Deputado conclama população a protestar contra politica de privatização e entreguismo do Brasil por Bolsonaro

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) disse, nesta segunda-feira (04), que o Brasil estava diante de um estelionato eleitoral com as medidas que vem sendo defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele alertou que Bolsonaro, quando candidato à Presidência do Brasil, era contra a privatização do setor energético que, segundo ele próprio, colocaria a soberania nacional em cheque. No entanto, agora presidente, Bolsonaro quer privatizar a Chesf, entregando 52% de toda a água armazenada. Para o parlamentar paraibano, é o momento de protestar, de ir às ruas, tendo em vista o aumento do custo da produção de alimentos no país com a medida.

“Estamos diante de um estelionato eleitoral. O povo brasileiro votou e escolheu Bolsonaro presidente. Mas que Bolsonaro eles escolheram? O Bolsonaro antes ou depois de ser presidente? Porque antes de ser presidente, como deputado federal, ele era contra a privatização do setor elétrico, e tem vídeos com seu discurso. Ele dizia que não ia entregar o setor elétrico para empresas estatais de outros países, sinalizando que isso quebraria a soberania nacional, mas é o que ele está fazendo. Não só quer vender todas as empresas concessionárias de energia como Chesf, por exemplo, o que significa vender 52% de toda água armazenada no Brasil nas 47 barragens do sistema elétrico das hidrelétricas”, explicou Jeová, indicando que a população vá atrás do que Bolsonaro defendia e faça essa análise.

Jeová afirmou que o presidente está entregando o país à iniciativa privada e está subjugando a democracia e o interesse público. “A água do país será privatizada para atender ao interesse de quem? Esse é o interesse do povo brasileiro? Porque na hora que privatizar, o alimento vai ficar mais caro porque a tarifa de energia será mais cara. Vai precisar de muito mais recurso para ter água. Privatizar a água é um absurdo”, alertou Jeová, conclamando a população a se pronunciar a respeito de uma medida que, segundo Jeová, gerará a queda da democracia e da soberania do país. “É preciso que a gente construa um movimento forte de rua”, disse.

Além disso, o parlamentar também mencionou que o Governo Federal tem o intuito de vender a tecnologia do pré-sal para empresas internacionais, mais um motivo para a população protestar, afinal de contas isso significa abrir mão de investimentos para Educação e Saúde. “Dia 06 eles vão passar dois terços do petróleo e a exploração do pré-sal, tecnologia do pré-sal, tecnologia nacional, financiada pelo estado brasileiro. O Brasil é um dos poucos países que dominam essa tecnologia de extrair o óleo de águas profundas, estão entregando dois terços para outros países. Essa privatização é feita sem qualquer valoração do interesse público, que está sendo subjulgado ao interesse especulativo de Paulo Guedes. É preciso que o Brasil reaja”, disparou Jeová, acrescentando que não compreende uma nação tão passiva diante de tudo isso.

“Não estou entendendo como é que está acontecendo tanta violência nação, não só quanto às pessoas, que estão desempregadas, mas também contra a nação. Não é só a Amazônia, o litoral nordestino. Com o repasse de parte da Petrobras e o pré-sal, perdemos investimento em saúde e educação. O Brasil perde essa estratégia. É ou não um estelionato eleitoral? Ele tinha uma proposta e agora ele faz o que Paulo Guedes quer, o os banqueiros querem,. Vender não, entregar o quinhão brasileiro. Precisamos reagir, meu povo!”, conclamou Jeová.

Postado em: 04/11/2019, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *