Paraibanos ganham casas do projeto de Integração do Rio São Francisco

241 residências denominadas ’Vilas Produtivas Rurais’ foram entregues hoje (23) a famílias paraibanas, em São José de Piranhas e Cajazeiras

O Projeto de Integração do Rio São Francisco contemplou nesta terça-feira (23), com a entrega de 241 casas, diversas famílias paraibanas que moravam na faixa de obra do projeto de Integração do Rio São Francisco, nas cidades de São José de Piranhas e Cajazeiras, no sertão paraibano. O secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, Carlos Vieira, representou o Governo Federal na solenidade e o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, Jeová Campos o poder legislativo. Deusdete Queiroga, adjunto da Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Ciência e Tecnologia, representou o governo estadual.

Em São José de Piranhas, as residências das ‘Vilas Produtivas Rurais (VPRs)’ foram denominadas Cacaré, Irapuá 1, Irapuá 2 e Quixeramobim. Em Cajazeiras recebeu a denominação de Bartolomeu. O Ministério da Integração investiu  R$ 67,8 milhões nestes conjuntos habitacionais que além das casas contam com postos de saúde, escolas, praças, quadras poliesportivas, campo de futebol, centro comunitário, além de rede de água, esgoto e energia elétrica e área para plantio, inclusive com hectare para irrigação.

Jeová Campos foi uma das autoridades que discursou na solenidade de inauguração. Ele enalteceu a determinação dos governos do ex-presidente Lula e de Dilma Rousseff que tornou real um sonho acalentado há séculos pelos nordestinos. “A integração do São Francisco é uma obra grandiosa que não só vai dar ao povo do Nordeste a possibilidade de ter água em abundância, mas, também de ter uma vida melhor e essas Vilas Produtivas já traduzem essa melhoria de forma concreta e isso tudo só está sendo possível pela determinação e coragem do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma”, reconheceu o parlamentar.

Ainda segundo Jeová, é muito prazeroso acompanhar o projeto de Integração e ver além das grandiosas obras estruturantes, dos enormes canais e túneis,  o reflorestamento das margens do Rio, das matas ciliares e de toda a área ao longo do leito do São Francisco que também estão sendo revitalizadas, as  VPRs e constatar que o ambiente social do Nordeste está pronto para receber as águas da transposição. “No Eixo Norte, falta apenas 15% das obras serem concluídas, até dezembro ou mais tardar em janeiro de 2017 viveremos outra realidade”, destacou Jeová, que teve seu nome lembrado pelo representante do Governo Federal e a honra de poder entregar as chaves da nova residência a uma das famílias contempladas..

Segundo Carlos Vieira, foi graças ao trabalho da Frente Parlamentar da Água da ALPB, que foi pautado e colocado na agenda do Ministério da Integração a necessidade da construção do canal que liga Caiçara a Engenheiro Ávidos, que não tinha sido contemplado no projeto inicial da transposição, além da recuperação da PB 366, seriamente comprometida pelo tráfego de veículos pesados que transitaram naquela localidade a serviço das obras da transposição.

 

Postado em: 24/02/2016, Por : News Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *