Month: janeiro 2018

Frota de ônibus de João Pessoa ganha 33 novos veículos com motorização eletrônica, equipados com GPS e plataforma

Posted on

A frota de ônibus de João Pessoa ganha nesta terça-feira (30) o incremento de 33 novos veículos zero quilômetro. A apresentação dos ônibus acontecerá às 9h, na Avenida Hilton Souto Maior, em Mangabeira, próximo ao Tribunal de Justiça e contará com a presença do prefeito Luciano Cartaxo, do dirigente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), Carlos Batinga e dos empresários dos consórcios Unitrans e Navegantes, responsáveis pela aquisição dos novos ônibus.

Segundo Carlos Batinga, os novos ônibus fazem parte dos investimentos no serviço prestado aos usuários do transporte coletivo da Capital. “Essa reestruturação e reforço na frota, com mais trinta e três ônibus novos que vão entrar em operação, já a partir desta semana, fazem parte da política de melhor atender o passageiro do transporte público”, destacou.

“Com ônibus novos, os passageiros têm mais conforto, os operadores trabalham melhor e o transporte público de João Pessoa, que já diferencia pela qualidade, fica ainda mais eficiente. Essa renovação de frota é um compromisso das empresas não apenas com o poder público mas, sobretudo, na busca da melhoria dos serviços prestados à população”, afirma o diretor do consórcio Unitrans, Alberto Pereira.

Todos os novos veículos contam uma motorização eletrônica, que polui menos o meio ambiente, e são dotados de itens que melhoram a acessibilidade do usuário, além de serem equipados com GPS. Todos eles tem plataforma elevatória para o acesso de cadeirantes, possuem uma cadeira especial – mais larga – destinada a gestantes e obesos, e também têm corrimãos especiais para deficientes visuais e sinal de parada com escrita em Braile.

Bancada federal da PB atende convite da Asplan, participa de debate sobre questões ligadas ao setor sucroenergético e assume defesa do segmento

Posted on

O senador Cassio Cunha Lima e os deputados federais Efraim Filho, André Amaral, Pedro Cunha Lima e Rômulo Gouvêa participaram, na manhã desta segunda-feira (29), no auditório da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), de um encontro com produtores e industriais, além de dirigentes de entidades do setor sucroenergético do Nordeste, reiteraram apoio às causas do segmento e se mostraram contrários à questão da retirada pelo Governo Federal da taxação de 20% sobre o bicombustível importado dos Estados Unidos. Todos afirmaram que vão lutar para que a taxação continue, inclusive conscientizado outros políticos sobre a importância da manutenção da cobrança, que é fundamental para o equilíbrio da indústria sucroalcooleira nacional.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, abriu o evento agradecendo a presença da bancada federal e enaltecendo a importância do setor para a economia nacional. Ele fez ainda uma breve retrospectiva do setor nos últimos governos federais, passando pela questão do endividamento rural, do subsídio da cana, do recém criado Renovabio, dando ênfase a importância da atividade produtiva e da cultura canavieira para o desenvolvimento do país. “O setor gera emprego, renda, tem um papel social e econômico importante onde quer que atue e precisa ser priorizado como tal e não é possível que o governo, na ânsia de resolver outros problemas, sacrifique o setor sucroenergético nacional com essa retirada da taxa”, destacou José Inácio.

O discurso do presidente da Asplan foi reforçado pelo diretor do Sindalcool, Edmundo Barbosa, que destacou o desequilíbrio provocado no mercado interno com a importação do álcool dos Estados Unidos. “Em 2017 tivemos um aumento de 128% na importação do etanol que entra pelo porto do Maranhão com redução de impostos, em qualquer época, prejudicando enormemente a indústria nacional que além da concorrência desleal ainda tem que cumprir uma série de normas legais que não atingem o mercado externo, a exemplo dos estoques reguladores”, disse Edmundo, apelando à bancada federal para que ela se posicione contra essa retirada.

O presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Alexandre Lima, também presente ao evento, reiterou a importância da manutenção da taxação para o equilíbrio do mercado interno. “Ora, não é possível manter essa disparidade de tratamento, porque enquanto a indústria nacional tem que cumprir uma série de regras, o álcool importando chega ao país com desconto de impostos, sem regulação e imagina sem taxação. A indústria nacional não aguenta essa concorrência que fragiliza o parque industrial do país. Ai eu pergunto: por que o açúcar do Brasil não chega aos EUA sem taxação, já que 50% de nossa produção é exportada para lá? É óbvio que os americanos jamais fortaleceriam qualquer país em detrimento de seu próprio mercado”, destacou Alexandre, lembrando a responsabilidade das bancadas federais, especialmente, do Nordeste, em se mobilizarem contra essa retirada da taxa.

O secretário da Agricultura da Paraíba, Rômulo Montenegro, que representou o Governo do Estado no encontro, disse que a postulação da Paraíba, que será encaminhada para a reunião da Conseagro, desta semana, será justamente ser contrária a retirada desta taxa. O senador Cassio Cunha Lima reiterou seu compromisso com o segmento, destacando a importância do agronegócio, especialmente, o setor canavieiro e prometeu se posicionar contra a retirada da taxa e defender outras pautas, inclusive a de criar uma proteção à indústria nacional. “Defendo que é preciso contratar a produção local primeiro e depois comprar de fora e que as regras que são obedecidas pela indústria nacional sejam as mesmas, a exemplo de estoques, etc. Isso é estratégico para um setor vital como esse. Contem comigo”, disse o senador.

Os deputados estaduais Ricardo Barbosa e Lindolfo Pires, também presentes ao evento, enalteceram a importância da pauta e reiteraram que embora não possam atuar diretamente na questão, se colocam à disposição para encaminhamentos locais sobre o setor. O presidente da FAEPA, Mário Borba foi o último a discursar e lembrou a injustiça que se comete contra o produtor rural. “Somos uma classe que produz, gera emprego e renda, promove o desenvolvimento e ainda assim não temos o devido reconhecimento”, disse ele.

O presidente da Asplan José Inácio, encerrou o evento destacando que ele cumpriu seu propósito.  “Trazer quatro deputados federais atuantes e mais um senador para uma reunião de trabalho bem produtiva como essa, que debateu uma questão que não é só importante para o Nordeste, mas para todo o país, e sairmos daqui com o compromisso de todos de lutar para defender a indústria nacional e um segmento que é fundamental para o desenvolvimento e economia do país, nos deixa muito alegres e certos de que ao convocar essa reunião estamos no caminho certo”, disse José Inácio.

Lamentavelmente o julgamento de Lula foi político e não jurídico e a única saída para reverter isso é o povo nas ruas afirma Jeová

Posted on

“Todos àqueles que têm compromisso com a Justiça sabem que estamos diante de uma farsa, porque a acusação feita contra o presidente Lula, que teria recebido vantagem indevida, decorrente de três contratos com a Petrobras com a OAS e a OAS teria dado de presente para o ex-presidente um apartamento, não se sustenta. Se ouviu de tudo neste julgamento, menos a afirmação de que o imóvel pertence a Lula. Se falou de tudo menos disso, o que comprova que, lamentavelmente, o julgamento foi político e não jurídico”, reiterou hoje (26), o deputado estadual Jeová Campos (PSB).

Para o parlamentar, a punica saída para reverter isso é o povo nas ruas. “Cabe o povo ir para as ruas, fazer o enfrentamento, porque não temos alternativa. Esse dragão é um dragão silencioso e trabalha na calada da noite escondido é só há um caminho de reverter isso que é com reação popular, o povo nas ruas, clamando Lula candidato a presidente”, afirma Jeová.

O deputado que também é advogado lembra que na doutrina clássica, o juiz ou ele absolve ou condena. “O juiz não pode fazer outra acusação, Tanto o juiz Sérgio Moro, quanto os três juízes do Tribunal Regional Federal fizeram a mesma coisa, ou seja, julgaram Lula pelo que ele não foi acusado, que era de ser dono do tríplex e isso foi um atentado ao Estado Democrático de Direito, um atentado à Democracia e digo sem ressalvas que esse resultado foi combinado, descaradamente, combinado, tanto que o último desembargador teve vergonha até de dizer alguma coisa com seriedade, ficou querendo dizer que estava explicando o jurídico. Tudo combinado, infelizmente”, finaliza Jeová.

Ameaça de retirada da taxação sobre importação de álcool provoca realização de reunião de produtores e industriais do NE na Asplan

Posted on

Na próxima segunda-feira (26), na sede da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), em João Pessoa, produtores e industriais, além de dirigentes de entidades do setor e políticos irão debater os desdobramentos e efeitos no mercado interno sobre uma possível retirada pelo Governo Federal da taxação de 20% sobre o bicombustível importado dos Estados Unidos. A reunião começa às 9h30. À tarde, haverá eleição para definir o novo presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana – UNIDA, quando o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, deve ser eleito por aclamação.

José Inácio explica que a convocação da reunião se deu após declarações do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, reforçando essa intenção de retirada da taxação. “Se isso se concretizar, será péssimo para o setor, por isso precisamos reagir e mobilizar as bancadas federais nos estados para se contrapor a essa ideia que vai impactar negativamente toda a cadeia produtiva e industrial do pais”, destaca José Inácio.

O dirigente canavieiro lembra que a taxação de 20% sobre o bicombustível importado dos Estados Unidos foi um exemplo de medida para atender o setor sucroalcooleiro nacional em um momento crítico para os produtores brasileiros e precisa permanecer, pois as perdas ainda não foram superadas. A cobrança da taxa está em vigor desde agosto do ano passado e deveria permanecer por, pelo menos, mais um ano.

Senador José Maranhão faz visita de cortesia a Asplan e reitera o desejo de ser candidato ao Governo da Paraíba

Posted on

 

            O senador José Maranhão visitou na manhã desta quarta-feira (24), a sede da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), em João Pessoa, e se reuniu com a diretoria da entidade, além de produtores para reiterar seu desejo e disposição de disputar as eleições deste ano na condição de candidato ao governo estadual. O senador foi recebido pelo presidente da Asplan, José Inácio de Morais e em seguida se reuniu com produtores associados e ouviu deles várias reivindicações que são importantes para o segmento, a exemplo do fortalecimento da política nacional de biocombustíveis, o Renovabio, a questão do pagamento da Subvenção canavieira e ainda a permanência da taxação sobre importação do álcool dos EUA.

            Ante de reiterar sua disposição de concorrer nas próximas eleições como cabeça de chapa da majoritária estadual, Maranhão disse aos produtores que num eventual terceiro mandado como governador, ele terá uma atenção especial com o segmento canavieiro que, na opinião dele, é um setor vital para a economia paraibana. “Antes, a Paraíba tinha como destaques três culturas, o algodão, o sisal e a cana-de-açúcar e hoje só restou a cana, que precisa ser mais valorizada e dentro desta ótica de reestabelecer a economia estadual, tenho pelo setor um olhar especial porque sei a exata noção da importância e fortaleza deste segmento produtivo”, disse Maranhão, colocando o mandato à disposição do setor para defendê-lo em Brasília.

            O diretor secretário da Asplan, Raimundo Nonato, lembrou da trajetória retilínea do ex-governador José Maranhão, que nunca teve suas contas rejeitadas e agradeceu o apoio do senador na defesa das causas do setor em Brasília. “Sempre tivemos as portas de seu gabinete abertas para nós e sua disposição de nos ajudar”, destacou Nonato. O dirigente do Sindálcool, Edmundo Barbosa, que representou às industrias da Paraíba no encontro, agradeceu o apoio do senador na aprovação do Renovabio, reiterou a importância do parlamentar ajudar para pressionar o governo a manterá a taxação de 20% sobre o álcool importado dos EUA e entregou ao senador uma lista de reivindicações do setor.

             O presidente da Asplan aproveitou a visita e convidou o senador para participar de uma reunião, na próxima segunda-feira (29), na sede da entidade, onde será debatido a questão do anúncio da retirada da taxação sobre o álcool importado dos Estados Unidos. “Se isso acontecer, causará um grande transtorno para as indústrias nacionais que não têm condições de competir de forma igualitária frente as vantagens dadas aos importadores”, destacou José Inácio, reiterando que o setor precisa do apoio da bancada federal paraibana, que também foi convidada para a reunião, para barrar essa mudança.

Unitrans e Santa Maria encerram Projeto homenageando operadores

Posted on

 Os melhores profissionais do ano das empresas de ônibus de João Pessoa Unitrans e Santa Maria foram homenageados, nesta quarta-feira (24), durante o encerramento do projeto ‘Operador em Ação’. Na ocasião, motoristas, cobradores e despachantes tiveram seu talento e compromisso com a melhoria continua dos serviços prestados à população reconhecidos publicamente, durante uma solenidade realizada no auditório do Centro Cultural Ariano Suassuna, na sede do Tribunal de Contas da Paraíba, em Jaguaribe. Na ocasião, também foram premiados o melhor motorista e o melhor cobrador de 2017 de cada empresa, além dos destaques (Motorista e Cobrador) de cada um dos 21 terminais.

            No total, 731 profissionais, sendo 560 da Unitrans e 176 da Santa Maria foram premiados com uma mochila impermeável pela participação integral nas ações do Projeto, a partir do qual, são realizados treinamentos bimestrais, com temas correlatos às atividades dos operadores. O melhor motorista da Unitrans foi Petrônio Bezerra Brasil e o melhor cobrador, Joselito dos Santos Silva. Da Santa Maria, o motorista que obteve o melhor desempenho e pontuação foi Erivelton Barbosa Cândido e a melhor cobradora foi Maria de Fátima Matias Marinho. Todos ganharam um final de semana em um hotel, com pensão completa, e direito a acompanhante.

            Antes da premiação, funcionários das duas empresas se revezaram lendo textos que narravam a história do Grupo A. Cândido, que começou suas atividades há 60 anos, com o patriarca, o empresário Argemiro Cândido. Atualmente, já na terceira geração, o Grupo atua em quase todos os estados do Nordeste, em vários segmentos, incluindo o de transporte de passageiros, e tem mais de 6 mil funcionários. Em seguida, a dupla de repentistas de Campina Grande, Condor e Wil fizeram um repente com o mote dos diferenciais das empresas do Grupo e sua atuação na sociedade.

            As diretoras da Unitrans, Lorena Dantas, e da Santa Maria, Larissa Nascimento, enalteceram a importância da atividade de transporte de pessoas e a responsabilidade de todos os operadores com essa missão vital para a sociedade, focaram no compromisso de melhoria contínua e enalteceram as origens do Grupo que se consolidou no mercado como referência no segmento de transporte de passageiros e depois em outas atividades. “Somos um Grupo forte, porque somos unidos e temos compromisso e responsabilidade com as nossas atividades, pois respeitamos os nossos clientes, temos um serviço diferenciado e buscamos sempre melhorar”, destacou Lorena.

O diretor de Operações da Semob. Maximiano Machado, a coordenadora de Treinamento da Semob, Sandra Araujo,  a coordenadora do Senat, Adriana Almeida e o diretor do Sintur-JP, Isac Moreira, prestigiaram a solenidade de premiação que teve dois momentos para que todos os operadores pudessem participar, sem atrapalhar suas respectivas escalas de trabalho e, consequentemente, os serviços prestados à população.

            Sobre o ‘Operador em Ação’

            O projeto ‘Operador em Ação’ é um programa de capacitação e estímulo ao crescimento profissional que existe desde 2013 e que, no final de cada período, premia os melhores motoristas e cobradores com base em diversos critérios, dentre eles, o aproveitamento de 100% dos treinamentos do Projeto. As capacitações do ‘Operador em Ação’ acontecem, a cada dois meses, em módulos e com temas distintos que abordam aspectos técnicos, operacionais, de relacionamento com o público, de segurança, sobre recursos humanos, novas tecnologias, todos contextualizados no universo de trabalho dos operadores de ônibus. As capacitações são ministradas pelo RH, pelos técnicos do Serviço Especial de Segurança em Medicina no Trabalho (Sesmt) e pelos profissionais do setor operacional, além de convidados.

Profissionais das empresas de ônibus Unitrans e Santa Maria serão homenageados

Posted on

A solenidade acontece nesta quarta-feira (24), no Centro Cultural Ariano Suassuna, no Tribunal de Contas da PB,  com a premiação dos melhores profissionais do ano

            Nesta quarta-feira (24), os motoristas e cobradores das empresas de ônibus de João Pessoa, Unitrans e Santa Maria, que mais se destacaram no projeto ‘Operador em Ação’ ao longo de 2017 vão ser homenageados com a entrega de certificados de participação nos treinamentos e brindes. A solenidade que acontece no Centro Cultural Ariano Suassuna, na sede do Tribunal de Contas da Paraíba, em Jaguaribe, as 8h30 e às 15h, tem o objetivo de reconhecer a dedicação às atividades do dia a dia e a participação dos profissionais nos treinamentos do Projeto, realizados ao longo do ano passado.

            Na ocasião, também serão premiados o melhor motorista e o melhor cobrador de 2017, além dos destaques (Motorista e Cobrador) de cada um dos 21 terminais.No total, 731 profissionais, sendo 560 da Unitrans e 176 da Santa Maria serão reconhecidos pela participação integral no Projeto, a partir do qual, são realizados treinamentos bimestrais, com temas correlatos às atividades dos operadores.

            Na escolha dos três melhores cobradores e motoristas de cada empresa, levou-se em consideração vários critérios, entre eles, 100% de participação nos treinamentos. A solenidade de encerramento do Projeto e de premiação será realizada em dois momentos, pela manhã e à tarde, para que todos possam participar, sem prejudicar suas escalas de trabalho.

Sobre o ‘Operador em Ação’

            O projeto ‘Operador em Ação’ é um programa de capacitação e estímulo ao crescimento profissional que existe desde 2013 e que, no final de cada período, premia os melhores motoristas e cobradores com base em diversos critérios, dentre eles, o aproveitamento de 100% dos treinamentos do Projeto que aborda temas variados. As capacitações do ‘Operador em Ação’ acontecem, a cada dois meses, em módulos e com temas distintos que abordam aspectos técnicos, operacionais, de relacionamento com o público, de segurança, sobre recursos humanos, novas tecnologias, todos contextualizados no universo de trabalho dos operadores de ônibus. As capacitações são ministradas pelo RH, pelos técnicos do Serviço Especial de Segurança em Medicina no Trabalho (Sesmt) e pelos profissionais do setor operacional, além de convidados.

            “Este é um momento importante, pois nesta solenidade reconhecemos publicamente o empenho e dedicação de nossos profissionais e fechamos mais um ciclo de treinamentos”, destaca a gerente de Recursos Humanos da Unitrans, Isabela Maria.

‘Não é possível condenar uma pessoa sem provas’ afirma deputado paraibano referindo-se ao julgamento de Lula amanhã

Posted on

“Nesta quarta-feira (24), o Brasil e o mundo se voltam para Porto Alegre (RS), local que já foi sede do Fórum Social Mundial, que reuniu lideranças do mundo inteiro para debater a questão da fome, porque a cidade vai ser palco de um julgamento onde todos estão com sede de liberdade, de direito e com fome de Justiça”, destacou hoje (23), o deputado estadual Jeová Campos (PSB). O parlamentar, que é advogado, reitera que não é possível condenar uma pessoa sem provas. “A prova que o ilícito existe é fundamental para que alguém seja responsabilizado e condenado. Ora, como é que Lula é o dono deste tríplex do Guarujá, se esse imóvel foi penhorado agora para pagar uma dívida da Construtora OAS?”, questiona o deputado, lembrando que a penhora aconteceu, justamente, porque o empreendimento continua no nome da OAS e pertence a ela.

Segundo Jeová, existe uma prova sim, mas que inocenta Lula. “A prova que existe inocenta o ex-presidente que é o registro no cartório de imóveis da cidade de Santos, onde consta que o apartamento em questão pertence a OAS e não a Lula, ou seja, a prova é a favor de Lula e não contra ele”, argumenta o parlamentar.

Ainda de acordo com Jeová, ainda que não houvesse essa prova em favor do réu, mesmo assim o juiz não poderia condená-lo porque teria que levar em consideração a existência do crime, a prova do crime e a definição da autoria do crime e não existe o crime, porque Lula não recebeu vantagem indevida. “Então eu pergunto: Cadê a prova Sr. Juiz Sérgio Moro? Essa é a pergunta que o país inteiro quer fazer e vai cobrar a resposta amanhã”, afirma Jeová.

“O meu mandato está completamente solidário a Lula e a Democracia brasileira, pois nós não podemos aceitar um gesto de tirania, um golpe que está sendo dado pelo Judiciário. Isso é matar e ferir de morte a Democracia. Viva a Democracia, Viva a liberdade de Lula. E viva eleições limpas. Não existe eleições limpas sem Lula candidato”, finalizou Jeová.

Deputado paraibano denuncia que obras do Eixo Norte da Transposição estão sendo realizadas em ‘marcha lenta’

Posted on

“O Consórcio Emsa – Siton, habilitado para concluir os trabalhos restantes das obras do Eixo-Norte da Transposição está trabalhando a passo de tartaruga e em marcha lenta e já poderia ter feito 2/3 da obra que restava. Até agora eles já podiam ter medido e executado mais de R$ 300 milhões e o que fizeram foi em torno de 10% a13% do que deveria ter sido feito”, denunciou hoje o deputado estadual Jeová Campos. O parlamentar está preocupado com essa situação haja vista que a obra neste trecho já ficou parada quase um ano e essa morosidade significa mais atraso para chegada das águas da Transposição no sertão paraibano.

Segundo Jeová, essa forma lenta e morosa da construtora é muito preocupante. “Neste aspecto, alerto a bancada federal da Paraíba, ou seja, os deputados e senadores, para ficarem em cima do Ministério da Integração a fim de pressionar para que essa obra seja, de fato, concluída, porque se não tivermos inverno regular este ano as pessoas vão passar sede e isso é muito grave”, lembra o deputado.

Segundo Jeová, o ministro Hélder Barbalho fez ontem uma reunião com o presidente do consórcio Emsa – Siton para cobrar celeridade e ficou acertado que a empresa vai aumentar o efetivo e rodar 24h para avançar com as obras. “A essa altura do campeonato, mudar a empresa atrasaria ainda mais a obra. Penso que foi uma decisão acertada do ministro”, reiterou Jeová, lembrando que em fevereiro vai propor a ALPB uma nova inspeção na obra para ver em que situação ela se encontra. O deputado lembrou ainda que o açude de Engenheiro Ávidos está seco, assim como o de Coremas e também o açude Epitácio Pessoa e que diante deste quadro, a população destas regiões não tem condições de esperar mais dois anos para receber as águas da transposição.

O deputado aproveitou a temática das águas para criticar a bancada federal paraibana em relação aos poucos recursos destinados ao terceiro eixo da transposição, que compreende ações no Vale do Piancó. “A bancada só conseguiu destinar para essa obra apenas R$ 23 milhões quando, na realidade, deveria ser, pelo menos, R$ 50 milhões para que o projeto da obra pudesse ser concluído e ser feita a licitação, ainda este ano”, disse Jeová, lembrando que se não chover regularmente este ano para elevar o nível dos reservatórios que estão críticos e as obras do Eixo Norte não forem concluídas a situação do sertão paraibano será crítica.

            Sobre a transposição do rio São Francisco

É um projeto de deslocamento de parte das águas do rio São Francisco nomeado pelo governo brasileiro como “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”. O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MIN. A obra inclui a construção de mais de 700 quilômetros decanais de concreto em dois grandes eixos (Norte e Leste) passando pelos estados de PernambucoParaíbaCeará e Rio Grande do Norte. Ao longo do caminho, o projeto prevê a construção de nove estações de bombeamento de água. Com previsão de beneficiar 12 milhões de pessoas, o projeto prevê a captação de apenas 1,4% da vazão de 1 850 m³/s do São Francisco, dividida nos dois eixos de transposição

Sobre o Eixo Norte, ele constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

Reunião vai debater desdobramentos da retirada da taxação ao Etanol Importando

Posted on

A notícia de que o Governo Federal estuda a possibilidade de retirar a Taxação ao Etanol Importado deixou em polvorosa o setor sucroalcooleiro do Brasil. Inclusive, a declaração do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, reforçando essa intenção, mexeu com os preços futuros do açúcar na Bolsa de Nova York. O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, foi um dos que se manifestou contra essa decisão. “Essa notícia é péssima para o setor”, destaca o dirigente canavieiro paraibano, que já convocou toda a bancada federal paraibana para debater o assunto e definir estratégias de fortalecimento do setor, durante uma reunião, no próximo dia 29, às 10h, na sede da Asplan, em João Pessoa.

            “A taxação de 20% sobre o bicombustível importado dos Estados Unidos foi um exemplo de medida para atender o setor sucroalcooleiro nacional em um momento crítico para os produtores brasileiros e precisa permanecer, pois as perdas ainda não foram superadas”, explica José Inácio.

            O dirigente da Asplan se adianta e agradece o apoio dos deputados federais da Paraíba,  Efraim Filho e André Amaral que já se manifestaram contra a medida que é tão negativa para o setor. “Esses parlamentares conhecem a realidade do segmento e sabem da importância da manutenção desta taxação para o equilíbrio do mercado interno”, finaliza José Inácio.

            Em declaração à Imprensa, o ministro Maggi disse que pode propor à Câmara de Comércio Exterior (Camex) o fim da sobretaxa de 20% cobrada sobre o etanol importado, mas, ele condicionou a mudança na regra caso os estudos do ministério apontem que não há mais necessidade da cobrança. A cobrança da taxa está em vigor desde agosto do ano passado.