Funcionários da Maternidade de Patos participam de treinamento para promover, estimular e apoiar o aleitamento materno

Como Hospital Amigo da Criança, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, leva muito a sério a questão do aleitamento materno, tanto que todos os seus colaboradores passam, necessariamente, por um treinamento para entender a importância de estimular, promover e apoiar essa ação que faz toda a diferença no desenvolvimento dos bebês e ainda na redução das mortes por causas preveníveis de crianças menores de cinco anos. Por isso, os novos funcionários que ainda não participaram do treinamento sobre Aleitamento Materno vão estar hoje (20) e amanhã (21), no colégio Vera Cruz, para uma capacitação sobre esse tema. Ao todo, 152 colaboradores participarão da iniciativa sob a orientação da Bioquímica e Responsável pelo Controle de Qualidade do Banco de Leite da Maternidade, Faldrecya Borges e da Enfermeira, Naara Moreira.

Para o diretor geral da Maternidade e pediatra, Dr. Umberto Marinho Júnior, a iniciativa é muito importante e vai além da obrigatoriedade de ter todos os colaboradores treinados sobre esse assunto. “Como detentora do título de ‘Hospital Amigo da Criança’, uma das exigências para mantermos essa distinção, é que todos os nossos colaboradores sejam capacitados para tal, mas, muito além de atendermos essa exigência, desenvolvemos uma cultura interna que valoriza esse gesto, porque entendemos que ele é fundamental e insubstituível”, destaca o médico. Ele lembra que o aleitamento materno tem repercussão direta ou indireta na vida futura do indivíduo, auxiliando na redução de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e obesidade, reduzindo o risco da mulher que amamenta de contrair câncer de mama e de ovário e de ter diabete tipo II, além de promover uma melhoria na saúde física e mental da criança e da mãe, estreitando o vínculo entre eles.

Segundo a bioquímica Fraldrecya, o aleitamento materno é a prática isolada de maior impacto contra a mortalidade na infância. “Atribui-se ao aleitamento materno a capacidade de reduzir em 13% as mortes de crianças menores de cinco anos por causas preveníveis em todo o mundo”, reforça a responsável pela capacitação dos colaboradores da Maternidade. Durante o treinamento, será abordado os Dez Passos do Aleitamento Materno, os Dez Passos para o Hospital Amigo da Criança e Amigo da Mulher, além da Política Interna de Normas e Rotinas da Maternidade.

Sobre os dez passos para o sucesso do aleitamento materno, destaca-se, o fato de ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipe do serviço; treinar toda a equipe, capacitando-a para implementar essa norma; informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação; ajudar a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto; mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos; não dar a recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica; praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia; encorajar a amamentação sob livre demanda; não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas e encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar. Esse conjunto de atitudes, segundo Dr. Umberto, aumenta a duração do aleitamento materno durante a internação hospitalar e estimula as mães a continuar amamentando após a alta.

Para a jornalista Mary Landim, que teve seu primeiro filho em janeiro deste ano, e amamentou Victor, exclusivamente, no peito até os seis meses e após esse período continua amamentando, mesmo com a complementação alimentar de frutas, papinhas e outros alimentos, essa relação que ela estabeleceu com o filho foi além da própria questão da saúde. “É inquestionável as vantagens nutricionais de uma criança alimentada com leite materno, do quanto de ganho em sua vida ela terá em função deste gesto, isso sem falar no vínculo que se forma entre mãe e filho, na cumplicidade da troca de afeto, além de ser uma experiência incrivelmente enriquecedora”, destaca Mary que, atualmente, deixa Victor mamar em livre demanda, ou seja, quando ele solicita. Para ela, a Maternidade de Patos e todos os hospitais Amigos da Criança têm um papel fundamental no estímulo ao aleitamento. “Dificilmente, mães bem orientadas deixarão de amamentar seus filhos”, finaliza a jornalista que não pensou ainda como se dará o desmame de Victor.

Sobre o Hospital Amigo da Criança

A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) é uma estratégia lançada no mundo inteiro pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e UNICEF, em 1991, com o intuito de promover, proteger e apoiar o aleitamento materno no âmbito hospitalar. A iniciativa consiste no treinamento dos profissionais de saúde do estabelecimento de saúde para o cumprimento dos dez passos para o sucesso do aleitamento materno. No Brasil, a iniciativa foi adotada pelo Ministério da Saúde, em 1992 e, dez anos depois, já havia 335 hospitais com esta qualificação, entre os quais, a Maternidade de Patos.

Postado em: 20/11/2019, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *