Month: abril 2020

Conferência online define fluxo de realização dos testes rápidos para Covid-19 em Patos

Posted on

Patos, segundo último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, na noite desta quarta-feira (29), já contabiliza 17 casos confirmados de Covid-19, dos quais, quatro evoluíram para óbito. Referência para tratamento dos casos da doença no sertão, o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), atualmente, também é o espaço de testagem para Covid-19 na região. Nesta quarta-feira, através de uma conferência on-line, representantes de diversos órgãos e instituições ligados a saúde, incluindo a Vigilância Epidemiológica, definiram o fluxo para realização dos testes em massa na população. A diretora do Complexo, Liliane Sena, foi uma das participantes do evento.

A testagem, segundo Liliane, só será realizada a partir do 8º dia do início dos sintomas de síndrome gripal (febre, tosse seca, dor de garganta e dor no corpo) e precisa ser agendada conforme fluxo pré-estabelecido. “É necessário que a pessoa espere esse tempo de oito dias para que o sistema imunológico possa produzir anticorpos em quantidade suficiente para o vírus ser detectado pelo teste”, explica a diretora do Complexo.

O fluxo estabelece que a pessoa que apresente sintomas leves ou moderados seja atendida, inicialmente, pelo serviço de saúde de seu município. Após esse atendimento é feito o agendamento, via e-mail, para testagem rápida no CHRDJC. O Complexo, ao receber o e-mail, confirma a data do agendamento, sendo o município de origem responsável para encaminhar o usuário na data e hora marcada pelo Complexo. Ao chegar na unidade hospitalar, o paciente será encaminhado para a sala de sintomático respiratório, onde uma enfermeira da epidemiologia realiza a testagem rápida, cujo resultado sai em 15 minutos. Vale salientar que recomenda-se ao paciente que não venha com acompanhante (exceto em caso de idosos e crianças) e que use, obrigatoriamente, a máscara.

Diante do resultado do teste, há dois encaminhamentos. Quando o IgG e IgM atestarem positivo para a doença, a pessoa é encaminhada para consulta médica e o profissional definirá se é caso de internação ou não, sendo a pessoa também submetida a coleta de Swab, a critério médico. Neste caso, a Epidemiologia do município de origem é acionada para monitorar o paciente, que pode ficar internado ou ser liberado para isolamento em casa. Quando o IgG e IgM dão negativos, o usuário é liberado e orientado a procurar a unidade básica de saúde de seu município para investigação de quadro clínico sugestivo e outras patologias respiratórias.

“Não vamos fazer testes rápidos com demanda espontânea, ou seja, não adianta a pessoa vir ao hospital para fazer o teste antes de seguir esse fluxo que não poderemos atender, pois tudo precisa ser agendado, inclusive, para que o processo ocorra sem transtornos ou tumultos e o paciente precisa também estar notificado no sistema E-SUS VE, cuja responsabilidade de notificação recai sobre o município. É importante também respeitar o prazo de oito dias para poder fazer o teste”, reforça Liliane Sena. Ela lembra que além do Complexo de Patos, o Hospital de Santa Luzia também vai realizar os testes rápidos seguindo o mesmo fluxograma.

Resolução autoriza produtores rurais a prorrogar pagamento de parcelas das operações de crédito rural de custeio e de investimento

Posted on

Em tempos de dificuldades ocasionados pelas medidas de distanciamento social, que afetaram várias atividades, inclusive, o setor agrícola, a Resolução 4.801, traz um alento para produtores que contraíram operações de crédito rural de custeio e de investimento. Isto porque, ela permite que a instituições financeiras prorroguem, até 15 de agosto deste ano, o vencimento das parcelas vencidas ou a vencer no período de 1º de janeiro de 2020 a 14 de agosto de 2020. “Essa medida traz um alento para os produtores, no sentido de dar um prazo maior para que seja quitada as parcelas das operações. Em tempos atípicos como esse, qualquer prorrogação de pagamento é sempre bem-vinda”, destaca o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais.
A Resolução também autoriza a concessão de crédito especial de custeio aos agricultores do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e aos produtores rurais do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor (Pronamp), cuja venda da produção tenha sido prejudicada pela redução da demanda. O volume de recursos por produtor será de até R$ 20 mil, com taxa de juros de 4,6%, para o Pronaf; e R$ 40 mil, com taxa de juros de 6%, para o Pronamp. O prazo de reembolso será de até três anos.
De acordo com o consultor financeiro da Asplan, Cristiano Aguiar, é bom que os produtores solicitem essa prorrogação das parcelas das operações de crédito de custeio e de investimento. “Isso é importante porque se houver a adoção de uma nova resolução ampliando essa prorrogação inicial de 90 dias, quem estiver incluso já terá direito ao novo prazo”, afirma ele, lembrando que o Bradesco e o Banco do Nordeste já estão encaminhando as solicitações de prorrogação. O Banco do Brasil, que tem a maior carteira de clientes de fomento de crédito agrícola, ainda aguarda portaria para começar a receber as propostas de prorrogação, muito embora gerentes da instituição já admitem que estão adiantando processos neste sentido. Para solicitar a prorrogação, o produtor precisa estar em dia com suas parcelas, pelo menos, até o dia 1º de janeiro deste ano. Essa Resolução não inclui as operações financiadas pelo BNDES.

As escolhas de Bolsonaro impactam na atuação das instituições e também na condução de questões importantes afirma Jeová

Posted on

“É lamentável que as escolhas para cargos tão importantes no alto escalão do Governo Federal levem em consideração questões tão secundárias como, por exemplo, o fato do escolhido ser ‘evangélico’ ou amigo pessoal dos filhos do presidente. Afinal, Bolsonaro não pode esquecer que está formando uma equipe de trabalho que vai se debruçar e responder por coisas muito importantes para os brasileiros como o Ministério da Justiça e a Direção Geral da Polícia Federal?”, disse o deputado estadual Jeová Campos, lembrado que critérios técnicos e de formação deveriam ser priorizados no preenchimento de cargos tão importantes. “Vi declarações do presidente dizendo que o novo ministro tinha um excelente predicado que era ser evangélico. Desde quando isso é critério para escolha de alguém que vai ocupar um alto cargo no primeiro escalão do governo?”, indaga Jeová.

O parlamentar se refere a escolha do presidente do advogado André Luiz Mendonça, que era titular da Advocacia-Geral da União como novo ministro da Justiça. Acho até que o advogado pode ter seus méritos, mas, definitivamente, ser evangélico é uma questão pessoal e não deve ser levada em consideração até porque o Estado brasileiro é laico. Ele lembra ainda que a escolha de Alexandre Ramagem, ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), muito próximo da família Bolsonaro, que foi nomeado para ser o diretor-geral da Polícia Federal (PF) também passou por outro crivo que não apenas a qualificação. “Eu temo que ele passe as informações que o presidente quiser, mesmo que isso comprometa a autonomia da Polícia Federal”, afirma Jeová, que achou que a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que revogou, nesta quarta-feira (29), a nomeação de Alexandre Ramagem para diretor-geral da Polícia Federal e, com isso, suspendeu a posse dele, que seria às 15 horas desta quinta-feira, foi acertada. “Creio que a PF perderia muito de sua autonomia na gestão de Ramagem, tendo uma interferência indevida do Planalto nas ações da instituição”, enfatizou o deputado paraibano.

Segundo Jeová, pelo menos o nome mais cotado anteriormente para a vaga de Ministro da Justiça não foi escolhido que era Jorge Oliveira. “Oliveira teria sido uma escolha de fundo de quintal, já que há uma relação familiar muito próximo dele com os filhos do presidente que parecem comandar o Palácio do Planalto até mais que o próprio pai. Aliás, nesse aspecto, tenho a lamentar a escolha para a direção geral da PF que é uma pessoa muito amiga dos ‘meninos’ de Bolsonaro e do próprio presidente. Temo que a escolha vá comprometer a autonomia da instituição que, como o próprio Sérgio Moro disse tinha plena liberdade de atuar nos governos Lula e Dilma”, destacou Jeová.

Live sobre Renovabio terá diretor do Ministério de Minas e Energia respondendo perguntas sobre o Programa

Posted on

A Política Nacional de Biocombustíveis, instituída pela Lei nº 13.576/2017, cujo objetivo é expandir a produção de biocombustíveis no Brasil, baseada na previsibilidade, na sustentabilidade ambiental, econômica e social, será foco de uma Live que acontece nesta quarta-feira (29), das 17 às 18h. Na ocasião, o diretor do departamento de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Miguel Ivan Lacerda Oliveira vai responder perguntas sobre o Programa e o valor esperado do mercado de créditos de descarbonização (CBios).

A realização da Live é uma iniciativa da Datagro e vai ter como moderador o sócio da Datagro Financial, Ingo Kalder. Para o presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) e da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, essa iniciativa será uma ótima oportunidade de tirar dúvidas sobre o Programa, principalmente, no tocante a questão dos créditos. “Ainda há muitas perguntas sem respostas sobre a operacionalização do Programa, sobre o pagamento dos CBios e, inclusive, como os produtores de cana poderão ter acesso também a esse crédito, algo muito justo já que fazemos parte dessa cadeia produtiva”, destaca José Inácio, convidado os associados da Unida e da Asplan a acompanhar e participar da Live.

O presidente da Unida e da Asplan lembra que o início da comercialização dos CBios marca a conclusão do processo regulatório do Renovabio e o início definitivo dele, mas, infelizmente, mesmo respondendo por 33% da produção de toda a matéria-prima fornecida para as indústrias, os produtores de cana-de-açúcar do Brasil ainda não estão contemplados no Programa em relação ao recebimento dos créditos de carbono. “Com o RenovaBio o Brasil institui uma política de Estado que objetiva traçar uma estratégia conjunta para reconhecer e fortalecer o papel estratégico de todos os tipos de biocombustíveis na matriz energética brasileira, contribuindo, assim, tanto para a segurança energética, quanto para o estímulo na redução de emissões de gases causadores do efeito estufa. É um marco regulatório que tem tudo para impulsionar o setor de biocombustíveis no país e colocar o Brasil na dianteira da valorização de algo muito importante para o mundo todo. Mas, em relação ao recebimento dos créditos, penso que é preciso contemplar também os produtores que são um importante e fundamental elo da cadeia sucroenergética, mas, estão de fora dessa questão de recebimento dos créditos propostos pelo Programa”, reitera José Inácio.

A suspenção das atividades presenciais na ALPB não impede que deputados apresentem produção parlamentar em tempos de pandemia

Posted on

Com as atividades da ALPB suspensas há quase um mês, a rotina dos deputados estaduais mudou também em tempos de pandemia, mas, mesmo sem a realização de sessões presenciais, os parlamentares continuam a produzir e trabalhar através de sessões remotas. É o caso do deputado Jeová Campos (PSB), um dos mais atuantes da Casa de Epitácio Pessoa, cuja produção legislativa continua em alta. Somente na semana passada, um conjunto de requerimentos de sua autoria foi aprovado na sessão remota realizada no dia 22, muitos deles, inclusive, em virtude de necessidades urgentes deste período de isolamento social.

“Sempre disse que o trabalho do deputado não se limita as sessões legislativas. O mandato legislativo funciona no sentido de propor questões que melhorem a vida dos paraibanos, de variadas formas. As sessões legislativas são apenas uma delas, pois nós não atuamos somente em plenário, muito dos nossos trabalhos é realizado em reuniões externas, em audiências dentro e fora da Casa, em encontros com a comunidade, etc. Por isso, essa pandemia, apenas mudou a nossa forma de atuar, agora com as sessões remotas, mas, o importante, é que isso não nos impediu de exercer a atividade política e contribuir com a população paraibana no que for de nossa competência”, destaca Jeová.

Nesse sentido, o gabinete do deputado fez um levantamento da produção parlamentar dele, referente a semana passada, para reiterar que mesmo sem estar na ALPB, o parlamentar continua atuante. Entre os requerimentos aprovado de sua autoria, destacam-se o endereçado ao TJ-PB, sugerindo que os diretores de fóruns de todas as comarcas do Estado, promovam a destinação dos recursos depositados em conta judicial para as ações de combate e enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (covid-19), especialmente para os hospitais regionais das respectivas comarcas.

O deputado também teve o requerimento endereçado ao governador João Azevêdo, solicitando reparos, pintura e dedetização na escola estadual de ensino médio Adalberto de Sousa Oliveira, na cidade de Cachoeira dos Indíos, aprovado na semana passada, assim como o que determina a liberação de R$ 500.000,00, oriundos de parte da emenda ao orçamento de 2020, para o Hospital Regional de Cajazeiras e a transferência, mediante convênio, de R$ 200.000,00, oriundos da emenda ao orçamento de 2020, para a APAE de Campina Grande. O requerimento que pede a transferência, mediante convênio, de R$ 400.000,00, oriundos de emenda ao orçamento de 2020, para a Fundação Napoleão Laureano, em João Pessoa, foi outra iniciativa do deputado aprovada.

A solicitação que o Governo do Estado avalie, em caráter de urgência, a possibilidade de elevar o consumo de tarifa mínima de 10 m³ para 15 m³ de água por residência, sem o acréscimo do valor da tarifa mínima, em face do isolamento social decretado pelo Poder Executivo Estadual, durante o período da pandemia da Covid-19, foi outro requerimento da autoria de Jeová aprovado na sessão remota do último dia 22, assim como a solicitação endereçada ao Governador do Estado e ao Secretário de Estado da Cultura, no sentido de implantar ações de suporte financeiro para as entidades, grupos, pontos de cultura e outras pessoas físicas ou jurídicas que fazem parte da cadeia cultural do Estado da Paraíba e que não tenham renda comprovada para o período da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Outro requerimento aprovado em caráter de urgência, foi o pedido ao Governador e ao Secretário de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, no sentido de propor e implantar ações concretas de atendimento e apoio aos agricultores familiares da Paraíba, além de uma moção de Aplauso, pelo reconhecimento público, aos serviços essenciais prestados pelos profissionais de saúde que têm atuado no combate ao Coronavírus. “O isolamento social é necessário, mas, graças ao uso da tecnologia continuamos atuante, prova disso é o resumo de minha produção legislativa da última semana”, finaliza Jeová.

Declarações de Moro aprofundam crise no governo e tem fato gerador de mais um pedido de impeachment afirma deputado Jeová Campos

Posted on

“As declarações dadas hoje pelo agora ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, precisam ser levadas em consideração porque são muito sérias, pois cabe mais um pedido de impeachment de Bolsonaro. Mais grave que a mudança de um cargo de confiança de alto escalão, são os fatores alegados pelo ex-ministro para essa mudança de que o presidente Bolsonaro quer que os órgãos de controle e investigação como a Polícia Federal fiquem subordinados aos interesses políticos e particulares dele. Esses órgãos devem estar blindados de interferências políticas e atuar sempre com autonomia e isenção, esse é um princípio imprescindível numa democracia”, disse o deputado estadual Jeová Campos após o pronunciamento de entrega do cargo por Sérgio Moro, até então titular do Ministério da Justiça.

Segundo o parlamentar, as afirmativas de Moro sobre a tentativa de aparelhamento político da Polícia Federal, tendo como principal base o ato de exoneração do delegado Valeixo, diretor geral da PF, constitui forte prova para um processo de impeachment. “As revelações de Moro foram gravíssimas e deixam o governo numa posição constrangedora e vulnerável, com um quadro institucional muito nebuloso e incerto”, reitera Jeová que também é advogado. E ele lembra que Moro também desmentiu ter autorizado sua assinatura no ato de exoneração do delegado geral da PF, embora a assinatura dele conste no documento do DOU. “Isso é, no mínimo, surreal. Até o que consta no documento que é ‘a pedido’ ele disse que também foi falso”, destaca Jeová.

Para ele, não se pode esquecer o papel de juiz parcial de Moro no processo da Lava Jato e os erros e injustiças cometidos ao longo da Operação, mas, há de se reconhecer agora sua atitude de denunciar essa tentativa do presidente Bolsonaro querer interferir e manipular as investigações em curso ou as que poderia ser desencadeadas, inclusive, tendo acesso a informações sigilosas. “A escolha de pessoas para cargos relevantes na estrutura do Ministério da Justiça e da Polícia Federal deve ser impessoal, guiada por princípios republicanos e técnicos e Moro disse, claramente, que o presidente estava ignorando tudo isso e deixou no ar que a intenção de interferir politicamente causaria sérios danos ao país. Ai eu pergunto: quais danos? É preciso convocar Sérgio Moro para explicar melhor o que ele quis dizer”, reitera Jeová que lamenta, que além dos desmandos do atual governo, em plena pandemia o Brasil tenha que conviver com outra crise de proporções indefinidas. “O Brasil não merece esse desgoverno”, finaliza o deputado.

Deputado Jeová Campos lamenta morte do empresário João Claudino e lembra que apesar de muito rico ele era simples e humilde

Posted on

“A morte sempre nos toca de maneira abrupta, por vezes, e noutras situações de maneira já esperada, mas não menos sofrida e triste. Este último exemplo, foi o caso do meu amigo, o empresário paraibano João Claudino Fernandes, que morreu aos 90 anos de idade, nesta sexta-feira (24), em Teresina. O que posso dizer diante deste acontecimento. Que homens de alma leve, bom coração e vida plena, como ele, têm um lugar de luz e paz reservado no infinito, porque não pode ser diferente”. Foi desta forma que o deputado estadual, Jeová Campos se manifestou após tomar conhecimento do falecimento do empresário.

Jeová lembrou que João Claudino, junto com seu irmão construíram um império empresarial, entre os quais se destaca uma das marcas mais fortes do Nordeste, que é o Armazém Paraíba. Ele recordou o apreço e amizade que João Claudino, mesmo morenado distante, sempre lhe dispensou. “Ele tinha uma atenção muito grande por mim e, neste momento, meu sentimento é de pesar, mas, também de alegria por ter tido a chance de conhecer um homem de alto quilate, de envergadura moral, que tinha atenção por muitas pessoas, que foi um apoiador e incentivador de minha carreira política e que toda campanha lembrava de mim, me abraçava e se preocupava comigo”, reiterou o parlamentar.

Jeová destacou ainda outra virtude e diferencial de João Claudino, pouco afeita a homens de muitas posses e poder. “Ele tinha um simplicidade que brotava de seu ser, ele nunca se deixou embriagar pelo dinheiro, nem permitiu que isso o deixasse com a sensação de ser melhor que as outras pessoas, por mais humildes que fossem. Ele sempre procurou preservar as amizades, enxergando os outros como seres iguais e por isso não perdeu a capacidade de bem conviver com o mais humildes e isso era o que mais me encantava nele. Homens de bom coração como ele, olham nos olhos das pessoas enxergando o coração e abraçando a alma, não o que as pessoas representam na sociedade. Que Deus o acolha como ele acolheu as pessoas durante toda a sua vida”, disse Jeová.

“Em nome de Joca Claudino, abraço toda a família Claudino e, neste momento de perda, reitero a minha admiração pela humildade, grandeza, pelo legado de João Claudino e, sobretudo, por tudo o que ele representou como cidadão, amigo, empresário, e, mais ainda, como ser humano”, finalizou o parlamentar que só não foi se despedir do amigo por causa da atual situação de pandemia, reforçada pelo fato da família informar que não haverá velório.

Sobre os negócios

O empresário João Claudino Fernandes, co-fundador do Grupo Claudino, estava doente há algum tempo. Ele fundou o Armazém Paraíba, em Teresina, no ano de 1968. Ao longo de mais de 50 anos de atuação no mercado, João Claudino se tornou dono de uma das maiores redes varejistas do Nordeste, tendo mais de dez empresas, a maior parte delas com sedes na capital piauiense e empregando mais de 17 mil funcionários. O empresário começou a atuar em sociedade com o irmão Valdecy, mas, a sociedade foi repartida em 2013. Valdecy ficou com a Socic (Sociedade Comercial Irmãs Claudino), que abriga os negócios de transportes, a administradora de cartões de crédito e um shopping e João ficou com o Grupo Claudino, que controla o Teresina Shopping, a Houston e o Armazém Paraíba.

Emenda de Bancada Impositiva destina recursos para implantação do teste do pezinho ampliado na rede estadual de saúde da PB

Posted on

O incremento de procedimentos de alta e média complexidade nas redes de saúde pública estaduais e municipais, muitas vezes necessita do aporte de recursos federais para se concretizar. É o caso da política de saúde pública que trata da implantação do teste do pezinho ampliado, que assegura aos bebês nascidos em hospitais e maternidades da rede pública de saúde da Paraíba o direito ao teste de triagem neonatal, na sua modalidade ampliada. A propositura do deputado estadual Jeová Campos, transformada em Lei após sanção do governador João Azevêdo, no final do ano passado, ganhou reforço significativo com a destinação de parte de R$ 500.055,00 oriundos de Emenda de Bancada Impositiva. A boa notícia foi comunicada nesta quarta-feira (22), ao parlamentar, através de ofício do deputado federal Gervásio Maia.

No ofício 129/2020, encaminhado ao gabinete de Jeová, o deputado Gervásio Maia destaca que ‘os recursos orçamentários disponibilizados referente à Emenda de Bancada Impositiva, na ordem de R$ 500.055,00, se destinarão para incremento de média e alta complexidade, em especial para atender aos exames do teste do pezinho ampliado’. No documento, o parlamentar federal ainda reitera que ‘a destinação dos recursos vai contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população do Estado da Paraíba’.

Atualmente, o teste do pezinho diagnostica apenas seis doenças e com a ampliação ele poderá identificar até 30 patologias. “Estou muito feliz com essa iniciativa do deputado federal Gervásio Maia, que com apoio de outros parlamentares paraibanos, destinaram esse meio milhão de reais para que o Governo da Paraíba, através da Secretaria Estadual de Saúde, possa dotar a rede estadual e o Lacem de condições para que os testes ampliados possam, efetivamente, serem realizados”, disse Jeová.

O deputado lembra que com os testes ampliados será possível diagnosticar precocemente várias doenças, proporcionando um tratamento eficiente e imediato, o que por si só, contribuirá para o progresso da saúde pública do Estado. A proposta, segundo Jeová, também resultará numa substancial racionalização dos gastos públicos com a assistência médico-hospitalar. “A maioria dos pacientes atingidos pelas doenças, terminam toda a sua vida sob os cuidados do SUS – Sistema Único de Saúde, gerando um ônus financeiro nada desprezível e esses testes feitos de maneira precoce têm condições de minimizar isso”, lembra o parlamentar.

O teste do pezinho ampliado vai tornar possível o diagnóstico precoce das seguintes patologias: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, Hipertireoidismo congênito, Hiperplasia Adrenal, Galactosemia, Deficiência de Biotinidase, Toxoplasmose Congênita, Deficiência de G6PD, Fibrose Cística, Anemia Falciforme e outras Hemonoglobinopatias e Leucinos. No Distrito Federal, que hoje é referência em Teste do Pezinho Ampliado, são feitas, em média, 400 novas consultas de primeira vez no Centro de Referência de Doenças Raras da Secretaria de Saúde. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil abriga cerca de 13 milhões de pessoas com alguma enfermidade rara, ou seja, um a cada 16 indivíduos, sendo que 75% destas pessoas são crianças.

Urgência do Hospital de Patos atende menos vítimas de acidentes de trânsito e de causas violentas em função das ações de isolamento social

Posted on

Com menos gente circulando, obviamente caem as possibilidades de acontecerem mais acidentes. E isso pôde ser constatado no relatório de gestão do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos. No último final de semana (17 a 19), a unidade registrou 14 acidentes, um número considerado baixo comparado a outros finais de semana antes das medidas de isolamento social adotadas em todo o Estado. Em média, a unidade registrava por plantões de finais de semana cerca de 30 acidentes. Somados os acidentes de trânsito ocorridos do dia 1º até esse domingo (19), a unidade contabiliza 149 ocorrências, das quais 128 delas envolvendo motociclistas, número também bem menor que em meses anteriores a pandemia.

“É fato que o número de atendimentos na urgência e emergência da unidade de vítimas de acidentes de trânsito diminuiu consideravelmente nos últimos dias e essa redução coincide com a adoção das medidas de isolamento social adotadas na Paraíba em função da pandemia do Covid-19”, reitera a diretora geral do Complexo, Liliane Sena. Segundo ela, um dado ainda preocupa que é o fato de que a imensa maioria dos casos de acidentes envolver motos. “Os atendimentos atestam que esse tipo de acidente é o que mais necessita de cirurgias, principalmente, ortopédicas, e internação hospitalar e também são os que deixam o maior número de sequelas nos pacientes devido a gravidade das lesões”, reitera ela.

Dos 149 acidentes registrados nos primeiros 19 dias deste mês, 128 foram com motos, oito envolvendo automóveis, sete com bicicletas, três atropelamentos e outros três casos envolvendo acidentes com tração animal. No tocante a atendimentos às vítimas de violência, durante esse período, foram registrados 25 atendimentos, sendo 11 por agressões físicas, 09 pacientes com ferimentos por arma branca e outros cinco feridos por armas de fogo. Nestes casos, também houve redução no número de ocorrências, provavelmente, atribuídos a menor circulação de pessoas nas ruas.

Jeová lembra que alertou paraibanos há dois meses sobre o perigo de novo golpe e conclama população a reagir para manter a democracia

Posted on

No dia 26 de fevereiro, o deputado estadual Jeová Campos (PSB), fez um duro discurso na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, alertando os paraibanos para o perigo de novo golpe contra a democracia. E nesta segunda-feira (20), ele voltou a se manifestar contra os riscos, ainda mais evidentes, que atentam contra o regime constitucional que alicerça a liberdade do povo brasileiro. No entendimento do parlamentar, o discurso do presidente Bolsonaro e as manifestações ocorridas neste domingo (19), em várias capitais do país que, acintosamente, bradava contra o Congresso Nacional, o STF e o Estado Democrático de Direito, evocando atos de exceção, numa exaltação clara à medidas como o a volta do AI-5, não podem ser aceitas pela população brasileira. “Nós conquistamos a duras penas, a liberdade de expressão, o Estado democrático de Direito e a consolidação das instituições que nos representam e não podemos retroceder, jamais”, reiterou Jeová.

O deputado lembra que se não bastasse os discursos de promoção e incentivo a instabilidade jurisdicional, a postura do presidente é de total desrespeito às recomendações da OMS de isolamento social. Agindo desta forma, se expondo e expondo as pessoas, em plena pandemia do coronavírus, o presidente desfere um golpe contra a saúde da população, abandonando-a à própria sorte, quando, de maneira ostensiva, convoca a volta de todos ao trabalho, rompendo às medidas de isolamento social e incentivando a quebra da ordem democrática”, afirmou Jeová.

Outro agravante, segundo o deputado, que também é advogado, é que agindo como o fez ontem (19), o presidente também se colocou numa posição de liderança de insubordinação à Constituição Federal, infringindo a Lei 1.079/1950, em seu artigo 7, que define os crimes de responsabilidade, dentre eles, ‘provocar a animosidade entre as classes armadas ou contra elas, ou delas contra as instituições civis’.

Jeová reitera que está na fila da resistência a essa postura. “Me coloco ombro a ombro com as mais diversas instituições, personalidades, a classe política e todos aqueles que repudiam essa ação do presidente Jair Bolsonaro, Na condição de Chefe de Estado, ele deveria estimular a defesa das instituições, o respeito aos poderes constituídos. Se um ou outro parlamentar não age republicamente, que o povo tenha a soberania de cassar seu mandato no voto, nunca através de um Ato Institucional”, reforça o parlamentar.

Jeová lembrou que embora Bolsonaro tenha sido eleito pelo povo, existem muitas democracias que lidam com a divergência de modo autoritário e acabam se transformando em uma ditadura. “Claramente, se prepara um novo golpe contra o povo. E nós não podemos permitir isso. O poder legitimo emana do povo e não contra ele. Resistir e, mais do que nunca, reagir é preciso”, destacou o parlamentar, lembrando que a tentativa de desmerecer a Imprensa e tratar mal os jornalistas faz parte deste jogo de interesses de desestabilizar as instituições que têm poderes para obstacular o desrespeito à Constituição e os desmandos que possam ser, eventualmente, sugeridos pelo presidente. Em conversas com jornalistas na manhã desta segunda-feira, Bolsonaro desmentiu que sua atitude de ontem teve o objetivo de desmerecer o Congresso, o STF e as instituições democráticas. Segundo declarações do presidente, era apenas um ato em favor ao Dia do Exército. Mas, na mesma fala, ele disse que o povo estava nas ruas para pedir a volta ao trabalho e que 70% da população será infectada. Ele também criticou medidas adotadas em vários estados, a exemplo da Paraíba, cujo decreto de isolamento social foi prorrogado até o dia 05 de maio.

“Eu prefiro defender a vida. Bolsonaro está do lado do mercado. Empresas podem ser recuperadas, vidas que já se foram e ainda vão com essa pandemia, não”, finalizou o parlamentar, que está com a mãe internada na UTI do hospital de Cajazeiras, com diagnóstico de pneumonia e com suspeita de ter contraído a Covid-19. “O vírus bate na porta de qualquer um. Portanto, se a melhor maneira de se preservar a vida, na atual conjuntura, é com o isolamento, então vamos fazer a nossa parte. Se com todo esse cuidado, muita gente está se contaminando, imagina se formos às ruas, como foram ontem, muitas pessoas, voltarmos a normalidade. Que Deus tenha piedade de nós”, finalizou o parlamentar.