Month: abril 2020

Fisioterapeutas do Hospital Regional de Patos e da UPA passam por treinamento para padronizar condutas em pacientes com Covid-19

Posted on

A equipe de fisioterapeutas do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) passou por um treinamento, na tarde desta sexta-feira (17), para padronizar algumas condutas que asseguram maior segurança no atendimento aos pacientes com Covid-19. A capacitação foi feita pelos professores da Unifip, Célio Diniz e Rayne Torres, que também integram a equipe da unidade. Profissionais que atuam na UPA também participaram do momento, realizado na área de AVC do hospital.

Antigos e novatos fisioterapeutas participaram da capacitação que abordou questões como oxigenoterapia e ventilação mecânica, transporte do paciente em ventilação mecânica interno para exames, manobra de reanimação cardiopulmonar no paciente em ventilação mecânica com Covid-19, entre outros tópicos.

“A fisioterapia respiratória desempenha um importante papel mediante os sintomas da COVID-19 com a finalidade de contribuir para atenuar os sintomas ocasionados por esta doença no paciente e essa atuação ocorre em vários âmbitos, desde a participação na equipe multidisciplinar prestando assistência ao paciente grave (intubação, ventilação mecânica e mudanças de decúbito) até condutas de terapia para remoção de secreção brônquica e melhora da função respiratória”, explica Rayne Torres.

Para a diretora geral do Complexo, Liliane Sena, a iniciativa, além de melhor capacitar a equipe da unidade, teve o diferencial de que uma profissional efetiva da unidade foi quem deu o treinamento. “Esses instrutores de hoje são profissionais extremamente qualificados, são professores universitários, e Rayne já atua no nosso dia a dia como fisioterapeuta efetiva da Casa, e se dispuseram a treinar os colegas. E é muito bom quando a educação permanente de nossos colaboradores pode ser feita com membros da própria equipe, isso evidencia o excelente nível de nossa ‘Prata da Casa’”, destaca Liliane.

Até onde vai nos levar a estupidez de Bolsonaro questiona Jeová referindo-se a mudança do Ministério da Saúde em plena pandemia

Posted on

“Desde ontem, quando soube da demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fico me perguntando até onde vai e para onde vai nos levar a vaidade e a estupidez de Bolsonaro que ignora a ciência, o conhecimento, os estudiosos, os pesquisadores, a classe médica, e até as dramáticas experiências já vividas pelos outros países e em meio a essa pandemia toda decide tirar o titular da pasta de Saúde e desestruturar toda a equipe do Ministério que vinha agindo e atuando de forma correta, estimulando o isolamento social e buscando formas de ajudar estados e municípios nesta batalha contra o coronavírus”, disse o deputado estadual Jeová Campos.

O parlamentar lembra que Mandetta entrou em linha de choque com o presidente Jair Bolsonaro, justamente, por defender o isolamento social. “Todos nós sabemos que o isolamento social é fundamental para retardar o avanço da doença. E essa medida, que é a mais correta, é criticada pelo presidente, que deseja a ampla retomada da atividade econômica. Isso porque Bolsonaro ao invés de se preocupar com a saúde e a vida do povo brasileiro quer salvaguardar o capital, o mercado, a economia. Lamentável tudo isso”, reitera Jeová.

Outros políticos e autoridades também manifestaram perplexidade em relação a exoneração de Mandetta do Ministério, na atual conjuntura. O ex-prefeito de São Paulo e candidato do PT à presidência da República em 2018, Fernando Haddad, escreveu no Twitter: “Em sua despedida, Mandetta defende a vida, o SUS e a ciência. Três palavras incompatíveis com o atual governo”. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também criticou a demissão. “A troca no comando da Pasta em meio à pandemia do novo coronavírus chegou em má hora…O ministro estava na linha de frente da batalha pela vida e o custo político da decisão se medirá pelo (número) de mortes”, escreveu o ex-presidente no Twitter. Artistas, a exemplo de Caetano Veloso, também fizeram protestos usando máscaras onde se lia: “Fora Bolsonaro”. Na hora do comunicado oficial pelo presidente também se ouviu panelaços em várias partes do Brasil.

Deputado Jeová Campos criticou mudança de ministro na atual conjuntura de saúde
Deputado Jeová Campos criticou mudança de ministro na atual conjuntura de saúde

Centro de Imagens do Hospital Regional de Patos realizou mais de 50 mil exames nos últimos 12 meses

Posted on

Referência em urgência e emergência para cerca de 86 municípios da Paraíba há quase seis décadas e, desde outubro de 2018, o Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) também se tornou referência no diagnóstico por imagem. Isto porque, a unidade que integra a rede estadual de saúde, tem um Centro de Imagem que inclui, entre outros equipamentos, um Tomógrafo de oito canais e 16 imagens, e disponibiliza para a população serviços diversos, dentre os quais, além da Tomografia Computadorizada, Raio X, Endoscopia, Cintilografia, Ultrassonografia, Colposcopia, entre outros. Relatório de gestão da unidade atesta que entre março de 2019 e março deste ano, o Centro realizou 53.137 exames. Somente nos três primeiros meses de 2020, o Centro contabilizou a realização de 11.148 exames, sendo a maior parte de Raio X (6.150), seguido de Tomografia Computadorizada (3.446) e Ultrassonografia e Ecocardiograma (1.366).

Nos últimos doze meses, o maior número de exames foi de Raio X, seguido de tomografia computadorizada, Ultrassom e Ecocardiograma, Endoscopia e Colposcopia. Nesse período de um ano, foram realizados 28.122 Raios X, 16.980 Tomografias, 6.716 Ultrassonografias e Ecocardiogramas, 603 Endoscopias, 602 Colposcopias, 61 Colonoscopias, 35 Ressonâncias Magnéticas, 17 Cintilografia Óssea e uma Broncoscopia.

“O Centro é um avanço extraordinário na prestação de serviço à população do sertão que tem ao seu dispor um serviço especializado que ajuda na agilização de diagnósticos e, consequentemente, promove uma melhoria no atendimento aos nossos pacientes”, destaca a diretora geral do Complexo, Liliane Sena. Ela lembra que os pacientes do Complexo ainda são atendidos com exames de mamografia computadorizada, sendo que este exame é realizado na sede da Maternidade Dr. Peregrino Filho, que também integra a rede pública estadual de saúde. Os exames de Cintilografia, Ressonância e Broncoscopia, assim como a mamografia, entram como exames do Centro, porque são contabilizados como tal, mas não são realizados dentro da unidade.

Uma equipe de cerca de 35 profissionais entre médicos, enfermeiros, auxiliares, técnicos em Raio X e Tomógrafo, auxiliares de sala e recepcionistas atuam no Centro de Imagem. Com exceção da Tomografia e Raio X, que são realizados 24h, todos os demais exames são realizados com agendamento prévio, conforme a demanda de pacientes e necessidade dos exames. Quando a situação é de urgência, o paciente é atendido imediatamente através de solicitações médicas.

Hospital Regional de Patos começa a fazer os testes rápidos para Covid dos profissionais de saúde em atividade

Posted on

Referência em urgência e emergência para cerca de 86 municípios da Paraíba, também para atendimentos dos casos de Covid-19 no sertão, o Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) agora passou a ser referência para a realização de testes rápidos do coronavírus para profissionais em atividade nas instituições de saúde da cidade. Além dos profissionais de saúde do Complexo, a unidade realizará testes para os que atuam na Maternidade Dr. Peregrino Filho, na Hemodiálise, Hemonúcleo e os que estão na 6ª Regional de Saúde. Nesta quinta-feira (16), o hospital após treinar equipe já começou a aplicação dos testes rápidos.

Os testes, explica a diretora geral do Complexo, Liliane Sena, são direcionados para profissionais que estejam em atividade e que apresentem sintomatologia da doença. Segundo ela, não há indicação de aplicação para quem for assintomático, porque o teste dá um falso negativo. “Tem que apresentar sintomatologia para o Covid-19 e estar no período entre o sétimo até o 14º dia a partir do início dos sintomas para fazer o teste”, reitera a diretora.

Ainda de acordo com ela, os testes rápidos são destinados, prioritariamente, para serem utilizados apenas nos profissionais de saúde em atividade e sintomáticos, que têm prioridade de diagnóstico, mas, se houver algum problema de impossibilidade de coleta de material nos pacientes suspeitos de Covid-19, os testes rápidos também poderão ser usados. “Mas, eles não são o foco do teste rápido”, reforça Liliane.

Sobre os testes

Todos os testes rápidos detectam, a partir de amostras de sangue ou secreção do nariz e garganta, a presença de dois anticorpos: IgG e IgM, que são as defesas que o organismo do paciente produz para combater um invasor – como o Sars-CoV-2. Sabe-se que, enquanto o IgM é produzido no pico da infecção, o IgG aparece em um momento posterior. Para dar positivo, um teste rápido precisa detectar uma quantidade mínima dessa dupla de moléculas no corpo. Se o valor é menor do que é considerado ideal, o vírus não se acusa. Por causa dessa dinâmica, testes rápidos não são recomendados para casos assintomáticos ou mais leves – quando os sintomas ainda não são muito pronunciados, e o corpo ainda não reagiu à altura do problema. Todos os testes rápidos precisam ser aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Atualmente, segundo o Ministério da saúde, o Brasil conta com 17 kits diferentes para testes rápidos. O do Complexo usa amostra de sangue, através de uma picada no dedo.

Equipe do Complexo Hospitalar de Patos que atua com pacientes suspeitos ou comprovados de Covid passa por novo treinamento

Posted on

O Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) iniciou, nesta quarta-feira (15), um treinamento com a equipe de enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas sobre a questão da equipe que atende pacientes de Covid-19, mediante uma parada cardio respiratória e sobre procedimentos para intubação de um paciente. O treinamento se estenderá até essa sexta-feira (17), quando todos os integrantes da equipe tiverem passado pela capacitação que, na realidade, trata-se de uma reciclagem e atualização de conhecimentos.

Durante a capacitação, os profissionais relembram orientações teóricas, incluindo um check list de materiais necessários e ordens de procedimentos para os atendimentos e após as explanações eles participam de uma simulação, com um boneco que foi cedido pelo colégio Santo Expedito, e sob orientação dos médicos fazem uma simulação realista da parada cardio respiratória, tendo uma noção real do que acontece quando um paciente evolui para esse quadro e de como proceder corretamente diante de tal situação.

O treinamento está sendo feito pela médica da urgência, Hanna Florentino, pelos doutores Diego Varela e Pedro Augusto, e ainda com apoio dos médicos do CCIH. A equipe de facilitadores é formada ainda pela gerente de enfermagem, Sefora Cândida, pela gerente assistencial do Complexo, Aretusa Delfino e pela coordenadora de enfermarias de urgência da unidade, Ingrid Rodrigues.

“Como a gente está recebendo um pessoal oriundo do edital de seleção do estado, algumas delas já tinham a rotina hospitalar e outras não, então a gente resolveu treinar toda a equipe para que todos os integrantes da unidade que vão atender pacientes nos setores de Covid tenham o mesmo nível de conhecimento”, explica a diretora geral do Complexo, Liliane Sena. O Complexo é uma das unidades da rede estadual de saúde no sertão referência para atendimento de casos suspeitos de coronavírus.

Iniciativas que gerem empregos serão bem-vindas, mas não se elas estiverem atreladas à exclusão de direitos trabalhistas diz Jeová

Posted on

Instituída com o propósito de criação de novos postos de trabalho para as pessoas entre dezoito e vinte e nove anos de idade, para fins de registro do primeiro emprego em Carteira de Trabalho e Previdência Social, a Medida Provisória 905, que criou o Contrato de Trabalho Verde e Amarelo, no final do ano passado, tem dividido opiniões e recebido muitas críticas. Aprovada na Câmara dos Deputados, na madrugada desta quarta-feira (15), a MP precisa passar pelo Senado antes de perder a vigência no próximo dia 20. Para o deputado estadual Jeová Campos (PSB), toda iniciativa que gere empregos e amplie as possibilidades no mercado de trabalho são bem-vindas, mas, é preciso avaliar a que custo e qual o verdadeiro propósito da iniciativa. “Tenho visto muitas críticas a essa MP em relação ao seu caráter predatório, uma vez que, entre outras questões, ela elimina os direitos trabalhistas e benefícios como o FGTS. Portanto, é preciso ficar atento para que o Congresso não aprove uma medida que, efetivamente, possa não somente não gerar novos empregos, como precarizar, ainda mais, as relações trabalhistas”, afirma o parlamentar paraibano.

Em nota, representantes de várias entidades e centrais sindicais, denunciam que se a MP 905 for efetivada, não haverá geração de empregos para jovens nem para ninguém. “Ao contrário, além do agravamento da precarização e da informalidade, a medida provocará uma nova descapitalização da Previdência podendo comprometer o pagamento das aposentadorias”, destaca o documento distribuído à Imprensa e assinado por diversas entidades, entre as quais a CUT e Força Sindical. A nota condena veementemente a decisão da Câmara dos Deputados de aprovar o que eles denominam a “Carteira da Vergonha” e faz um apelo aos senadores para a não aprovação da matéria.

“Essa discussão de criação de empregos, retirando direitos dos trabalhadores, é muito temerária e deixa ainda mais vulnerável a parte mais fraca que são os assalariados”, reitera Jeová, lembrando que é preciso atentar para o fato de que as empresas não estão contratando. “A economia já estava parada, em função dos erros da política econômica que vem sendo implementada nos últimos anos, no governo Temer e agora no de Bolsonaro, e agora, veio essa pandemia para estagnar brutalmente. Acho lamentável usar um momento de crise como o que estamos passando para retirar mais direitos dos trabalhadores, principalmente, usando o mesmo discurso de enganação de que é preciso criar condições para abrir postos de trabalho”, destaca Jeová, lembrando que a reforma trabalhista de 2017 já retirou muitos direitos dos trabalhadores e não criaram novos empregos como previam quem a defendia.

O texto aprovado pela Câmara estendeu as medidas orginalmente direcionadas a jovens de 18 a 29 anos em busca do primeiro emprego, para trabalhadores acima de 55 anos sem ocupação há pelo menos 12 meses. Pela MP, que mexe com vários itens da CLT, contratos sob essa modalidade teriam a alíquota de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) reduzida de 8% para 2%, mas esse ponto acabou suprimido, assim como o trabalho aos domingos. A multa em caso de demissão cairia pela metade, de 40% para 20%, mas foi a 30%. Empregadores estão isentos da contribuição previdenciária.

Complexo Hospitalar de Patos vai ter 40 novos leitos para atendimento de casos de Covid e terá que selecionar novos profissionais

Posted on

O anúncio de ampliação de leitos no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, para atendimento de casos sintomáticos respiratórios suspeitos de Covid-19 ou para os casos confirmados da doença feito nesta segunda-feira (13), pelo governador João Azevêdo, vai precisar de uma nova readequação da equipe e da unidade. Para tanto, a direção do Complexo precisará convocar novos profissionais, através de edital de seleção do estado para que, muito em breve, esses leitos estejam disponíveis para a população. Serão instalados 20 novos leitos de UTI e 20 leitos de enfermarias convencionais para atendimento de casos suspeitos ou confirmados que não precisarem de cuidados intensivos. A Secretaria de Estado de Saúde publicará edital de seleção nos próximos dias para preenchimento das vagas que serão necessárias com essa ampliação dos serviços.

Atualmente, o Complexo opera com cinco leitos de UTI para Covid equipados com respiradores, mais 12 leitos de enfermaria destinados a pacientes que se enquadram nos protocolos do Covid, mas que não precisam de cuidados intensivos. Uma equipe multiprofissional especifica foi formada para atuar na área de isolamento, na área de sintomáticos respiratórios e nos cinco leitos de UTI para Covid-19, formada por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem. A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, explica que além desta equipe, todos os demais profissionais que atuam na unidade, seja na área vermelha, na verde e na classificação de risco, além dos plantonistas, também estão envolvidos de maneira intermitente com esses pacientes. O Complexo de Patos é referência no sertão para atendimento de urgência e emergência para 86 municípios, além dos casos de Covid-19. A unidade tem um total de 139 leitos.

A diretora do Complexo reitera que os novos leitos não serão disponibilizados de imediato e que, portanto, para evitar o colapso do sistema de atendimento da unidade, é preciso que as pessoas permaneçam em isolamento social. “Vamos ter que selecionar os profissionais, treinar as equipes e ajustar esses novos espaços, portanto, não é uma ação da noite para o dia. Foi importante ter a notícia, poder contar com mais leitos, mas, a população precisa se conscientizar que todo serviço de saúde, seja ele público ou privado, tem suas limitações e se todo mundo adoecer de uma vez, o sistema vai colapsar e é isso que a gente quer evitar com essa medida de isolamento social”, reitera Liliane.

Ela lembra que de acordo com os estudos e avaliações da doença, sabe-se que 5% das pessoas que contraem o vírus evoluem para a fase grave da doença, e é fundamental que quando isso ocorra os serviços estejam disponíveis para atender a demanda. “Quanto mais pessoas evoluírem para a fase grave, mais precisarão dos serviços de saúde e menor será nossa capacidade de atendimento. Então, por favor, fiquem em casa, sabendo que os integrantes dos serviços de saúde estão fazendo seu máximo, seguindo as orientações da OMS, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde da Paraíba”, finaliza Liliane.

O que disse o governador

O governador João Azevêdo anunciou, nesta segunda-feira (13), durante o programa ‘Fala, governador’, transmitido em cadeia estadual pela Rádio Tabajara, que determinou à Secretaria de Estado da Saúde (SES), a ampliação de novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e de enfermaria no Complexo Hospitalar de Patos, para atendimento dos casos de coronavírus na região. Com essa decisão, serão instalados no hospital 20 novos leitos de UTI e 20 leitos de enfermarias convencionais para atendimento de casos suspeitos ou confirmados que não precisarem de cuidados intensivos. Esses novos espaços serão dotados de monitores, bombas de infusão e respiradores. “O Estado está tomando todas as providências no que lhe cabe para prestar um bom serviço à população”, falou o governador.

Complexo Regional de Patos ganhará 40 novos leitos para tratamento de casos de Covid-19
Complexo Regional de Patos ganhará 40 novos leitos para tratamento de casos de Covid-19

Atendimentos a acidentados com motos voltam a crescer no Hospital de Patos

Posted on

O relatório de atendimentos do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, referente aos primeiros 12 dias do mês de abril, já se contrapõe ao último boletim da unidade, divulgado semana passada, que registrava a redução do número de pacientes atendidos na urgência e emergência vítimas de acidentes diversos, inclusive, de motos, que lidera o ranking dos atendimentos desse serviço. Entre os dias 01 e 12, o Complexo atendeu 99 pacientes que deram entrada vítimas de acidentes, dos quais 87 estavam em motocicletas.
O relatório aponta ainda que na primeira semana (01 a 05), aconteceram 43 acidentes, sendo 36 deles com motociclistas, cinco com pessoas em automóveis, um com bicicleta e outro atropelamento. Já entre os dias 06 e 12 de abril, aconteceram 56 acidentes, dos quais 51 envolvendo motos, dois com automóvel, outros dois com bicicleta e um com veículo de tração animal.
O relatório de gestão da unidade no tocante a atendimentos às vítimas de violência, durante os primeiros doze dias de abril registra que foram atendidas 14 pessoas, sendo 10 delas por agressões físicas, 03 pacientes com ferimentos por arma branca e outros um ferido por arma de fogo.
A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, lembra que a redução do número de atendimentos de vítimas de acidentes registrado na segunda quinzena de março, deveu-se as medidas de isolamento social adotadas em todo o estado o que diminuiu a circulação de pessoas e que, provavelmente, o aumento do número de acidentes com motos na segunda semana de abril, seja em função do crescente fluxo de motoboys e entregadores nessa época de quarentena. Mas, a diretora faz um alerta. “Com as medidas anunciadas de abertura gradativa do comércio em Patos, a partir de quinta-feira, e a volta de circulação das pessoas nas ruas, a tendência é que haja um aumento do número de acidentados e, mais ainda, e o que mais preocupa, dos casos de contágio do coronavírus já que a única forma de achatar a curva de transmissão da doença é o isolamento”, afirma Liliane.

Equipe do Hospital de Patos treinada para manusear novos ventiladores mecânicos

Posted on

Uma das referências da rede estadual de saúde para atendimento dos casos de Covid-19 no sertão, o Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) já vem há algum tempo se adequando para atender os casos de pacientes com suspeita de coronavírus. Nesta quinta-feira (09), um grupo de profissionais da unidade, formado por médicos e fisioterapeutas, passou por um treinamento para manuseio dos novos ventiladores mecânicos instalados no isolamento COVID do Complexo.
A capacitação foi conduzida por um técnico, contratado pelo Governo do Estado, para ministrar os treinamentos nas unidades que integram a rede estadual de saúde e que estão recebendo os equipamentos que são um suporte fundamental para manutenção da vida em casos de agravamento dos problemas respiratórios oriundos das complicações do coronavírus.
A partir deste treinamento, explica a diretora geral do Complexo, Liliane Sena, os fisioterapeutas coordenadores treinarão o restante da equipe que é responsável para dar suporte aos pacientes que tiverem sob cuidados de acordo com o protocolo do Covid-19. Cerca de 25 profissionais, que integram uma equipe multidisciplinar, estão diretamente envolvidos nos atendimentos a casos suspeitos de Covid-19 no Complexo de Patos. A unidade tem sob seus cuidados nesta quinta-feira (09), seis pacientes com sintomas da doença, aguardando os resultados dos exames para confirmação ou não do diagnóstico de Covid-19.

Somente o Governo Federal tem condições de dar o aporte necessário a população brasileira na atual conjuntura de pandemia afirma Jeová

Posted on

“Por mais ações e iniciativas que os Estados e Municípios adotem no sentido de proteger economicamente a população na atual conjuntura de pandemia do Covid-19, apenas o Governo Federal tem estrutura e as ferramentas para dar esse aporte a população brasileira”, disse hoje (09), o deputado estadual Jeová Campos. Para o parlamentar, apesar de o governo federal ter anunciado algumas medidas de combate à pandemia de coronavírus, faltam ações mais efetivas para ajudar a parcela da população mais prejudicada, incluindo os trabalhadores informais. “Até a liberação dos recursos emergenciais que serão destinados àqueles brasileiros que já fazem parte do cadastro dos programas como o Bolsa Família demoraram a ser liberados e só começaram a cair nas contas a partir de hoje”, destacou o deputado, lembrado que os R$ 600,00 que serão pagos, se dependesse da equipe econômica do governo seriam apenas R$ 200,00.

Jeová lembrou que o decreto de calamidade pública nacional, aprovado pelo Congresso, possibilitou que o Governo tivesse mais liberdade para direcionar recursos para à população mais afetada pela pandemia. “O momento pede pressa, ações rápidas e emergenciais e com foco na responsabilidade social e não na questão fiscal. O governo tem recursos e mecanismos e ainda o aval do Congresso para agir”, reitera o parlamentar, lembrando que das 185 mil famílias que foram excluídas do Programa Bolsa Família, em março, a maior parte, o equivalente a 60%, está no Nordeste. “Agora eu pergunto: e essas famílias como vão ter acesso a essa ajuda emergencial?”, indagou o parlamentar.

O deputado lembra ainda que o país tem cerca de 30 milhões de brasileiros na informalidade e que muitos deles não estão cadastrados em programas sociais e estão impossibilitados de trabalhar devido as medidas de isolamento social. “E para socorrer essas pessoas. O que o governo pretende fazer?”, finaliza Jeová.