A Paraíba tem grande potencial para energia solar mas ainda não está aproveitando essa riqueza da natureza como deveria afirma Jeová

Como ex-presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) e um defensor da preservação do Meio Ambiente e do uso de energias renováveis, o deputado estadual Jeová Campos (PSB), voltou a destacar, nesta quarta-feira (05), ao lembrar do Dia Mundial do Meio Ambiente, que a Paraíba tem grande potencial para o uso da energia solar e precisa se movimentar mais em relação a isso. Para ele, que hoje preside a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura, o dia 05 de junho levanta diversas discussões, inclusive sobre o uso racional dos recursos renováveis. “Aqui, em nosso estado, há abundância de radiação solar, mas muito pouco ainda é aproveitado disso que a natureza nos dá de graça”, afirma ele.

O parlamentar, enquanto esteve à frente da Comissão do Meio Ambiente, coordenou, em 2016 e 2017, diversas atividades no sentido de unir esforços de vários setores da comunidade científica para discutir o tema e elaborar soluções viáveis para reduzir os impactos da ação do homem sobre a natureza e aproveitar essa radiação solar que incide na Paraíba. Um dos temas mais frequentes de discursos, pautas e ações, foi sobre o uso de energias renováveis como a solar e a eólica na Paraíba. De acordo com Jeová, um dos locais que mais possui incidência de radiação solar no mundo fica na Paraíba, nas imediações da cidade de São Gonçalo, o que, caso aproveitado, poderia colocar o estado no topo das localidades que utilizam energias limpas, renováveis.

“Lá, durante todo o ano, registra-se mais de 3 mil horas de sol por metro quadrado, quando a média de radiação solar gira em torno de 2 mil metros quadrados. Além disso, nosso estado também é rico em silício, um dos principiais materiais utilizados na fabricação de células fotovoltaicas que captam a luz solar transformando-a em energia. Então, não vejo motivos para não aproveitar isso. Vários países já estão fazendo isso e aqui mesmo na Paraíba já temos experiências nesse sentido”, disse Jeová, ancorado em informações de cientistas das Universidades Federais de Pernambuco e da Paraíba.

Essas são questões que, para ele, precisam ser conhecidas pelo governador, prefeituras, entidades e empresas que trabalham no desenvolvimento de tecnologias e toda a comunidade científica. “O Meio Ambiente e também do uso das energias renováveis não deve se restringir às pessoas ou entidades que lutam pela preservação da natureza e suas fontes esgotáveis de energia. Todos devemos abraçar o tema. Sabemos que o aquecimento global tem provocado diversos desastres naturais e que a temperatura na Terra deve aumentar de 2 a 3 graus até o final do século. Precisamos mudar nossos hábitos”, afirmou Jeová, frisando que a Paraíba tem por onde começar. “Esses recursos naturais é uma excelente fonte de desenvolvimento e precisamos aproveitá-los de maneira mais produtiva, além disso, as mudanças climáticas exige de todos nós mudanças de costumes, posturas e atitudes então que comecemos a nos transformar antes que seja tarde demais”, concluiu Jeová.

Postado em: 05/06/2019, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *