Month: outubro 2016

Asplan sai em defesa das vaquejadas por causa da preservação dos empregos, geração de renda e reconhecimento de uma tradição secular

Posted on

Presidente da Asplan, Murilo Paraíso,  alerta que se decisão do STF continuar em vigor muitos comércios fecharão e muita gente vai ficar desempregada e passar necessidade no Nordeste

 

“Não bastasse a seca que castiga o Nordestino sem piedade, agora vem uma decisão do STF proibindo uma prática, no caso as vaquejadas, que gera emprego, renda, movimenta o comércio e faz a alegria do povo do Nordeste. Se essa decisão não for revista, vai fechar muitos comércios na região, desempregar muita gente, tirar o pão da boca do povo e também a alegria, já que a vaquejada, além de gerar renda e emprego, é uma tradição secular da região, que passa de pai para filho. Ela é uma festa popular que precisa ser respeitada e mantida”, afirma o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, que saiu em defesa da manutenção das vaquejadas, agora proibidas de serem realizadas, em função de uma decisão, recente, do Supremo Tribunal Federal.

Ontem (25), em  Brasília, criadores de animais, vaqueiros, empresários do comércio que vendem artigos afins, integrantes da cadeia produtiva de produção de selas, rações e medicamentos, além de simpatizantes e defensores da continuidade das vaquejadas, também mostraram sua indignação com a realização de um protesto contrários à decisão do STF. Os defensores da vaquejada na Paraíba também realizaram um ato público em João Pessoa, no último dia 11, para protestar.

O presidente da Asplan lembra que a vaquejada de hoje é bem diferente da de anos atrás e que uma série de mudanças foram adotadas para evitar danos aos animais. “Hoje, se usa o protetor de cauda, a cama de areia onde o animal é derrubado é mais espessa, o cavalo não é mais cortado. Essas mudanças foram adotadas para proteger os animais e já estão em pleno uso, por isso, o argumento de maus-tratos, que motivou a decisão do STF, não tem mais embasamento e precisa ser revista urgentemente”, finaliza Murilo Paraíso, lembrando que a vaquejada gera 700 mil empregos diretos e indiretos.

‘O povo da Paraíba não pode aceitar isso’ afirma Jeová referindo-se a inércia do Ministério da Integração em retomar as obras abandonadas pela Mendes Júnior

Posted on

Deputado Jeová Campos, em discurso na ALPB, na manhã de hoje (26),  também cobrou da bancada federal paraibana um posicionamento sobre essa questão

 

“Está com mais de 90 dias, e a gente não tem do Ministério da Integração, qualquer informação sobre quais medidas estão sendo tomadas para resolver o abandono da obra da transposição pela construtora Mendes Júnior, no Eixo Norte, nos trechos 3, 4 e 8, na chamada Meta 1, que compreende toda aquela região de Terra Nova até Salgueiro”, indagou hoje (26), o deputado estadual Jeová Campos, em discurso na tribuna da ALPB. O parlamentar cobrou ainda dos representantes paraibanos que estão em Brasília um posicionamento. “O Ministério precisa dar uma resposta ao Nordeste sobre o que está fazendo para que as obras sejam retomadas e a bancada federal precisa agir. Até quando vamos esperar o posicionamento da bancada federal paraibana? Até quando eles vão ficar calados? O povo da Paraíba não pode aceitar isso”, disse Jeová Campos.

O parlamentar lembrou que há um mês, esteve em Brasília, com os deputados Renato Gadelha, Jandhuy Carneiro e Guilherme Almeida, para tratar da suspensão das obras, mas, desde então, não tem notícias de algum encaminhamento do Ministério. “Quem está morando naquela região de Patos até Cajazeiras sabe que Coremas, hoje, só tem quase 2,5% de sua capacidade para abastecer toda aquela região. Todos sabem também que o açude de Engenheiro Ávidos só tem apenas 5% de sua capacidade na atualidade e a nossa esperança era termos as águas do Rio São Francisco que não vão chegar no tempo que prevíamos”, lembrou Jeová.

Segundo o deputado, a Mendes Júnior abandou a obra em julho e até agora nada de concreto foi feito para resolver essa questão, inclusive, pela bancada federal paraibana. “Eu não sei o que está acontecendo. Será que os deputados federais e senadores da Paraíba renunciaram os mandatos? Porque se eles não representam o povo da Paraíba, eles representam quem? Os deputados federais da Paraíba e os três senadores precisam, sem exceção, dizer o que efetivamente está sendo buscado e qual a providência, objetiva e concreta, que o Ministério está tomando, se é que está, para retomar essas obras”, indagou o deputado.

Jeová lembrou que repassou a presidência da Frente Parlamentar da Água da ALPB para Renato Gadelha,  por ele ter um diálogo com o governo Temer, mas que não vai se furtar de cobrar das autoridades uma solução para esse problema. “A obra está paralisada, não há sinalização de que teremos um inverno normal no próximo ano”. Você vai falar com o setor de Meteorologia, seja em qualquer lugar, eles dão as previsões as mais diversas possíveis. Você não tem uma previsão segura se teremos inverno regular no próximo ano. E onde é que nós vamos buscar água para o nosso povo, para que ele não tenha que abandonar o sertão. Isso é uma questão urgente, o maior problema nosso na atualidade”, lembrou o deputado.

Sobre o fato de ser recorrente em suas falas a questão da água, o deputado foi enfático: “As pessoas podem até indagar se o deputado Jeová só fala deste assunto. Não, eu sei falar de energia solar, de desenvolvimento, de arranjos produtivos, de economia e política, de desenvolvimento econômico da região do sertão e de outro temas, mas sem ter água, em nenhum lugar do mundo, não há possibilidade de avanços,  e nós estamos na iminência de um colapso total, de a nossa região sertaneja se transformar, realmente, num deserto. Quem é que vai morar num canto sem ter água para beber? Sem ter água para fazer sua comida, sua higiene?”, finalizou o deputado.

Ginásio Poliesportivo de Poço Dantas vai receber o nome do ex-vereador João Guilherme Estrela

Posted on

Propositura do deputado Jeová Campos foi aprovada pela ALPB, na semana passada

 

O Ginásio Poliesportivo construído pelo governo do Estado da Paraíba, na cidade de Poço Dantas, receberá o nome ‘Vereador João Guilherme Estrela’ (Joca de Duca).  A propositura do deputado Jeová Campos (PSB), aprovada em plenário na semana passada, atende um pleito da população de Poço Dantas, representada pela vereadora Maria Eva de Sousa Lira. “O ex-vereador Joca de Duca foi um grande colaborador da sociedade Poço-dantense e participou ativamente da política daquele importante município situado no Alto Sertão da Paraíba e foi um exemplo de homem público”, justifica Jeová.

“Foi o ex-vereador João Guilherme Estrela que deu posse ao primeiro prefeito constitucional de Poço Dantas, José Milton Santiago, de saudosa memória”, lembra Jeová. O líder político Joca de Duca, segundo o parlamentar,  possuía uma característica essencial ao ser humano: a solidariedade. “Ele era um homem probo, ético, honrado e leal. Cultivava um vasto círculo de amizades e seu nome era respeitado como pessoa de reputação ilibada. Um exemplo de cidadão, seja no seio familiar, seja na política. Atuava como conciliador  e mediador nos conflitos locais. Era solidário e nunca se negava a abraçar uma causa nobre”, destaca o deputado na justificativa do Projeto de Lei 781/2016.

“Joca de Duca não media esforços para ajudar as pessoas da região da Vila de Barra de Piabas e dos municípios de Poço Dantas e Uiraúna e na defesa de sua região. Como homem público sempre defendeu os interesses dos menos favorecidos, lutando por dias melhores em prol de sua gente, tornando-se referência política no alto sertão. Pela sua brilhante trajetória de homem público, João Guilherme Estrela deixou marcas profundas na seara política de Poço Dantas, Uiraúna e região”, lembra Jeová. Para o parlamentar, a homenagem a  João Guilherme Estrela é justa e representa o reconhecimento do Poder Legislativo Paraibano a um cidadão que sempre lutou pelos seus conterrâneos.

Perfil do homenageado                              

João Guilherme Estrela nasceu na Vila de Barra de Piabas, em Poço Dantas. Era filho de Guilherme Duque de Equitane e Minervina Maria da Conceição.  Foi casado com D. Maria Barreto, também natural de Poço Dantas e desta união nasceram onze filhos. João Guilherme Estrela exerceu o mandato de vereador nos municípios de Poço Dantas e Uiraúna. Trabalhador desde a infância, ele foi produtor rural, criador de gado e comerciante. Mas, foi no Poder Legislativo Municipal que encontrou a sua verdadeira vocação: a de representante do povo. Além de ser um homem público, de notória reputação e elevado caráter, o  saudoso vereador Joca de Duca foi um homem de fé, que se doou completamente para sua família, para o trabalho, para a atividade política,  para as comunidades de Bulandeira, Vila de Barra de Piabas e localidades circunvizinhas  e para sua cidade. Hoje a sua herdeira política é a vereadora do PSB, Maria Eva de Sousa Lira.

Colaboradoras do Grupo A. Cândido participam de palestra sobre como prevenir o câncer de mama

Posted on

Ação foi realizada na última sexta-feira (21), no Sest/Senat, em alusão às atividades do Outubro Rosa das empresas do Grupo A. Cândido com sedes na Grande João Pessoa

 

As mulheres que fazem parte do quadro de colaboradores das empresas de ônibus Unitrans e Santa Maria, da Rodoviário Nordestino e da Unidas Mercedes-Benz que integram o Grupo A. Cândido, participaram, na última sexta-feira (21), de uma palestra sobre o câncer de mama com a médica mastologista Valéria Ataide. A apresentação aconteceu no auditório do SEST/SENAT, no Distrito Industrial e contou com a participação das diretoras do Grupo Lorena Dantas, Larissa Nascimento e Gisa Melo, além da coordenadora do SEST, Rozimar Firmino, da chefe de seção da Semob, Fátima Araújo (Fatoca), da psicóloga da São Jorge, Erika Dornelas e da gerente de RH da Unitrans, Isabela Maria, e ainda da empresária Marília Ramos que deu um testemunho de como encarar a doença com altivez, sem enxergá-la como uma sentença de morte.

Em sua palestra, a Dra. Valéria explicou como se desenvolve o câncer de mama, quais os fatores de risco, as medidas de prevenção que as mulheres podem ter, quais exames são indicados e as formas de tratamento para cada caso. Além disso, também foi mostrado um perfil da doença no Brasil e na Paraíba. “Cada paciente tem um tratamento individualizado, portanto o que serve para uma mulher pode não ser indicado para outra”, destacou a médica. Segundo ela, a estimativa é de que no Brasil, até o final deste ano, deverão ser descobertos mais de 50 mil novos casos de câncer de mama. Na Paraíba, algo em torno de 700 novos casos. “Os números são altos, mas poderiam ser ainda maiores caso não existisse uma campanha como o Outubro Rosa e outras ações de conscientização para a importância do autoexame e da mamografia depois dos 40 anos ou ao menor sinal de anormalidade nas mamas”, destacou a mastologista, lembrando que quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, as chances de cura do câncer de mama são enormes, algo em torno de 90 a 95%.

A médica ainda explicou que como fatores de risco, o câncer de mama não tem uma causa única. Seu desenvolvimento se deve a uma série de fatores, alguns deles modificáveis, outros não. “O histórico familiar é um importante fator de risco para o câncer de mama. Mulheres com parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) que tiveram a doença antes dos 50 anos podem ser mais vulneráveis”, comentou a médica.  De acordo com ela, outros desses fatores são: a menarca precoce, a menopausa tardia, nunca ter engravidado ou ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos, etc. Os fatores modificáveis estão relacionados com o estilo de vida, a reposição hormonal, o excesso de peso e a ingestão regular de álcool. A médica também rechaçou a ideia de que traumas mamários e anticoncepcionais causam câncer de mama.

“O  mundo desabou quando recebi o diagnóstico de câncer, mas eu tinha duas saídas: ou lutar para viver e me curar ou me entregar. Resolvi ficar com a primeira opção e encarar a doença com fortaleza e determinação”, disse a empresária Marília Ramos que, após a palestra da Dra. Valéria, deu um testemunho de como enfrentar a doença sem se deixar abater pelas circunstâncias. Marília não sentia nada, fez exames e a doença não tinha sido diagnosticada, mas um sonho ( de que estaria com a doença)  a despertou para a necessidade de pedir a sua médica para aprofundar os exames. “Eu sabia que aquele sonho não tinha sido em vão. Que eu estava doente e precisaria me cuidar”, afirmou Marília que encarou a realização da cirurgia de mastectomia, as sessões de quimioterapia e todas as etapas do tratamento mantendo o alto astral. “As sessões de quimioterapia que fiz, num hospital particular,  eram verdadeiros encontros de amigas e familiares, eu levava bolo, salgados, refrigerante e ficava conversando com todos durante o tratamento. Eu decidi não me render à doença. Certa vez a minha médica disse que achava que eu era ‘doida’, mas que depois de tudo não achava mais ‘tinha certeza”, brincou ela.

Para Marília, que criou a home Page “Estou com câncer e agora?”, para ajudar outras mulheres a superar essa difícil fase, desde o diagnóstico até a cura, o importante em todo o processo e manter-se confiante. “Eu ainda estou em tratamento, tomando remédios, mas essa experiência do câncer me fez ver o quanto sou forte, perceber o quanto sou querida e comprovar que o alto astral é importante para superar esse momento difícil na vida de qualquer mulher”, disse a empresária.

No final do encontro, a diretora da Unitrans, Lorena Dantas agradeceu a presença de todas as colaboradores, a palestrante e ao depoimento de Marília, e ainda enalteceu a importância da prevenção. Um bolo foi servido para todas as mulheres presentes após o evento e todas as colaboradoras ganharam de presente uma viseira rosa, numa alusão ao Outubro Rosa.

Missa de 30º Dia do paraibano que morreu em loja do interior de Alagoas acontece sem que ninguém ainda seja culpado pela tragédia

Posted on

A celebração da Missa de 30º Dia do paraibano Sidney Marques Leite (Ney), que morreu tragicamente em um acidente no interior da loja Joel Auto Peças, na cidade de São Miguel dos Campos (AL), no dia 20 de setembro, aconteceu neste sábado (22), na capela Nossa Senhora da Piedade, no bairro do Cristo, em João Pessoa. Familiares, amigos e clientes de Ney que participaram do ato ecumênico ainda esperam que as autoridades policiais de Alagoas deem encaminhamento aos procedimentos legais que o caso requer para que, enfim, os culpados pela morte prematura de Ney respondam pelos seus atos perante à Justiça.

Durante a missa, irmãos, filhos e parentes próximos a Ney leram trechos da celebração eucarística e Ligia Maria, filha do segundo casamento dele, redigiu e leu um texto que fazia referência a escritos e postagens feitas por ele em rede social, a partir do qual relembrou e agradeceu os 15 anos de convivência com ele e todos os ensinamentos deste período compartilhado com muito amor e cumplicidade. “O plano material não será capaz de nos separar, pois estamos ligados de todas as formas possíveis através do amor”, destacou ela, lembrando que saberá honrar a memória de seu pai, levando em consideração todos os conselhos que recebeu dele.

A mãe de Ney, Francisca Marques Leite, mais conhecida como Nininha, não conteve as lágrimas durante toda a celebração, assim como os filhos do primeiro casamento dele, Pedro Neto, Allan Vinícius e Letícia Maria, que vieram de Teresina (PI), cidade onde residem, especialmente, para participar da celebração na capital paraibana, onde o pai residia. “Meu coração está em pedaços, a saudade é imensa, há um vazio enorme em minha existência. Nossos domingos não serão os mesmos sem ele”, disse ela sem conter as lágrimas. Ney costumava almoçar com os pais nos domingos em que estava em João Pessoa, já que seu trabalho, por vezes, o impedia por causas das viagens por todo o Nordeste.

A esposa, Kalina Ligia de Moura, fez uma homenagem especial a Ney, ao produzir um livreto com homenagens de familiares e pessoas próximas a ele, dedicando uma página da publicação com destaque de trechos de músicas de Roberto Carlos, intercalando-os com citações próprias, onde explicitou o seu sentimento de amor, paixão, admiração e dor pela saudade. “Ney foi um excelente companheiro, um grande pai, era um ótimo filho e um amigo de todas as horas. Eu não perdi apenas um marido, perdi meu referencial, meu alicerce, meu grande e único amor. Seguirei em frente, sem perder a ternura, pois tenho uma grande responsabilidade agora que é conduzir, educar e acompanhar nossas filhas, Ligia Maria e Anelise Maria”, disse Kalina.

Ney, como era mais conhecido, ocupava o cargo de gerente da Mônaco Distribuidora e estava no momento do acidente, no dia 20 de setembro, anotando um pedido de compras no interior da loja junto com um vendedor da mesma empresa, quando um carro desgovernado, dirigido por um mecânico, que estava sendo consertado no referido local, bateu nele e em seu companheiro de trabalho, imprensando-os contra o balcão. O vendedor teve apenas ferimentos leves, mas Ney foi atingido em cheio, ficando imprensado entre o carro e o balcão da loja. Foi encaminhado a UPA da cidade, em estado grave, onde recebeu os primeiros atendimentos. No local, ele teve duas paradas cardíacas, foi ressuscitado, mas logo entrou em coma, vindo a falecer poucas horas depois do ocorrido, no Hospital Geral do Estado (HGE), para onde tinha sido transferido de helicóptero.

O laudo do IML de Maceió, onde foi feita a autopsia, deu como causa da morte perfuração do baço e comprometimento de outros órgãos internos ocasionados por causa do impacto do veículo, além de constatar fraturas diversas nas pernas, costelas e bacia. O sepultamento de Ney aconteceu no Parque das Acácias, em João Pessoa, no dia 22 de setembro. Ele era paraibano de Patos e tinha 52 anos.

 

‘Prisão de Eduardo Cunha é uma estratégia para justificar a prisão de Lula, o verdadeiro alvo da Lava Jato’ afirma Jeová Campos

Posted on

“A prisão de Eduardo Cunha, que já acontece tarde demais, é apenas uma estratégia dos coordenadores da Operação Lava Jato e do juiz Sérgio Moro para justificar a prisão de Lula, na tentativa de passar uma falsa ideia que o Brasil está sendo passado a limpo”, afirmou o deputado estadual Jeová Campos, na manhã desta quinta-feira (20), no intervalo do seminário ‘Energia na Paraíba’, realizado na Reitoria da UFPB.

O parlamentar avalia que a prisão de Cunha, nos dias que antecede a tão propalada suposta prisão de Lula pela mídia, serve apenas para tentar enganar a opinião pública e atenuar o impacto que essa ação causaria em todo o país. “Essa é uma tentativa de desmentir o discurso da esquerda de que apenas os políticos e agentes públicos ligados ao PT, Lula e Dilma estavam sendo perseguidos pela Lava Jato. É também uma forma ardilosa de desarticular a população que não aceitaria a prisão de Lula, nem de mais ninguém ligado as forças progressistas, sem que antes alguém ligado ao governo golpista fosse punido”, destaca Jeová.

O deputado questiona ainda por que que a grande mídia, que sempre fez chamadas espetaculares antes, durante e depois das prisões de pessoas ligadas ao PT, não anunciou a prisão de Cunha com o mesmo alarde, nem deu tantas manchetes para o caso. “Cadê o espetáculo midiático neste caso? Por que que não se fala, não se ventila sequer, nem se propaga a prisão de Aécio Neves, Romero Jucá, José Serra, Fernando Henrique Cardoso, o presidente ‘golpista’ Michel Temer e tantos outros tucanos e políticos citados diversas vezes nas delações premiadas, enquanto que a toda hora se mostra cada vez mais concreta a possibilidade de prisão de Lula, mesmo tendo ele muito menos citações nas delações e nenhuma comprovação nas denúncias de desvios e uso indevido de recursos públicos”, reitera Jeová.

Defesa Civil Nacional tem que fazer uma releitura da situação dos municípios da Paraíba que estão sendo abastecidos com carros-pipa

Posted on

Apelo foi feito hoje, na ALPB, pelo deputado Jeová Campos. Ele destacou que hoje, a quantidade de carros-pipa não atende às necessidades dos municípios que estão em colapso

 

“A Paraíba tem 225 municípios, dos quais, atualmente, 170 estão em situação de estado de emergência, vários deles em colapso total por falta de água em seus reservatórios, e a demanda de carros-pipa, que nestes locais é a única forma de atender as necessidades básicas da população, é muito superior ao que está sendo destinado. Por isso, se faz necessário e de forma urgente, que a Defesa Civil Nacional faça uma releitura da situação destas localidades, a fim de atender a contento às pessoas no que diz respeito ao abastecimento de água”, afirmou nesta quarta-feira (19), o deputado estadual Jeová Campos.

Segundo Jeová, os recursos que foram liberados deram apenas para contemplar 170 carros pipas. “Essa quantidade é insuficiente. Os municípios estão agonizando e essa situação é muito angustiante. A realidade hoje é que municípios que precisariam receber, no mínimo, de cinco a seis carros-pipa estão recebendo apenas um e isso é completamente insustentável e inaceitável do ponto de vista da realidade e da crise hídrica que estamos vivendo”, denunciou Jeová.

O parlamentar disse ainda acreditar que os burocratas da Defesa Civil Nacional que não sabem onde fica o Nordeste. “Eles não conhecem o Nordeste, não sabem o que vive hoje os nordestinos, principalmente, àqueles que habitam o Nordeste setentrional, no chamado polígono da seca. O que estamos falando aqui é de vidas, de algo essencial ao ser humano que é água”, lembrou Jeová.

O deputado sugeriu que a Defesa Civil Nacional faça uma releitura sobre a situação crítica do estado da Paraíba, de cada município e, imediatamente, faça um replanejamento sobre a quantidade dos carros-pipa. “Se não quiser mandar os recursos diretamente para o Estados, mande os recursos para o Exército ou para outro órgão que o governo entenda ser competente para gerir essa questão. O que estamos querendo é que os carros-pipa cheguem para socorrer as pessoas. Não importa quem mande, masque cheguem”, destacou Jeová.

Segundo o deputado, em São José de Piranhas, sua terra natal, o prefeito instalou 15 chafarizes, mas precisa de água para esses reservatórios. “Precisaríamos de pelo menos, 15 carros-pipa, hoje temos apenas um”, afirmou ele, lembrando que daqui até o mês de fevereiro, março a situação se agravará. Esse período é o que se registra maior índice de insolação e evaporação da água, e muitos outros municípios entrarão em colapso. Algo tem que ser feito imediatamente, urgentemente. Estamos falando em sobrevivência de milhares de pessoas”, finalizou Jeová, que solicitou ao presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, deputado Renato Gadelha, que encaminhe ofício a Defesa Civil Nacional, solicitando essa releitura da situação dos municípios e, consequentemente, da quantidade de carros-pipas destinados à Paraíba.

‘Eu estou com temor do que estão fazendo com o povo brasileiro e a sociedade precisa reagir a esses desrespeitos’ diz Jeová

Posted on

“Onde está a positivação do direito brasileiro? Por que as pessoas estão sendo enclausuradas antes de se defender? Nós precisamos ter a dignidade de dizer que isso não está certo. Nós temos que ter a coragem de dizer que estamos com temor do que estão fazendo. Estão nos levando, indubitavelmente, não para uma disputa política, o que é legítimo, mas suprimindo, retirando os direitos individuais, a liberdade individual, e isso é inaceitável. Precisamos reagir contra esses absurdos”, disse hoje (18), pela manhã, na ALPB, o deputado estadual Jeová Campos (PSB).

O parlamentar reiterou que não é legítimo suprimir e retirar os direitos individuais como está acontecendo no Brasil atualmente. “A liberdade individual é sagrada, assegurada pela Constituição, e não há nada mais sacrossanto, compatível com a liberdade individual, do que o devido processo legal, do que a prova no processo, do que o recurso. O recurso é um bem intangível, é uma irresponsabilidade o aprisionamento que estão fazendo com o povo brasileiro”, destacou Jeová.

O deputado denunciou ainda a parcialidade como está sendo conduzida a operação Lava Jato que só prende, persegue e pune um só lado. “ Por que só se prende pessoas de um lado? Por que não prende dos dois lados? Prisão só tem para quem é da esquerda?! Quem apoia Lula, Dilma e um governo legitimado pela imensa maioria dos brasileiros que foi destituído num golpe, orquestrado pelo que de pior existe na política de nosso país”, indagou Jeová.

Lembrando um texto que está circulando nas redes sociais, de autoria de Francisco Costa, Jeová destacou  que José Serra tem 18 processos e continua a exercer o cargo de Ministro sem ser importunado, que Eduardo Cunha, mesmo depois de cassado e respondendo a 23 processos, continua livre e solto, que Fernando Henrique Cardoso, que mandou pensão, com dinheiro público, para enteado no exterior e é dono de um apartamento em Paris, avaliado em R$ 44 milhões, não é importunado pelos seus atos e que Aécio, que é dono de uma fazenda onde tem um aeroporto construído com recursos públicos, além de ser citado em várias delações, continua a exercer seu mandato de senador, sem ser importunado, que o golpista Temer responde a quatro processos, inclusive sendo réu e tendo seus direitos políticos cassados por oito anos, mas está na Presidência da República e que apenas Lula é perseguido e execrado  publicamente.

“Lula, que não foi citado na  Operação Zelotes, nem na lista de Furnas, não está na Operação Satiagraha, nem muito menos na Privataria Tucana, que tem apenas um processo, inconcluso, está sendo perseguido de forma cruel, violenta e arbitrária. Que país se transformou o Brasil”, finalizou Jeová.

Santa Maria inicia treinamento de integração dos jovens aprendizes 2016/2017

Posted on

Os candidatos, com  idades entre 18 e 22 anos, que foram selecionados para atuar no Programa Jovem Aprendiz da empresa de ônibus Santa Maria, começaram nesta segunda-feira (17) a conhecer a rotina de suas atividades. Os 15 candidatos que foram selecionados conheceram hoje os coordenadores do RH, Departamento Pessoal e SESMT e se familiarizaram com as normas internas da Santa Maria. Nesta terça-feira (18), eles participarão do treinamento teórico do setor de tráfego e da bilhetagem eletrônica. Na quarta-feira (19) acontecerá o treinamento prático da Bilhetagem. Dos 15 candidatos, 14 atuarão na área operacional, como cobrador e um fará estágio no setor administrativo.

Segundo a psicóloga da Santa Maria, Tayane Rodrigues, a integração teve o objetivo de apresentar a empresa e também os responsáveis por cada área. “Antes dos  candidatos começarem a atuar na empresa,  nas funções para as quais foram selecionados, eles vão conhecer detalhes do funcionamento da empresa, nossa missão, metas, forma de atuar, além das pessoas que eles conviverão no ambiente de trabalho”, afirma Tayane.

Todos os novos contratados estão matriculados entre o ensino fundamental e o ensino médio ou já concluíram seus estudos. A carga horária do Jovem Aprendiz é de quatro horas de atuação na empresa, de segunda a sexta-feira, mais duas horas de curso, no SEST/SENAT, de segunda a quinta-feira.

Para participar do Programa Jovem Aprendiz é necessário que o candidato tenha entre 14 e 24 anos, esteja matriculado e frequentando a escola, caso não tenha concluído o Ensino Fundamental, e esteja inscrito em curso ou programa de aprendizagem desenvolvido por instituições de aprendizagem, a exemplo do SEST/SENAT.  “O Jovem Aprendiz é um programa que valoriza os estudos, tanto é que a carga horária é reduzida para que o estagiário possa levar adiante os seus estudos, caso ele não tenha concluído, e tenha tempo de frequentar as aulas. O contrato de trabalho tem duração de um ano e a remuneração varia de acordo com as horas computadas de serviços prestados”, lembrou Tayane Rodrigues durante o treinamento.

Deputado Jeová Campos parabeniza iniciativa da UFPB de debater formas alternativas de geração de energia

Posted on

“É muito salutar esse debate porque é de suma importância se aprofundar nessa questão das energias alternativas, não poluentes, já que o nosso futuro dependerá também da boa gestão desta matriz energética”, afirma o deputado estadual Jeová Campos, referindo à realização do seminário “Energia na Paraíba: Desafios e Oportunidades”. O parlamentar, que é presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB, confirmou presença nos debates. O evento, promovido pela Academia Paraibana de Engenharia (APENGE) e a Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PRAC) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), acontece nos dias 20 e 21 deste mês, no auditório da Reitoria.

O objetivo do Seminário é apresentar as várias formas de geração de energia, analisar a situação energética da Paraíba e propor alternativas de soluções para o setor.O evento está sendo realizado em parceria com vários instituições, a exemplo da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), SEBRAE/PB, Centrais Elétricas da Paraíba (EPASA), PBGAS, Energisa, Agência de Regulação do Estado da Paraíba (ARPB), Sindalcool-PB, SUDENE, BNB, Sinduscon-pb, CREA-PB, MÚTUA PB, Faepa/Senar, Sudema, ANEEL, Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL), Secretaria de Estado dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia (Serhmact), Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS), Safira Energia-SP, Pacific Hydro e a Rio Alto Energia.

As inscrições podem ser feitas no site: http://energiapb.wixsite.com/home, nas secretarias dos Centros de Tecnologia (CT) – (83) 3216-7119 ou de Energias Alternativas e Renováveis (CEAR) – 3216-7268, no Campus I da UFPB. A organização do Seminário avisa que no dia do evento, por ocasião do credenciamento, cada inscrito deverá trazer 1kg de feijão + 1kg de arroz, que serão doados a três instituições de ajuda aos idosos.