Jeová Campos denuncia processo de desmantelamento do SUS e lembra que o direito à saúde deve ser público, gratuito e universal

Já se debate em Brasília a proposta de um Novo Sistema de Saúde que, se colocado em prática, vai desmantelar, definitivamente, o Sistema Único de Saúde (SUS). Isto porque, a proposta em discussão sugere a transferência de recursos do SUS para custear despesas de alta complexidade de quem tem Plano de Saúde. O deputado estadual Jeová Campos (PSB) denuncia mais esse absurdo que se comete contra a população brasileira e lembra que a Constituição Federal estabeleceu que o direito à saúde deve ser público, gratuito e universal.

 “O direito à saúde deve ser público, gratuito e universal para brancos, pretos, ricos e pobres, ou seja, para todos, portanto é inaceitável que o Governo Federal, através do Ministério da Saúde, a Federação Brasileira de Planos de Saúde e alguns parlamentares, estejam propondo que a alta complexidade seja financiada com recursos do SUS. Isso é um absurdo, pois significa tirar dinheiro do SUS para financiar a alta complexidade de quem tem plano de saúde”, destacou o parlamentar.

O deputado destaca que o SUS não se resume a atendimentos de urgência e emergência e que o Sistema não atende apenas pessoas de baixa renda, daí ser importante a sociedade se mobilizar contra essa transferência de recursos que só vai enfraquecer, ainda mais, o SUS. “Se você já tomou vacina num PSF e não pagou? Usou o SUS. Sabia que a Vigilância sanitária é do SUS, assim como a UPA, as ambulâncias que socorrem acidentados, que os tratamentos de Hemodiálise são exclusivos do SUS, assim como os transplantes de órgão, a prevenção da dengue, o remédio, os preservativos e anticoncepcionais grátis no posto, a Testagem rápida de HIV, assim como o tratamento de HIV e que o Anti veneno de cobra só tem no SUS, e também o trato da Hanseníase  e da Tuberculose e que 97% das quimioterapias são pagas pelo SUS? Em suma, não é só o pobre que precisa do SUS”, lembra Jeová.

“Eu e ninguém de bom senso pode aceitar essa proposta de criar um Plano de Saúde Popular que, na verdade, acaba com o maior sistema de proteção social desse país que é a saúde pública. O SUS já funciona de forma precária, em função de uma estrutura de contingenciamento de recursos, principalmente, por causa do atual governo que congelou os investimentos em saúde nos próximos 20 anos e agora quer dar esse tiro de misericórdia, retirando dinheiro do SUS para financiar a alta complexidade de planos de saúde”, afirmou o parlamentar.

Para Jeová, essa proposta significa o desmantelamento do Sistema Único de Saúde pela via do estrangulamento de seu financiamento. “O SUS é uma conquista da sociedade brasileira e deve ser defendido. É preciso barrar mais essa tentativa de retrocesso, como fizemos com a reforma da Previdência”, reitera Jeová.

Postado em: 02/05/2018, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *