Month: outubro 2017

Restam poucas vagas para o Circuito SEST SENAT de Caminhada e Corrida

Posted on

Das 1.500 inscrições do Circuito SEST SENAT de Caminhada e Corrida de Rua, que vai acontecer no dia 12 de novembro, em João Pessoa, 900 são destinadas para os profissionais que atum no setor de transporte, público alvo do evento, e 600 para o público em geral. Até essa terça-feira (31), o sistema de contagem das inscrições já contabilizava 832 confirmações de participação na categoria de trabalhador do transporte, restando apenas 68 vagas. Na categoria público, 489 inscrições já foram confirmadas e pagas e 111 reservas faltam confirmar pagamento. Por isso, o site http://projetossociais.sestsenat.org.br não está mais efetuando inscrições para o público em geral, apenas para o trabalhador do setor.

A coordenadora do SEST, Rozimar Rodrigues, explica que caso não haja confirmação das inscrições destas pessoas que fizeram a reserva, mas faltam pagar a inscrição que é R$ 50,00, o sistema abrirá nova oportunidade até chegar o limite de 600 inscritos. Ela lembra que as inscrições para os trabalhadores do transporte são gratuitas, assim como para pessoas a partir de 60 anos e a data limite é 03 de novembro, presencialmente, na sede do SEST SENAT, no Distrito Industrial, ou através do site.

Esse evento esportivo, explica a coordenadora do Sest, é uma ação do Serviço Social do Transporte (SEST) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) que tem o objetivo de incentivar a prática de exercícios físicos. O Circuito terá percursos de 10 km e 5 km, na modalidade Corrida, e um trajeto de 2 km para a Caminhada. A concentração, largada e chegada das provas será no Busto de Tamandaré, na Praia do Cabo Branco, a partir das 7h30.

Antes da largada, haverá a uma sessão de alongamento e um aulão de ginástica e

os atletas terão à disposição uma mesa de frutas e sucos para reforçar a alimentação, além da distribuição de isotônicos, barra de cereal e água mineral. Haverá tendas com diversos serviços, brinquedos e recreadores para animar a criança que for acompanhar os pais ou responsáveis, além de apresentações musicais.

A entrega dos kits que contém uma camisa, uma sacochila, um squeeze (garrafinha) e uma viseira, acontece na sede do Sest Senat João Pessoa, no distrito industrial, nos dias 10 e 11 de novembro. No dia 10, no horário das 13h às 21h e no dia 11, véspera do evento, das 9h às 18h.

Os três primeiros colocados de cada prova e categorias também receberão troféu. As categorias são: ‘Trabalhador do Setor de Transporte’,  ‘A partir de 60 anos’ e ‘Público Geral’. Quem quiser acompanhar as notícias do Circuito pode acessar as redes sociais no @sestsenatjp (Instagram) e @sestsenatjpa (Facebook).

Faltam 12 dias para o evento acontcer em João Pessoa
Faltam 12 dias para o evento acontcer em João Pessoa

Produtores canavieiros agora têm atendimento personalizado do BNB na sede da Asplan

Posted on

Os produtores rurais que cultivam cana-de-açúcar na Paraíba terão à disposição um atendimento personalizado feito por gerentes do Banco do Nordeste (BNB) que trabalham com o segmento de agricultura familiar e agronegócio. A agência itinerante do BNB funcionará em uma sala do prédio anexo da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), no Centro, em João Pessoa. Ela foi aberta nesta segunda-feira (30) e vai disponibilizar desde serviços de renegociação de dívidas, quanto o fomento a novos negócios.

E o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, que prestigiou a abertura do espaço, foi o primeiro produtor a ser atendido nesta nova modalidade de serviço personalizado. “Com esse novo serviço, a Asplan disponibiliza um atendimento diferenciado ao produtor associado, tanto no tocante a resolver problemas relacionados à negociação de dívidas, principalmente levando em consideração as vantagens da Lei Nº 13.340, como acesso ao crédito para novos negócios”, argumenta José Inácio, cujo atendimento foi voltado para novos investimentos. O consultor de finanças da Asplan, Cristiano Aguiar também prestigiou a abertura da agência.

A agência itinerante vai funcionar, inicialmente, às segundas-feiras, das 9h às 13h, com atendimento via agendamento. O agendamento será feito na Asplan, no setor administrativo. “Vamos entrar em contato com os nossos associados, disponibilizar informações na Imprensa, no nosso jornal e no nosso site para divulgar o novo serviço”, explica a gerente administrativa da Asplan, Kiony Vieira, que logo após a abertura da agência se reuniu com representares do BNB para definir detalhes deste agendamento. Inicialmente, segundo ela, a agência atenderá até 10 clientes por dia. “Mas, se a demanda for superior, o banco nos abriu a possibilidade de tanto ampliarmos o horário quanto os dias de funcionamento. Isso vai depender da resposta de nossos associados”, explicou ela.

O presidente da Asplan, que na primeira gestão dele, em 2002, foi o responsável por reaproximar o BNB dos produtores para a instituição financiar os projetos do segmento canavieiro e agora disponibiliza esse serviço personalizado, comemorou a abertura da agência, lembrando que o produtor precisa de uma oportunidade para renegociar débitos e ter acesso a novos recursos. “O produtor rural não gosta de dever, é uma classe que honra seus compromissos, mas, muitos ficaram impossibilitados de renegociarem suas dívidas ou mesmo quitarem seus débitos por causa da ausência de uma lei que atendesse a nossa realidade. Com a 13.340 isso ficou mais acessível e agora com esse atendimento personalizado, acredito que abrimos uma oportunidade única de nossos associados não apenas acertarem suas contas, mas, sobretudo terem acesso a novos recursos para investirem em suas terras”, disse José Inácio.

O gerente executivo de Crédito Rural da Superintendência do BNB  na Paraíba, Silvio Carvalho, explica que o produtor canavieiro não precisa ser correntista do banco para ser atendido na Asplan. “Isso não é condição para que nossos gerentes façam o atendimento. A abertura da conta é um processo natural, já que isso é condição para a formalização do relacionamento do banco com o cliente”, afirma Silvio. Na agência itinerante da Asplan vão atuar os gerentes Maria Izabel Dantas e Tiago Leite, cuja carteira de clientes  é de pronafianos e pequenos produtores com renda até R$ 360 mil/ano, e Paulo Urquisa, que atenderá produtores com renda a partir de R$ 360 mil reais de renda anual. “Teremos atendimento para todas as faixas de renda”, finaliza Silvio. Os agendamentos já podem ser feitos através do número 3241-6424.

Deputado Jeová Campos destaca alegria de participar da entrega do título de Cidadã Cajazeirense a enfermeira Maura Sobreira

Posted on

“Maura é uma pessoa que se revela pela sua capacidade de gestão, na área de saúde pública, num momento tão difícil como esse do corte de recursos, além de ser uma mulher de fibra, que honra suas origens do sertão da Paraíba. Terei o maior prazer de participar desta sessão especial na Câmara Municipal de Cajazeiras”, disse o deputado estadual Jeová Campos. O parlamentar se referia a solenidade que acontecerá nesta sexta-feira (27), às 17h, e que também contará com a presença do presidente da ALPB, deputado Gervásio Maia Filho.

Além de Maura Sobreira, que é a atual secretária executiva de saúde do estado e natural da cidade de Uiraúna, a médica Emmannuele Cariry, também será agraciada com o título de Cidadã cajazeirense. A propositura é do presidente da Câmara, o vereador Marcos Barros de Sousa.

Maternidade realiza palestras nos alojamentos para conscientizar mães e acompanhantes sobre prevenção do câncer de mama e útero

Posted on

Entre as ações alusivas à campanha do Outubro Rosa, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, incluiu um ciclo de palestras para conscientizar suas pacientes e acompanhantes sobre os cuidados preventivos para evitar ou identificar precocemente casos de câncer de mama e útero. As palestras, realizadas por profissionais e alunos dos cursos da área de saúde da Faculdade Integradas de Patos (FIP) começaram na semana passada e continuaram essa semana em todos os alojamentos.

“Durante as abordagens, nós mostramos a importância do autoexame, da realização dos exames preventivos, a exemplo do citológico, da ultrassonografia e mamografia, dando ênfase ao autoexame, explicando o quanto é importante a realização destes procedimentos para, se for o caso, diagnosticar o câncer em seu estágio inicial, quando as chances de cura são muito altas”, explica a enfermeira Helen Maria, professora do curso de Enfermagem da FIP, que junto com seus alunos foi a responsável pelas palestras na semana passada.    A mesma ação, que incluiu a distribuição de material educativo e laços cor de rosa, se repetiu essa semana, desta vez, com a professora Thoyama Félix e seus alunos do curso de Enfermagem.

Como faz todos os anos, a Maternidade se engaja à  campanha Outubro Rosa com várias ações. Este ano, além das palestras nos alojamentos, a unidade, que integra a rede estadual de saúde, realizou uma palestra para seus profissionais com o mastologista, Thiago Pereira Alencar, no dia 09 e está realizando mamografias para as funcionárias e parentes próximos. Esse exame, que acontece cotidianamente na unidade, se intensifica com a programação do Outubro Rosa.

No próximo sábado (28),  a Maternidade se integra a programação do Centro de Oncologia de Patos e participada Corrida e Caminhada pela vida, organizada pelo grupo ‘Amigas Viva a Vida, que começa às 15h, com concentração no terreiro do Forró, seguindo pelas principais ruas o centro da cidade.

Para o diretor geral da maternidade de Patos, Dr. Umberto Marinho Júnior, o engajamento da unidade nas ações da campanha é um compromisso com a saúde da mulher. “Com essa ação a rede de saúde consegue conscientizar diversas mulheres para a prevenção do câncer de mama e, a partir daí, estimular a realização dos exames que podem identificar a doença ainda em seu estágio inicial, quando as chances de cura são bem maiores, além de reiterar a importância do autoexame, muitas vezes negligenciado”, afirma o médico. Ele lembra que independente do Outubro Rosa, a Maternidade atende regularmente pacientes encaminhadas pelos Programas de Saúde da Família (PSF’s) na realização de mamografia.

Encontro técnico debate a diferença que faz o uso de nutrientes no desenvolvimento e produtividade da cana-de-açúcar

Posted on

A avaliação de um experimento na Fazenda Caxitu, localizada no Conde, com a variedade de cana RB92579, apenas quatro meses após o plantio, mostrou a evolução do perfilhamento da planta com um incremento de 16% em relação a áreas que não passaram pela aplicação de nutrientes. Essa informação, uma das apresentadas durante a palestra “Nutrição em cana-de-açúcar com ênfase aos tabuleiros costeiros”, serviu para comprovar a diferença que faz um bom uso de nutrientes no desenvolvimento da cultura da cana-de-açúcar, especialmente, em solos arenosos e pobres de alguns nutrientes que encontramos na Paraíba. A palestra foi realizada na Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), nesta quarta-feira (25) e contou com a participação do professor Emídio Cantídio, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE/GENAF) e do agrônomo da Yara Brasil, Eduardo Saldanha.

Quem abriu o evento, foi o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, que enalteceu a importância destes encontros técnicos. “Nestes momentos, aprimoramos nossos conhecimentos e recebemos informações importantes para melhorar nossa produção”, disse ele. Em seguida, o agrônomo da Yara Brasil, Eduardo Saldanha, lembrou que a exigência de nutrientes varia de acordo com o solo que, no caso da Paraíba, são extremamente arenosos, com baixo teor de nutrientes, alto teor de fósforo e baixo teor de Boro e Manganês.

“Na cana-planta, geralmente a extração de nutrientes é maior que na cana-soca. No entanto, a cana-planta se beneficia mais da mineralização do N orgânico do solo. Portanto, para produzir a mesma produtividade, a demanda de fertilizante nitrogenado é maior para a cana-soca do que para a cana-planta”, explicou ele, lembrando que existem diferenças significativas no uso de nutrientes entre as variedades. “Particularmente no que diz respeito à extração de nitrogênio e essas necessidades precisam ser levadas em conta regionalmente”, afirmou Eduardo.

O professor Emídio Cantídio iniciou sua apresentação fazendo uma análise dos solos paraibanos, com ênfase ao solo Argissolo Vermelho Amarelo distrófico, encontrados na região de Santa Rita, e o Neossolo Quartzarenico, da região de Mamanguape. Ele falou ainda sobre a utilização do calcário no Brasil, sobre técnicas de avaliação da fertilidade do solo nos tabuleiros costeiros, sobre correção de acidez na cana-de-açúcar, entre outros assuntos. O professor que é Doutor em Solos e Nutrição de Plantas pela ESALq/USP lembrou que o fósforo é exigido no início de desenvolvimento das plantas para assegurar um adequado crescimento de raízes e para impulsionar perfilhamento. “As culturas extraem em torno de 15-20 kg de fósforo para cada 100 t de cana. Uma prática comum é aplicar fósforo para a cana-planta no plantio ou logo após o plantio, mas existem evidências crescentes de que o fósforo também é importante em cada soqueira para a rebrota”, explicou o professor.

Ele falou também sobre micronutrientes. “Todos os micronutrientes desempenham papéis importantes no crescimento inicial. Os micronutrientes-chave extraídos em maiores quantidades são ferro e manganês. Eles asseguram crescimento livre de estresse, melhorando a performance fotossintética e a produtividade da cana”, destacou Emídio. Os dois palestrantes falaram sobre molibdênio e foram unânimes em afirmar que “é preciso prestar mais atenção ao molibdênio, particularmente para assegurar que o nitrogênio seja totalmente utilizado pela cultura”.

O encontro, promovido pelo Departamento Técnico da Asplan (DETEC), teve ainda debates sobre os temas abordados e apresentação de produtos da Yara Brasil, empresa que tem mais de 100 anos de experiência com nutrição de plantas. O evento foi encerrado com um coffe break. Na avaliação do coordenador do DETEC, Vamberto Rocha,  o nível dos palestrantes e as informações que eles apresentaram farão uma grande diferença na conduta dos produtores em relação à nutrição da planta. “Além da teoria, eles mostraram experimentos e argumentos científicos que comprovam a eficácia de uma boa nutrição da planta. É óbvio que isso necessita de um investimento, mas fica comprovado que o retorno é garantido”, destaca Vamberto.

Audiência pública na ALPB foi um grito de alerta contra o desmonte do ensino público no país

Posted on

O contingenciamento de recursos imposto pelo governo federal às universidades federais e os Institutos Federais de Educação é uma realidade que coloca o Brasil na contramão do desenvolvimento. Essa constatação ficou evidente em todas as manifestações de representantes de instituições de ensino e parlamentares que participaram, nesta quarta-feira (25), de uma audiência pública na Assembleia Legislativa. A proposta do autor da propositura, deputado Jeová Campos, era debater o impacto que isso acarretará nas instituições de ensino do país e definir estratégias de enfrentamento desta realidade. “Esse ato político foi um grito de alerta que ecoará país afora”, destacou Jeová.

“Saímos daqui convencidos que não podemos ficar de braços cruzados enquanto o governo Temer promove um verdadeiro desmonte no ensino público no pais. Vamos oficiar todos os deputados e senadores reivindicando, em nome desta audiência, que se reestabeleça os valores no orçamento de 2018, para Ciência e Tecnologia, nos mesmos moldes que foram executados em 2015 e 2016”, destacou Jeová. Ele lembrou que a audiência foi um ato político e como todo ato político suas consequências podem não ser percebidas de imediato. “Esse grito aqui teria que ser feito e ele vai ecoar. A ALPB não poderia ficar omissa diante deste tema”, reiterou Jeová.

A pró-reitora da UFPB, Bernardina Maria, endossou as colocações de Jeová destacando a excelência da universidade paraibana e os avanços da instituição. “Hoje, a UFPB é uma ilha de resistência que se destaca entre as 100 melhores universidades públicas da América Latina”, destacou ela. Para a representante da UFPB, a sociedade ainda não está dando uma resposta à altura deste desmonte na educação, ciência e tecnologia brasileira. “Precisamos das respostas nas ruas, com mobilização. Essa iniciativa da ALPB foi importante para chamar atenção para os prejuízos que isso vai acarretar ao país e a soberania nacional”, destacou Bernardina.

O representantes do Sitesp, Severino Ramos, da UFCG, Benemar Alencar,  Almiro Ferro, do Instituto Federal de Educação, o presidente da Fenatec, Anselmo Castilho, Alberto Freire, do Movimento pela Moradia, o ex-deputado Chico Lopes, o estudante Gabriel Aaron, da UFPB, a professora universitária Ariane, o professor Isac Almeida, os deputados João Bosco Carneiro, Ranyere Paulino e Janduhy Carneiro  também se manifestaram durante a audiência contra ocontingenciamento promovido pelo governo Temer. Em todos os discursos era unanimidade o comprometimento da qualidade do ensino, pesquisa e extensão que essa redução de investimentos acarretará. O deputado Anísio Maia participou da audiência, mas abriu mão de sua fala para outras pessoas poderem se manifestar.

O orçamento do MEC para 2017, segundo Jeová,  que havia sido definido pelo Congresso Nacional em R$ 35,74 bilhões, foi reduzido para R$ 31,43 bilhões. “Precisamos nos unir em defesa da preservação da ciência e tecnologia no Brasil e essa audiência foi um passo neste sentido”, reiterou o parlamentar. Ele lembrou que do orçamento aprovado pelo Congresso Nacional para o ano de 2017, 15% dos gastos de custeio (o funcionamento das instituições, como gastos com luz, água, manutenção e serviços terceirizados) ficaram congelados até nova ordem. Já os gastos de capital (que são as despesas com as obras de expansão e reestruturação dos prédios) tiveram um contingenciamento de 40% da verba aprovada. Somente a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) teve um corte de R$ 700 milhões/ano.

“Ficou ainda mais evidente, depois de todos os depoimentos de hoje, que não há dúvidas de que, em face dos contingenciamentos dos recursos financeiros orçamentários, instalou-se um quadro que prejudica a rotina normal das instituições federais de ensino, bem como compromete a pesquisa e extensão e diante disso tudo precisamos nos posicionar, pois, entendemos que o contingenciamento de recursos da educação de nível superior por parte do governo federal, vai impactar negativamente em toda a sociedade e não podemos ficar de braços cruzados. Vamos à luta por uma educação pública de qualidade, por mais pesquisas e investimentos em ciência e tecnologia”, finaliza Jeová.

Asplan e Yara Brasil realizam palestra sobre nutrição em cana-de-açúcar

Posted on

Os produtores rurais paraibanos, especialmente, os plantadores de cana-de-açúcar têm um evento especial nesta quarta-feira (25), no auditório da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan). Trata-se da palestra “Nutrição em cana-de-açúcar com ênfase aos tabuleiros costeiros” que será proferida pelo professor Emídio Cantídio, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE/GENAF) e o agrônomo da Yara Brasil, Eduardo Saldanha. O evento, que é aberto ao público interessado, está marcado para começar as 8h30. O auditório da Asplan fica na Rua Rodrigues e Aquino, 267, Centro, em João Pessoa.

A palestra faz parte das atividades do Departamento Técnico da Asplan que traz, mensalmente, um tema de interesse dos produtores para ser apreciado. “A proposta destes encontros é aprofundar os conhecimentos de nossos associados a fim de que, a partir das informações repassadas por técnicos e especialistas, possamos melhorar a nossa cultura e, consequentemente, a produção”, afirma o engenheiro Wamberto Rocha, coordenador do DETEC da Asplan.

Jeová Campos é novamente escolhido como um dos parlamentares mais atuantes da ALPB

Posted on

 

Desde seu primeiro mandato, o deputado estadual Jeová Campos (PSB) tem destacada atuação parlamentar, reconhecida não somente pela sociedade, pelos eleitores, mas, também, por profissionais da Imprensa que acompanham sua atuação política na Assembleia Legislativa. E foi esses jornalistas, radialistas e blogueiros que, mais uma vez, o elegeram como um dos deputados mais atuantes deste ano na ALPB. O resultado da enquete realizada pela Revista Tribuna, em outubro passada, foi divulgada na Edição Nº 198 (Setembro/Outubro) da publicação, que é editada por Manoel Raposo.

A enquete realizada pela revista avaliou a atuação parlamentar deste ano. Jeová, que também teve sua atuação reconhecida em edições anteriores, agradeceu a distinção lembrando que recebe com naturalidade, mas com bastante alegria essa indicação. “Fico feliz, porque sei que esse reconhecimento é verdadeiro e baseado unicamente na minha postura enquanto agente político que luta por uma Paraíba cada vez melhor, defende os direitos dos mais humildes e menos privilegiados e traz à tona temas que são de interesse da sociedade, a exemplo da questão dos recursos hídricos, do apoio ao desenvolvimento dos arranjos produtivos regionais, das lutas pela democracia no país, contra a reforma trabalhista e previdenciária”, disse Jeová.

Além da escolha dos deputados estaduais que mais se destacaram no parlamento este ano, a revista também elegeu os melhores vereadores da capital, os deputados federais, senadores, bem como a avaliação de desempenho do governador Ricardo Coutinho, dos secretários estaduais e municipais de João Pessoa, entre outros agentes públicos.

 

ALPB e Câmara Municipal de Lagoa Seca farão audiência pública regional para debater a proposta de Reforma da Previdência

Posted on

As propostas e repercussões da Reforma da Previdência estarão em evidência, em novembro, em Campina Grande, durante a realização de uma audiência pública regional com os municípios da região da Borborema. A decisão de realizar esse evento foi tomada nesta segunda-feira (23), durante uma audiência pública que aconteceu na Câmara Municipal de Lagoa Seca. O deputado estadual Jeová Campos, que é advogado com especialização em Direito Previdenciário, participou dos debates em Lagoa Seca e sua sugestão de ampliar essa discussão foi acatada por unanimidade. A Audiência Pública, com data ainda a ser agendada, será realizada em parceria pela Câmara de Lagoa Seca e a Assembleia Legislativa, através do gabinete do parlamentar.

No debate em Lagoa Seca, além da definição da realização da audiência pública, os vereadores referendaram uma resolução contra a proposta da Reforma da Previdência que será encaminhada para os Deputados Federais e Senadores da Paraíba. “A proposta de reforma da previdência extingue direitos, penaliza o trabalhador, mais ainda os trabalhadores rurais, favorece o grande capital e precisa ser combatida e somente a mobilização da sociedade pode reverter essas mudanças”, afirma Jeová Campos.

ALPB realiza audiência pública para debater redução de recursos destinados às universidades e institutos federais de educação

Posted on

As universidades federais e os Institutos Federais de Educação vêm enfrentando, nos últimos meses, dificuldades para manter serviços básicos, a exemplo de pagamento em dia de contas de água e luz, em razão da crise econômica e do contingenciamento orçamentário promovido pelo governo Temer, além de comprometer a qualidade do ensino, pesquisa e extensão. Em março, o governo federal anunciou um contingenciamento de R$ 42,1 bilhões das contas públicas. No Ministério da Educação, o corte foi de R$ 4,3 bilhões, dos quais R$ 3,6 bilhões em despesas diretas da pasta. Com isso, o orçamento do MEC para 2017, que havia sido definido pelo Congresso Nacional em R$ 35,74 bilhões, foi reduzido para R$ 31,43 bilhões. Para debater o impacto que isso acarretará nas instituições de ensino do país e definir estratégias de enfrentamento desta realidade, o deputado estadual e presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, Jeová Campos propôs a realização de uma audiência pública que acontece neta quarta-feira (25), na ALPB.

“As universidades federais e os Institutos Federais de Ciência e Tecnologia do país estão prejudicados em razão dos contingenciamentos dos recursos financeiros orçamentários pelo governo federal, fato que compromete a regularidade do ensino superior gratuito e de qualidade e a ciência e tecnologia. Isso vai impactar de forma muito negativa o nosso país. Precisamos nos unir em defesa da preservação da ciência e tecnologia no Brasil e essa audiência é um passo neste sentido”, disse o parlamentar.

O deputado esclarece que, considerando o orçamento aprovado pelo Congresso Nacional para o ano de 2017, 15% dos gastos de custeio (o funcionamento das instituições, como gastos com luz, água, manutenção e serviços terceirizados) ficaram congelados até nova ordem. Já os gastos de capital (que são as despesas com as obras de expansão e reestruturação dos prédios) tiveram um contingenciamento de 40% da verba aprovada.

Segundo Jeová, a terceirização é uma das medidas que vem sendo tomadas por universidades para barrar as consequências do contingenciamento. “Mas, mesmo assim a demissão em massa que está sendo adotada por algumas universidades, como é o caso da Universidade de Brasília (Unb), que já demitiu mais de cem trabalhadores de limpeza, jardineiros, pessoal da manutenção e garagem, vigilantes, porteiros entre outros”, afirma ele.

O deputado alerta que o contingenciamento está afetando instituições de todo o país. “Na Universidade Federal do Piauí, por exemplo, já está ocorrendo reclamações por falta de insumos nos laboratórios da graduação. Na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a falta de recursos afetou as construções de prédios no campus. A Instituição também aponta que tem quatro meses de água e luz atrasados. A título de exemplo, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professores e estudantes chegaram a lançar um “tesourômetro”, equipamento para medir as perdas do setor”, argumenta o parlamentar.

Para Jeová, a terceirização dos funcionários universitários é um dos pontos mais preocupantes. “No atual contexto de desmonte de direitos sociais, pode representar uma ameaça ainda maior para docentes, discentes e funcionários. Não há dúvidas de que, em face dos contingenciamentos dos recursos financeiros orçamentários, instalou-se um quadro que prejudica a rotina normal das instituições federais de ensino, bem como compromete a pesquisa e extensão e diante disso tudo precisamos nos posicionar, pois, entendemos que o contingenciamento de recursos da educação de nível superior por parte do governo federal, preocupa a população paraibana e deve ser amplamente debatida com a sociedade, pois esta é a maior prejudicada”, finaliza Jeová.