Representantes do CERSA e deputado Jeová Campos se reúnem com secretário João Azevêdo para debater política de energia renovável

A viabilização de uma nova política para o setor energético, a fim de que a Paraíba possa responder adequadamente aos desafios do século 21 e  aproveitar as dádivas que a natureza lhe concedeu, especialmente, no que diz respeito à energia renovável, especialmente a solar e eólica, foi o mote de uma reunião realizada nesta terça-feira (25), entre os representantes dComitê de Energia Renovável do Semiárido (CERSA) e o deputado estadual, Jeová Campos com o secretário de Estado de Infraestrutura, Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, João Azevêdo.

“Enxergamos no atual Governo do Estado da Paraíba um importante ator para a promoção de novas formas de relação com a energia, em  especial através do Sistema de Compensação de Energia Elétrica, e defendemos um enfoque que priorize o desenvolvimento social e econômico com a participação popular, porque o maior objetivo é contribuir não apenas para geração de energia mais limpa, mas também com a possível melhoria da renda das famílias paraibanas”, destaca Jeová, que também preside a Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB.

O parlamentar lembra que a proposta apresentada durante a reunião prioriza iniciativas descentralizadas, que possuem maior potencial multiplicador e causam menos impactos socioambientais que grandes plantas centralizadas. Neste contexto, foi entregue um documento ao secretário com sugestões de ações que podem  ser  transformadas  em programas  ou  políticas  de  incentivo  às  energias renováveis distribuídas (junto aos consumidores). “Entendemos que desta forma a Paraíba pode trilhar com mais velocidade o caminho da necessária transição energética, tornando-o também exemplo para outros estados da federação, uma vez que são poucos os governos estaduais que possuem tais programas ou políticas”, atesta o parlamentar.

Entre as ações propostas incluem a criação de um Grupo de Trabalho que contemple Secretarias Estaduais, Instituições de Ensino Superior, Poder Legislativo e Sociedade Civil que se dedique a pesquisar alternativas energéticas que levem em consideração a realidade da Paraíba e o atual contexto mundial de mudanças climáticas, propondo a elaboração de um Plano Estadual de Energia, a adoção de painéis solares fotovoltaicos em edifícios de propriedade do Poder Público estadual (órgãos da administração direta e indireta), gerando futura economia dos recursos do estado com energia elétrica e ainda a criação de um programa estadual de capacitação de eletricistas instaladores de painéis solares fotovoltaicos, além da criação de um Programa de Eficiência Energética Estadual.

O coordenador Técnico do CERSA, Walmeran Trindade, que participou da reunião junto com o ex-deputado e integrante do CERSA, Chico Lopes, reitera que o Comitê reconhece a importância que a iniciativa privada pode ter em um programa de incentivo a um maior uso de energias renováveis na Paraíba, mas acredita e defende que tal incentivo deva priorizar iniciativas descentralizadas. “É comprovado que as iniciativas descentralizadoras possuem maior potencial multiplicador e causam menos impactos socioambientais que grandes plantas centralizadas. Além disso, uma vez que o objetivo é contribuir não apenas para geração de energia mais limpa, mas também com a possível melhoria da renda das famílias, este objetivo só se torna possível em iniciativas descentralizadas”, destaca Walmeran.

O secretário João Azevêdo recebeu o documento, argumentou que vai dar os encaminhamentos necessários e reiterou que o governo estadual tem todo o interesse de utilizar o potencial de energia renovável que existe na Paraíba, seja através de investimentos da iniciativa privada, o que já está acontecendo no Vale do Sabugi e em outras localidades, ou em ações descentralizadas.

Deputado Jeová Campos com representantes do CERSA e o secretário João Azevêdo

Postado em: 26/07/2017, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *