Deputado critica entrega do patrimônio nacional ao capital estrangeiro e diz que população precisa entender a gravidade deste fato

“Essa política de entreguismo do patrimônio público nacional do governo Temer está tirando deste país a capacidade de disputar seu reconhecimento internacional enquanto potência, por não ter fontes próprias de energia. Isso é uma vergonha, um crime de lesa pátria e a população brasileira não está percebendo a gravidade desta situação e precisa reagir antes que seja tarde demais”, disse hoje (27), o deputado estadual Jeová Campos (PSB), durante discurso na tribuna da ALPB.

Para o parlamentar, o braço mais criminoso deste governo não é nem o PMDB, de Gedel, é o PSDB. “Através de Pedro Parente, que tomou conta da Petrobras, esse governo está fazendo neste país uma verdadeira entrega do patrimônio nacional”, afirmou Jeová. Ele lembrou que um país que se preza, que tem compromisso com seus filhos, não vende suas fontes de energia, não vende a Chesf, nem as hidrelétricas, suas fontes de riquezas naturais, nem entrega o Pré-Sal. “Estão entregando as fontes geradoras de energia deste país e nós não podemos aceitar isso sem resistir”, disse Jeová.

Ainda de acordo com o deputado, o que o governo está fazendo é um crime que vai comprometer a soberania e futuro do país e a grande Imprensa não está dando a devida atenção ao fato. “Por trás de um noticiário permanente de denúncias de corrupção, é há muita, não tem nada sobre a transferência das fontes de energia para o capital internacional, especialmente para as grandes empresas norte-americanas. As malas de dinheiro, tão propagadas em noticiários em rede nacional, pouco representam, frente à esse crime que está em curso. Deixo aqui o meu protesto e como filho desta nação e como filho da Paraíba digo NEGO a entrega do nosso patrimônio público ao capital norte americano””, afirmou Jeová.

O parlamentar lembrou ainda que essa política quebra a independência do Brasil. “Eu não posso ficar calado diante disso. Não podemos deixar que vendam a Chesf, as nossas hidrelétricas. O Brasil não pode entregar de uma forma tão ‘graciosa’ ao capital estrangeiro o nosso Petróleo”, argumentou Jeová, reiterando que a entrega do patrimônio público está sendo feita com a conivência ou omissão dos poderes constituídos. “Ai eu pergunto: Onde está o Ministério Público Federal, tão atuante, tão competente, para apurar os crimes de lavagem de dinheiro, mas que faz vista grossa para esse fato e para o sistema financeiro, porque todos sabem que não é possível fazer essa lavagem de dinheiro sem a conivência dos bancos e não existe nenhuma investigação contra os bancos”, lembra Jeová

 

 

Postado em: 27/09/2017, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *