Equipe do Banco de Leite de Patos visita possíveis doadoras para não interromper alimentação de prematuros internos na Maternidade

Atualmente, 10 bebês estão internados na Maternidade e precisam
do leite materno para sair do quadro crítico de prematuridade

 

Não há mais estoque no Banco de Leite Humano Dra. Vilani Kerle, da Maternidade de Patos. O que está sendo coletado, está sendo pasteurizado e distribuído com os recém-nascidos que estão na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal, na UCIN e na enfermaria Mãe-Canguru. Para tentar contornar essa crítica situação, que se agrava tradicionalmente neste período de férias, por causa da diminuição das doações, a equipe do Banco de Leite está visitando as mulheres de Patos, que tiveram bebês recentemente,  realizando visitas em cidades próximas, a exemplo de Teixeira e São José do Bonfim, além de intensificar as visitas as pacientes conscientizando-as da importância da doação do leite excedente.

A coordenadora do BLH, Joana Sabino, alerta para a gravidade do banco está sem reserva de segurança e argumenta que se não houver mais doações, nos próximos dias, a alimentação dos prematuros internos na Maternidade de Patos ficará seriamente comprometida. “A situação é grave. O número de doadoras diminuiu muito e não temos mais estoque, por isso faço um apelo às mães que doem o excedente do leite, principalmente, as que moram em Patos, pois a situação é muito delicada”, reitera Joana. Ela lembra que os bebês da UTI são todos prematuros e o leite materno os ajuda a sair do quadro crítico mais rapidamente.

Desde que iniciou o trabalho de campo, a equipe do Banco já realizou 33 visitas às mães que receberam alta da unidade e moram em Patos, nos bairros de Belo Horizonte, Monte Castelo, Viva Olinto, Vitória, Sete Casas, Salgadinho, Santo Antônio, Liberdade e Monte Castelo, além das visitas diárias nos alojamentos da Maternidade. Hoje (10), há três bebês na UCIN, mais quatro na UTI e três na Mãe-Canguru que se alimentam, exclusivamente, de leite materno. “É desesperador não ter estoque que garanta a alimentação destes recém-nascidos para os próximos dias, pois não podemos fabricar o produto, nem substituí-lo, por isso, apelo às mães que tem excedente que entrem em contato com a Maternidade que fazemos a coleta em domicilio”, afirma Joana. Ela explica que a doação não prejudica o filho da doadora, pois o leite doado é o excedente, ou seja, o que não é importante para o bebê que suga o leite no seio da mãe.

Para ser doadora é só entrar em contato através dos telefones 3423-2157 e 3421-5252, que a equipe do Banco de Leite faz atendimento domiciliar, orienta a mãe com os procedimentos básicos de higiene de manuseio do leite e da ordenha mamária, e também leva um kit esterilizado do Banco de Leite composto por gorro, luvas, máscara, vidro esterilizado e etiqueta identificadora,  para que o leite seja ordenhado com qualidade.

Postado em: 10/01/2017, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *