Month: março 2019

Deputado Jeová lamenta ausência de políticos em ato contra reforma da previdência e diz que seu mandato está do lado dos trabalhadores

Posted on

“O nosso mandato, o mandato de um filho de agricultores, vai estar nesta trincheira, junto de vocês, hoje, amanhã e enquanto deputado eu for, porque eu não participo dos banquetes dos ricos, e essa proposta de reforma é uma proposta dos ricos, porque ela não pune as grandes empresas que não recolhem às contribuições, porque não combate a apropriação indébita dos recursos da previdência, porque  não taxa as grandes fortunas, nem afeta os lucros exorbitantes dos banqueiros”, disse hoje (15), o deputado estadual, Jeová Campos, durante manifestação contra a Medida Provisória (MP) 871 e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que trata da “Reforma da Previdência”. O parlamentar lamentou a ausência de representantes da bancada federal paraibana no ato, que contou apenas com os deputados federais Frei Anastácio e Gervásio Maia, este último, inclusive, com um contundente discurso sobre o assunto.

A audiência pública, realizada no parlatório da ALPB, foi precedida de uma marcha de trabalhadores rurais, que atenderam um chamamento da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB) que, em parceria com a Assembleia Legislativa (ALPB), realizaram o ato proposto pela deputada Cida Ramos, com coautoria de Jeová.

Jeová junto com o presidente da Fetag, Liberalino Lucena, e o deputado federal, Frei Anastácio, ficou à frente da marcha, que saiu da sede da federação, em Jaguaribe até a sede da ALPB, segurando uma faixa com retratos dos representantes da bancada federal paraibana que terão a missão de votar à proposta no Congresso. “Essa faixa foi muito pertinente, pois o futuro da previdência depende da escolha de nossos representantes que estão em Brasília e terão a oportunidade de mostrar de que lado estão, se do povo ou dos poderosos”, disse Jeová, Além da foto dos deputados federais e senadores da Paraíba a faixa exibia a seguinte frase: “Os senhores vão votar contra os direitos dos trabalhadores (as) rurais? Os trabalhadores estão de olho em vocês”.

Segundo Jeová, que é advogado e tem se debruçado com um olhar muito atento ao texto da proposta, se ela for aprovada como está inviabilizará, por completo o acesso a Previdência por parte dos Trabalhadores e Trabalhadoras, com ainda mais severidade aos que atuam no Campo. Ele lembrou que o momento agora é de luta. “É preciso que os trabalhadores se mobilizem, o momento agora é de luta, de protesto, de resistência de ir para as ruas, porque somente a mobilização popular e a pressão sobre os deputados e senadores, em Brasília, será capaz de barrar esse projeto que não combate injustiças, ele é uma injustiça”, finalizou o parlamentar.

Deputado Jeová Campos confirma presença na audiência pública que debaterá a Reforma da Previdência

Posted on

 

“Só vejo uma forma de barrar a aprovação deste famigerado projeto, que retira dos trabalhadores direitos já assegurados, penaliza os mais humildes, amplia o tempo de trabalho e só favorece o capital, que é a mobilização popular, o povo nas ruas protestando contra essa reforma maldosa e se mostrando indignado”, afirma o deputado estadual Jeová Campos. (PSB). O parlamentar vai se unir, nesta sexta-feira (15), a  Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB) que, em parceria com a Assembleia Legislativa (ALPB), realizam uma Audiência Pública para tratar da Medida Provisória (MP) 871 e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que trata da “Reforma da Previdência”. A audiência acontecerá a partir das 8h, .depois de uma marcha que sairá da sede da Fetag, em Jaguaribe.

Segundo Jeová, que é advogado e tem s debruçado com um olhar muito atento ao texto da proposta, se ela for aprovada como está inviabilizará, por completo o acesso a Previdência por parte dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo. “Essa é uma reforma cruel, pois penaliza quem mais precisa da previdência, inclusive, as mulheres do campo, pois ela impõe mais cinco anos para as mulheres trabalhadoras rurais se aposentarem e isso é injusto, haja vista que além do acúmulo de funções que a mulher tem, a trabalhadora rural começa a atuar muito cedo”, destaca Jeová.

            A expectativa é que mais de cinco mil Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares de várias regiões da Paraíba participem da Audiência, para tanto, várias caravanas estão programadas para virem a João Pessoa. Antes da audiência, os participantes se concentrarão, a partir das 7h, em frente à sede da Fetag-PB, na Rua Rodrigues de Aquino, 722, Jaguaribe, de onde seguirão em marcha até a Praça João Pessoa, em frente ao Parlatório, onde acontecerá a audiência.

 “Muito se ouve falar no tal déficit da Previdência Social, mas por que não se fala na Desvinculação de Receitas da União (DRU), que permite ao Governo Federal usar livremente 30% do que é arrecadado, para utilização em outras áreas? Por que não cobram os grandes devedores da União?”, questiona o presidente da Fetag Liberalino Lucena.

ALPB debate por sugestão do deputado Jeová como implantar uma nova política de agricultura familiar na Paraíba

Posted on

A Assembleia Legislativa, a partir de uma sugestão do deputado estadual Jeová Campos (PSB), realizou neste sábado (09), um encontro com agricultores do sertão, em Cajazeiras, para debater novos projetos e as novas políticas públicas do governo estadual para esse segmento produtivo. “Como fortalecer as novas culturas, como produzir mais, num espaço menor, como dar acesso ao credito para a agricultura familiar, enfim, pensar em ações que, de fato, consigam estimular esse setor a produzir um alimento mais saudável, de forma sustentável”, explicou o deputado no início dos trabalhos. O secretário de Agricultura Familiar, Luiz Couto e o presidente da Câmara de Vereadores de Cajazeiras, Delzinho, participaram do encontro.

Para o parlamentar, é preciso avançar, ainda mais, nesse segmento tão importante da economia local. “Nós estamos vivendo um tempo extremamente esperançoso com a chegada de Luiz Couto na secretaria de Agricultura Familiar e estamos debatendo com os agricultores da Paraíba as formas de fortalecer a atividade de forma sustentável, já fizemos isso em Mamanguape, agora em Cajazeiras e devemos fazer também em Sousa, Pombal  e Catole´do Rocha e, assim, construir um caminho que garanta a permanência do agricultor produzindo, mas de forma mais sustentável e eficiente e é ai onde as políticas públicas fazem toda a diferença”, disse Jeová.

Para o parlamentar, é fundamental o apoio a esse segmento, principalmente, no tocante a produção de alimentos mais saudáveis. “Hoje a pessoas estão tendo muitos problemas de saúde decorrente do uso agrotóxicos. Portanto, a agricultura familiar é a porta de entrada para esse tempo novo. Hoje, as pessoas estão consumindo produtos que fazem mal a saúde, com agrotóxicos, e ao fortalecer esse segmento poderemos produzir alimentos mais saudáveis e colocar a Paraíba num estágio bem positivo nesse sentido”, afirmou o parlamentar.

Prefeitos, vereadores, representantes de sindicatos de trabalhadores rurais, de associações comunitárias, de setores produtivos de vários municípios do Sertão paraibano, entre outros representantes da sociedade civil organizada participaram do encontro realizado no plenário da Câmara Municipal de Cajazeiras.

O deputado Jeová Campos que também é presidente Frente Parlamentar da Água e da Agricultura da ALPB avaliou o encontro como muito positivo. “A ideia é com essa agenda construir um projeto que dê um tratamento diferente ao setor. Viver no campo é mais difícil de que morar nas cidades, quando se tem uma profissão definida. Então, é preciso a gente garantir a permanência do homem no campo, mas permitindo que ele tenha novas culturas, novas técnicas de trabalho, mais acesso ao crédito e ao Empreender para a agricultura familiar”, declarou.

Durante o encontro em Cajazeiras, o secretário Luiz Couto anunciou investimentos para a produção agroecológica, com incentivos ao cultivo da cultura do algodão, a produção de energias renováveis, a caprino ovinocultura no semiárido, além de ações de Educação no campo. Ele também falou sobre investimentos para o projeto Cooperar, além da criação do Empreender da Agricultura Familiar do Estado e agradeceu o apoio e contribuição que a Assembleia Legislativa, especialmente, o deputado Jeová, têm dado ao trabalho de sua Secretaria.

Deputados constatam que as águas da Transposição pelo Eixo Norte só chegarão à Paraíba em meados de 2020

Posted on

As águas da Transposição, através do Eixo Norte, infelizmente, só chegarão à Paraíba em meados do próximo ano. Essa foi uma das principais constatações de uma visita técnica realizada, nesta sexta-feira (08), por uma caravana da Assembleia Legislativa da Paraíba, coordenada pelo deputado e presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, Jeová Campos (PSB), em trechos da PB, PE e CE. Na visita foi identificado qual é o problema do Eixo Norte da Transposição que vai atrasar a chegada das águas à Paraíba e  atual situação dos trechos da obra nos três estados visitados.

“Quando foi inaugurada a estação de Bombeamento Nº 3, que era para encher a barragem de Negreiros, um dique desta barragem se rompeu e, por isso, a obra vai atrasar em, aproximadamente, um ano. Tudo por causa deste rompimento ocorrido em maio de 2018”, explica Jeová. Segundo ele, o rompimento se deu logo após a inauguração da estação e por isso o enchimento dela não foi realizado.

De acordo com Jeová, como a obra se intercala e uma etapa depende da outra, a impossibilidade do enchimento da estação de Bombeamento Nº 3, em Negreiros (PE), comprometeu o transcurso da água, por gravidade, para os demais reservatórios, a exemplo do de Milagres, de Jati, de Pombos I e II, de Cana Brava, de Boa Vista e Caiçara. “Para encher esses reservatórios, nós precisamos de um ano de bombeamento, sem qualquer intercorrência, por isso, a agua só chegará à Paraíba, apesar da obra estar praticamente pronta, em meados de 2020”, lamentou o parlamentar.

Além de Jeová, participaram da visita técnica, que começou em Cajazeiras, depois seguiu para Salgueiro (PE), passou pelo complexo da barragem de Negreiros, onde foi constado o rompimento do dique do reservatório, e encerrada na barragem de Jatí (CE), os deputados Galego de Sousa e Moacir Rodrigues, além de representantes de vários segmentos da sociedade civil organizada.

Durante a visita também foi constatado que a barragem de Jati, Morros e Boa vista estão todas prontas. Porém, a operação desse sistema depende da resolução do problema do dique que se rompeu em Negreiros. “Sem resolver o dique, nós não teremos água na Paraíba. Isso atrasou de forma bastante grave a obra. Nossa expectativa era ter água ainda esse ano, mas, infelizmente isso não acontecerá. Pelo que vimos na barragem de Negreiros, a água só chegará no final de 2020. Estou muito triste com essa constatação, pois isso significa um prejuízo incalculável para o povo paraibano”, lamentou Jeová.

O próximo passo agora, segundo o deputado, será colocar todos os dados em um relatório e marcar uma audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para cobrar as providências necessárias para a conclusão do Eixo Norte da Transposição. O deputado lembrou ainda que é importante mobilizar a bancada federal da Paraíba e dos estados de PE, RN e CE para que os parlamentares possam fazer no Congresso Nacional, o mesmo trabalho que a ALPB está fazendo. “A união de forças fará toda a diferença nessa reta final da obra, afinal, já esperamos muito para receber as águas da Transposição”, disse Jeová, que fez um balanço positivo da visita. “O que vi hoje me dá a certeza de que o nosso projeto de desenvolvimento da agricultura, a partir das águas da Transposição, com a perenização do Rio Piranhas, acontecerá, embora com atraso, ele será uma realidade a partir do próximo ano”, disse Jeová.

Sobre o Eixo Norte

O Eixo Norte da Transposição constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

Deputados vão levantar situação das obras do Eixo Norte da Transposição para cobrar do Governo Federal sua conclusão

Posted on

Ver in loco como está a real situação do andamento das obras do projeto de transposição do Rio São Francisco, no Eixo Norte, anotar as dificuldades atuais e o que falta e cobrar das autoridades responsáveis a conclusão do projeto como havia sido prometido há mais de um ano. Essa é a proposta da visita técnica que será realizada pela Assembleia Legislativa da Paraíba, por sugestão do deputado Jeová Campos (PSB), nesta sexta-feira (08). A visita terá início no escritório do Ministério do Desenvolvimento Regional (antigo Ministério da Integração Nacional), em Salgueiro (PE), às 9h, em seguida, passará pela Estação de Bombeamento (EBI-3) e finalizará no túnel Milagres (CE), no final do dia.

Segundo Jeová, a visita vai gerar um relatório que será encaminhado aos parlamentares da bancada federal paraibana e também ao Ministério do Desenvolvimento Regional (antigo Ministério da Integração Regional). “Vamos ver como estão as obras, levantar o que está faltando, consubstanciar esses dados num documento e cobrar das autoridades do Governo Federal que concluam as obras urgentemente”, afirma o parlamentar.

O deputado lembra que o Eixo Norte constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

“É importante realizar essa visita técnica às obras da Transposição para identificar em que reais condições se encontram esses pontos finais da obra que são fundamentais para a chegada das águas do Rio São Francisco na Paraíba, inclusive desaguando em São José de Piranhas”, destacou Jeová, lembrando que a temática da água foi um dos temas que mais marcaram os debates da ALPB durante os quatro anos da legislatura passada. “Infelizmente, por não ter tido as obras concluídas, ainda precisamos focar nessa questão. Eu gostaria muito de estar pautando debates sobre a racionalidade do uso das águas da transposição, mas, as águas precisam chegar antes e, para isso, é preciso concluir a obra. Não sei porque tanto descaso, se falta tão pouco para concluí-la”, finalizou o depurado.

Sobre a transposição do rio São Francisco

É um projeto de deslocamento de parte das águas do rio São Francisco nomeado pelo governo brasileiro como “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”. A obra consiste na construção de mais de 700 quilômetros de canais de concreto em dois grandes eixos (Norte e Leste) passando pelos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Ao longo do caminho, o projeto incluiu a construção de nove estações de bombeamento de água. Com previsão de beneficiar 12 milhões de pessoas, o projeto prevê a captação de apenas 1,4% da vazão de 1 850 m³/s do São Francisco, dividida nos dois eixos de transposição.

Hospital Regional de Patos registra 425 atendimentos e 27 cirurgias de emergência durante o carnaval

Posted on

 

O Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) teve um plantão movimentado nos quatro dias de carnaval. Entre os dias 02 e a manhã desta quarta-feira (06) de março, a unidade que integra a rede estadual de saúde, registrou 425 atendimentos ambulatoriais, realizou 27 cirurgias de emergência e registrou 69 internações. O dia de maior movimento foi a terça-feira de carnaval com 126 atendimentos. Os acidentes de trânsito responderam por 9% destes atendimentos, enquanto que quedas diversas correspondeu a 11% deste movimento.

Na emergência, os casos envolvendo quedas lideraram as entradas nos plantões deste período contabilizando 46 ocorrências, seguida de acidentes de trânsito, com 37 ocorrências, sendo os que envolveram motos a maioria deles (25 casos) e em terceiro lugar pacientes com dores abdominais com 36 casos registrados. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um incremento de 5% no número de internações e de 23% no número de cirurgias de emergência realizadas.

A exemplo dos anos anteriores, a equipe de plantão supriu a demanda de atendimentos sem precisar reforço na equipe. De acordo com a diretora geral da unidade, Liliane Sena, o fato do hospital ter zerado a fila de cirurgias ortopédicas antes do período carnavalesco contribuiu para eficiência no atendimento dos casos surgidos nos quatro dias de folia. “Não precisamos reforçar a equipe para suprir a demanda do plantão de carnaval. Todos os casos foram resolvidos, mesmo no dia 05, quando tivemos um aumento significativo de demanda, com um pico de 126 atendimentos”, finaliza Liliane.

Representantes de entidades se reúnem para debater formas de facilitar o acesso ao crédito ao produtor canavieiro paraibano

Posted on

Formas de facilitar o acesso ao crédito do Banco do Brasil aos produtores, passando pela agilidade nos processos e na flexibilidade das licenças. Essa foi a tônica de uma reunião realizada, essa semana, na Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) e que contou com a participação de representantes do Banco do Brasil, da FAEPA, além do presidente da SUDEMA, Fábio Arruda e do secretário de Agricultura, Efraim Morais e

De acordo com o presidente da Asplan, José Inácio, é preciso que o banco tenha mais agilidade na apreciação dos processos e, consequente, liberação de créditos e tenha mais flexibilidade em relação a exigência das licenças ambientais. “Além da grande burocracia, a questão das licenças ambientais, em muitos casos, é o impeditivo do acesso ao crédito. O ideal era que o banco tivesse uma flexibilização com produtores pequenos, de até 200 hectares, principalmente, nas áreas onde já há cultivo”, disse José Inácio.

Segundo o dirigente canavieiro, foi importante essa reunião, pois, como todas essas entidades participam de alguma forma deste processo, juntá-las para debater formas de facilitar o acesso ao crédito ao produtor, foi salutar. “As licenças cabem a SUDEMA, a Secretaria tem o papel institucional de acompanhar o setor e promover políticas públicas para melhorá-lo, a FAEPA é nossa federação e o BB o agente de fomento ao crédito, portanto, nos reunimos para ver de que forma, de maneira conjunta, possamos pensar em alternativas que facilitem o acesso aos créditos para o produtor”, disse José Inácio. Depois do carnaval, será marcada nova reunião para ver o andamento das sugestões deste primeiro encontro.

 

Complexo Hospitalar de Patos zera fila de cirurgias ortopédicas e está preparando para atendimento nesta época de carnaval

Posted on

Referência também para cirurgias ortopédicas, o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) zerou, essa semana, a fila de cirurgias ortopédicas. De acordo com a direção da unidade, além da comemoração pelo feito, a não existência de cirurgias por fazer deixa a equipe de enfermagem e médica do setor mais tranquila, principalmente, com a proximidade do carnaval quando, tradicionalmente, há uma demanda maior por esse tipo de cirurgia devido aos acidentes que são frequentes neste período de festividade.

“As equipes de enfermagem e médica se esforçaram para que a gente tivesse o mínimo possível de pacientes necessitando de cirurgias no hospital, a fim de que a unidade possa absorver e resolver a demanda extra que possivelmente nós teremos devido ao carnaval. Hoje, nós estamos com nossa lista de pacientes zeradas para esse tipo de procedimento, ou seja, estamos sem nenhum paciente de ortopedia para ser operado”, comemorou a diretora geral do Complexo, Liliane Sena.

O coordenador de ortopedia da unidade, Dr. João Herbert Suassuna, que esteve à frente das equipes para zerar a fila de cirurgias, fala da satisfação de ter conseguido chegar a essa situação. “Nós somos a unidade que, proporcionalmente, mais realiza cirurgias ortopédicas no Estado e em menos tempo. Não à toa, o CHRDJC é referência, nesta área da Medicina, para 54 municípios da Paraíba”, destaca o médico.

Entre as cirurgias de pequeno porte mais frequentes destacam-se as radio distal, de clavícula e de tornozelo. A unidade realiza uma média 170 cirurgias com o uso de implantes/mês e o triplo deste quantitativo quando se refere a intervenções de tratamento conservador de redução e gesso. As cirurgias ortopédicas eletivas são realizadas de 2ª a 6ª feira, enquanto que as de urgência são realizadas 24h, todos os dias da semana. “Zerar essa fila, portanto, requereu da equipe um esforço que vai se reverter em benefício tanto para quem já fez sua cirurgia e pôde ir para casa, quanto para o paciente que precisará dela e chegará na unidade onde será prontamente atendido”, disse o médico.

A unidade conta com uma equipe de 18 ortopedistas. Com exceção das cirurgias de fratura de coluna e algumas mais específicas de quadril, todas as outras modalidades de intervenções ortopédicas são realizadas no CHRDJC, inclusive fraturas de bacia em geral. Segundo Dr. João, nestes casos os pacientes são encaminhados para o Hospital de Trauma de Campina Grande, que é referência nestes casos. E média, são realizadas oito cirurgias ortopédicas/dia no Complexo. Segundo Dr. João, essa é a terceira vez que a fila de cirurgia ortopédica da unidade é zerada no Hospital nos últimos seis anos.