamente, vítima de, segundo ele, de uma das mais cruéis campanhas de difamação sobre a Amazônia e Pantanal.

Para o presidente da Asplan, o discurso do presidente Bolsonaro mostrou um chefe de nação patriota, responsável, inteiramente defensor da soberania nacional e um defensor do progresso e desenvolvimento do Brasil. “Não apenas em relação ao agronegócio, mas em todos os temas de relevância nacional, vi no discurso do presidente Bolsonaro posições firmes e coerentes, de um chefe de nação que quer ver o Brasil comprometido com o desenvolvimento e progresso”, finalizou José Inácio.

Transição na Direção Geral do Complexo de Patos começou hoje e deve se estender ao longo da semana

Posted on

Depois da publicação no Diário Oficial da nomeação do novo diretor geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, na última quinta-feira (17), a mudança efetiva no comando da unidade começou nesta segunda-feira (21), quando o novo diretor, Francisco dos Santos Guedes, conheceu a equipe do hospital e vários setores da unidade. A ex-diretora geral, Liliane Sena, é quem está conduzindo a transição que vai acontecer ao longo da semana em função da complexidade de serviços da unidade. Liliane não se afastará do Complexo pois deixa a direção geral para assumir o cargo de Assistente de Gabinete da SES, até entrar em licença maternidade, no mês de novembro.

Neste primeiro dia de transição, o novo diretor passou a manhã reunido com Liliane, para tomar ciência dos detalhes técnicos e do funcionamento geral da unidade e, em seguida, foi apresentado aos coordenadores e integrantes das equipes assistenciais, e ainda iniciou uma série de visitas a vários setores do hospital, a exemplo da Farmácia, Lavanderia, Almoxarifado. “Até quinta-feira concluiremos esse processo de troca de informações”, destaca Liliane, lembrando que a acolhida ao novo diretor da unidade está sendo muita tranquila. “A equipe deu as boas-vindas ao Francisco, desejou sucesso, houve até um pouquinho de choro, porque estou saindo, mas todos estão felizes tanto quanto eu, porque sabem que a minha motivação de deixar a direção geral é para cuidar de meu bebê”, disse Liliane.

O novo diretor reforçou a tranquilidade deste processo de transição, reiterando que nada será alterado na rotina do Complexo por causa da mudança da direção geral. “Chego com a missão de dar continuidade a um trabalho que já vinha sendo muito bem feito, não há intenção de mudar procedimentos e não teremos nenhuma descontinuidade de serviços por causa disso, até porque os coordenadores permanecem nos cargos e os serviços continuarão a ser ofertados da mesma forma. Afinal, daremos continuidade a um serviço público, cuja administração muda de comando, mas, não de foco”, disse Francisco, reforçando que se sentiu muito bem acolhido por todos, inclusive, por Liliane que se mostrou extremamente receptiva.

“A equipe trabalha em harmonia, conhece profundamente a rotina da unidade e creio que até quinta-feira dará para concluir essa etapa de transição e conhecer mais a fundo o dia a dia do Complexo, todos os setores e suas rotinas”, afirmou Francisco que é Administrador, pós graduado em Gestão em Saúde pela UEPB e em Gestão de Pessoas pela Facisa. Ele assume o posto de diretor geral com a responsabilidade de dar continuidade aos serviços prestados pela unidade que é referência em saúde pública em Urgência, Emergência e Clínica Médica, para 86 municípios do sertão, inclusive, com serviços oncológicos, através do Hospital do Bem.

Asplan participa de ação que estimula produtores a fazer a logística reversa de embalagens de agrotóxicos

Posted on

No próximo dia 30, durante todo o dia, os produtores rurais de cidades próximas a Pedras de Fogo, a exemplo de Juripiranga, Conde, Alhandra e Caaporã, terão à disposição um posto de coleta para entregar embalagens vazias de agrotóxicos. A ação, denominada Recolhimento Itinerante, é uma parceria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), com a Associação dos Revendedores de Produtos Agropecuários do Nordeste (ARPAN), o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (INPEV), o CREA, a Prefeitura de Pedras de Fogo e a Secretaria de Agricultura do Estado (Sedap). O objetivo é facilitar o recolhimento dos recipientes, em atendimento ao que determina à Lei federal nº 9.974 de junho de 2000, que dispõe sobre a logística reversa de embalagens de agrotóxicos. O posto funcionará no local do antigo posto do Fisco, na entrada de Pedras de Fogo.

O coordenador do Departamento Técnico da Asplan, o engenheiro agrônomo Luís Augusto, lembra que a parceria para a destinação final das embalagens sempre atinge os objetivos e sempre conta com a adesão dos produtores. “O descarte correto das embalagens é obrigatório e sempre que fazemos essa ação temos uma resposta bem positiva dos produtores”, diz Luis, destacando que tudo o que for arrecadado será destinado à uma unidade de recolhimento da ARPAN. A última ação deste tipo ocorreu na cidade de Itapororoca, no ano passado. Segundo Luis, a ação de Pedras de Fogo aconteceria em abril, mas foi adiada em função da pandemia.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, destaca que a Associação, bem como os fornecedores estão comprometidos não só em cumprir a Lei, mas em preservar o meio ambiente. “Todos sabem que é preciso fazer a tríplice lavagem do recipiente e entregá-lo no posto montado durante a ação. Não podemos queimar, enterrar, jogar em lixo comum. Isso é contra a lei e contamina o meio ambiente e prejudica a saúde das pessoas”, disse José Inácio, reiterando a responsabilidade dos produtores com a destinação correta das embalagens vazias. Ele lembra ainda que neste tipo de ação não é necessário que o produtor leve a nota fiscal de comp0ra dos produtos.

O dirigente canavieiro destaca que quando o produtor realiza a entrega de suas embalagens de agrotóxicos com segurança a uma unidade de recebimento para que seja realizada a destinação adequada do recipiente, como essa que será disponibilizada em Pedras de Fogo, ele recebe um recibo. “Esse comprovante deve ser guardado e apresentado em uma possível fiscalização. A lei só permite que o produtor guarde recipientes vazios de agrotóxicos até um ano. Depois disso, é preciso que ele faça a logística reversa”, finaliza José Inácio.