É preciso que se faça mais campanhas de conscientização sobre os benefícios do parto normal afirma diretor da Maternidade de Patos

“O problema do exagero de partos cesáreos é, sem dúvida nenhuma, cultural, porque as mulheres colocaram na cabeça que parto normal é mais doloroso, é mais demorado, que se sofre mais, quando na realidade é o inverso, pois os benefícios do parto normal são muitos, mas, infelizmente, a cesariana eletiva, quando a mãe nem entra em trabalho de parto e se marca a data do procedimento é um risco tremendo para a mãe e o bebê. Eu acho que é preciso mais campanhas de conscientização para reverter essa situação”, afirma o diretor geral da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, Dr. Umberto Marinho Júnior. Ele se referia as recentes recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre críticas ao uso excessivo de procedimentos cirúrgicos em relação aos partos.

Ainda de acordo com o médico, uma cesariana eletiva, sem a gestante entrar em trabalho de parto, aumenta em até 190 vezes a chance do bebê ter um desconforto respiratório. “A taxa de cesarianas no Brasil, realmente, é alta, pois o Ministério da Saúde preconiza em torno de 40%¨, mas no país a média é 56%, aqui na Maternidade estamos um pouco abaixo desse percentual, mas nós temos maternidades na Paraíba que esses índices vão para 90% e 95%, onde praticamente não se tem parto normal e isso precisa mudar”, afirma Dr. Umberto.

Segundo ele, a reversão desta realidade passa, necessariamente, pela conscientização das mulheres a partir de uma campanha educativa. “É preciso conscientizar as pessoas dos riscos do parto cirúrgico com campanhas governamentais esclarecedoras, principalmente, na atenção básica, que trabalhem no pré-natal para que as mães cheguem no momento do nascimento da criança bem conscientes dos benefícios do parto normal”, afirma Dr. Umberto, lembrando que a Maternidade de Patos como Hospital Amigo da Criança prioriza, cada vez mais, o parto humanizado, inclusive, com técnicas do parto na banqueta, que é uma variação do parto normal, que trazem um conforto e benefício maior para a mãe e o bebê.

Dr. Umberto esclarece ainda que como a unidade é referência em partos de risco, nestes casos específicos, a cesariana é a mais indicada para preservar a saúde e vida de mãe e filho. “O ideal é que todas as mães tentem o parto normal é o ideal para o fisiológico da mulher agora, efetivamente, uma vez estando na maternidade e o corpo de obstetra observe a necessidade de interromper aquele parto, ai sim se indica a cesariana e como nós somos de alto risco, então esses partos acabam acontecendo com uma frequência maior em virtude disso, pelo alto risco para a gestante e para o recém nascido”, finaliza Dr. Umberto.

Postado em: 19/02/2018, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *